Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
53Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
O Triste fim de Policarpo Quaresma

O Triste fim de Policarpo Quaresma

Ratings: (0)|Views: 10,001 |Likes:
Published by Enelson Ramos
Trabalho apresentado como requisito para obtenção de notas parcial na disciplina de Literatura Brasileira III, no Curso de Licenciatura em Letras da Universidade do Estado do Amazonas.
Trabalho apresentado como requisito para obtenção de notas parcial na disciplina de Literatura Brasileira III, no Curso de Licenciatura em Letras da Universidade do Estado do Amazonas.

More info:

Published by: Enelson Ramos on Apr 26, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/08/2013

pdf

text

original

 
UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONASPRO-REITORIA DE ENSINO E GRADUAÇÃOCENTRO DE ESTUDOS SUPERIORES DE TABATINGACURSO DE LICENCIATURA EM LETRASANALISE DA OBRA DE LIMA BARRETOO TRISTE FIM DE POLICARPO QUERESMA
Tabatinga2010
 
ENELSON RAMOS RAMIRESVALDILENE GOMES F. BENÍTEZANALISE DA OBRA DE LIMA BARRETOO TRISTE FIM DE POLICARPO QUARESMA
Orientadora: Profª Especialista Sebastiana Fernandes Barros.Tabatinga2010Trabalho apresentado como requisito paraobtenção de notas parcial na disciplina deLiteratura Brasileira III, no Curso deLicenciatura em Letras da Universidade doEstado do Amazonas.
 
1- Policarpo Quaresma é um homem nacionalista.a-Aponte algumas características da personagem que comprovem estaafirmação.
[...] Quem examinasse vagarosamente aquela grande coleção de livros havia de espantar-seao perceber o espírito que presidia a sua reunião. Na ficção, havia unicamente autoresnacionais ou tidos como tais: o Bento Teixeira, da Prosopopéia; o Gregório de Matos, o Basílio da Gama, o Santa Rita Durão, o José de Alencar (todo), o Macedo, o Gonçalves Dias(todo), além de muitos outros. Podia-se afiançar que nem um dos autores nacionais ounacionalizados de oitenta pra lá faltava nas estantes do major. De História do Brasil, era farta a messe: os cronistas, Gabriel Soares, Gândavo; e Rocha Pita, Frei Vicente do Salvador, Armitage, Aires do Casal, Pereira da Silva, Handelmann(Geschichte Von Brasilien), Melo Moraes, Capistrano de Abreu, Southey, Varnhagen, alémde outros mais raros ou menos famosos. [...] (I Parte. A lição de Violão. p. 3).[...] Não se sabia bem onde nascera, mas não fora decerto em São Paulo, nem no Rio Grandedo Sul, nem no Pará. Errava quem quisesse encontrar nele qualquer regionalismo:Quaresma era antes de tudo brasileiro. [...] (I Parte. A lição de Violão. p. 3.).[...] Era onde estava bem. No meio de soldados, de canhões, de veteranos, de papeladainçada de quilos de pólvora, de nomes de fuzis e termos técnicos de artilharia, aspiravadiariamente aquele hálito de guerra, de bravura, de vitória, de triunfo, que é bem o hálito da Pátria. [...] (I Parte. A Lição de Violão. P. 3).[...] Desde moço, aí pelos vinte anos, o amor da pátria tomou-o todo inteiro. Não fora o amor comum, palrador e vazio; fora um sentimento sério, grave e absorvente. [...] (I Parte. A Lição de Violão. P. 3).[...] De resto, a situação geral que o cercava, aquela miséria da população campestre quenunca suspeitara, aquele abandono de terras à improdutividade encaminhavam sua alma de patriota meditativo a preocupações angustiosas. [...] (II Parte. Peço energia Sigo já. p. 56).[...] -Folgo muito que o senhor concorde comigo... Vejo que é um patriota... Resolvi por isso fazer um rateio pelos oficiais, em proporção ao posto: um alferes concorre com cem mil-réis,um tenente com duzentos... O senhor que patente quer? Ah!É verdade!O Senhor é major, nãoé?[...] (III Parte. Patriota. p. 73).[...] Viu bem o que havia nisso de vingança mesquinha; mas o seu pensamento voou logo para as cousas gerais, levado pelo seu patriotismo profundo. [...] (II Parte. Peço energiaSigo já. P. 61).
b-O que esse traço de Quaresma provoca nas pessoas? Justifique com elementosda obra.
[...] encontrou a incredulidade geral, o riso, a mofa, o escárnio; e levou-o à loucura. Umadecepção. E a agricultura? Nada. As terras não eram ferazes e ela não era fácil como diziamos livros. Outra decepção. E, quando o seu patriotismo se fizera combatente, o que achara? Decepções. Onde estava a doçura de nossa gente? Pois ele não a viu combater como feras? Pois não a via matar prisioneiros, inúmeros? Outra decepção. A sua vida era uma decepção,

Activity (53)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
emo1_656520356 liked this
verarscoelho liked this
Ana Paula liked this
Elma Santos added this note
muito bom.essa foi uma critica forçada entre ordem e progresso e ao positivismo. se naquela época já não davam importância as práticas das utilidades imagine hoje!os comportamentos não mudaram nada,só nós deixaram sobre carregados...
Elma Santos added this note
muito bom!ajudou de demais no meu memorando...maracatu,não mudou nada,até hoje continuamos a ser monitorados,vigiados,exilados,prisioneiros e nossa própria terra.
Suellen Santos Silva added this note
Achei interessante , ajudou bastante ! são questões importantes.
Thays Almeida added this note
legal, mas não me ajudou!
Ellen Jesus liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->