Welcome to Scribd. Sign in or start your free trial to enjoy unlimited e-books, audiobooks & documents.Find out more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
15Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Qualidade na Gestão de Instalações desportivas

Qualidade na Gestão de Instalações desportivas

Ratings: (0)|Views: 2,062|Likes:
Published by joao_ceriz

More info:

Published by: joao_ceriz on May 07, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/02/2013

pdf

text

original

 
1
Qualidade na gestão de instalações desportivas
José Pedro Sarmento
 – 
 psarmento@fcdef.up.pt Seminário de Gestão de desporto
 – 
Universidade da Madeira. Fevereiro de 2005.
 Introdução
Vivemos, nos dias de hoje, a assunção de competências e o aumento da capacidade deintervenção do poder autárquico sobre o sistema desportivo nacional.Este facto, que é para nós salutar, levanta-nos no entanto, um conjunto de preocupaçõesque urge debater e esclarecer:. Que lógica seguir na implantação de novos equipamentos desportivos?. Como reduzir os custos de construção e manutenção das instalações desportivas?. Qual o perfil do gestor desportivo responsável por tais tarefas?Um esforço de reflexão neste âmbito parece culminar na necessidade de reestruturar osórgãos autárquicos, ao nível da sua organização interna. Com a ajuda de Covey (1990),reconhecemos alguns dos cenários existentes e outros que podemos ajudar a criar. Asorganizações desportivas passaram de um estado inicial anárquico, característico dasestruturas informais, para um outro, de cariz formal, respeitando inicialmente princípiosde dependência e, numa fase posterior, de independência. Neste momento parece-nosessencial avançar para um novo postulado, o da "interdependência", através do qual sejapossível dar passos seguros nas seguintes áreas:. a integração das acções do poder local numa política desportiva nacional;. o ordenamento territorial dos equipamentos;. a formação de equipas municipais de gestão e manutenção de instalações.O paradigma da «Sociedade de Mercado» obriga-nos a encarar todo o processo degestão dos serviços municipais dentro de uma lógica de optimização de recursos esatisfação da procura. Porter (1985) chama a atenção para a necessidade de criarmosnos produtos/serviços, vantagens competitivas sobre os seus concorrentes directos porforma a manter a sua posição dentro do mercado.
 
2
A aposta em segmentos de mercado específicos, o aumento da qualidade dos serviços ea diminuição do seu custo, são factores a ter em conta no planeamento e organização dequalquer serviço.Mas existe igualmente o papel social que o poder local tem de desempenhar e que oobriga a satisfazer necessidades, por vezes, sem conseguir ultrapassar os custos deprodução.O apoio ao movimento associativo, ás populações desfavorecidas e ás populações comnecessidades físicas especiais são parte integrante da programação de toda a actividadeautárquica. O equilíbrio entre as receitas possíveis e os custos sociais indispensáveisdeve orientar todo o nosso pensamento estratégico enquanto gestores públicos.
O ordenamento das instalações
Nos últimos tempos temos dedicado alguma atenção á forma, quanto a nós desajustada,como as instalações desportivas proliferam no nosso país. A maioria das vezes apenasconseguimos discernir motivações, muito longe das técnicas, para justificar o seuplaneamento e construção.. Aonde nos levará este estado de coisas?. Será possível continuarmos todos a pensar apenas nas nossas necessidades e sonhos,sem ter em conta as dos nossos vizinhos e as do próprio mercado?. Que importância tem para quem planeia, os níveis de utilização e os custos demanutenção e conservação dos equipamentos desportivos construídos?Por vezes, no que se refere ás instalações desportivas, parece não existir a necessidadede corresponder a uma determinada procura nem de justificar os investimentos. Ésuficiente construir e ir utilizando.A passagem gradual das competências desportivas do poder central para o poder localparece estar a ser um importante factor de desenvolvimento do sistema desportivonacional, permitindo um reforço da ligação entre o cidadão e o Estado. Tem facilitadoinclusivamente, a avaliação das carências e necessidades das populações, bem como, odesempenho do exercício das funções aos líderes políticos.
 
3
A construção de instalações é antes de mais um projecto social que pretende colmatarum conjunto de necessidades tidas como essenciais para o bem estar de uma população.A realização de estudos preliminares, a formação de equipas pluridisciplinares e aconsulta de peritos no sector desportivo, deve anteceder todo o processo de projecção econstrução de uma infra-estrutura desportiva (Walker, 1997).O conhecimento sobre o ordenamento e construção das instalações desportivas já existehá muito no plano internacional, e com provas dadas.Num país onde aquilo que é originário do estrangeiro, é por norma estimado e por vezessobrevalorizado, observamos com estranheza a dificuldade que a informação acimareferida tem, em penetrar as nossas fronteiras.No curto prazo, uma das grandes tarefas do gestor desportivo na autarquia, será garantira difusão de uma nova forma de pensar, programar e realizar as actividades no sectoronde desempenha as suas funções.Parece-nos assim, fundamental apostar inequivocamente numa definição clara do papel edas funções adstritas ao desporto autárquico. A ausência desta decisão poderá originar,a curto prazo, a transformação das autarquias em mais um sub-sistema do desportonacional, o que não nos parece, de todo, aconselhável.Embora, querendo apenas contribuir para o necessário e indispensável confronto deideias, parece-nos que o principal papel a desempenhar pelos departamentos de desportonas autarquias, está relacionado com a actividade de coordenar e interligar os diferentesníveis de intervenção e a disponibilização de recursos (materiais, humanos e financeiros)que permitem o normal funcionamento das inúmeras instituições de carácter desportivoem cada concelho.
 A gestão das instalações
Todos reconhecemos o aumento de exigência dos parâmetros de construção deequipamentos sociais nos últimos anos. Actualmente, temos como principal vector, aqualidade e multifuncionalidade dos serviços e instalações disponibilizados.Esta situação exige investimentos avultados, não apenas nas fases de projecto e deconstrução, mas também nas de manutenção e conservação, o que vai condicionardefinitivamente a rentabilidade da exploração e funcionamento desses mesmosequipamentos.

Activity (15)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Serra49 liked this
Sérgio Abreu liked this
fraga54 liked this
krystyano liked this
apolos liked this
João Carmo liked this
Dimas Pinto liked this
Pedro Vale liked this

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->