Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
7Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Gatekeeping no jornalismo digital: o caso Wikinotícias

Gatekeeping no jornalismo digital: o caso Wikinotícias

Ratings:

5.0

(1)
|Views: 558 |Likes:
Published by Marcelo Träsel
O trabalho discute a validade do conceito de gatekeeping no contexto do "jornalismo aberto", a partir da análise do site noticioso Wikinotícias. As instâncias de gatekeeping, baseadas nos valores-notícia, são parte integrante do sistema que confere credibilidade ao jornalismo, permitindo aos profissionais reclamarem objetividade. As possibilidades de interação mútua abertas no ciberespaço fomentam a produção de sites de notícias colaborativos escritos por não-profissionais, que poderiam ser um desafio à noção de gatekeeping. No entanto, a maioria destes sites adota barreiras de controle. Mas o verdadeiro avanço não estaria no abandono da busca da credibilidade pela objetividade?

TRÄSEL, Marcelo . Gatekeeping no jornalismo digital: o caso Wikinotícias. In: III Encontro da Sociedade Brasileira de Pesquisa em Jornalismo, 2005, Florianópolis. Anais do III Encontro, 2005.
O trabalho discute a validade do conceito de gatekeeping no contexto do "jornalismo aberto", a partir da análise do site noticioso Wikinotícias. As instâncias de gatekeeping, baseadas nos valores-notícia, são parte integrante do sistema que confere credibilidade ao jornalismo, permitindo aos profissionais reclamarem objetividade. As possibilidades de interação mútua abertas no ciberespaço fomentam a produção de sites de notícias colaborativos escritos por não-profissionais, que poderiam ser um desafio à noção de gatekeeping. No entanto, a maioria destes sites adota barreiras de controle. Mas o verdadeiro avanço não estaria no abandono da busca da credibilidade pela objetividade?

TRÄSEL, Marcelo . Gatekeeping no jornalismo digital: o caso Wikinotícias. In: III Encontro da Sociedade Brasileira de Pesquisa em Jornalismo, 2005, Florianópolis. Anais do III Encontro, 2005.

More info:

Categories:Types, School Work
Published by: Marcelo Träsel on Jun 01, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/18/2011

pdf

text

original

 
Gatekeeping no jornalismo digital: o caso Wikinotícias
1
Marcelo Träsel
2
RESUMO: O trabalho discute a validade do conceito de gatekeeping no contexto do"jornalismo aberto", a partir da análise do site noticioso Wikinotícias. As instâncias degatekeeping, baseadas nos valores-notícia, são parte integrante do sistema que conferecredibilidade ao jornalismo, permitindo aos profissionais reclamarem objetividade. As possibilidades de interação mútua abertas no ciberespaço fomentam a produção de sitesde notícias colaborativos escritos por não-profissionais, que poderiam ser um desafio ànoção de gatekeeping. No entanto, a maioria destes sites adota barreiras de controle.Mas o verdadeiro avanço não estaria no abandono da busca da credibilidade pelaobjetividade?
Palavras-chave: jornalismo, internet, wiki, gatekeeper, interação
Um dos principais alicerces da profissão jornalística, a partir da revolução nos periódicos norte-americanos no início do século XX, é a credibilidade. Trata-se domaior patrimônio de um veículo noticioso, essencial para sua penetração junto aomercado consumidor e posto em risco por qualquer pequeno arranhão causado pela publicação de informações imprecisas ou mentirosas.As novas tecnologias de comunicação, sobretudo a conjunção de redestelemáticas chamada Internet, no entanto, possibilitam que qualquer navegante dociberespaço publique com extrema facilidade e custo perto de zero informações emweblogs, sites pessoais e fóruns de discussão. Assim, as redes, aliadas à cada vez maior  portabilidade, à facilitação do intercâmbio de informações pela digitalização e à reduçãodo custo de câmeras, gravadores e filmadoras, abrem espaço para que amadores atuemcomo repórteres.Alguns projetos já se aproveitam destas novas possibilidades de participação, permitindo que interessados ao redor do mundo apurem e publiquem suas própriasreportagens. Os colaboradores não são necessariamente jornalistas e nem sempre possuem conhecimento técnico na área. Há desde sistemas completamente abertos, quedeixam qualquer um publicar notícias, como Wikinews
3
e Centro de MídiaIndependente
4
,a sistemas controlados, como o Ohmynews
5
, em que as reportagens sãofeitas pelo público, mas são verificadas por editores profissionais antes da publicação.O Wikinews é um serviço de notícias aberto, cujo objetivo é se tornar umaagência aberta e gratuita para qualquer publicação mundo afora. Sua característicamarcante é o fato de permitir a qualquer internauta editar textos e capas utilizandoapenas o browser e sem necessidade de cadastramento ou conhecimento de HTML
6
. Suaversão em português é chamada Wikinotícias.
1
Trabalho apresentado no III Encontro da Sociedade Brasileira de Pesquisa em Jornalismo, na ECE-UFSC, Florianópolis, novembro de 2005.
2
Jornalista, mestrando em Comunicação e Informação no PPGCOM-UFRGS. Colaborador doLaboratório de Interação Mediada por Computador da Fabico-UFRGS. Site: www.ufrgs.br/limc. E-mail:marcelo.trasel@gmail.com.
3
http://www.wikinews.org/
4
http://www.midiaindependente.org/
5
http://english.ohmynews.com/
6
Hypertext Markup Language. Trata-se da sintaxe utilizada para a construção de páginas na Web.
 
Com base na discussão do conceito de gatekeeper e analisando o funcionamentodo Wikinotícias, serão discutidas algumas formas de interação no jornalismo online e a pertinência do conceito de gatekeeping no contexto traçado.
Gatekeeping e credibilidade
O gatekeeping, conceito utilizado por David M. White para descrever o sistemade seleção de notícias em uma redação de jornal típica, é uma noção que traz em si umadiscussão sobre as distorções provocadas pela subjetividade no fazer jornalístico. Parteda premissa de que seria possível um jornalismo sem interferência das experiências,crenças e ideologia do repórter ou editor.Wolf (2003:202-228) aponta uma dezena de valores-notícia, ou critérios segundoos quais os jornalistas decidem publicar determinada matéria. São relativos aos aspectosde conteúdo da notícia (como importância e exatidão), apresentação do produtoinformativo (tamanho e ritmo, por exemplo), expectativas do público (o que os leitoresquerem) e conhecimento da concorrência (quais matérias a concorrência pode/pretendeveicular). O autor alerta que estes valores são dinâmicos e se alteram no tempo, assimcomo refletem a estrutura da organização e da equipe. Destinam-se "à realização programada de objetivos práticos e, em primeiro lugar, a tornar possível a repetitividadede certos procedimentos" (Wolf, 2003, p.204).Os valores-notícia não se formam
ex-nihilo
, mas são construídos pela própria prática profissional. Os repórteres costumam explicá-los e justificá-los com base nanoção de
news judgement 
:
"... o 'faro' jornalístico seria não uma capacidade 'misteriosa' de captar asnotícias, mas uma capacidade-padrão (adquirida com base em parâmetrosdelimitáveis: os valores/notícia) de combinar 'instantaneamente', num pontode equilíbrio, fatores muito diferentes." (Wolf, 2003:.265)
Os critérios definidos por este "faro" são concretizados na função de
 gatekeeping 
desempenhada pelos jornalistas. White explica que os setores ou pessoasque funcionam como "portões" [
 gates
] para as notícias dentro de uma redação sãoregidos ou por regras imparciais, ou por um grupo no poder, que toma a decisão de"deixar entrar" ou rejeitá-las. Além disso, as notícias são transmitidas "de um
 gatekeeper 
para outro na cadeia de comunicações" (White, 1993:143). Os repórteres dasagências, por exemplo, enviam suas matérias a seus editores, estes selecionam aquelasque serão enviadas aos veículos assinantes, onde as notícias serão submetidas a maisuma rodada de escolha dentro da redação.O resultado deste processo, para White (p.151), é o seguinte:
"... o editor do jornal provindencia (apesar de poder nunca estar conscientedesse facto) para que a comunidade oiça como facto somente aquelesacontecimentos que o jornalista, como o representante da sua cultura, acreditaserem verdade."
Sua conclusão é que a comunicação das notícias é subjetiva, pois o "conjunto deexperiências, atitudes e expectativas" do "porteiro" interfere em suas decisões (p.151). No entanto, o indivíduo colocado na posição de gatekeeper reclama a objetividade, brandindo a observação dos valores-notícia como prova.Como descreveu Gaye Tuchman, a utilização dos valores-notícia como forma degarantir a observação de certos procedimentos de trabalho, visando garantir aobjetividade, configura um ritual estratégico por meio do qual os jornalistas se protegemdos riscos da profissão, sobretudo das críticas quanto à parcialidade dos produtosinformativos (1993). Assim, podem manter a credibilidade junto ao público e frente a
 
seus superiores. Credibilidade é aqui entendida como a percepção do público de que asas informações publicadas em um jornal são exatas.O mecanismo pelo qual a observância dos valores-notícia garante a objetividadecompreende quatro procedimentos estratégicos: a apresentação de possibilidadesconflituais (os dois lados da questão), o uso de declarações de fontes, o fornecimento de provas auxiliares (documentos, vídeos) e a estruturação da notícia na forma apropriada(pirâmide invertida). A autora faz um alerta, entretanto: "Embora estes procedimentos possam fornecer provas demonstráveis de uma tentativa de atingir a objectividade, nãose pode dizer que a consigam alcançar" (p.89).Hackett questiona as premissas envolvidas nos estudos que analisam o problema,sobretudo quanto à possibilidade de se atingir a objetividade, e mesmo quanto ànecessidade disso. Aponta, por exemplo, que os princípios de exatidão e equilíbrio,essenciais para a reivindicação da objetividade, podem nem sempre ser compatíveis(1993:103).O autor afirma que a mídia interfere na construção social da realidade ao dar legitimidade aos processos sociais das instituições político-burocráticas. Para ele, os
media
noticiosos terminam por influenciar as práticas sociais e políticas que pretendemrefletir em suas páginas. Não obstante ajudar a reproduzir os enquadramentos políticosdominantes, conforme Hackett, a busca da objetividade faz parte da própria definição de jornalismo e atua em consonância com os interesses econômicos das empresas jornalísticas, na medida em que permite a proteção contra processos por difamação egera uma desculpa aceitável para a não-interferência no trabalho das redações a pedidode governos e anunciantes.Sonia Serra, em sua releitura da noção de gatekeeper sugere que há maior importância das normas profissionais do que da subjetividade na escolha das notícias publicáveis (2004:5). A subjetividade influiria mais na explicação a respeito da decisãodo que no processo em si. Para a autora, a maior crítica a White é a possívelinsuficiência do estudo frente à complexidade das mediações envolvidas no fazer  jornalístico. Serra lembra, entretanto, que seja como for algumas notícias de fato são barradas com base na subjetividade e vedadas à comunidade. White não ignorava asoutras mediações, apenas deteve-se em uma delas naquele artigo.
Jornalismo digital e interação
Para Elias Machado, as principais características do jornalismo digital são adescentralização, o uso das redes telemáticas e, sobretudo, a incorporação do leitor no processo produtivo.
"... el periodismo digital es todo el producto discursivo que construye larealidad por medio de la singularidad de los eventos, que tiene como soportede circulación las redes telemáticas o cualquier otro tipo de tecnología por donde se transmita señales numéricas y que incorpore la interacción con losusuarios a lo largo de proceso productivo" (Machado, 2000:19)
7
.
Palácios et al. (2002) também indica a interatividade como uma dascaracterísticas definidoras do jornalismo digital, junto à hipertextualidade,multimidialidade, personalização, memória e atualização contínua.A maneira como a interação é integrada ao processo produtivo não se resume aosimples envio de mensagens por email à redação ou à votação em enquetes. ParaMachado, implica a participação de todo indivíduo envolvido no processo de
7
Tradução do autor: "... o jornalismo digital é todo o produto discursivo que traduz a realidade através dasingularidade dos eventos, que tem como suporte de circulação as redes telemáticas ou qualquer outrotipo de tecnologia pela qual se transmitam sinais numéricos e que incorpore a interação com os usuáriosao longo do processo produtivo."

Activity (7)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
mjspinto liked this
karinebrito liked this
adornoso60 liked this
Ale Sousa liked this
ravenarock liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->