Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
3Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Resenha: "Mentalize" - Andre Matos

Resenha: "Mentalize" - Andre Matos

Ratings: (0)|Views: 171 |Likes:
Published by Eliel Vieira
Mais em www.elielvieira.org
Mais em www.elielvieira.org

More info:

Published by: Eliel Vieira on May 31, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF or read online from Scribd
See more
See less

09/16/2014

pdf

 
Página | 1
- www.
ElielVieira
.org -
RESENHA – “MENTALIZE”
ANDRE MATOS
Por: Eliel Vieira
Fiquei com vontade de escrever uma resenha sobre o álbum
 Mentalize
, segundo trabalho solode
Andre Matos
, logo na primeira vez que o ouvi. Contudo, dado a alta carga de complexidade doálbum – desde sua temática até as frases de bateria nas músicas – sempre protelei esta tarefa. Comoescrever resenhas sobre álbuns musicais é algo difícil, e como é mais difícil ainda escrever resenhassobre álbuns complexos, não queria correr o risco de que minha resenha fosse um não-atrativo para aspessoas. Após alguns meses ouvindo
 Mentalize
, aqui vai minha resenha.Sempre polêmico e criativo Andre Matos e seu grupo
1
compuseram um álbum bem particular.Em vários pontos
 Mentalize
 
é distinto dos outros álbuns de
 Heavy Metal
que tem sido lançados. Atemática do álbum mistura religião, misticismo, obscurantismo, ciência e razão – por mais antagônicoque isto possa parecer ser a alguns. A capa do disco, aparentemente simples e sem muita sofisticação
2
,contém o que a princípio parece ser um labirinto. Contudo, diferentemente de um labirinto tradicionalque possui várias pegadinhas e do qual pouquíssimas pessoas conseguem sair, o labirinto gótico dacapa de
 Mentalize
possui apenas um caminho a se seguir, que inequivocamente conduz ao seu centro.De acordo com o
mentalizador 
desta ideia,
Andre Matos
, o labirinto representa nós mesmos, eo caminho que devemos percorrer até o centro para obtermos autoconhecimento
3
. Pode-se, contudo,imaginar um milhão de coisas ao olharmos este labirinto: não raro perdermos o rumo do caminho dolabirinto quando estamos o seguindo apenas com os olhos – o que poder representar a dificuldade queas pessoas têm de se autoconhecer, mesmo pensando a princípio que esta tarefa seja fácil; o encarte doCD é todo furado, formando uma espiral que coincidentemente está em sentido contrário ao sentido dolabirinto, o que ajuda a nos confundir – o que pode representar os atalhos que projetamos para tentar
1
Apesar de ser liderada pelo vocalista Andre Matos e se chamar “Andre Matos”, “Andre Matos” é uma banda, com váriosintegrantes.
2
Quando a imagem da capa do disco foi divulgada na internet algumas semanas antes de seu lançamento, vários fãs dabanda a criticaram, considerando-a simples, tosca, rude e sem sentido.
3
Em entrevista à revista
Roadie Crew 
, ano 12, nº 131, Dezembro/2009.
 
Página | 2
burlar a necessidade do autoconhecimento que, ao invés de nos ajudar, apenas nos atrapalham; os furosdeste atalho parecem formar uma espiral parecida com uma galáxia – podendo significar que a buscapelo autoconhecimento é universal, comum a todo ser vivente. Enfim, podem-se imaginar mil coisasao olharmos a capa do disco.Todos estes furinhos no encarte obviamente acarretaram um ônus: a tarefa de ler as letras dasmúsicas no encarte tornou-se muito mais difícil do que o usual. Mas nada que tire o brilho de termosem mãos um encarte que é totalmente furado da primeira à última página.Musicalmente falando,
 Mentalize
 
não fica para trás no que se refere a sofisticação e qualidade.No geral podemos dizer que o álbum é mais “direto” que seu antecessor,
Time to be Free
. A primaziade
 Mentalize
fica com as guitarras e com os graves do baixo e da bateria, diferentemente de
Time to beFree
, onde as orquestrações tinham um papel de destaque bem maior nas músicas.Diferente do usual para bandas do estilo,
 Mentalize
 
não começa com uma
 Intro
orquestrada. Aprimeira faixa,
 Leading On
começa em um clima um tanto sombrio, com uma voz assustadorasussurrando em um tom estranho e os tribais de bateria sendo conduzidos progressivamente maisfirmes por Eloy Casagrande até a aparição dos demais instrumentos e do começo da música em si. Esteclima meio
Cine Trash
me lembrou bastante alguns momentos do primeiro álbum de
Black Sabbath
,considerado por muitos o álbum que mudou a história do
 Rock 
. Como um todo
 Leading On
lembravagamente
 Nothing to Say
, clássica música do álbum
 Holy Land 
, segundo da era Andre Matos nabanda
Angra
.A segunda música do álbum,
 I Will Return
começa com uns coros bastante interessantes,lembrando aqueles corais escolares que vemos em filmes americanos – com a sonoridade meio “doce”.Logo após temos a entrada das guitarras e o peso da música. E música possui bastante variações deintensidade: há momentos que temos apenas piano, momentos em que o baixo de Mariutti se destaca,momentos dos corais, momentos em que ela lembra o
 Heavy Metal
dos anos 70 e momentos que elaparece que
Gothic Rock 
. É uma das minhas faixas preferidas do disco.A seguir temos
Someone Else
. A música também começa em um clima meio sombrio e com osinstrumentos dando as caras aos poucos, não de uma vez.
Andre Matos
contribui com o climasombrio cantando as primeiras frases da música com um efeito meio
trash
na voz. O ponto forte destamúsica é seu refrão, que é bem meloso e se destaca do resto da música. Os solos de guitarra em
Someone Else
também são um grande atrativo, especialmente por volta dos 4 minutos de música,quando eles formam uma espécie de dueto com o fundo de piano que é executado.
 
Página | 3
A quarta faixa do disco é
Shift the Night Away
. Depois de um dueto entre tribais de bateria esolos melosos de guitarra a música apresenta seu peso e velocidade. “Metal melódio” se encaixaperfeitamente em uma curta definição de
Shift the Night Away
. A melhor parte da música é lá pelos2:30 min., quando os solos de guitarra ficam em evidência. O refrão é forte e ele combina perfeitamen-te com a voz de
Andre Matos
, criando um contraste muito legal com os coros dos vocais
back 
.
 Back to You
é a quinta faixa. É aquele tipo de “balada progressiva” que começa calmamente evai aumentando a intensidade até seu ápice. Gosto deste tipo de música quando elas contêm (como é ocaso de
 Back to You
) uma letra que se assemelha a uma história, com a melodia acompanhando ahistória. É uma música muito criativa, progressiva, daquelas que você apresenta para sua namoradaque não gosta de
 Heavy Metal
no intuito dela se
converter 
.A sexta faixa do disco é a que dá nome ao álbum,
 Mentalize
. Ela não é muito rápida, mas é amais pesada do disco. Seu estilo combina bastante com seu conteúdo lírico: a letra fala sobre osmistérios da física quântica e do misticismo por trás destes mistérios. O conteúdo da letra é bastanteespeculativo e não-objetivo – e não poderia ser diferente, afinal estamos lidando com uma música, nãocom um compêndio de física. Nesta faixa os famosos coros (que estão presentes em todo o disco) sãomais fortes e “masculinos” – bem
trues
! – diferente dos coros mais “doces” que vemos em outrasfaixas como
 I Will Return
.A seguir temos
The Myriad 
. Ela curiosamente começa dando pinta que vai ser monstruosa-mente pesada: tribais na bateria e frases firmes de guitarra logo nos primeiros segundos. Porém amúsica não contém nada do peso que ela aparentou profetizar no seu início. A música é cadenciadaquase em sua totalidade, onde as distorções das guitarras são apenas coadjuvantes de luxo. É umamúsica muito gostosa de se ouvir, cujas excentricidades passam desapercebidas quando a ouvimos semlhe dar a devida atenção.
When the Sun Cried Out
é a oitava faixa do disco, e uma das minhas favoritas. Ela começabem ao estilo
Nightwish
, com aqueles coros “ah ah ah!” misturados com o peso das guitarras e amelodia dos teclados. Ela alterna períodos de peso e velocidade (refrão) com passagens maiscadenciadas e melódicas (estrofes e solos). Uma faixa bastante interessante.A nona faixa do disco chama-se
 Mirror of Me
. Eu não a odeio. Ela dá para descer. Quandocoloco o álbum para ouvi-lo do início ao fim eu a escuto sem problemas. Seu problema é que, diferen-temente das demais músicas do álbum, ela não tem nenhum destaque. Não há nada nela sobre o qual

Activity (3)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads
Vinicius José liked this

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->