Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
31Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Contos de Fadas: de sua origem à clínica contemporânea

Contos de Fadas: de sua origem à clínica contemporânea

Ratings: (0)|Views: 9,809|Likes:
Published by Thaisa
SCHNEIDER, R., TOROSSIAN, S.. Contos de fadas: de sua origem à clínica contemporânea / Fairy tales: from their origin to contemporary clinic / Cuento de hadas: de su origen a la clínica contemporánea. Psicologia em Revista, América do Norte, 15, nov. 2009. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/psicologiaemrevista/article/view/899. Acesso em: 31 Mai. 2010.
SCHNEIDER, R., TOROSSIAN, S.. Contos de fadas: de sua origem à clínica contemporânea / Fairy tales: from their origin to contemporary clinic / Cuento de hadas: de su origen a la clínica contemporánea. Psicologia em Revista, América do Norte, 15, nov. 2009. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/psicologiaemrevista/article/view/899. Acesso em: 31 Mai. 2010.

More info:

Published by: Thaisa on May 31, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

06/08/2013

pdf

text

original

 
132
Psicologia em Revista,
 
Belo Horizonte, v. 15, n. 2, p. 132-148, ago. 2009
Contos de fadas: de sua origem à clínica contemporânea
Fairy tales: from their origin to contemporary clinicCuento de hadas: de su origen a la clínica contemporánea
Raquel Elisabete Finger Schneider 
 2 
Sandra Djambolakdijan Torossian
** 
 3
Resumo
Os contos de adas são histórias diundidas desde a Antiguidade etêm comprovada inuência e relevância entre inância também nacontemporaneidade. Esta revisão de bibliografa visa a contribuir paraos estudos da psicanálise no que tange ao entendimento analíticodessas preciosas histórias da literatura inantil, em especial quanto àsua aplicabilidade terapêutica na clínica psicológica. Inicialmente,percorremos a literatura em busca de subsídios que elucidem a suaorigem e que sustentem o uso dos contos na pesquisa em psicologiaclínica. Na sequência, sustentamos a aplicabilidade dos contos de adana prática clínica, enocada por diversas correntes teóricas. Na clínicapsicanalítica contemporânea, az-se corriqueiro o uso de contos de adascom crianças, para diagnóstico e tratamento, quando são usados comouma orma de expressão e simbolização do sorimento.
Palavras-chave:
contos de ada; psicanálise; aplicabilidade terapêutica.
 Abstract
Fairy tales have been known since antiquity and their inuence on andrelevance to children nowadays are unquestionable. The objective o thisbibliographic review is to contribute to psychoanalytical studies in whatconcerns the analytical understanding o those rich stories o children’sliterature, especially regarding their therapeutic applicability to psychologicalclinic. First we reviewed the literature in order to fnd material to elucidatetheir origin and to advise their use in clinical psychology research. We thenproceeded to recommend the applicability o airy tales to clinical practice, with basis on in dierent theoretical views. In contemporary psychoanalyticclinic, it is common to use airy tales with children or diagnosis and treatment,as a orm o expression and symbolization o suering.
Key words:
Fairy tales; Psychoanalysis; Therapeutic applicability.
Texto recebido em agosto de 2008 e aprovado para publicação em agosto de 2009.
*
Mestra em Psicologia Clínica pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos – Unisinos-RS,
e-mail:
raquel.schneider@terra.com.br.
**
Doutora em Psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS,
e-mail:
djamb@terra.com.br.
 
133
Psicologia em Revista,
 
Belo Horizonte, v. 15, n. 2, p. 132-148, ago. 2009
Contos de adas: de sua origem à clínica contemporânea.
C
Resumen
Los cuentos de hadas son historias diundidas desde la antiguedad y también en la contemporaneidad poseen una relevancia e inuenciapara la inancia. La revisión bibliográfca que aquí presentamos tienecomo objetivo contribuir para los estudios del psicoanálisis con respectoal entendimiento analítico de estas preciosas historias de la literaturainantil, especialmente por su aplicabilidad terapéutica en la clínicapsicológica. Iniciamos un recorrido por la literatura en busca de subsidiosque eluciden su origen y que sustenten su utilización en el ámbito de lapesquisa en psicología clínica. A continuación sustentamos la aplicabilidadde los cuentos de hadas en la práctica psicológica, enocándola a partirde dierentes corrientes teóricas. El uso de cuentos de hadas con niños eshabitual en lo que se refere al diagnóstico y al tratamiento en la clínicapsicoanalítica contemporánea cuando son utilizados como una orma deexpresión y simbolización del surimiento.
Palabras clave:
cuento de hadas, psicoanálisis, aplicabilidad terapéutica
1 Os contos de fadas e a infância 
onsiderando que os contos de adas são histórias diundidas desde a Antiguidade, com comprovada inuência e relevância para o públicoinantil também na contemporaneidade, esta revisão de bibliografa visa acontribuir para os estudos da aplicabilidade terapêutica dessa literatura.Percorremos a literatura em busca de subsídios que sustentassem o uso dos contosna pesquisa em Psicologia clínica. Realizamos uma “garimpagem arqueológica”dos contos de adas e, no decorrer das “escavações”, omos surpreendidos comragmentos, achados inusitados e peças raras. Dessa “garimpagem”, resultaraminúmeros achados singulares e estabeleceu-se uma necessidade seletiva.Procuramos organizar este artigo em torno de dois principais eixos. Num primeiromomento, trataremos especifcamente da pesquisa dos contos de adas, abordandoa tradição oral e artesanal do Período Medieval até a contemporaneidade, comautores pioneiros, como Charles Perrault, o brasileiro Monteiro Lobato, situando ascontribuições mais recentes da literatura que apontam para um processo singular desubjetivação dos corpos inantis. Num segundo ponto, sustentamos a aplicabilidadedos contos de adas na clínica psicológica, recorrendo a diversas correntes teóricas.
2 Na mágica viagem dos contos de fadas, um pouco de história 
O surgimento dos contos de adas perde-se no tempo. A literatura registraque são histórias transmitidas oralmente de geração a geração e que, mesmocom toda a tecnologia existente, mantêm seu espaço de destaque narrativo
 
134
Psicologia em Revista,
 
Belo Horizonte, v. 15, n. 2, p. 132-148, ago. 2009
Raquel Elisabete Finger Schneider, Sandra Djambolakdijan Torossian
 junto à inância. Já não se reservam apenas à unção de distração ou de acalantoao sono das crianças, mas seu poder se expressa na magia e na antasia quedespertam no inante. Tornam-se, assim, alvo do estudo científco de diversasciências do conhecimento e do desenvolvimento inantil, como a Pedagogia,a Psicologia e, em especial, a psicanálise.Muito se escreveu e ainda se escreve sobre essa modalidade de literatura,numa tentativa de abordar as questões pertinentes ao seu entendimento. Háregistros bastante antigos sobre os contos e seu uso nas mais diversas culturas.Os contos de adas, especialmente, têm encantado várias gerações em dierentespaíses e, antes mesmo de serem registrados pela escrita na orma como osconhecemos, eram responsáveis pela ormação coletiva da espiritualidade e dacultura de inúmeros povos (Melli & Giglio, 1999; Oliveira, 1993). A literatura, embora não seja unânime, aponta para a origem céltica (séculoII a.C.) dos contos de adas. Hisada (1998) aborda os escritos de Platão, nosquais mulheres mais velhas empregavam suas histórias recheadas de simbologiana educação de crianças. A autora cita Apuleio, flósoo do século 2 d.C., eseu romance “O Asno de Ouro”, que, em muito, lembra o conto “A Bela e aFera”. Também no Egito, reere Hisada (1998), nos papiros dos irmãos Anúbise Bata, oram encontrados registros de contos de adas. Ferreira (1991) relataque os povos da Antiguidade conheciam o universo antástico existente noscontos. Seu enredo é tramado por tecidos de refnadas matrizes do imagináriohumano, cuja linguagem, repleta de signifcados simbólicos e de metáoras,tem a capacidade de interligar o consciente e o inconsciente.Os contos, em sua essência, não eram destinados ao universo das crianças,uma vez que as histórias eram recheadas de cenas de adultério, canibalismo,incesto, mortes hediondas e outros componentes do imaginário dos adultos.Souza (2005) az menção aos contos, descrevendo-os como histórias quenarravam o destino dos homens, suas difculdades, seus sentimentos, suasinter-relações e suas crenças no sobrenatural. Eram relatados por narradoresprofssionais, os quais herdavam essa unção dos antepassados, ou como umasimples tradição transmitida de pessoa para pessoa. Geralmente, as narraçõesocorriam em campos de lavouras, reuniões sociais, nas salas de far, casas dechá, nas aldeias ou nos demais espaços em que os adultos se reuniam (Radino,2001, 2003).Originalmente construídos para o universo adulto, a partir da “descobertada inância” (Ariés, 1981, p. 11), passam a sorer adaptações no sentido decontemplarem as necessidades das crianças, bem como de sua vida imaginária.Os contos se confguravam em artiícios ascinantes à antasia inantil,

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->