Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
6Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Cuidadores de crianças e adolescentes com leucemia - análise de estratégias de enfrentamento

Cuidadores de crianças e adolescentes com leucemia - análise de estratégias de enfrentamento

Ratings: (0)|Views: 436 |Likes:
Published by Thaisa
MENSORIO, M., KOHLSDORF, M., JUNIOR, �.. Cuidadores de crianças e adolescentes com leucemia: análise de estratégias de enfrentamento / Caregivers of children and adolescents with leukemia: coping strategies analysis / Cuidadores de niños y adolescentes con leucemia: análisis de las estrategias d. Psicologia em Revista, América do Norte, 15, jun. 2009. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/psicologiaemrevista/article/view/622/644. Acesso em: 31 Mai. 2010.
MENSORIO, M., KOHLSDORF, M., JUNIOR, �.. Cuidadores de crianças e adolescentes com leucemia: análise de estratégias de enfrentamento / Caregivers of children and adolescents with leukemia: coping strategies analysis / Cuidadores de niños y adolescentes con leucemia: análisis de las estrategias d. Psicologia em Revista, América do Norte, 15, jun. 2009. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/psicologiaemrevista/article/view/622/644. Acesso em: 31 Mai. 2010.

More info:

Published by: Thaisa on May 31, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/07/2012

pdf

text

original

 
158
Psicologia em Revista,
 
Belo Horizonte, v. 15, n. 1, p. 158-176, abr. 2009
Cuidadores de crianças e adolescentes com leucemia:análise de estratégias de enfrentamento
(Caregivers of children and adolescents with leukemia: coping strategies analysis)(Cuidadores de niños y adolescentes con leucemia: análisis de las estrategias deenfrentamiento)
 Marinna Simões Mensorio
 Marina Kohlsdorf  
** 
 Áderson L. Costa Junior 
*** 
Resumo
Este estudo teve como objetivo principal investigar mudanças nasestratégias de enrentamento adotadas por 30 cuidadores ao longo dosemestre inicial de tratamento de leucemia de crianças e adolescentes. A escala de modos de enrentamento de problemas (EMEP) oi aplicada aodiagnóstico depois de dois a três meses, desde o início do tratamento, eapós cinco a seis meses de tratamento. Em aplicações correspondentes,oi usado o inventário Beck de ansiedade (BAI). Observou-se umaredução dos níveis de ansiedade no decorrer do tratamento, bem comoo predomínio de estratégias de enrentamento ocadas em práticasreligiosas, problema e busca por suporte social. Sugere-se um maiorcuidado das equipes de oncologia pediátrica para a identifcação dasnecessidades de intervenção psicossocial que envolvem os pacientes eseus cuidadores. Os dados permitem planejar intervenções preventivasque aumentem a probabilidade da aquisição e manutenção de estratégiasde enrentamento mais efcientes por parte dos cuidadores.
Palavras-chave:
enrentamento, psico-oncologia pediátrica, leucemia,cuidador.
 Abstract
This study aimed to investigate changes in coping strategies adoptedby 30 pediatric caregivers during the initial six months o children’sand adolescents’ treatment or leukemia. The Ways o Coping Scale
*
Texto recebido em agosto/2008 e aprovado para publicação em evereiro/2009
*
Estudante de graduação em Psicologia da Universidade de Brasília, bolsista do Programa de Iniciação Cientíca (PIC/UnB)- UNB,
e-mail:
ninamensorio@gmail.com
**
Psicóloga, mestre em psicologia pela Universidade de Brasília - UNB,
e-mail:
marinak@unb.br
***
Doutor em Psicologia, proessor adjunto do Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília - UNB,
e-mail:
aderson@unb.br
 
Cuidadores de crianças e adolescentes com leucemia: análise de estratégias de enrentamento
159
Psicologia em Revista,
 
Belo Horizonte, v. 15, n. 1, p. 158-176, abr. 2009
 was applied to the diagnosis two to three months ater the beginning o the treatment, and then ater fve to six months o treatment. The Beck  Anxiety Inventory (BAI) was applied in corresponding applications.There was a reduction in levels o anxiety during the treatment, anda predominance o coping strategies ocused on the problem and thesearch or spiritual and social support. Better care by pediatric oncology proessionals in identiying the psycho-social intervention needsinvolving patients and their caregivers is suggested. Data allow planningpreventive interventions to increase the acquisition and maintenance o pediatric caregivers’ efcient coping strategies.
Key-Words:
Coping; Pediatric psycho-oncology; Leukemia; Caregivers.
Resumen
Este estudio tuvo como objetivo investigar cambios en las estrategias deenrentamiento adoptadas por 30 cuidadores a lo largo del semestre inicialde tratamiento de leucemia de niños y adolescentes. La Escala de Modosde Enrentamiento de Problemas (EMEP) ue aplicada al diagnóstico,después de dos a tres meses desde el inicio del tratamiento y despuésde cinco a seis meses de tratamiento. En aplicaciones correspondientes,ue utilizado el Inventario de Ansiedad de Beck (BAI). Se observó unareducción de los niveles de ansiedad en el transcurrir del tratamiento, asícomo el predominio de estrategias de enrentamiento ocalizadas en elproblema y en la búsqueda por soporte espiritual y social. Se sugiere unmayor cuidado de los equipos de oncología pediátrica para la identifcaciónde necesidades de intervención psicosocial, que alcancen a los pacientesy sus cuidadores. Los datos permiten planear intervenciones preventivasque aumenten la probabilidad de la adquisición y mantenimiento deestrategias de enrentamiento más efcientes por parte de los cuidadores. 
Palabras clave:
enrentamiento, psicooncología pediátrica, leucemia,cuidador.
Introdução
psico-oncologia constitui uma área de interace entre a Psicologiae a Oncologia (Gimenes, 2003) que usa conhecimentos teóricose metodológicos da Psicologia da saúde para promover a assistênciaintegral ao paciente com câncer, incluindo os contextos médico-hospitalar,amiliar e social que permeiam o tratamento.Pela crescente incidência de câncer entre crianças e adolescentes, a psico-oncologia pediátrica tem se rmado como um campo de conhecimento
 A
 
160
Psicologia em Revista,
 
Belo Horizonte, v. 15, n. 1, p. 158-176, abr. 2009
Marinna Simões Mensorio, Marina Kohlsdor, Áderson L. Costa Junior
e intervenção que estuda a infuência de atores psicossociais sobre odesenvolvimento de neoplasias, o tratamento e a reabilitação de crianças,adolescentes e seus amiliares (Costa Junior, 1999). Pesquisas tambémapontam índices signicativamente crescentes de sobrevida em crianças comcâncer (Desandes, 2007), sendo as chances de sobrevivência maiores quandoa doença é diagnosticada precocemente e o tratamento executado em umcentro especializado (Steele, Dreyer & Phipps, 2004; Costa Junior, 2005).Tais dados aumentam a responsabilidade dos prossionais de saúde que atuamem oncologia pediátrica, uma vez que, quanto maior o contingente de ex-pacientes de câncer maiores são as demandas pelo atendimento a necessidadespsicossociais.Entretanto, observa-se uma carência de estudos a respeito do que sentemos amiliares de tais pacientes e como enrentam as situações adversasassociadas ao contexto do tratamento de câncer. Em Psicologia da saúde, otermo
enfrentamento
, ou c
oping 
(do original, em língua inglesa), reere-se aoestudo das estratégias adotadas por indivíduos e grupos para adaptarem-se acircunstâncias adversas ou estressantes, temporárias ou permanentes de vida(Folkman & Lazaruz, 1980).Conorme Antoniazzi, Dell’Aglio e Bandeira (1998), o enrentamento podeser denido como um conjunto de esorços, cognitivos e comportamentais,usados pelo indivíduo com o objetivo de lidar com demandas especícas, quesurgem em situações estressantes, potenciais ou reais. Didaticamente, parans de estudo, as estratégias podem estar ocalizadas no problema (resolver asituação de doença de um membro amiliar, por exemplo), ou na emoção (oque azer com os sentimentos diante do sorimento de um amiliar doente, porexemplo). De especial interesse à psico-oncologia destaca-se a necessidade decompreender-se como essas estratégias sorem alteração ao longo do processodo tratamento e como infuenciam as relações entre os amiliares do pacientee o ambiente de cuidados com a saúde. A identicação destas estratégiaspode proporcionar um planejamento prévio dos prossionais de saúde queatendem ao paciente e seus amiliares, priorizando-se o desenvolvimento decomportamentos de saúde e a atenção às necessidades psicossociais de cadaindivíduo.Conorme Steele
et alii 
(2004), apesar do enorme avanço armacológicoda Medicina no que se reere ao tratamento do câncer pediátrico, os paisde crianças em tratamento ainda continuam expostos a situações de grandesorimento emocional e por períodos prolongados. Segundo os autores, níveisde estresse e ansiedade parentais podem revelar-se extremamente elevadosdurante o curso do tratamento, intererindo sobre as habilidades básicas para

Activity (6)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Mariluce Farias liked this
alan_linhares liked this
martatelepac liked this
cedes3946 liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->