Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
35Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Crime Consumado e Crime Tentado

Crime Consumado e Crime Tentado

Ratings: (0)|Views: 12,857|Likes:
Published by willbassa

More info:

Published by: willbassa on Jun 08, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, DOC, TXT or read online from Scribd
See More
See less

03/14/2013

pdf

text

original

 
CRIME CONSUMADO E CRIME TENTADO
1)ITER CRIMIINIS:
É caminho que o crime percorre, desde o momento da ideação até omomento em que ele se consuma. Fases do
iter criminis:
ocorre em doismomentos um interno ( cogitação ou ideação) e um externo (atospreparatórios, executórios e consumação).
Cogitação ou ideação:
é a elaborão mental da resoluçãocriminosa, é nesse momento que se firma a vontade da prática do crime.Nesse momento de mera elaboração mental do fato criminoso, alei penalo pode alcaá-lo, visto que o direito penal, o pune idéias, massomente ações.
Preparão ou atos preparatórios:
o agente arma-se deinstrumentos objetivos e necessários à prática da infração penal. De regra,os atos preparatórios também não são puníveis, exceto se a própria práticade um ato preparatório constituir em um tipo penal autônomo, como porexemplo, o art. 291 do CP ( petrechos para falsificação de moeda), art. 147,CP (ameaça)...
Atos executórios:
começam com a atividade com a qual o autor sepõe em relação imediata com a ação típica.
Consumação:
art. 14, I, CP – ocorre quando no crime se reúnemtodos os elementos de sua definição legal.2)TENTATIVA:Conceito: ocorre quando por circunstâncias alheias à vontade doagente o crime não se consuma.Elementos:a)Início da execução: a tentativa só é punível no momento em que aação penetra na fase de execução. Só então se pode precisar adireção do atuar voluntário do agente no sentido de determinadotipo penal.b)Não consumação do crime por circunstâncias alheias à vontade doagentec)Dolo em relação ao crime total: o agente deve agir dolosamente,isto é, deve querer a ação e o resultado final que concretize ocrime perfeito e acabado. Assim, não se admite tentativa noscrimes culposos.

Activity (35)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Luciana Rezende liked this
Marcio Barg liked this
Francine Silva liked this
Jean Padilha liked this
Jean Padilha liked this
Letícia Nacano liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->