Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
34Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
25864031 Manual de Boas Praticas Drogaria

25864031 Manual de Boas Praticas Drogaria

Ratings: (0)|Views: 4,566|Likes:
Published by James Stringari
MBp para farmacia
MBp para farmacia

More info:

Published by: James Stringari on Jun 10, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as TXT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/11/2013

pdf

text

original

 
Manual de Boas Práticas DROGARIAOBJETIVO: Estabelecer os requisitos gerais de Boas Práticas a serem observadas na assistência farmacêutica aplicada a aquisição, armazenamento, conservação e dispensação de produtos industrializados em farmácias e drogarias. DEFINIÇÕES: Dispensação: ato de fornecimento e orientação ao consumidor de drogas, medicamentos, insumos farmacêuticos e correlatos a título remunerado ou não. Especialidade Farmacêutica: produto oriundo da indústria farmacêutica com registro no Ministério da Saúde e disponível no mercado. Drogaria: estabelecimento de dispensação e comércio de drogas, medicamentos, insumos farmacêuticos e correlatos em suas embalagens originais. Responsável Técnico: profissional habilitado inscrito no Conselho Regional de Farmácia, na forma da lei. Sanitização: conjunto de procedimentos que visam a manutenção das condições de higiene. Produto: substância ou mistura de substâncias naturais (minerais, animais e vegetais) ou de síntese usada comfinalidades terapêuticas, profiláticas ou de diagnóstico. Medicamento: produtofarmacêutico, tecnicamente obtido ou elaborado, com finalidade: profilática, curativa, paliativa ou para fins de diagnóstico. Medicamento de Referência: produtoinovador registrado no órgão federal responsável pela vigilância sanitária e comercializado no país, cuja eficácia, segurança e qualidade foram comprovados cientificamente junto ao órgão federal competente, por ocasião do registro. Medicamento Genérico: medicamento similar a um produto de referência ou inovador, que se pretende ser por este intercambiável, geralmente produzido após expiração ou renúncia da proteção patentária ou de outros direitos de exclusividade, comprovada a sua eficácia, segurança e qualidade, e designado pela DCB ou na sua ausênciapela DCI. Medicamento Similar: aquele que contém o mesmo ou os mesmos princípios ativos, apresenta a mesma concentração, forma farmacêutica, via de administração, posologia e indicação terapêutica, preventiva ou diagnóstico, do medicamentode referência registrado no órgão federal responsável pela vigilância sanitária, podendo diferir somente emPágina 1 de 12
 
Manual de Boas Práticas DROGARIA características relativas ao tamanho e forma doproduto, prazo de validade, embalagem, rotulagem, excipiente, veículos e devendo ser identificado por nome comercial ou marca. Correlato: é toda substância, produto, aparelho ou acessório, cujo uso ou aplicação esteja ligado à defesa e proteção da saúde individual ou coletiva, à higiene pessoal ou de ambientes, ou a fins diagnósticos e analíticos. Armazenamento/estocagem: procedimento que possibilita o estoque ordenado e racional de várias categorias de materiais e produtos.Registro do produto: ato privativo do órgão competente do Ministério da Saúde,destinado a comprovar o direito de fabricação do produto, submetido ao regime devigilância sanitária. Número de lote: designação impressa na etiqueta de um medicamento e de produtos submetidos ao regime de vigilância sanitária, que permitaidentificar o lote ou partida a que pertença. Produto descartável: qualquer produto de uso único. Prazo de validade do produto: data limite para utilização deum produto. Embalagem: invólucro, recipiente ou qualquer forma de acondicionamento, removível ou não, destinado a cobrir, empacotar, envasar, proteger ou manterespecificamente ou não, os produtos. Rótulo: identificação impressa ou litografada, bem como dizeres pintados ou gravados a fogo, pressão, ou decalco, aplicadadiretamente sobre o recipiente, vasilhames, invólucros, envoltórios ou qualqueroutro protetor de embalagem. Atenção Farmacêutica: é o compêndio das atitudes,dos comportamentos, dos compromissos, das inquietações, dos valores éticos, dasfunções, dos conhecimentos, das responsabilidades e das destrezas do farmacêutico na prestação da farmacoterapia, com o objetivo de alcançar resultados terapêuticos definidos na saúde e na qualidade de vida do paciente. Receita: prescriçãoescrita de medicamento, contendo orientação de uso para paciente, efetuada por profissional legalmente habilitado. Perfuro cortante: instrumento que perfura e corta ao mesmo tempo. Anti-sepsia: emprego de substâncias capaz de impedir a açãodos microorganismos pela inativação ou destruição.Página 2 de 12
 
Manual de Boas Práticas DROGARIA Correlato: substância, produto, aparelho, cujouso ou aplicação esteja ligada à defesa e proteção da saúde individual ou coletiva. Assistência Farmacêutica: é o conjunto de ações e serviços que visam assegurar a assistência integral, a promoção, a proteção e a recuperação da saúde nos estabelecimentos públicos ou privados, desempenhados pelo farmacêutico ou sob suasupervisão. QUALIFICAÇÃO E RESPONSABILIDADE DO PESSOAL
A admissão dos funcionários deve ser precedida de exames médicos.
O pessoal envolvido com os medicamentos tanto no seu manuseio quanto no seu controle, devem receber treinamentos para estes conhecimentos e experiência para o trabalho ao qual se propõe.
O Farmacêutico responsável, caso não seja o proprietário do estabelecimento, necessita receber de seus superiores todo o apoio necessário para um trabalho eficiente,como exigem as boas práticas de dispensação de medicamentos.
Em caso de suspeita ou confirmação de enfermidade o funcionário deve ser afastado de suas atividades obedecendo a legislação específica.
Todos os funcionários devem ser orientados quanto as práticas de higiene pessoal e os uniformes devem estar limpos eem boas condições de uso. INSTALAÇÕES FÍSICAS
A drogaria deve ser localizada,projetada e construída com uma infra-estrutura adequada às atividades desenvolvidas.
O acesso à drogaria deverá ser independente de forma a não permitir a comunicação com residências ou qualquer outro local distinto do estabelecimento.
 As instalações devem possuir superfícies (piso, parede e teto) lisas e impermeáveis, sem rachaduras, resistentes aos agentes sanitizantes e facilmente laváveis. 
Os ambientes devem ser protegidos contra entrada de insetos e roedores.
Ascondições de ventilação e iluminação devem ser compatíveis com as atividades desenvolvidas.Página 3 de 12

Activity (34)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Daniela Rabello liked this
Jéssica Plata liked this
Serginho Laveso liked this
Jerede liked this
Cintia Moura liked this

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->