Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
15Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Nutrição Parenteral - Farmácia Hospitalar - Caroline Tannus - UNIME

Nutrição Parenteral - Farmácia Hospitalar - Caroline Tannus - UNIME

Ratings: (0)|Views: 1,192 |Likes:
Published by Etcy Tal
Slide da professora Caroline Tannus (dado em sala de aula) da Disciplina de Farmácia Hospitalar com o tema: Nutrição Parenteral
Slide da professora Caroline Tannus (dado em sala de aula) da Disciplina de Farmácia Hospitalar com o tema: Nutrição Parenteral

More info:

Categories:Types, Resumes & CVs
Published by: Etcy Tal on Jun 10, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/09/2014

pdf

text

original

 
Disciplina Farmácia Hospitalar Caroline Tannus
NUTRIÇÃO PARENTERAL
O fornecimento de nutrientes por via intravenosa (IV) em teores suficientes para
manter orepor a massa celular corporal é um processo relativamente recente. Apenas
nas duasúltimas décadas conseguiu-se administrar por via IV, calorias e nitrogênio numa proporçãoadequada para se obter um balanço nitrogenado positivo (BERNARD, M. A, 1986),utilizando formulações que simulem o estágio final das transformações dasbioquímicas naturalmente sofridas pelos alimentos no trato digestivo.
A NP é de importância primordial na clínica médica constituindo-se num
instrumentopara a manutenção da vida nas situações em que seja possível ou contra-indicada aalimentação por via oral. O objetivo principal dessa metodologia é melhorar ou prevenir adesnutrição nos pacientes, que apresentam impossibilidade total ou parcial de utilizar otubo digestivo, corrigindo os sinais, sintomas e seqüelas da desnutrição.
Em sua concepção mais geral a NP é o fornecimento de nutrientes essenciais,c
arboidratos, gorduras, proteínas, eletrólitos, vitaminas e água, por via venosa.
Evidencia-se que nos pacientes com perda pré-operatória de
30% de peso
corporal,antes de uma intervenção cirúrgica, a mortalidade pós-operatória chega a ser 10
vezesmaior que em indivíduos estróficos, sendo a infecção a causa da maioria das
mortes.Correlaciona-se a hipoproteínemia a um aumento da freqüência de infecções pós-operatória, bem como um retardo de cicatrização do corte cirúrgico.
Indicações
Os pacientes que se submetem a uma cirurgia de eleição, sem complicações e queapresentam um adequado estado nutricional, não constitui um fator crítico para o seu
estabelecimento se eles passarem por um período de semi-inanição com curta etapa
catabólica.Os pacientes que apresentam obstrução da via digestiva por doença maligna ou benigna,peritonites, pancreatite associada com íleo paralítico, síndrome do intestino curto, enteriteactínica, fístulas digestivas, doenças inflamatória intestinal, síndrome da má-absorção,sepse, insuficiência orgânica múltipla, insuficiência renal aguda, encefalopatia
hepática,anorexia nervosa, insuficiência refrataria, incompetência imunológica, entre
outros,
 
Disciplina Farmácia Hospitalar Caroline Tannuspodem ser mantidos com sucesso através da NP.
Composição da nutrição Parenteral
As diferentes formulações para N.P. baseiam-se no princípio de fornecerem ao
pacienteas quantidades mínimas, indicadas pela literatura específica, para cada substrato.
As indústrias farmacêuticas oferecem variadas apresentações de soluções
contendoaminoácidos, hidratos de carbono, eletrólitos, vitaminas. A eleição dos
diferentesprodutos que o comércio oferece não é tarefa fácil, uma vez que para as
formulaçõesmais complexas como as soluções de aminoácidos (AA), hidratos de
carbono evitaminas.Um outro aspecto que deve ser ressaltado é que nem sempre uma preparação
para NPé logo de imediato administrada ao paciente, mesmo quando programada
adequadamente; podem existir diversos fatores que podem impedir a sua administraçãologo imediato, podendo ocorrer perda do produto. Dessa forma, por ser o custo destasmisturas extremamente elevado, o maior conhecimento sobre a sua estabilidade poderárepresentar um acréscimo importantes nos dispêndios com medicamentos nos serviçosde farmácia hospitalares.
Considerações sobre o preparo
A redução dos riscos de contaminação por partículas por microrganismos e a prevençãode possíveis incompatibilidades entres os aditivos são condições que se
obtém, caso amanipulação dos nutrientes seja realizada em local adequado e por 
pessoal treinado.A instalação de água com lavatório amplo, bancadas, dispositivo para a lavagem dasmãos e demais elementos são necessários para o bom desempenho do trabalho. O piso eparede devem ser de material lavável e com o mínimo de reentrâncias possíveis.
Na unidade centralizada de preparo a utilização de uma bancada de fluxo
laminar permite uma rotina de trabalho completamente separada das demais áreas. É
importanteacentuar que apenas duas pessoas devem permanecer na unidade de
preparo.A limpeza do chão da sala de preparo se fará duas vezes por dia coincidindo com o inícioe o término de cada jornada de trabalho.As formulações destinadas á limpeza das superfícies fixas (pisos, paredes, entre outros)
 
Disciplina Farmácia Hospitalar Caroline Tannusdevem ter propriedades desinfetantes (M.S. Portaria 196, 1983; M.S. Portaria 930, 1992).São indicados pela Portaria Ministerial Soluções de dois ou mais fenóis sintéticos(ortofenifenol paraterciário, butilfenol ou ortobenzil paraclofenol) em concentrações quevariam segundo o fabricante.
Durante a limpeza da sala não deve ser criada corrente de ar e nem dispensar 
partículas de pó pelo ambiente. As janelas e portas permanecerão constantemente
fechadas e serão utilizados panos úmidos destinados exclusivamente para área.O preparo intra-hospitalar da NP que exige condições rigorosas de controle para
garantir sua esterilidade é de total responsabilidade do farmacêutico, cuja formação
técnicaassegura a compatibilidade química dos seus componentes, controle físico, físico
químicoe microbiótico dos aditivos e estabilidade da mistura. Cabe o farmacêutico
informar,através de palestras ou cursos realizados no hospital, os resultados obtidos com
controlemicrobiótico, técnicas mais adequadas de preparo e principais problemas de
incompatibilidade e estabilidade nas misturas.
Condições de trabalho e uso da bancada de fluxo laminar 
O National Coordinating Commitee on Large Volume Parenteral recomenda as
seguintes instruções no trabalho em áreas com fluxo laminar 
Remover jóias, anéis, braceletes e relógios de pulso;
Lavar as mãos escovar as unhas com escova embebidas em solução depolivinilpirrolidona iodo (PVPI) com 1% de iodo ativo;
Limpar a mesa de trabalho, paredes laterais de vidro, acabamentos plásticos
laminados ou partes de aço com soluções alcoólicas a 70% contendo clorhexidina;
Ligar o equipamento e esperar no mínimo 30 minutos de circulação na câmara de ar micro filtrado para dar início a preparação das soluções;
Limpar e esfregar as quinas da parte superior e as laterais da bancada,freqüentemente ou quando ocorrer respingos;
Evitar gestos bruscos, movimentos excessivos que possam provocar turbulências no ar;
Usar luvas, capote estéril, gorro e máscara;
Trabalhar na capela, no mínimo 15cm fora das bordas;

Activity (15)

You've already reviewed this. Edit your review.
Mylena Paris liked this
1 hundred reads
1 thousand reads
Vanessa Santos liked this
Thales Gouveia liked this
Tiago Calhau liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->