Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
83Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Testes e Exames Psicológicos - Resumão

Testes e Exames Psicológicos - Resumão

Ratings: (0)|Views: 20,536|Likes:
Excelênte material (para estudar para a prova) da disciplina de Técnicas e Exames Psicológicos - Esta disciplina introduz os alunos aos exames psicológicos, especificamente de inteligência, embasado sempre em um posicionamento crítico. Enfatiza o histórico dos testes e as questões éticas em seu uso. Aborda a aplicação e interpretação de alguns testes específicos de inteligência. - Psicologia Uniban Morumbi II noturno - 3.ano - 1 semestre de 2010.


Empregos dos testes:

- Educacionais:
• classificação das crianças, com relação à sua capacidade de aproveitar os diferentes tipos de instrução escolar;
• identificação, de um lado, dos intelectualmente retardados e, de outro, dos bem dotados;
• diagnóstico dos fracassos acadêmicos
• aconselhamento vocacional e educacional
• seleção de candidatos para escolas profissionais e especiais

- Processos de adoção:
• Avaliação de crianças a serem adotadas e de pessoas que pretendem adotar

- Empresariais (seleção e classificação de funcionários para a indústria):
• admissão
• designação de tarefa
• promoção
• demissão
Excelênte material (para estudar para a prova) da disciplina de Técnicas e Exames Psicológicos - Esta disciplina introduz os alunos aos exames psicológicos, especificamente de inteligência, embasado sempre em um posicionamento crítico. Enfatiza o histórico dos testes e as questões éticas em seu uso. Aborda a aplicação e interpretação de alguns testes específicos de inteligência. - Psicologia Uniban Morumbi II noturno - 3.ano - 1 semestre de 2010.


Empregos dos testes:

- Educacionais:
• classificação das crianças, com relação à sua capacidade de aproveitar os diferentes tipos de instrução escolar;
• identificação, de um lado, dos intelectualmente retardados e, de outro, dos bem dotados;
• diagnóstico dos fracassos acadêmicos
• aconselhamento vocacional e educacional
• seleção de candidatos para escolas profissionais e especiais

- Processos de adoção:
• Avaliação de crianças a serem adotadas e de pessoas que pretendem adotar

- Empresariais (seleção e classificação de funcionários para a indústria):
• admissão
• designação de tarefa
• promoção
• demissão

More info:

Published by: José Hiroshi Taniguti on Jun 11, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/13/2013

pdf

text

original

 
Testes PsicológicosEmpregos dos testes:
- Educacionais:• classificação das crianças, com relação à sua capacidade de aproveitar os diferentes tipos de instruçãoescolar;• identificação, de um lado, dos intelectualmente retardados e, de outro, dos bem dotados;• diagnóstico dos fracassos acadêmicos• aconselhamento vocacional e educacional• seleção de candidatos para escolas profissionais e especiais- Processos de adoção:• Avaliação de crianças a serem adotadas e de pessoas que pretendem adotar - Empresariais (seleção e classificação de funcionários para a indústria):• admissão• designação de tarefa• promoção• demissão- Pesquisa:• estudo sobre a natureza e distinção das diferenças individuais;• identificação de traços psicológicos;• mensuração de diferenças entre grupos;• investigação de fatores biológicos e culturais ligados às diferenças no comportamento.- De maneira mais específica:• mudanças no indivíduo provocadas pela idade;• influências da educação;• resultado da psicoterapia• impacto da propaganda• influência da distração na realização
Histórico dos Testes Psicológicos
Um dos primeiros problemas a estimular o desenvolvimento dos testes psicológicos foi a identificação dosretardados mentais. Até hoje, a verificação da deficiência intelectual continua a ser uma aplicaçãoimportante de certos tipos de testes psicológicos. De outro lado, um forte impulso para o desenvolvimentoinicial dos testes foi apresentado pelos problemas surgidos na educação.
• Doente mental X Débil Mental
Antes do século IXI, as pessoas que apresentavam deficiências intelectuais eram tratadas com desprezo,expostas ao ridículo e até mesmo à tortura. Com o crescente interesse pelo tratamento adequado dosdesajustados mentais surgiu a compreeno da necessidade de algum critério uniforme para
identificação
e
classificação
desses casos.O estabelecimento de instituições especiais para o tratamento dos “débeis mentais” tanto na Europaquanto nos Estados Unidos tornou especialmente urgente a necessidade de criação de padrões para aadmissão de um sistema objetivo de classificação.Primeiramente, era necessário distinguir o doente mental do débil mental, trabalho realizado pelopsiquiatra francês Esquirol (1938).
Doente Mental:
pessoa que apresentava perturbações emocionais acompanhadas ou não dedegeneração intelectual.
Débil Mental:
pessoa com deficiência intelectual existente desde o nascimento ou da primeira infância.Seguin, outro médico francês rejeitando a noção dominante de incurabilidade da deficiência mental,estabeleceu a primeira escola destinada à educação de crianças mentalmente deficientes (1837), usandotécnicas de treinamento dos sentidos e dos músculos.
 
ABORDAGEM PSICOMÉTRICA• As contribuições de Francis Galton
- Biólogo inglês, fundamentalmente responsável pelo início da aplicação de testes.- Interessado pela hereditariedade humana: descobrir, por exemplo, o grau exato de semelhança entrepais e filhos, irmãos e irmãs, primos, ou irmãos gêmeos.- Mediação de processos psicológicos simples: acuidade visual; acuidade auditiva; força muscular; tempode reação e outras
funções sensórias simples
.- Alguns desses testes continuaram a ser usados (Régua de Galton – para discriminação visual decomprimento, Apito de Galton – para determinação da maior altura audível).-
Acreditava que os testes de discriminação sensorial poderiam servir como processos de aferiçãodo intelecto de uma pessoa
: “a única informação que nos atinge vinda dos acontecimentos externos,passa, aparentemente, pelo caminho de nossos sentidos; quanto maior o discernimento que os nossossentidos tenham da diferença, maior o campo em que podem agir nosso julgamento e nossa inteligência”(Galton, 1883, p. 27).- Emprego de métodos estatísticos para análise de dados sobre diferenças individuais.
• Cattell e os primeiros “Testes Mentais”
- Psicólogo americano.- Fusão entre a Psicologia Experimental e o movimento de aplicação de testes.- Interesse pela mensuração de diferenças individuais.- 1890 – fez o primeiro uso da expressão “Teste Mental”, em um artigo. Esse artigo descrevia uma série detestes, aplicados anualmente a estudantes universitários numa tentativa de determinar seu velintelectual: medidas de força muscular, velocidade de movimento, sensibilidade à dor, acuidade auditiva,discriminação de peso, tempo de reação e outras medidas semelhantes.- Resultados desanimadores: pouca correspondência entre resultados de cada pessoa em testesdiferentes e pouca ou nenhuma relação com estimativas do nível intelectual feitas por professores e comnotas escolares.
• Binet e o aparecimento dos TESTES DE INTELIGÊNCIA
- 1904 – Governo francês nomeou uma comissão para estudar processos de educação para criançassubnormais, alunas das escolas de Paris.- Para satisfazer essa exigência prática, Binet, em colaboração com Simon, preparou a primeira EscalaBinet-Simon (1905).- Antes disso, Binet já se atinha a pesquisas para medir a inteligência, tendo recorrido à mensuração detraços físicos, análise de caligrafia e até quiromancia (leitura das mãos).- Todavia, esses estudos o levaram à convicção cada vez mais firme de que a mensuração direta egrosseira das funções intelectuais complexas era melhor solução.- Escala Binet-Simon (1905): 30 problemas, organizados em ordem crescente de dificuldade, abrangendouma variedade de funções: julgamento, compreensão e raciocínio, além de testes sensoriais, em menor quantidade.- 1908 – Segunda Escala, agrupada em níveis de idade, em que se retiraram alguns itens insatisfatórios eadicionaram-se outros.- Foram colocados no nível de 03 anos, por exemplo, todos os itens a que as crianças de 03 anos eramcapazes de responder; no nível de 04 anos, todos os testes respondidos por crianças normais de 04 anose assim por diante até a idade de 13 anos.- O resultado da criança no teste podia ser apresentado como
Idade Mental
(= idade de crianças normaiscuja realização ela atingia).-1911 – Terceira revisão, com poucas revisões e acréscimos. Ano da morte prematura de Binet por “congestão cerebral”.- 1916 – EUA, adaptação Escala Stanford-Binet.
Uso pela primeira vez do conceito de QI (quociente deInteligência)
, como uma relação entre idade mental e idade cronológica.- A última revisão desse teste ainda é empregada.
 
• Inteligência – Abordagem Psicométrica
- Tanto na teoria, quanto na prática, trata-se de um conceito bastante controvertido.- Primeiro foram desenvolvidos os primeiros testes e, a partir deles, sentiu-se a necessidade de definir melhor o conceito de inteligência.- Em 1921, foi realizado um Simpósio sobre Inteligência, quando um grande número de psicólogos expôssuas opiniões a respeito do conceito de inteligência, sem que conseguissem chegar a um acordo.- Estabeleceram-se relações entre inteligência e:• raciocínio abstrato• adaptação ao ambiente• adaptação a situações relativamente novas• capacidade de aquisição de novos conhecimentos- Surgiram, portanto algumas teorias, dentro da ABORDAGEM PSICOMÉTRICA que tentavam explicar ofenômeno:
• Teoria Bifatorial da Inteligência
- Spearman, 1904, EUA.- Buscava solucionar as diferentes posturas da época: as que postulavam a existência de uma inteligênciageral, suprema e igualmente importante em todas as tarefas cognitivas (teoria monárquica); as quepostulavam a existência de vários e amplos fatores de capacidade com influência grosseiramente igual(teoria oligárquica); e as que postulavam que cada tarefa dependia de uma capacidade específica (teoriaanárquica).- Formulou a Teoria dos Dois Fatores, ou Teoria Bifatorial:• Todas as habilidades humanas teriam um fator comum, geral (G) e um específico (E)• Embora em cada habilidade estejam presentes os dois fatores, nem sempre desempenham o mesmopapel: enquanto para algumas habilidade, o fator (G) é o principal, para outras, (E) predomina.• (G): energia mental subjacente e constante a todas as operações psíquicas, intra-individualmenteconstante e inter-individualmente variável.• (E): próprios de cada habilidade particular. Haveria tantos fatores (E) quantas habilidades verificadas nosujeito. Qualitativamente, seriam os instrumentos por meio dos quais atua e opera a energia mental.Variariam intra e inter-individualmente.• Supôs também a existência de fatores grupais, que resultariam da combinação de vários fatores (E)ligados a tarefas de uma mesma natureza geral.• Duas pessoas poderiam ser diferentes quanto à quantidade de (G), assim como quanto à quantidade defatores (E) atuantes em uma determinada tarefa.• Assim, torna-se possível entender como uma pessoa relativamente mais inteligente que outra (através deum (G) superior) seja menos capaz em uma determinada área.
• Teoria Multimodal da Inteligência
- Thorndike (1874-1949), EUA.- Inteligência constituída por um grande número de ligações nervosas, específicas e independentes; isto é,a inteligência é apenas a soma de todas as capacidades que atuam nos atos mentais, cada uma delasseparada e independente das outras..- Uma pessoa inteligente teria apenas mais ligações nervosas adequadas do que uma pessoa poucointeligente
• Teoria das Capacidades Mentais Primárias de Thurstone
- Inteligência como um conjunto de capacidades mentais primárias, dentre as quais: capacidade numérica,capacidade visual (fator espacial), capacidade de memorização, compreensão verbal, fluidez verbal,indução, um fator que favorece a rapidez da percepção, outro que favorece sua flexibilidade, dois fatoresverbais que facilitam a associação (um limitado à forma e o outro ao significado da resposta), fator ligado àfluidez verbal.- Também haveria uma ou mais capacidades intelectuais gerais, que explicariam as correlações entre ascapacidades mentais primárias.

Activity (83)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Adriana Garcia liked this
Caiubi Rubim liked this
Daniella Kanffer liked this
Leonardo Fonseca liked this
Daniella Kanffer liked this
Daniella Kanffer liked this
Roseane Oliveira liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->