Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
2Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Jornal Noticia 23 - Ed. 03

Jornal Noticia 23 - Ed. 03

Ratings: (0)|Views: 209|Likes:
Published by theagoloco

More info:

Published by: theagoloco on Jun 16, 2010
Copyright:Traditional Copyright: All rights reserved

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/28/2013

pdf

text

original

 
 ÍNDICE 
Quarta-feira, 16 de Junho de 2010 - 3ª Edição - Ano 1 - Tiragem: 5.000 exemplares - R$ 1,50
Circulação: Paulínia e região
www.noticia23.com.br 
brasileiros foram marcados por Maicon e Elano.Com o resultado, a Seleção élíder do grupo G, já que Portugal eCosta do Marfim terminaramempatados. Além da ansiedade,outro fator que pode ter prejudicado os brasileiros foi o friode 2° C.
O sindicato dos trabalha-dores de transportes rodo-viários de Campinas e Regiãoafirmou que se não foremaceitas as reivindicações dosetor, a partir da zero hora dodia 21, os trabalhadores vãocruzar os braços.
A estreia do Brasil na Copa doMundo da África do Sul, ontem,não agradou a maioria dosbrasileiros. Embora o time tenhavencido por 2 a 1, a Coréia doNorte, no estádio Ellis Park, emJohanesburgo, o time desanimoupela pouca criatividade e pelopouco que fez principalmente noprimeiro tempo. Os gols
 NOTÍCIA JORNAL
Secretário de Segurança dá satisfaçãosobre falta de policiamento em portais
monitoramento devem ser colocadas na cidade e isso devediminuir em até 30% os índices decriminalidade. Ronaldo tambémrevelou que esse ano serãoinvestidos apenas R$ 500 mil nasegurança do Município.O secretário de segurança dePaulínia, Ronaldo Pontes Futado,conversou com o Notícia 23 sobrecomo está sendo feita a ronda nacidade. Ele afirmou que ospoliciais ficam nos postais, masnão o tempo todo como era feitoantigamente. O Secretário aindainformou que câmeras de
02 ........ Opinião03 ........ Política04 ........ Esportes05 ........ Economia06 ........ Especial Copa07 ........ Cultura08 ........ Social 09 ........ Cidades10 ........ Cidades11 ........ Variedades
 terra e o quanto seria necessáriogastar para transportar todaaquela terra. também melhorar a estética.Segundo o próprio secretário,havia cerca de 3 mil metroscúbicos de terra. Nós apuramos oquanto custa um caminhão de
Horóscopo
Confira o que os astros prepararam pra você!
PÁGINA 11
Esportes
 Paulínia FC vence Sumarée mantém liderança
PÁGINA 4
Copa do Mundo
 Maicon é eleito melhor  jogador pela FIFA
PÁGINA 6
Paulínia Futebol Clubecomemora Aniversário
O clube da cidadecomemorou seus seis anoscom a tradicional feijoada.O presidente de honra efundador do clube, Fran-cisco Bonavita, ressaltou aimportância do clube paraPaulínia na questõessociais. A festa aconteceuno espaço CBI, no PaulíniaShopping.
Paulínia interdita ruas do Centropara comemoração da Copa
Após a vitória do Brasil,contra a Coréia do Norte, naCopa do Mundo, a GuardaMunicipal em parceria com aPolícia Militar fechou as ruas em torno da avenida José Paulinopara que as pessoas pudessemcomemorar sem sofreremriscos. Foram colocados nasimediações oito viaturas da GM eduas da PM e cerca de 24homens preparados para aoperação.
 tirar toda a terra do local e fazer mais uma rotatória.A justificativa dada pelaprefeitura para remover a terra foidar visibilidade aos motoristas eDesde quando a estátuaMenina Ouro caiu, após um temporal, foi sendo estudado oque seria feito no local. ASecretária de Obras optou por 
Secretário de Obras fala sobrea retirada da Menina de Ouro
Passaredoem greve
Paulínia recebeu no últimodomingo a imagem sagradado Divino Pai eterno. Foramcerca de 6 mil pessoas queforam ao Parque Brasil 500para ver a imagem e assistir amissa com o Pe. Robson ecom o arcebispo Dom Bruno.
DivinoPai Eterno
Estátua menina de ouro caida, após temporal, no ano passado
Atuação dos guardas municipais durante comemoração
Pág. 6 Pág. 10 Pág. 9Pág. 10 Pág. 9Pág. 10 
Cultura
“É Proíbido Fumar” venceGrande Prêmio Brasil 
PÁGINA 7
Pág. 9
 Variedades
Gisele Bündchen volta às passarelas
PÁGINA 11
Brasil vence, mas não convence
Vitoria Brasileira: Brasil 2 x 1 Coreia do Norte
 
 NOTÍCIA JORNAL
Paulínia, Quarta-Feira 16 de Junho de 2010
Página 2 
Por Antonio Trefiglio
www.noticia23.com.br 
calotes levados pelos exporta-doresGuerra comercial discretaNo início da crise, temia-se a'volta do protecionismo', dessaforma, a fim de proteger suaseconomias, os países levanta-riam barreiras tarifárias (impos- tos) ou administrativas à im-portação, o que ocorreu de modoapenas discreto. Mas a guerracomercial se dá via câmbio, noincentivo à exportação via moedadesvalorizada. Os EUA desvalo-rizam indiretamente sua moedadespejando dinheiro no planeta. AChina mantém o yuan desvalo-rizado enxugando parte dessedilúvio. Bom ou não, o Brasilentrou nessa guerra, uma vez que tambem evitou a valorização doreal.dias 50% dos impostos recolhidospor exportadores (isto é, para asnovas exportações. Os créditosantigos continuam encrencados,mesmo porque o governo não temdinheiro para devolvê-los);·Uma empresa passa a ter osbenefícios de "empresa expor- tadora" desde que tenha expor- tado 30% da produção nos últimosdois anos;·Criação de uma instituição defomento do comércio exterior, oEximbank, por ora apenas umasubsidiária do BNDES, mas quedeve crescer e se especializar nafunção de dar crédito para empre-sas nacionais ganharem merca-dos.·Criação de uma seguradorapública do crédito para exporta-ção, também no BNDES. Ou seja,a instituição vai cobrir eventuaisVárias decisões sobre o temavem afirmando que não é lícitonem razoável crer, ante asatribulações da vida moderna,com inúmeros e inevitáveis transtornos no desempenho deatividades (notadamente nasatividades bancárias, bem comonos deslocamentos, em razão dosmais diversos problemas no trânsito e nos transportes, que um trabalhador consiga chegar,usufruir dos intervalos pararepouso e/ou alimentação e,ainda, deixar o trabalho diário coma invariabilidade demonstrada nosregistros(cartões-ponto).Quando o registro apresen- tado pela reclamada é consi-derado inválido como prova, aempresa deve encontrar outrosmeios para provar que a jornadainformada pelo trabalhador não éverdadeira, por exemplo atravésde testemunhas.Não produzindo satisfatoria-mente esta prova a empresapagará ao ex-empregado as horasextras que excedam à oitava dodia, com integração nos repousosremunerados e reflexos em aviso-prévio, férias com 1/3, décimos terceiros salários e FGTS.A Lei Trabalhista determinaque o empregador com mais de10 trabalhadores obrigato-riamente deverá anotar à hora deentrada, de saída e de intervaloem cartão-ponto ou livro-ponto.O registro no cartão ou livroponto do horário de entrada, desaída e de intervalo deverá ser anotado corretamente, sendoassinado pelo trabalhador.Quando o trabalhador ingressa com ação trabalhistapedindo o pagamento de horasextras o meio mais usual deverificação dos horários são oscartões-ponto.A Justiça do Trabalho, emsua maior parte, vem decidindoque os cartões-ponto que apre-sentarem os mesmos horários deentrada e saída do empregado, todos os dias, serão conside-rados inválidos, ou seja, inúteiscomo prova em ação trabalhista.Algumas empresas apresen- tam cartões-ponto com horáriosinvariáveis, argumentando, den- tro outros motivos, que a pontua-lidade seria uma exigência.Porém, em regra os cartões-ponto são desconsiderados pelaJustiça.
Cartões-ponto com horários invariáveis de entradae saída não valem como prova em ação trabalhista
Dr. Antonio Trefiglio Neto, advogado,Pós-Graduado em Direito do Trabalho e Pós-Graduando em Direito Público
estereotipadas dos "mercados"caíram por terra, dada a boarecepção geral da medida, lá nomundo rico.
Pacote pós-crise
Mas a medida nem de longefoi a única a promover o "ativismoestatal" na proteção da indústria ecomércio do país. Ainda emdezembro do ano passado, com o"pacote pós-crise", o governoLula reafirmou a ideia de que oBrasil procurava seus meios dese defender na guerra em cursono comércio mundial, discreta,mas pesada. O governo destinouR$ 180 bilhões para o BNDES ecortou impostos para o setor demáquinas. Além de valorizar ocâmbio.
Pacote pós-crise 2
Trata-se do seguinte:·O governo vai devolver em 30O pacote de apoio a expor- tadores foi mais uma afirmação deque o Brasil está lutando, dentrode suas limitações, nessa guerramundial de comércio aindaencolhido do pós-crise e as-sediado pelo avanço voraz daChina. 
Câmbio
Parte do governo se mata aofalar de câmbio. Esta parte écomposta de ministério daFazenda e BNDES, e estes nadapodem fazer a respeito de câmbio.Guido Mantega ministro dafazenda, saiu-se com uma taxação de investimentos estran-geiros, no ano passado, com oobjetivo de evitar uma enxurradade dólares que valorizaria aindamais o real. Não se sabe muitobem se teve o efeito desejado.Mas, pelo menos, as reações
Dilma na garupa de Lula?
 A Guerra Comercial e o Brasil
Por Pamela Souza
Meio ambiente e Ação
Por Gustavo C. Barbozae Marcela P. dos Santos
Gustavo C. Barboza - Biólogo e mestrando em Agronomia da Universidade Estadual Paulista -UNESP, Ilha Solteira;Marcela P. dos Santos, Bióloga, Universidade Estadual Paulista - UNESP Ilha Solteira.
nas escolas, principalmentedentro da disciplina de Biologia,como a Educação Ambiental, quese caracteriza por incorporar asdimensões sócio econômica,política, cultural e histórica,considerando as condições decada comunidade, onde osalunos estão inseridos e fazendoparte do ambiente. Assim, aEducação ambiental deve per-mitir a compreensão da naturezacomplexa do meio ambiente, asinterações entre os elementos,visando a utilização conscientedos recursos, para manter epreservar para as futuras gera-ções.Uma frase elaborada por Albert Einstein resume muito bemos problemas enfrentado pelahumanidade frente aos impactosambientais, marcados pelascatástrofes, “A natureza não sabese defender, ela apenas se vinga”.partes do mundo. Mas temos quelembrar que o meio ambiente pre-cisa de ação. Não adianta sair dessas palestras e jogar lixo nochão, é necessário quebrar para-digmas, compreender que oselementos se encontram emestreitas dependências e influên-cias recíprocas.A demanda global dosrecursos naturais deriva de umaformação econômica cuja base éa produção e o consumo em largaescala que propicia a concen- tração da renda, não impede oaumento da miséria e da fome. Alógica, associada a essa forma-ção, que rege o processo deexploração da natureza hoje, éresponsável por boa parte dadestruição dos recursos naturais,como por exemplo, a questão dodesperdício e/ou poluição daágua.Alguns temas são tratadosnão é o lugar que nos “cerca”,mas é o local onde estamosinseridos ou dele fazemos partecomo qualquer outro ser que neleestá inserido, tanto quanto afauna e a flora, bem como a água,o ar, o solo (fatores abióticos ebióticos). E ainda, temos queadicionar ao termo meio ambientea cultura humana, ou seja, seusparadigmas, valores filosóficos,políticos, morais, científicos,artísticos, sociais, econômicos,religiosos entre outros. Tudo issoestá interagindo num processo,formando uma grande rede deinterações.No dia 5 de junho foicomemorado o Dia Mundial doMeio Ambiente, que por meio deseminários, congressos e confe-rências foram discutidos vários temas sobre o meio ambiente,aquecimento global e desenvol-vimento sustentável, em váriasNos dias atuais o meioambiente tem preocupado grandeparcela da sociedade, principal-mente pelas mudanças provo-cadas pela própria atividadehumana e estão se conscien- tizando de que os recursosnaturais são finitos e que se nãofor preservada o futuro do planetae até mesmo dos seres vivosestarão ameaçados.Existem várias definiçõespara o termo, segundo o InstitutoBrasileiro do Meio Ambiente(IBAMA) é referido como “o con-junto de condições, leis, influên-cias e interações de ordem física,química e biológica, que permite,abriga e rege a vida em todas assuas formas” ou seja, é o lugar emque vivemos, muitas vezes cha-mada de natureza, e do qual de-pendemos para a nossa sobre-vivência.No entanto, o meio ambiente
 a E d i t o r il
Gilberto Dimenstein, 53 anos, é membro do Conselho Editorial da Folha de S.Pauloe coordena o site de jornalismo comunitário da Folha.
É um argumento tão pobrequanto o do PT em tentar desqualificar José Serra por ter sido ministro de FernandoHenrique Cardoso --e não por suas realizações durante sua vidapública.Fernando Henrique, que foium bom presidente, chegou láporque pegou na garupa deItamar Franco, que o convidoupara Ministro da Fazenda, ondederrubou a hiperinflação. Ou seráque de outro jeito um intelectualiria virar presidente, sem ter sidoeleito prefeito ou governador?Ou seja, os tucanos estão nagarupa de um argumento que nãoajuda a esclarecer o eleitor.No discurso durante olançamento de sua candidaturaao governo de São Paulo,Geraldo Alckmin atacou DilmaRoussef: "Quem quer dirigir oBrasil não anda na garupa.Quem pega carona e vai nagarupa não guia, não breca, nãoacelera, não conduz". Curiosoataque: para chegar ao governode São Paulo, onde foi muitobem avaliado, Alckmin desceuda garupa de Mário Covas.Não deveria estar emquestão se Dilma está na garupade Lula, mas se ela é capaz deguiar a bicicleta --aí sim eleitor sairia ganhando. José Serra também bate nessa tecla.Insinuou que a ex-ministra é umaparaquedista.
Marcos guterman O Estado de S. Paulo
monótonas se transformam emsuplício; por outro lado, quandohá tensão, que normalmente se traduz em silêncios ou em urrosdos torcedores, tudo isso fica emsegundo plano e não se nota adiferença entre um chute na travee uma cobrança de lateral. Na felizdefinição de mracos AugustoGonçalves na Folha, a vuvuzela éuma expressão totalitária, porqueiguala tudo.Falar disso, porém, é correr orisco de ferir os códigos dopoliticamente correto – afinal, avuvuzela deve ser preservada emnome da tal “diversidade”,mesmo que o mundo inteiro seaborreça com isso.Se há uma unanimidadenesta Copa, é a chateação por causa da vuvuzela. A imprensaem geral, porém, lida com oassunto como se estivessepisando em ovos – afinal, dizemos antropólogos de boteco, trata-se de um “traço cultural”sul-africano e, portanto, deveser liberado sem restrições naCopa dos sul-africanos.A tal corneta, quando tocada por milhares de pessoasao mesmo tempo, gera o som deum enxame de abelhas,monocórdio e entediante. Não seouve a torcida propriamente dita,que é parte essencial da emoçãodo jogo. Partidas que já são
 A vuvuzela e o politicamente correto
cionante, pode se dizer até semgraça, mas as pessoas estavam lácomemorando. Em Paulínia foi atémontado um esquema desegurança para fechar as ruas daavenida José Paulino.A Copa realmente emociona,porém após toda essa euforiapassar, já temos outra coisa paranos preocupar: as eleições. É bomque nelas também tenhamos omesmo desempenho em torcer,para analisar cada candidato efazer a melhor escolha para todo opaís.Em ano de Copa do Mundo tudo parece ficar mais devagar,quando chega em julho então, tudo para. O comércio fechadurantes os jogos e as ruasficam desertas. Já depois daspartidas, as avenidas são tomadas por torcedores come-morando, gritando, buzinando.As pessoas parecem que ficammais unidas e sem duvida maispatriotas, tudo fica verde eamarelo.Nesta terça-feira, o Brasilestreou contra a Coréia doNorte, o jogo não foi muito emo-
 
 NOTÍCIA JORNAL
Paulínia, Quarta-Feira 16 de Junho de 2010
Página 3
www.noticia23.com.br 
 Assembléia de São Paulo discuteemancipação de bairros da região
Na semana passada, acon- teceu na Assembléia do estadode São Paulo uma audiênciapublica para emancipar e anexar bairros a municípios do estado.Os articuladores do movimentosão oriundos do movimentoemancipatório de Sumaré, quevisa emancipar o bairro Matão,Nova Veneza e Maria Antonia. Por meio do presidente Dr. DirceuRamalho e o ex-vereador dePaulínia, Jaime Donizete (Jaimi-nho), do PSC, Paulínia discute aanexação do bairro Marieta Dian eRecanto das Águas que sofremcom a falta de assistência pelosmunicípios de Americana e Cos-mópolis. Os bairros estão corta-dos no meio pelas divisas dosrespectivos municípios e os mora-dores não sabem a quem recorrer em problemas como registro deescritura, ligação de telefone,saúde, ligação de água etc.O presidente da associaçãoamigos de bairro, JorcivalFernandes de Oliveira, encabeçoucom Jaiminho e Sumaré essa tarefa, como bairrista muitapreocupação e disposição pararesolver para sempre o problema.Fernandes organizou uma comi- tiva lotando um ônibus com 34pessoas com o apoio do Jaimi-nho, e fizeram coro com outrosmunicípios além de Sumaré,Tabatinga, Arcadas em Amparo,Potunduva em Jaú e tantos outrosmunicípios dos 34 do estado quebuscam a mesma solução.Jaiminho foi citado naaudiência publica na assembléiacomo sendo o tutor do grandeprojeto que se arrasta há dezanos. Ao longo desses últimos três meses, ele visitou Sumaré evários municípios para levar oproblema desses bairros.No evento ficou certo quecolherão 37 assinaturas, maioriasimples dos deputados paraarranjar uma PEC estadual nosentido de mudar a relação doartigo 145 da resp. Constituiçãoestadual abrindo espaço parauma lei complementar que dará odireito para os municípiosemancipados promover seusplebicitos e assim resolver osproblemas.No caso Marieta Dian,Jaiminho ainda quando vereador protocolou há dez anos essapetição junto à assembléiaacompanhado na época do Dr.José Carlos Alves em São Paulo,hoje, com o empenho do entãopresidente de moradores debairro. Fernandes acredita estar no caminho e julga fundamental oempenho dos moradores.Na tentativa de reverter ocenário de empate com a petistaDilma Rousseff, o PSDB investirána exposição de José Serra napropaganda partidária. De acordocom, integrantes do comando dacampanha, Serra monopolizará as40 inserções que o PSDB levaráao ar nas noites dos dias 22, 26 e29.A intenção é colocar ocandidato como porta-voz dasações e valores do partido. OObjetivo do partido é martelar aimagem de Serra na cabeça daspessoas, contraponto a idéia deDilma e Lula.Já o programa partidário doPSDB, de dez minutos, seráveiculado na noite de quinta-feira. No PSDB, a opção pelapropaganda partidária em plenaCopa do Mundo não foi vistacom bons olhos, já que semduvida ela é ofuscada peloMundial. .
Eleições 2010
PSDB pretende intensificarimagem de Serra na TV 
Convenção do PSB formalizaapoio a Dilma Rousseff
O PSB formalizou o apoio àcandidatura de Dilma Rousseff(PT) à Presidência da República. Aconvenção foi discreta e nãocontou com as presenças dodeputado Ciro Gomes (CE) -obrigado pela legenda a desistir daideia de se lançar na disputapresidencial - e do irmão dele, ogovernador do Ceará, Cid Gomes.Presidente da legenda,Eduardo Campos, disse que opartido vai promover, no final dejulho, um seminário com aspresenças do presidente LuizInácio Lula da Silva e da candidataDilma Rousseff, para entregar àcandidata uma lista de propo-sições do partido que incluemincentivar o desenvolvimentoregional e o crescimento econô-mico de forma sustentável,priorizar a educação paraformação de recursos humanose estimular investimentos.Com a decisão dossocialistas, a candidatura petistajá conta com apoios formais dequatro grandes legendas:PMDB, PR, PDT e PSB. Faltamainda o PCdoB, aliado tradicionaldo PT, que se reunirá emconvenção no próximo dia 16,em Brasília.

Activity (2)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->