Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
1Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
PS5_Rev 0.1_Portuguese_CLEAN

PS5_Rev 0.1_Portuguese_CLEAN

Ratings: (0)|Views: 1|Likes:
Published by IFC Sustainability

More info:

Published by: IFC Sustainability on Jun 17, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/01/2013

pdf

text

original

14 de abril de 2010
1
Padrão de Desempenho 5 – Revisão 0.1
Aquisição de Terra e Reassentamento Involuntário
Introdução

1. O Padrão de Desempenho 5 reconhece que o processo de aquisição de terra vinculado a um projeto pode ter impactos adversos sobre as pessoas e as comunidades que usam essa terra. Reassentamento involuntário é o deslocamento tanto físico (relocação ou perda de abrigo) como econômico (perda de bens1 ou de acesso a bens ocasionando perda de fontes de renda ou de outros meios de sustento2) resultante da aquisição de terra3 e/ou de restrições ao seu uso. O reassentamento é considerado involuntário quando as pessoas ou comunidades afetadas não têm o direito de impedir uma aquisição de terra, ou seu uso, que resulte em deslocamento físico ou econômico. Isso ocorre em casos de (i) desapropriação legal ou temporária ou restrições permanentes4 ao uso da terra; e de (ii) assentamentos negociados em que o comprador pode recorrer à desapropriação ou impor restrições legais ao uso da terra caso falhem as negociações com o vendedor.

2. Caso não seja administrado a contento, o reassentamento involuntário pode resultar, com o passar do tempo, em sofrimento e empobrecimento de longo prazo para as pessoas e comunidades afetadas, bem como em danos ao meio ambiente e impactos socioeconômicos adversos em áreas para onde aquelas tenham sido deslocadas. Por essas razões, o reassentamento involuntário deve ser evitado. Porém, quando o reassentamento involuntário for inevitável, este deve ser reduzido e medidas apropriadas devem ser cuidadosamente planejadas e executadas para atenuar impactos adversos sobre as pessoas deslocadas e as comunidades hospedeiras5. A experiência já mostrou que o envolvimento direto do cliente nas atividades de reassentamento pode resultar na implantação mais econômica, eficiente e oportuna dessas atividades, assim como na introdução de abordagens inovadoras à melhoria dos meios de sustento daqueles diretamente afetados pelo reassentamento. Muitas vezes, o governo desempenha papel central no processo de aquisição de terra e de reassentamento, inclusive na determinação de indenizações, sendo, por essa razão, um terceiro importante em muitas situações.

3. Os reassentamentos onde há negociação contribuem para evitar desapropriações e eliminam a necessidade de recorrer ao uso da autoridade local para forçar o deslocamento. Geralmente, se pode negociar um reassentamento oferecendo indenização e outros incentivos justos e apropriados e/ou outros benefícios às pessoas ou comunidades afetadas, bem como atenuando os riscos de assimetrias relacionadas com o acesso à informação e o poder de barganha. Os clientes são orientados a, sempre que possível, adquirir terra ou obter acesso à terra mediante acordos negociados, ainda que disponham de meios legais para adquirir a terra sem o consentimento do vendedor.

Objetivos
1 Inclusive a propriedade e o acesso a propriedade comunal e aos recursos naturais. O Padrão de Desempenho
1 trata dos casos em que garimpeiros dificultam o acesso a depósitos minerais.
2 Entende-se pelo termo “sustento” toda a gama de meios de que indivíduos, famílias e comunidades se utilizam
para ganhar a vida, tais como renda salarial, a agricultura e a pesca, pequeno comércio e escambo.
3 Aquisição de terra compreende tanto compras diretas de propriedades como compras ou arrendamento de
direitos de acesso, tais como servidões de passagem.
4 Tais restrições podem resultar da aquisição de prioridades de servidões de passagem, bem como do
estabelecimento de zonas tampão legalmente definidas e áreas de conservação da natureza em terras que o
cliente não está adquirindo.
5 São comunidades hospedeiras aquelas que estão recebendo em sua terra ou em sua área geográfica de
influência pessoas reassentadas em virtude do projeto.
14 de abril de 2010
2
Padrão de Desempenho 5 – Rev- 0.1
Aquisição de Terra e Reassentamento Involuntário
Evitar ou pelo menos reduzir o deslocamento, sempre que possível, explorando planos
de projeto alternativos

Atenuar os impactos socioeconômicos adversos decorrentes da aquisição de terra ou de restrições ao seu uso (i) por meio de indenização por perda de bens ou de acesso a bens pelo custo de reposição;6 e (ii) certificando-se de que as atividades de reassentamento sejam levadas a cabo após uma divulgação apropriada das informações pertinentes, consultas e a participação informada das partes interessadas afetadas

Melhorar ou restaurar os meios de sustento e os padrões de vida das pessoas
deslocadas

Melhorar as condições de vida das pessoas deslocadas mediante o fornecimento de habitação adequada, com garantia de segurança de propriedade7 nos locais de reassentamento.

Âmbito de Aplicação

4. A aplicabilidade deste Padrão de Desempenho é determinada durante o processo de avaliação dos riscos e impactos socioambientais, ao passo que a implantação das ações necessárias ao cumprimento dos requisitos deste Padrão de Desempenho é gerida pelo sistema de gestão socioambiental do cliente. O processo de avaliação de riscos e os requisitos do sistema de gestão encontram-se descritos no Padrão de Desempenho 1.

5. Este Padrão de Desempenho se aplica ao deslocamento físico e/ou econômico resultante dos
seguintes tipos de transações fundiárias em projetos do setor privado:
Direitos sobre a terra ou sobre o uso da terra adquiridos por desapropriação ou outros
procedimentos compulsórios, de acordo com o sistema jurídico do país anfitrião

Direitos sobre a terra ou sobre o uso da terra adquiridos por acordos negociados com proprietários de terra ou com aqueles que a ela tenham direito legal se a desapropriação ou outros procedimentos compulsórios aplicados tiverem resultado de negociações fracassadas8

6. A aquisição de terra e/ou as restrições ao uso da terra relacionada a um projeto podem resultar no deslocamento físico de pessoas, bem como no seu deslocamento econômico. Consequentemente, os requisitos deste Padrão de Desempenho no tocante ao deslocamento físico e ao deslocamento econômico podem ser aplicados simultaneamente.

6 Define-se como custo de reposição o valor de mercado dos bens acrescido dos custos de transação. Ao se

aplicar este método de determinação de valor não deve ser levada em consideração a depreciação de estruturas e bens. Define-se como valor de mercado o valor necessário para que as pessoas e comunidades afetadas substituam bens perdidos por novos bens de valor semelhante. O método de avaliação para determinar o custo de substituição deve ser documentado e incluído nos planos de Reassentamento e/ou Indenização aplicáveis (ver parágrafos 18 e 22).

7 Segurança de propriedade significa que as pessoas ou comunidades deslocadas sejam reassentadas em local
que possam ocupar legalmente e onde estejam protegidas contra o risco de despejo.
8 Inclusive direitos costumeiros ou reconhecidos tradicionalmente segundo as leis do país hospedeiro e se a

desapropriação ou outro processo compulsório tiver resultado de uma negociação malograda. Tais negociações podem ser levadas a cabo pela empresa do setor privado que está adquirindo a terra ou por um agente desta. Em caso de projetos do setor privado em que os direitos de uso da terra são adquiridos pelo governo, as negociações podem ser levadas a cabo pelo governo ou pela empresa privada como agente do governo.

14 de abril de 2010
3
Padrão de Desempenho 5 – Rev- 0.1
Aquisição de Terra e Reassentamento Involuntário

7. Este Padrão de Desempenho aplica-se também a certas situações de um dado projeto que não envolvam transações fundiárias, mas em que possam ocorrer perdas quando uma comunidade ou grupos dentro dela tenham obtido seu sustento por meio do uso de recursos localizados em áreas das quais não detenham a propriedade, mas onde possuam direitos de uso tradicionais ou reconhecíveis. Isso pode incluir restrições de acesso impostas pelo projeto resultantes da criação de áreas de proteção da biodiversidade ou de zonas-tampão legalmente designadas, bem como de restrições pertinentes a ambientes marinhos e de água doce.9

8. Este Padrão de Desempenho não se aplica ao reassentamento resultante de transações de terra voluntárias (p. ex., transações de mercado em que o vendedor não é obrigado a vender e o comprador não pode recorrer à desapropriação ou a outros procedimentos compulsórios sancionados pelo sistema jurídico do país hospedeiro caso as negociações fracassem). Na eventualidade de impactos econômicos, sociais ou ambientais adversos decorrentes de outras atividades do projeto que não a aquisição ou restrições ao uso da terra, tal impacto será evitado, reduzido, restaurado ou compensado através do processo de identificação de riscos e impactos socioambientais nos termos do Padrão de Desempenho 1. Caso tais impactos se tornem significativamente adversos em qualquer etapa do projeto, resultando em deslocamento físico e/ou econômico, o cliente deverá considerar a possibilidade de aplicar os requisitos do Padrão de Desempenho 5, mesmo nos casos em que não houve uma aquisição de terra ou restrição ao seu uso.

Requisitos
De Ordem Geral
Formulação de Projetos

9. O cliente considerará planos alternativos de projeto viáveis para evitar ou reduzir o deslocamento físico e/ou econômico, ponderando os custos e benefícios ambientais, sociais e financeiros.

Indenização e Benefícios para Pessoas Deslocadas

10. Quando não for possível evitar um deslocamento, o cliente oferecerá às pessoas e comunidades deslocadas indenização por perda de bens ao custo total de reposição, bem como outras formas de assistência10 que as ajudem a melhorar ou restabelecer seus padrões de vida ou meios de sustento, conforme disposto neste Padrão de Desempenho. Os padrões para indenização serão transparentes e aplicados de maneira uniforme a todas as pessoas e comunidades afetadas pelo deslocamento. Nos casos em que os meios de sustento das pessoas forem baseados na terra11, ou em que a terra for de propriedade coletiva, o cliente, quando tal for viável,12 oferecerá aos deslocados indenização baseada na terra. A aquisição de terra e de ativos correlatos somente poderá ocorrer depois de ter sido paga a indenização e, onde pertinente, tenham sido proporcionados locais para reassentamento às pessoas deslocadas e efetuado o custeio das despesas.13 O cliente também propiciará às pessoas e comunidades deslocadas oportunidades para se beneficiarem do desenvolvimento proporcionado pelo projeto.

9 O parágrafo 19 e partes do parágrafo 22, adiante, aplicam-se a pessoas deslocadas sem direito ou pretensão
legal reconhecível ao uso da terra que ocupam.
10 Descritas nos parágrafos 19 e 21.
11 Onde “baseados na terra” inclui atividades de sustento tais como lavouras de subsistência e pastoreio de gado,
bem como a colheita de recursos naturais.
12 Consulte outros requisitos no parágrafo 23 deste Padrão de Desempenho.
13 A menos que o reassentamento seja controlado pelo governo e o cliente não tenha influência direta no
cronograma de pagamentos das indenizações. Tais casos devem ser resolvidos de acordo com os parágrafos

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->