Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
76Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Geografia - Aula 25 - Problemas Ambientais

Geografia - Aula 25 - Problemas Ambientais

Ratings:

4.88

(8)
|Views: 54,103 |Likes:
Published by Geografia Geoclasy

More info:

Published by: Geografia Geoclasy on Jun 14, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/30/2013

pdf

text

original

 
Problemas ambientais
Apesar do final da Guerra Fria e da aparentemente afastada possibilidadede uma guerra global termonuclear, outros problemas ainda afligem ahumanidade. Alguns são problemas velhos, outros que surgiram recentemente.A questão ambiental do planeta vem se tornando freqüente nas discussões emreuniões internacionais, ao mesmo tempo em que aumenta a certeza de quenão é possível dissociar os problemas ambientais dos problemas sociais.Os movimentos de defesa ambiental começam a surgir na década de 70,sucedendo os movimentos pacifistas dos anos 60. Um exemplo nesse sentido éa famosa organização ambientalista Greenpeace. Em 1972 realiza-se aprimeira Conferência Mundial para o Meio Ambiente e Desenvolvimento nacidade de Estocolmo, na Suécia. Foi uma conferência com representantesoficiais, desenvolvendo-se paralelamente um evento com organizações não-governamentais (ONGs). Uma de suas conclusões foi a de que o homempossuía o direito a um ambiente equilibrado e saudável e à justiça social.Observe abaixo outras conferências sobre o meio ambiente:
Conferências sobre Meio Ambiente*Protocolo de Montreal (1987) – erradicação gradual da produçãomundial do CFC*ECO 92 (RJ) –conservação da biodiversidade e exploração econômicasustentávelassinatura da Convenção Climática (reduzir a emissão dos gases queprovocamo aquecimento do planeta) e da Convenção da Biodiversidade*Protocolo de Kyoto (1997) –corte de 5,2% na emissão de gasesresponsáveis pelo efeito estufa (entre 2008 e 2012) em relação aosíndices de 1990. Posteriormenteaceita-se um abrandamento (“sumidouros” de carbono – florestascapazes de absorver o CO
2
) em que os países com florestas podemutilizá-las comocrédito caso não consigam cumprir sua meta de redução nas emissõesdedióxido de carbono. No entanto, os EUA, e recentemente a Austrália,confirmaramque não irão assinar e cumprir os acordos estabelecidos pelo Protocolode Kyoto.
A ECO 92 foi realizada no Rio de Janeiro e discutiu especialmente odesenvolvimento sustentável e, ao seu lado, o conceito deecodesenvolvimento. A situação é complicada porque envolve aspectosaparentemente contraditórios e sem possibilidades de serem conciliados.Sociedades humanas necessitam do crescimento econômico e do progresso,precisam ter acesso aos recursos do planeta e serem beneficiados por eles.Seus problemas sócio-econômicos precisam ser solucionados. No entanto, aexploração dos recursos do planeta deve ser feita de maneira a não
 
comprometer o meio ambiente. Observe abaixo as medidas necessárias paraenfrentar a questão ambiental:
Medidas necessárias:*compatibilizar crescimento econômico e proteção ambiental
evidentemente não há uma receita pronta para essa questão, mas não se podepensar apenas no crescimento econômico desenfreado, assim como não épossível se pensar em deixar a natureza intocada.
 *promover o ecodesenvolvimento
explorar os recursos naturais sem promover seu esgotamento, preservando-ospara as gerações futuras
*resolver o conflito entre o Norte Rico e o Sul Pobre
os países ricos do Norte freqüentemente acusam os países pobres do Sul deprejudicarem o meio ambiente pelo despejo de esgoto nas fontes de água semqualquer tratamento, pelo destino inadequado dado ao lixo e pela destruiçãodas reservas florestais. Tais fatos realmente ocorrem. Enquanto isso, os paísespobres do Sul acusam os países ricos do Norte de serem os maiores poluidoresdo planeta devido ao elevado nível de consumo e desperdício, à grandeprodução de lixo e à grande emissão de resíduos tóxicos pela queima decombustíveis fósseis. Isso também ocorre. Assim, enquanto ambos se acusam,adiam a aplicação das medidas efetivas de controle e preservação ambiental etransferem um para o outro a responsabilidade pelos cuidados ambientais.
*estabelecer metas e prazos para redução na emissão de poluentes
alguns problemas ambientais requerem uma atuação mais urgente para quenão se tornem insolúveis no futuro. Um exemplo são os programas de reduçãoe eliminação do uso do CFC que compromete a camada de ozônio.No entanto, pouco se avançou na questão do efeito estufa não se observandoa esperada reduçãona queima dos combustíveis fósseis.
Em agosto de 2002 deverá se realizar em Johannesburgo a Rio+10,a Cúpula Mundial de Desenvolvimento Sustentável:
O objetivo é avaliar os avanços conseguidos desde a realização daECO-92,avaliar as metas alcançadas e as que fracassaram, estudar medidasmaiseficazes de proteção ambiental e também avaliar os avançosconseguidosno quadro social, considerado fundamental e diretamente relacionadoà destruição ambiental (seja pela exploração predatória dos recursosnaturais, seja pela degradação ambiental com a emissão de poluentes,lixo e dejetos no meio ambiente sem qualquer tratamento).
Vamos fazer uma avaliação de alguns importantes problemasambientais, suas causas e conseqüências, bem como sua ocorrência geográfica
 
no Brasil e no resto do mundo. Inicialmente vamos observar ocomprometimento dos ecossistemas brasileiros:Os ecossistemas mais alterados no Brasil estão localizados no leste dopaís, próximos ao Atlântico, em áreas de maior concentração populacional e deocupação econômica intensiva. Os ecossistemas dos Pampas Gaúchos e daCaatinga já se encontram muito alterados após séculos de exploraçãoagropecuária, observando-se a formação de áreas desertificadas nesseslugares.A Mata Atlântica e a Mata de Araucárias foram intensamente desmatadaspela exploração da madeira, atividades agropecuárias, urbanização, construçãode rodovias e ferrovias e industrialização. A expansão da cultura cafeeira noSudeste foi uma das maiores responsáveis pelo quase desaparecimento dessafloresta, assim como a exploração de madeiras nobres como o pau-brasil e ocrescimento das áreas urbanas e industriais. Na Região Sul o cultivo deflorestas com espécies não-nativas vem atualmente abastecendo as indústriasmadeireiras, de papel e celulose.Esses ecossistemas analisados encontram-se com tal grau de alteraçãoque a sua recomposição original se tornou impossível. A saída é trabalhar paraa preservação do que sobrou, mas que infelizmente tem sido difícil porquecontinua a exploração ilegal e predatória desses ecossistemas. Enquanto issoavançam os processos erosivos que criam voçorocas e desmoronamentos deencostas. Espécies foram extintas e outras continuam ameaçadas de extinçãoapesar das entidades ambientalistas de preservação atuarem em sentidocontrário (ex: SOS Mata Atlântica).O ecossistema dos mangues encontra-se muito alterado no litoral doSudeste. A exploração predatória de seus recursos, o desmatamento, aterrospara facilitar a especulação imobiliária, a instalação de centros industriais, o

Activity (76)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
1 hundred thousand reads
fsmadeira liked this
Thays Prado liked this
Tatiana Gaspar liked this
Marcela Semedo liked this
Kurt Rafael Lima liked this
Bruninha Alexia liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->