Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
124Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Literatura - Aula 05 - Barroco em Portugal e Literatura informativa

Literatura - Aula 05 - Barroco em Portugal e Literatura informativa

Ratings:

4.69

(13)
|Views: 91,447|Likes:

More info:

Published by: Literature Literatura on Jun 14, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

07/31/2013

pdf

text

original

 
AULA 05 – LITERATURA
PROFª Edna Prado
BARROCO EM PORTUGAL E LITERATURA INFORMATIVA
1 - Barroco em Portugal
Em Portugal, o
Barroco
ou também chamado
Seiscentismo
(porter sido estilo que teve início no final do século XVI), tem como marcoinicial a Unificação da Península Ibérica sob o domínio espanhol em1580 e se estenderá até por volta da primeira metade do século XVIII,quando ocorre a Fundação da Arcádia Lusitana, em 1756 e tem início oArcadismo.O Barroco corresponde a um período de grande turbulênciapolítico-econômica, social, e principalmente religiosa. A incerteza e acrise tomam conta da vida portuguesa. Fatos importantes como: otérmino do Ciclo das Grandes Navegações, a Reforma Protestante,liderada por Lutero (na Alemanha) e Calvino (na França) e o MovimentoCatólico de Contra-Reforma,marcam o contexto histórico do período ecolaboram com a criação do “Mito do Sebastianismo”, crença segundo aqual D.Sebastião, rei de Portugal (aquele a quem Camões dedicou OsLusíadas), não havia morrido, em 1578, na Batalha de Alcácer Quibir,mas que estava apenas “encoberto” e que voltaria para transformarPortugal no Quinto Império de que falam as Escrituras Sagradas). D.João é visto como o novo messias, o novo salvador.Mas o que vem a ser a palavra Barroco? Não há um consensoquanto à sua origem. A mais aceita diz que o termo deriva da palavraBarróquia, nome de uma região da Índia, grande produtora de umapérola de superfície irregular e áspera com manchas escuras, conhecidapelos portugueses como barroco. Aproximando-se assim do estilo, quesegundo os clássicos era um estilo “irregular”, “defeituoso”, de “maugosto”. Lembre-se de que a tradição clássica era marcada pela busca daperfeição e do equilíbrio.Vejamos quais são as principais características barrocas:
 
Dualismo
= O Barroco é a arte do conflito, do contraste. Reflete aintensificação do bifrontismo (o homem dividido entre a herançareligiosa e mística medieval e o espírito humanista, racionalista doRenascimento). É a expressão do contraste entre as grandes forçasreguladoras da existência humana: fé x razão; corpo x alma; Deus xDiabo; vida x morte, etc. Esse contraste será visível em toda a produçãobarroca, é freqüente o jogo, o contraste de imagens, de palavras e deconceitos. Mas
 
o artista barroco não deseja apenas expor os contrários,ele quer conciliá-los, integrá-los. Daí ser freqüente o uso de figuras delinguagem que buscam essa unidade, essa fusão.
Fugacidade
= De acordo com a concepção barroca, no mundotudo é passageiro e instável, as pessoas, as coisas mudam, o mundomuda. O autor barroco tem a consciência do caráter efêmero daexistência.
Pessimismo
= Essa consciência da transitoriedade da vidaconduz freqüentemente à idéia de morte, tida como a expressãomáxima da fugacidade da vida. A incerteza da vida e o medo da mortefazem da arte barroca uma arte pessimista, marcada por umdesencantamento com o próprio homem e com o mundo.
Feísmo
= No Barroco encontramos uma atração por cenastrágicas, por aspectos cruéis, dolorosos e grotescos. As imagensfreqüentemente são deformadas pelo exagero de detalhes. Há nessemomento uma ruptura com a harmonia, com o equilíbrio e a sobriedadeclássica. O barroco é a arte dos contrastes, do exagero.
Tensão religiosa =
Intensifica-se no Barroco, aspectos que já vinhamsendo percebidos no Humanismo e no Classicismo:ANTROPOCENTRISMOXTEOCENTRISMO
TENSÃO
 
A igreja católica, através da Contra-Reforma, tenta recuperar oteocentrismo medieval (Deus como centro de todas as coisas) e ohomem barroco não deseja perder a visão antropocêntrica renascentista(O homem como o centro de todas as coisas), assim o Barroco tentaatingir a síntese desses valores, ou seja, tenta conciliar razão e fé, corpoe alma, espiritualismo e materialismo. Poderíamos dizer que seria, emoutras palavras, a racionalização da fé, a busca da salvação através dalógica.O Barroco apresenta duas faces. Vejamos quais são:CultismoBARROCOConceptismo
CULTISMO
= Corresponde ao
 jogo de palavras
e imagensvisando ao rebuscamento da forma do texto, à ornamentação e àerudição vocabular. Nessa vertente barroca é comum o uso exageradodas figuras de linguagem, como metáforas, antíteses, hipérboles,hipérbatos, entre outras.
O cultismo também é chamado deGongorismo
, por ter sido muito influenciado pelo poeta espanhol Luísde Gôngora.
CONCEPTISMO
= Corresponde ao
 jogo de idéias
e de conceitos,pautado no raciocínio lógico, visando ao convencimento àargumentação
. O conceptismo também é chamado deQuevedismo
, por ter sido muito influenciado pelo também espanhol,Francisco Quevedo.O jogo não só de idéias, mas também de palavras pode sercompreendido sob dois aspectos: um primeiro e mais visível relaciona-se ao próprio espírito de contradição do Barroco e um segundo e maissutil, relaciona-se à necessidade que os poetas tinham de escapar darígida censura da Inquisição, daí o uso exagerado das metáforas (figurade linguagem usada para sugerir idéias de maneira sutil).

Activity (124)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Mônica Lopes liked this
Orlando Brandão liked this
Orlando Brandão liked this
Pedro Duque liked this
Regiane Machado liked this
Bellynha Nascìímentoo added this note|
Gosteei .. Mee Add Galeraa ..

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->