Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
31Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
DIVERSIDADE E CLASSIFICAÇÃO DOS SERES VIVOS

DIVERSIDADE E CLASSIFICAÇÃO DOS SERES VIVOS

Ratings: (0)|Views: 12,050 |Likes:
Published by Osvaldo Pick

More info:

Published by: Osvaldo Pick on Jul 27, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/17/2013

pdf

text

original

 
DIVERSIDADE E CLASSIFICAÇÃO DOS SERES VIVOS
A existência de vida na terra é uma singularidade que distingui o nosso planetado resto do universo conhecido. Há evidências de que a terra é habitada por seres vivosdesde há 3800 M.a. aproximadamente. Essas mesmas evidências sugerem que a vida primitiva era muito diferente da vida actual. A história da vida é uma história demudança. As teorias evolucionistas procuram explicar como se desenvolve as diferentesformas de vida com as semelhanças e diferenças que apresentam. Na actualidade, conhecem-se e estão catalogados cerca de dois milhões deespécies. Admite-se, no entanto que o número de espécies existentes seja muitosuperior. Cerca de dez milhões alguns cientistas ou mesmo trinta a cinquenta paraoutros.O estudo dos fósseis revela que as formas de vida mudaram ao longo do tempo.Dos seres primitivos mais simples poucos se encontram.Os fósseis são geralmente poucos e pouco completo. De um modo geral, ficaram preservados peças mais ou menos mineralizadas, como conchas, dentes e ossos. As partes moles dos seres mais complexos dificilmente deixam as suas impressões. Por issose admite que a vida no passado foi bem mais exuberante do que aquela que a paleontologia revela.Estão descritas cerca de 300 000 espécies fósseis e este número não pára decrescer. Apesar disso, pensa-se que os fósseis conhecidos não representam mais do queuma pequena fracção das espécies que viveram no passado.Os investigadores calculam que, desde que a vida apareceu na terra, existiramentre 1500 milhões e 15 000 milhões de espécies. Estima-se que cerca de 99% dasespécies que povoam a terra se extinguiram. Atendendo a estes números pode concluir-se que o conjunto dos seres vivos foi muitas vezes substituído ao longo da historiageológica. O estudo dos fósseis sugere reconstituições que permitem representar ahistória da vida.
 
Desenvolvimento
A história da vida pode condenar-se num período de 30 dias, correspondendocada dia, a 150 milhões de anos.As espécies não se formam nem se extinguem a um ritmo fixo. Pelo contrário,devem ter existido período na história na história da terra que vida floresceu, tendoaparecido repentinamente muitos organismos novos. Noutras ocasiões, porem, deu-seuma extinção em massa, com o desaparecimento de muitas espécies ou mesmo deoutros grupos completos de organismo.A história da vida é demasiada complexa, feita de avanços e recuos para poder ser apresentado de um modo simplista. De qualquer forma, sabe-se que houve umadiversificação e que para muitos seres vivos apareceram formais progressivas maiscomuns que coexistem com formas simples.De um modo sintético, pode referir-se alguns dos episódios mais significativosque possivelmente ocorreram na história da vida.
- Há evidencias fósseis de que a vida se iniciou há 3800 M.a. julga-se que os primeiro organismos eram unicelulares, procariontes e heterotróficos, talvez dotipo de bactérias muito primitivas.
Bastante mais tarde, cerca de 1500-1450 M.a., apareceram as lulaseucariotas.
A partir das lulas eucarioticas originaram-se as plantas e os animais,organismos multicelulares.
Os animais com concha e os primeiros vertebrados apareceram talvez há 550M.a.
A conquista do ambiente terrestre começou há 440 M.a., quando a camada deozono já era suficiente para filtrar as radiações nocivas. Primeiro, foram as plantas que começaram a colonizar o meio terrestre, acabando por originar extensas florestas que cobriram os continentes. Só depois, há 370 M.a., animaiscomo os artrópodes e os vertebrados começaram também a conquistar ambientesfora da água. A conquista do ambiente terrestre foi acompanhada por umaexplosão de diversidade, dada a variedade de nichos ecológicos diferente queestavam disponíveis e que foram ocupados pelos seres vivos terrestres.
120 M.a. deve ter ocorrido uma radiação adaptiva nas plantas, tendoevoluído todos os ancestrais das plantas actuais com flor.
A radiação adptiva dos mamíferos ocorreu há 65 M.a., levando a uma grandediversidade que se estendeu por toda a terra. Ao mesmo tempo, dava-se ahecatombe dos dinossauros. Alguns cientistas pensam que a radiação adaptivados mamíferos está relacionada com a existência dos dinossauros tendo aquelesocupados os nichos anteriores dominado pelos répteis. Neste capítulo vamos estudar a diversidade da vida actual, procurando interpretar essadiversidade numa perspectiva evolutiva.
 
1.Sistemática – Ciência da Classificação
Os sistemas de classificação não são arquivos apresentados objectivamente pela natureza.São teorias dinâmicas desenvolvidas por nós para expressar pontos de vista particulares acercada história dos seres vivos. A evolução produziu um conjunto de espécies ordenadas segundodiferentes graus de relações genealógicas.
 
A taxonomia, procurando essa ordem, é a ciênciafundamental.Em qualquer actividade humana, sempre que se tem de lidar com uma grandediversidade de objectos, há necessidade de os ordenar, agrupando-os de acordo comdeterminadas características.A ordenação de objectos corresponde a uma classificação (agrupar em classes) efaz parte do quotidiano das pessoas, sendo uma actividade fundamental da mentehumana. Os critérios utilizados para a formação de grupos podem ser diversos e osgrupos formados dependem dos critérios seleccionados.Os biólogos, trabalhando com uma enorme diversidade de organismos, mnecessidade de os classificar, ou seja, de os agrupar de acordo com determinadoscritérios e der dar um nome a cada um dos grupos formados. Assim, é mais fácilreferenciar esses grupos e transmitir informação acerca deles.As classificações armazenam muita informação e permitem fazer previsões acercados seres classificados. Quando se diz que um animal é um mamífero, imediatamenteconotamos esse organismo com inúmeras característica, mesmo sem se saber de queanimal se rata concretamente.O ramo da biologia que se da classificação dos seres vivos e da nomeclatura dosgrupos formados designia-se por Taxonomia. É à taxonomia que se cabe a adopção deum sistema uniforme que expressa o melhor possível o grau de semelhança entre osorganismos. Por vezes, usa-se o termo sistemática com um significado semelhante ao detaxonomia. No entanto, a sistemática é algo mais amplo, pois inclui a taxonomia e a biologia evolutiva. A sistemática é pois uma biologia comparativa, que utiliza todos osconhecimentos acerca dos seres vivos para compreender as suas relações de parentesco,a sua historia evolutiva e desenvolver sistemas de classificação que reflete essasrelações.

Activity (31)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Luciana Vituri liked this
Edja Sercundes liked this
Jean Tomita liked this
Raquel Menegusse liked this
Jovens da Hora liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->