Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
34Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
História - Pré-Vestibular Impacto - Sociologia - O Trabalho na Sociedade Capitalista

História - Pré-Vestibular Impacto - Sociologia - O Trabalho na Sociedade Capitalista

Ratings:

4.57

(7)
|Views: 13,606 |Likes:
Published by História Qui

More info:

Published by: História Qui on Jun 26, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/09/2014

pdf

text

original

 
KL 140308
 
O Trabalho na Sociedade Capitalista e asTransformações Recentes no Mundo do trabalho.
FAÇO IMPACTO
 
A CERTEZA DE VENCER!!! 
 
PROFº: EDILSON VIANA
   F  a   l  e  c  o  n  o  s  c  o
    w    w    w .    p    o    r     t    a     l     i    m    p    a    c     t    o .    c    o    m .     b    r
    V    E    S    T    I    B    U    L    A    R   –    2    0    0    9
 
CONTEÚDO
A Certeza de Vencer 
05
1
Hery Fortd 
I. O TRABALHO NA SOCIEDADE CAPITALISTA:
Podemos afirmar que na sociedade capitalista otrabalhador é detentor de sua força de trabalho, que évendida ao capitalista, dono dos meios de produção, emtroca de uma remuneração que é suficiente para garantir asobrevivência do mesmo e sua consequente reprodução,garantindo desta forma a multiplicação do contingente detrabalhadores. É importante ressaltar que no sistemacapitalista existe uma exploração funcional do trabalhador,que garante a composição do lucro do capitalista, qualseja, a mais-valia.A mais-valia deve ser entendida como tudo aquiloque é subtraído do trabalhador pelo capitalista durante ocotidiano na exploração de sua força de trabalho e naremuneração desse trabalhador, ou também :
 
"
(...) é a forma específica que assume a exploração sob o capitalismo, a diferença específica do modo de produção capitalista, em que o excedente toma a forma de lucro e a exploração resulta do fato da classe trabalhadora produzir um produto líquido que pode ser vendido por mais do que ele recebe como salário.
"Dicionário do Pensamento Marxista, Tom Bottomore, p.227
"São as horas trabalhadas e não pagas que, acumuladas e reaplicadas no processo produtivo, vão fazer com que o capitalista enriqueça rapidamente. E assim, todos os dias,isso acontece nos mais variados pontos do mundo: uma parcela significativa do valor-trabalho produzido pelos trabalhadores é apropriada pelos capitalistas. Esse processo denomina-se acumulação de capital. Em outros termos, portanto, capital nada mais é do que o trabalho não pago, isto é, aquela parte que o trabalhador produz e que não lhe é paga (mais-valia) vai para os bolsos do patrão" 
Iniciação à Sociologia, Dácio Tomazi, p 50
II. AS TRANSFORMAÇÕES RECENTES NO MUNDO DOTRABALHO:1. Fordismo:
No início do século XX, apartir da I Guerra Mundial (1914-1919) o processo deindustrialização norte-americanaalcança a sua consolidação, devidoprincipalmente a necessidade desuprir o mercado consumidoreuropeu. É nesse contexto, queHenry Ford passa a implementarem suas fábricas de automóveisuma série de modificações queiriam predominar na organização produtiva e naorganização do trabalho em quase todo o mundocapitalista até aproximadamente a década de 70. Dentreas características que marcaram o fordismo, podemosidentificar: a extrema divisão das tarefas (leia-se aespecialização); a subordinação do trabalhador à linha demontagem; o desconhecimento da produção final (aalienação); e a produção em massa para um consumo emmassa.
2. Pós-Fordismo ou Acumulação Flexível:
A partir da década da 70, principalmente após assucessivas crises do petróleo (1973 e 1979) aorganização da produção e do trabalho nas sociedadescapitalistas passaram por uma série de transformaçõesque ficaram conhecidas como pós-fordismo ouacumulação flexível. Neste novo modelo podemosdestacar: a massiva automação, com o advento darobótica; o trabalhador passa a limitar a sua atuação aocontrole e supervisão; a flexibilização do mercado detrabalho, com o surgimento do trabalho temporário,subcontratação, a terceirização, etc; além disso,passamos a ter a flexibilização da produção e doconsumo, com o aumento do marketing e da propagandao consumo passa a criar novas exigências econseqüentemente surge um nova forma de se produzir,nada mais em massa, sendo assim a produção passa aser segmentada.
ANOTAÇÕES
 ______________________________________________  ______________________________________________  ______________________________________________  ______________________________________________  ______________________________________________  ______________________________________________  ______________________________________________  ______________________________________________  ______________________________________________  ______________________________________________  ______________________________________________  ______________________________________________  ______________________________________________  ______________________________________________  ______________________________________________  ______________________________________________  ______________________________________________  ______________________________________________  ______________________________________________  ______________________________________________  ______________________________________________  ______________________________________________ 

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->