Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
6Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Resposta à pergunta "O que é Iluminismo - Kant (1784)

Resposta à pergunta "O que é Iluminismo - Kant (1784)

Ratings: (0)|Views: 565 |Likes:
Published by Luis Eduardo Acosta

More info:

Published by: Luis Eduardo Acosta on Aug 23, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/16/2013

pdf

text

original

 
   i   i   i   i   i   i   i   i
 
www.lusosofia.net
Resposta à pergunta: “O que é o Iluminismo?”
I. KANT
Tradutor:Artur Morão
1
 
   i   i   i   i   i   i   i   i
 
   i   i   i   i   i   i   i   i
 
Apresentação
O opúsculo de I. Kant
Resposta à pergunta: Que é o iluminismo?
(1784)é, como se sabe, um texto clássico. Por razões várias.- É um dos manifestos mais ‘interessantes’ da Ilustração europeia. Comotal, figura não só como um dos mais contundentes apelos ao exercício autó-nomo da razão, à liberdade de pensamento, mas constitui ainda uma expressãosintomática de um momento fundamental na estruturação da consciência mo-derna, com o seu afâ de novidade, de expansão e conquista do mundo e danatureza, de destruição da ordem estática das sociedades, mas também com oseu desprezo da tradição, com a vertigem do solipsismo.- É, por outro lado, um texto-alvo no recente debate sobre o projecto damodernidade e a reacção pós-moderna (assim na obra de M. Foucault e de J.Habermas, entre outros).- Propõe ainda, de certo modo, um ideal imperativo e inatingível – pre-cisamente a consecução da genuína e plena ilustração intelectual – e dissoKant parece dar-se conta no final do ensaio, embora permaneça, contra o quepromove, enredado nos preconceitos da sua época, a saber, uma versão algoabstracta da razão arrancada ao húmus da história, encarada sem os nexos re-lacionais que ligam os seres humanos no seu destino; a inatenção ao papelquase transcendental da linguagem na estruturação do pensamento; a falta deconsideração do vínculo entre razão e autoridade (nas suas múltiplas formas),além da pedante convicção de que as idades anteriores aos tempos modernosmergulhavam na ‘menoridade culpada’.Estas observações, e muitas outras que se poderiam aduzir, não serão umobstáculo para apreciar a luminosidade deste opúsculo, merecidamente fa-moso; mesmo apesar dos seus limites, encerra ainda uma exigência moral deauto-iluminação, que nunca é bastante.Artur Morão

Activity (6)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Karina Kato liked this
Niolani liked this
Tiger Silva liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->