Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
6Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
O cristão pode julgar

O cristão pode julgar

Ratings:

4.0

(1)
|Views: 357 |Likes:
Published by anon-535472

More info:

Published by: anon-535472 on Jun 26, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/29/2011

pdf

text

original

 
O CRISTÃO PODE JULGAR?
1
 
Coisa espantosa e horrenda se anda fazendona terra:os profetas profetizam falsamente, eos sacerdotes dominam de mãos dadas com eles;eé o que deseja o meu povo. Porém que fareisquando estas coisas chegarem ao seu fim? – Jeremias 5:30 – 31.Não julgueis segundo a aparência, e sim pelareta justiça. – João 7:24Ou não sabeis que os santos hão de julgar omundo? Ora,se o mundo deverá ser julgado porvós, sois, acaso, indignos de julgar as coisasmínimas?Não sabeis que havemos de julgar ospróprios anjos? Quanto mais as coisas destavida! Entretanto, vós, quando tendes a julgarnegócios terrenos, constituís um tribunaldaqueles que não têm nenhuma aceitação naigreja. Para vergonha vo-lo digo.Não há,porventura, nem ao menos um sábio entre vós,que possa julgar no meio da irmandade?1Coríntios 6:2 – 5Quando, porém,Cefas veio a Antioquia, resisti -lhe face a face, porque se tornara repreensível.Com efeito, antes de chegarem alguns da partede Tiago, comia com os gentios; quando,porém, chegaram, afastou-se e, por fim, veio aapartar -se, temendo os da circuncisão. Etambémos demais judeus dissimularam comele,a ponto de o próprioBarnabé ter-se deixadolevar pela dissimulação deles. Quando, porém,vi quenão procediam corretamente segundo averdade do evangelho, disse a Cefas, napresença de todos... Gálatas 2:11 – 14.
INTRODUÇÃO
O cristão pode julgar? Esta é uma pergunta que poderia ser irrelevante. Poderia não fosse aimpressionante realidade que estamos vivenciando nos dias de hoje. Este autor tem
 
escritosdiversos artigos publicados no jesussite.org
2
os quais têm motivado alguns leitores a lhe
1
Todas as citações bíblicas neste artigo são da versão de Almeida Revista e Atualizada (ARA) publicada pelaSociedade Bíblica do Brasil a menos que outra tradução seja indicada.
2
Ver “A Igreja Cristã no Brasil no Século XXI”, “As Contradições da Cristandade”; e “Enganados de Propósito”.1
 
escreverem mensagens eletrônicas. Alguns escrevem para agradecer, outros apenas paraelogiar e outros para expressar sentimentos que variam de frustração à ira. Entre este últimogrupo as críticas podem ser facilmente classificadas em quatro categorias, a saber:1)
 
Em primeiro lugar, o campeão disparado, é a citação de alguns versículos bíblicos, comespecial ênfase nas passagens de Mateus 7:1 – 5 e Romanos 14:4 e 10 visando mostrar quão errado, impróprio e até anti-cristão é o ato de julgar.2)
 
Em segundo lugar estão aqueles que sugerem que não é possível julgar a ninguém porquesomente Deus sabe os verdadeiros motivos das pessoas. Estes sugerem que devemos deixar tudo correr como tem que correr e aguardar o juízo final de Deus.3)
 
Em terceiro lugar está a turma do “deixa disso” alegando que toda crítica é perniciosa ecausa divisões no corpo de Cristo. “Irmão Alex”, me escrevem “temos que manter a unidadea qualquer custo”.4)
 
Em quarto lugar estão aqueles que pedem para que nomes não sejam mencionados porqueeste ato prejudica demais aos citados. Neste último lote se encontram muitos pastores queconsideram um sinal de maturidade e maior espiritualidade não citarem nomes quandoquerem fazer uma crítica.O autor não consegue evitar a profunda tristeza que experimenta ao perceber nestas mensagenseletrônicas o nível em que se encontram os cristãos em geral e a cristandade
3
em particular. Umvelho professor e amigo costumava dizer o seguinte: “Alex, a ignorância é o paraíso”. E hoje,25 anos depois, sou obrigado a concordar absolutamente com ele.Sinto-me motivado a escrever este artigo porque observo que muito desta ignorância éalimentada pelos próprios indivíduos que gostam de se intitular “Pastores, Reverendos, Mestres,Doutores, Bispos” e, ultimamente, “Apóstolos”. Em vez de ensinarem o que a Bíblia diz acercada responsabilidade cristã de julgar preferem alimentar a ignorância do povo. Este ato, o dealimentar a ignorância, visa à auto defesa que procura colocar estes indivíduos acima e fora doalcance de qualquer admoestação, censura ou repreensão. E infelizmente, para complicar ainda mais a situação, os crentes em geral se submetem a este tipo de abuso espiritual,fazendo-o, a grande maioria, de boa vontade. Este problema, a associação daqueles que têm aresponsabilidade de guiar com aqueles que são guiados, para perverter a Palavra de Deus, nãoé novo. O profeta Jeremias enfrentou situação semelhante e se não soubéssemos que o mesmoprofetizou entre 627 a 580 a.C. teríamos a impressão que ele estava se referindo aos nossosdias tamanha a atualidade de suas palavras. O profeta Jeremias diz o seguinte: “Coisaespantosa e horrenda se anda fazendo na terra: os profetas profetizam falsamente, e ossacerdotes dominam de mãos dadas com eles; e é o que deseja o meu povo. Porém que fareisquando estas coisas chegarem ao seu fim? – ver Jeremias 5:30 – 31”. Para entendermos deforma mais precisa estas palavras de Jeremias é necessário compreendermos o contexto em queelas foram ditas. A semelhança com os nossos dias, como se verá, é inescapável!
3
Por Cristandade o autor se refere a este sistema completamente falido representado por todos os grupos que sedenominam cristãos e que pretendem estar seguindo os ensinamentos Bíblicos e imitando a Jesus.2
 
I – O EXEMPLO DO PROFETA JEREMIAS
O profeta Jeremias começou a profetizar nos dias do rei Josias, filho de Amon, que reinou(Josias) sobre o reino de Judá de 640 a 609 a.C. Nos dias de Josias uma cópia do “Livro daLei” de Moisés foi encontrada na “Casa do SENHOR”, isto é, no templo em Jerusalém pelosumo sacerdote Hílquias – ver 2 Reis 22:8 – 23:3. A leitura destes manuscrito descoberto notemplo, causou profunda comoção no rei Josias que chegou até mesmo a rasgar suas roupas, oque era um ato externo que indicava como o rei estava se sentindo por dentro – ver 2 Reis22:11. O rei sabia o valor do documento que acabava de ser lido para ele. Este era um livro,revelado por Deus, pelo qual, de forma padronizada e objetiva, todas as tradições podiam edeveriam ser julgadas. Os sacerdotes e os príncipes do povo eram os que tinham mais a perder com esta descoberta, pois os privilégios que desfrutavam não eram sustentados pela Palavra deDeus. Para se protegerem contra a perda destes privilégios estes sacerdotes tinham o apoio defalsos profetas que vinham trazendo falsas revelações da parte de Deus. É contra estecorporativismo que Jeremias se levanta. Os falsos profetas que segundo o texto profetizavamfalsamente, isto é, falavam mentiras, estavam intimamente associados, de mãos dadas, com ossacerdotes para dominar sobre o povo de Deus. E o próprio povo de Deus aprovava taldominação. Para Jeremias esta situação só podia ser descrita de uma maneira: era algoespantoso e horrendo.O coração do problema, como entendido pelo profeta Jeremias, consistia em que havia umaaliança perversa entre os falsos profetas, os sacerdotes e o povo para prestarem um culto aDeus que fosse somente “da boca para fora”. Tal hipocrisia já havia sido denunciada pelopróprio Deus através do profeta Isaías – ver Isaías 29:13. E foi novamente denunciada pelopróprio Senhor Jesus em Seus dias – ver Mateus 15:7 – 9. Nos dias de Jeremias não haviainteresse nem da parte dos falsos profetas, nem dos sacerdotes e nem do povo de reformar honesta e completamente seus caminhos. Para estes, uma vez mantidas as aparências estavatudo muito bom. Jeremias denuncia esta religiosidade falsa, superficial e pretensiosa. A pergunta que ele faz é: “que fareis quando estas coisas chegarem ao seu fim?” Jeremias serefere ao julgamento de Deus em que todo o povo de Judá estava incorrendo por praticar umareligião que vivia somente de aparências. Para que possamos ter uma compreensão do estadomoral
4
que existia em Judá nos dias do profeta Jeremias, nós temos que nos lembrar daspalavras de Deus ditas através do profeta no início do capítulo 5: “Dai voltas às ruas deJerusalém; vede agora, procurai saber, buscai pelas suas praças a ver se achais alguém, se háum homem que pratique a justiça ou busque a verdade; e eu lhe perdoarei a ela – Jeremias5:1”. Que cena patética! A promessa de Deus era que se fosse possível achar uma pessoasomente que praticasse a justiça ou que buscasse a verdade em toda cidade de Jerusalém, Deusestava disposto a perdoar o pecado de toda a cidade. Agora imagine se Jeremias não tivesse selevantado e julgado
5
a situação. Se ele não tivesse exercido o ato de julgamento acerca da
 
4
Para uma avaliação completa do estado moral que existia nos dias do profeta Jeremias o autor recomenda aleitura do livro de John Skinner,
Prophecy and Religion: Studies in the Life of Jeremiah
, Wipf & Stock Publishers,Eugene, 1999.
5
O dicionário Aurélio Século XXI diz o seguinte acerca do verbete “julgar”: Do latim judicare. Verbo transitivodireto com os seguintes significados: 1) Decidir como juiz ou árbitro; 2) Dar sentença, sentenciar; 3) Supor,imaginar, conjeturar; 4) Formar opinião sobre; avaliar. Como verbo transitivo indireto o Aurélio apresenta osseguintes significados: Formar juízo crítico; avaliar, apreciar, ajuizar: Como pode ser facilmente deduzido a línguaportuguesa define o ato de julgar não somente como os atos de um juiz, mas também todos aqueles atosproduzidos por pessoas comuns no sentido de: supor, imaginar, conjeturar, formar opinião sobre, avaliar, formar 
 
3

Activity (6)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads
Cíntia Schütz added this note
Ótimo estudo! Parabéns!! .
Davi Fróes liked this
Davi Fróes liked this
filhoeurico liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->