Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
27Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Português - Pré-Vestibular Impacto - Níveis de Linguagem

Português - Pré-Vestibular Impacto - Níveis de Linguagem

Ratings:

4.63

(16)
|Views: 33,102|Likes:
Published by Português Qui

More info:

Published by: Português Qui on Jun 27, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

12/11/2012

pdf

text

original

 
Prof. Joana Vieira
NÍVEIS DE LINGUAGEM
Frente: 01Aula: 02
WWW.PORTALIMPACTO.COM.BR
UNIDADE
PE AC
M T N M T N
SF CN
M T N M T N
linguagem como todo organismo vivo, transforma-se eenvelhece. Assim com no decorrer dos séculos, nossa língua –apesar de altamente estabilizada e controlada pela gramática –não está ao abrigo de transformações que são ditadas, sobre tudo,pela língua falada.Para que a comunicação efetivamente exista, entre outrosrequisitos, é necessária a escolha adequada do nível de linguagema ser utilizado. A língua permite uma multiplicidade de usosdependendo das situações comunicacionais. Para que acomunicação ocorra de forma coerente, é preciso que o emissor e oreceptor estejam em harmonia com o mesmo universo lingüístico.Desse modo, o conhecimento das variantes lingüísticas determina aeficácia dessa comunicação.Essas variantes se devem a diversas influências:- geográficas: onde verificam-se as variantes regionais;- sociológicas: onde verificam-se as diversas classes sociaisimpondo traços lingüísticos diferentes;- contextuais: aquela, onde o momento da fala pode determinar onível de linguagem a ser utilizado.
 Variação e norma.
Como falante do português, percebemos que há situaçõesem que a língua se apresenta sob uma forma bastante diferentedaquela que nos habituamos a ouvir em casa ou através dos meiosde comunicação. Essa diferença pode manifestar-se tanto pelovocabulário utilizado, como pela pronúncia, morfologia e sintaxe.Essa diferenciação no interior de uma mesma língua éperfeitamente natural, já que todas as variedades constituemsistemas lingüísticos perfeitamente adequados para a expressãodas necessidades comunicativas e cognitivas dos falantes, dadas asráticas sociais e os hábitos culturais de suas comunidades.
As Mariposa
As mariposa quando chega o frioFica dando vorta em vorta da lampida pra si isquentáElas roda, roda, roda, roda, dispois se senta em cima do prato dalampida pra discansá. Eu sou a lãmpida e as muié é as mariposaQue fica dando vorta em vorta de mim todas as noites, só pra mibeija- Boa noite, lâmpida!- Boa noite, mariposa!- Permita-me oscular-lhe as alfacias?- pois não, mas rápido porque daqui a pouco eles mi apaga.
(Adonirah barbosa) 
 
 As variedades estilísticas: Registros
Por registros lingüísticos ou variações de estilos, entendem-se variações no enunciado lingüísticos que estão relacionados aosdiferentes graus de formalidade do contexto do uso da língua. Omaior ou menor conhecimento e proximidade entre os falantesdetermina o uso de registros mais ou menos formal.Grosso
modo
, podemos delinear três principais níveis ouregistros de linguagem: a
linguagem culta
(ou variante-padrão), a
linguagem familiar
(ou coloquial) e a
linguagem popular.
 A
linguagem culta
é utilizada pelas classes intelectuais dasociedade. É a variante de maior prestígio e aquela ensinada nasescolas. Sua sintaxe é mais complexa, seu vocabulário mais amplo ehá, nela, uma absoluta obediência à gramática e à língua dosescritores clássicos. É a linguagem utilizada pelos meios decomunicação de massa em geral, nas suas formas oral e escrita.Desenvolvendo-se livre e indisciplinadamente, não raro isola-se emfalares típicos regionais e em gírias. O Modernismo efetivou aapologia da linguagem cotidiana como o melhor veículo deexpressão literária, por sua velocidade, espontaneidade, dinamismo,condenando a linguagem culta, classificando-a como "filha dodecrépito dogmatismo".A
linguagempopular
é aquela utilizada por pessoasde baixa ou nenhuma escolaridade. Este nível, dá-seraramente na forma escrita e caracteriza-se como umsubpadrão lingüístico. Nesse nível, o vocabulário é bemmais restrito, com muitas gírias, onomatopéias e formasincorretas gramaticalmente (Oropa, pobrema, nós vai, nóisfumo, tauba, estauta, lâmpia, vi ela etc.). Não há, aqui,reocupação com as regras gramaticais.Atualmente, em função da influência dos meios decomunicação, assiste-se a um nivelamento da linguagemno registro coloquial. As variantes lingüísticas podemdecorrer das circunstâncias que cercam o ato da fala.O gerente de vendas recebeu o seguinte fax de umdos seus novos vendedores:
 
“Seo Gomis, o oriente de belzonte pidiu mais cuatrucenta pessa. Faz favor toma as providenssa.Abrasso, Nirso” 
 
Aproximadamente uma hora depois recebeu outro.
“Seo Gomis,os relatório di venda vai xega atrazado proque to fé xando umas venda. Temo que manda treiz mil pessa. Amanha to xegando.Abrasso, Nirso” 
No dia seguinte;
“ Seo Gomis, num xeguei pucausa de que vendi maiz deis miu em Beraba. To indo pra Brazilha.” 
No outro:
“Seo Gomis, Brazilha fexo 20 miu. Vo pra Frolinoplis e de lá pra Sum Paulo no vinháo das cete hora.” 
E assim foi o mês inteiro.O gerente, muito preocupado com a imagem daempresa, levou ao presidente as mensagens querecebeu do vendedor. O presidente, um homem muitopreocupado com o desenvolvimento da empresa e com acultura dos funcionários, escutou atentamente o gerentee disse: — Deixa comigo que eu tomarei as providênciasnecessárias.E tomou. Redigiu de próprio punho um aviso queafixou no mural da empresa, juntamente com os faxes dovendedor:
“A parti de oje nois tudo vamo fazê feito oNirso. Si priocupá menos em iscrevê serto mod avende maiz.
Acinado,O Prezidenti"
Autoria desconhecida, set. 2001.
O preconceito lingüístico é uma forma dediscriminação enfaticamente combatida, pois, do pontode vista estritamente lingüístico, não há nas variedadeslingüísticas nada que permita considerá-las boas ouruins, melhores ou piores, feias ou bonitas, permitivas ouelaboradas, e assim por diante. Mesmo porque, para quea comunicação efetivamente exista entre outrosrequisitos, é necessária a escolha adequada do nível delinguagem a ser utilizado.
Leia:
 — Que flor bonita! Me dá ela? — Se me disseres: Dá-ma?, eu dou-ta. — Não poderei satisfazê-la:Sentir-me-ia uma horrenda douta.
(Manuel Bandeira) 

Activity (27)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Elizangela Conceição added this note|
o aliais tou studando.... risos....
Elizangela Conceição added this note|
to estuda mae..... risos........
Shirley Peixoto liked this
Jéssica Pedroni liked this
Sonia Marques de Paula added this note|
muito bom o site
Lucas Dias liked this
KAIZONINGEN liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->