Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
17Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Evolução do IDH das Grandes Regiões e dos Estados Brasileiros

Evolução do IDH das Grandes Regiões e dos Estados Brasileiros

Ratings:

4.0

(1)
|Views: 3,389 |Likes:
Published by AlvoErrado2
Relatório do Banco Central sobre a evolução do IDH no Brasil dividido por regiões e estados
Relatório do Banco Central sobre a evolução do IDH no Brasil dividido por regiões e estados

More info:

Published by: AlvoErrado2 on Sep 01, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/05/2013

pdf

text

original

 
Janeiro 2009
|
 
Boletim Regional do Banco Central do Brasil
 
|
 
91
Evolução do IDH das Grandes Regiões e Unidades da Federação
O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH)é adotado desde 1990 pelo Programa das NaçõesUnidas para o Desenvolvimento (PNUD), com oobjetivo de mensurar a qualidade de vida em regiõesou países a partir de critérios mais abrangentes queo tradicional PIB
 per capita
, que considera apenas adimensão econômica do desenvolvimento.O IDH é formado por três componentesde mesmo peso: renda, longevidade e educação. Acomponente renda mensura a dimensão econômicado desenvolvimento humano, sendo aferida pelo PIB
 per capita
corrigido pelo poder de compra da moedade cada região. Para a componente longevidade,utiliza-se como parâmetro a expectativa de vida dosindivíduos ao nascer, enquanto, para o componenteeducação, são utilizados os índices de analfabetismoe da taxa de matrícula em todos os níveis de ensino.O cálculo do IDH é obtido pela média aritméticasimples dos três componentes, que, previamentenormalizados, passam a ser compreendidos nointervalo de zero a um. Quanto mais próximo o índicese situar do limite superior, maior o desenvolvimentohumano na região.O objetivo deste boxe consiste em analisara evolução do IDH e de seus componentes, para asregiões e para as unidades da federação, com base nasséries históricas anuais, elaboradas pelo PNUD para operíodo de 1991 a 2005, e nas estimativas para o IDH,feitas pelo Banco Central para 2006 e 2007. Ressalte-se que essas estimativas foram elaboradas aplicando amesma metodologia utilizada pelo PNUD aos dadosda Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios(PNAD), referentes aos anos 2006 e 2007, e às tábuasde mortalidade elaboradas pelo Instituto Brasileiro deGeogra
a e Estatística (IBGE) para os mesmos anos.
Tabela 1 – IDH Brasil, grandes regiões e unidadesda federação
DiscriminaçãoAno2005
1/
2006
2/
2007
2/
Brasil0,7940,8030,816Região Sul0,8290,8370,850Região Sudeste0,8240,8350,847Região Centro-Oeste0,8150,8240,838Região Norte0,7640,7720,786Região Nordeste0,7200,7330,7491Distrito Federal0,8740,8820,9002Santa Catarina0,8400,8480,8603São Paulo0,8330,8420,8574Rio de Janeiro0,8320,8460,8525Rio Grande do Sul0,8320,8400,8476Paraná0,8200,8270,8467Mato Grosso do Sul0,8020,8150,8308Minas Gerais0,8000,8130,8259Goiás0,8000,8070,82410Espírito Santo0,8020,8080,82111Mato Grosso0,7960,8040,80812Amapá0,7800,7890,80013Amazonas0,7800,7840,79614Tocantins0,7560,7690,78415Rondônia0,7760,7790,78416Roraima0,7500,7840,78217Pará0,7550,7640,78218Acre0,7510,7630,78019Sergipe0,7420,7560,77020Bahia0,7420,7540,76721Rio Grande do Norte0,7380,7420,75322Paraíba0,7180,7290,75223Ceará0,7230,7310,74924Pernambuco0,7180,7330,74225Piauí0,7030,7210,74026Maranhão0,6830,7070,72427Alagoas0,6770,7000,722
1/ Calculados pelo PNUD.2/ Estimativas do Banco Central.
 
92
 
|
 
Boletim Regional do Banco Central do Brasil
 
|
Janeiro 2009
A Tabela 1 apresenta o IDH do Brasil, grandesregiões e unidades da federação para 2005, 2006 e2007, ordenados, de forma decrescente, pelo últimoano. As estimativas revelam aumentos nos níveisde desenvolvimento humano em todos os estados eregiões, comparativamente a 2005. Distrito Federal,Santa Catarina e São Paulo permanecem apresentandoos melhores IDH, contrastando com os resultadosrelativos a Alagoas, Maranhão e Piauí. Em particular,a persistência das disparidades regionais também éevidenciada em termos de desenvolvimento humano:os estados do Nordeste são os que continuaram aocupar as nove piores colocações, enquanto os estadosdo Norte permaneceram nas sete piores colocaçõesseguintes.Ressalte-se, no entanto, que o IDH é umindicador de natureza estrutural, por isso poucosujeito a alterações no curto prazo. Nessa perspectiva,importa analisar as tendências dos IDH regionais, querevelam o processo de redução das desigualdades nograu de desenvolvimento humano entre as regiões,movimento que se manteve em 2006 e 2007.Considerando o período de 1991 a 2007,a região Nordeste registrou o maior crescimentodo indicador, 24,6%, seguindo-se a região Norte,16,7%, enquanto no Centro-Oeste, Sul e Sudesteas expansões atingiram 14,6%, 13% e 12,5%,respectivamente, conforme registrado no Grá
co 1.A evolução da diferença entre o IDH do paíse das regiões Nordeste e Norte encontra-se no Grá
co2, que evidencia o processo de melhora acentuada doindicador do Nordeste, enquanto o relativo ao Nortevem se elevando em ritmo próximo ao do país.Outra evidência da redução entre as diferençasde qualidade de vida nas distintas regiões constitui-sena continuidade do recuo do coe
ciente de variaçãodos componentes do IDH, a cada ano, dentre asunidades da federação, como pode ser visualizadono Grá
co 3. No mesmo grá
co, observa-se que até1996 as maiores disparidades entre as unidades dafederação eram observadas na dimensão educação. Apartir de 1997, a dispersão da dimensão econômicapassa a preponderar, não por ter aumentado, maspor ter apresentado menor redução que a dimensão
0,000,020,040,060,080,100,120,14199119931995199719992001200320052007IDH educaçãoIDH longevidadeIDH renda
Gráfico 3 – Evolução do coeficiente de variação doscomponentes do IDH
0,000,020,040,060,080,100,120,14199119931995199719992001200320052007Brasil x NordesteBrasil x NorteFontes: PNUD (1991/2005) e Banco Central (2006/2007)
Gráfico 2 – Evolução das diferenças dos IDHGráfico 1 – Evolução dos IDH regionais
0,600,650,700,750,800,85199119931995199719992001200320052007NordesteNorteCentro-OesteSudesteSulFontes: PNUD (1991/2005) e Banco Central (2006/2007)90100110120130140150199119931995199719992001200320052007IDH educação IDH longevidadeIDH renda1991=100
Gráfico 4 – Evolução dos componentes do IDH –Brasil
Fontes: PNUD (1991/2005) e Banco Central (2006/2007)
 
Janeiro 2009
|
 
Boletim Regional do Banco Central do Brasil
 
|
 
93
educação. Ao
nal do período, é possível constatarmaior homogeneidade, entre as unidades dafederação, nas dimensões educação e longevidadeque na dimensão econômica.A evolução, no Brasil e nas cinco regiões, doscomponentes que integram o IDH pode ser avaliadanos Grá
cos 4 a 9, em que se observa que a dimensãoeducação cresceu mais do que as demais em todas asregiões, com comportamento relativamente regulare aceleração do crescimento em 2007. O aumento,desde 1991, foi mais elevado no Nordeste, 41%,e no Norte, 30%, favorecidos, entre outros, pelosprogramas assistenciais públicos. O crescimento nasdemais regiões situou-se em torno de 20%A dimensão que apresentou evolução maisregular foi a longevidade, que se elevou de modoaproximadamente linear em todas as regiões. Essadimensão expandiu-se mais no Nordeste, 18% noperíodo considerado, possivelmente por ser a maisde
ciente e, por isso, apresentar ganhos marginaismaiores. Nas demais regiões, a expansão situou-seem torno de 11%.A dimensão renda também apresentoucrescimento ao longo do período, mas de modomais irregular. Entre 1995 e 2003, esse componentemanteve-se estagnado no Nordeste, no Sul e noCentro-Oeste, e apresentou retração no Norte e noSudeste, passando a mostrar trajetória ascendentea partir de então. No período de 1991 a 2007, ocomponente renda cresceu 14,1% no Nordeste, 10,5%no Centro-Oeste, 10,4% no Sul, 6,9% no Norte e6,7% no Sudeste.Com relação à participação de cadacomponente para o crescimento do IDH regional, oGrá
co 10 revela que, de 1991 a 2003, o componenteeducação destacou-se por sua maior contribuição paraa expansão do IDH em todas as regiões, explicandomais da metade do crescimento do índice, enquantoo componente renda apresentou contribuição maismodesta – menos de um quinto no Sul e em torno deum décimo nas demais. A universalização do acessoao ensino fundamental, bem como o expressivocrescimento da oferta de vagas no ensino médio esuperior concorrem para explicar esses resultados.
90100110120130140150
199119931995199719992001200320052007
IDH educação IDH longevidadeIDH renda
1991=100
Gráfico 5 – Evolução dos componentes do IDH –Norte
Fontes: PNUD (1991/2005) e Banco Central (2006/2007)90100110120130140150199119931995199719992001200320052007
IDH educação IDH longevidadeIDH renda
1991=100
Gráfico 6 – Evolução dos componentes do IDH –Nordeste
Fontes: PNUD (1991/2005) e Banco Central (2006/2007)90100110120130140150199119931995199719992001200320052007
IDH educação IDH longevidadeIDH renda
1991=100
Gráfico 7 – Evolução dos componentes do IDH –Centro-Oeste
Fontes: PNUD (1991/2005) e Banco Central (2006/2007)
90100110120130140150
199119931995199719992001200320052007
IDH educação IDH longevidadeIDH renda
1991=100
Gráfico 8 – Evolução dos componentes do IDH –Sudeste
Fontes: PNUD (1991/2005) e Banco Central (2006/2007)

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->