Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
13Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
CONCURSOS

CONCURSOS

Ratings: (0)|Views: 288|Likes:
Published by karla geanne

More info:

Published by: karla geanne on Jun 29, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/09/2010

pdf

text

original

 
Central de Concursos / Degrau Cultural Conhecimentos Bancários - 1
Complemento de Conhecimentos Bancários - Cód.: 0419
1. ESTRUTURA DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONALAspectos Legais
A estrutura atual do Sistema Financeiro Nacional (SFN)foi criada essencialmente pelas seguintes leis:
Lei 4.595/64 -
 
Lei da Reforma do Sistema FinanceiroNacional (SFN)
- a qual ficou conhecida como a “
Lei da Reforma Bancária
”.
Lei 4.728/65 - Lei do Mercado de Capitais
- a qual disciplinou basicamente o funcionamento dasBolsas de Valores e Bancos de Investimentos.
Lei 6.385/76 - Lei da Comissão de Valores Mobiliários (CVM)
- a qual criou e disciplinou o funcionamento da Comissãode Valores Mobiliários (CVM).
Mercado Financeiro e Mercado de Capitais
O termo “mercado” pode ser entendido como umprocesso pelo qual existem pessoas interessadas emvender produtos ou serviços para outras pessoas.No Sistema Financeiro Nacional (SFN) ocorre o mesmoprocesso de oferta e demanda (procura). Entretanto, éimportante fazermos distinção, desde já, de dois tiposde “intermediação financeira”:
a) Intermediação Financeira Direta
Agentes Superavitários 
:
depositam ou aplicam
seusrecursos em uma “Instituição Financeira”. Exemplos:Depósitos à Vista (contas-correntes), Depósitos a Prazo(CDB – Certificado de Depósito Bancário, RDB – Recibode Depósito Bancário, Letra de Câmbio,..) e Poupança.
Agentes Deficitários 
:
tomam
estes recursos na forma de“Operações de Crédito”. Exemplos: Empréstimos emConta (sem destinação específica), Financiamentos,Títulos Descontados (Duplicatas, Cheques, NotasPromissórias,..) e Leasing, entre outros.
b) Intermediação Financeira Indireta
Agentes Superavitários 
:
adquirem
como um investimento“Títulos de Crédito Mobiliários” (ex.: Ações e Debêntures),
 
viaBolsa de Valores (Bolsa de Valores de São Paulo - Bovespa)e Mercado de Balcão (Organizado e Não Organizado).
Agentes Deficitários 
:
tomam
estes recursos na forma detítulos de crédito, inclusive abrindo a possibilidade departicipação de novos acionistas no seu “Capital Social”.
Definição de Mercado Financeiro
São as Instituições Financeiras que realizam operaçõesde “intermediação financeira direta” (em mercados como:monetário, mercado de crédito e mercado de câmbio).
Definição de Mercado de Capitais
São as Instituições Financeiras ou Não Financeiras(Auxiliares, Equiparadas) que realizam operações deintermediação financeira indireta.
Conceito de Instituição Financeira
São as que realizam o processo de “intermediaçãofinanceira direta”.Principais tipos de instituições financeiras: BancosComerciais (BC), Bancos Múltiplos (BM), Bancos deInvestimentos (BI), Caixa Econômicas (CE), Sociedadesde Crédito, Financiamento e Investimentos (SCFI,conhecidas como “Financeiras”), etc.Para compensar o risco assumido pelas operações decrédito fornecidas a terceiros, dos recursos captados deseus clientes correntistas, aplicadores e/ou poupadores,os bancos são remunerados por uma diferença de taxasdenominada “
Spread
” (diferença da taxa de captação derecursos fornecida pelo banco versus a taxa de aplicaçãodestes mesmos recursos pelo banco).
Conceito de Sistema Financeiro Nacional
Conjunto de instituições financeiras ou não financeirasque utilizam instrumentos financeiros e/ou de capitaisespecíficos para captação e aplicação de recursos,propiciando um fluxo regular de recursos entre agentessuperavitários (ou poupadores, aplicadores) e deficitários(ou tomadores) de recursos financeiros (moeda).
Observações
:
1.
 
Ministério da Fazenda (MF
)O Conselho Monetário Nacional (CMN), quanto oConselho Nacional de Seguros Privados (CNSP) e oConselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacionalsão órgãos vinculados ao Ministério da Fazenda (MF).
2.
 
Autoridades Monetárias
O Banco Central do Brasil (BACEN) e o ConselhoMonetário Nacional (CMN) são considerados “AutoridadesMonetárias” porque o primeiro é responsável pelaemissão de moeda (papel-moeda e moedas metálicas)(art. 164, da CF) e o segundo, pela autorização daquantidade a ser emitida. Quem fabrica, em caráter de
“QUADRO GERAL DE INSTITUIÇÕES DO SFN”
Vinc/Fiscalizados
 
Normativas (1)
(só deliberam
)
- Conselho Monetário Nacional (
CMN
) “(“Autoridade Monetária”)- Conselho Nacional de Seguros Privados (
CNSP
)- Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional (
CRSFN)
MFMFMF
Supervisoras (2)
(Fiscalizadoras)(Autarquias Especiais)- Banco Central do Brasil (
BACEN
) (“Autoridade Monetária”)- Comissão de Valores Mobiliários (
CVM
) (Autoridade de Apoio)- Superintendência de Seguros Privados (
SUSEP
) (Autoridade de Apoio)- Superintendência Nacional de Previdência Complementar (
PREVIC
) (Idem)CMNCMNCNSPMPS
Inst.Fin. Monetárias (3)
(“Operadoras”)
Operam a conta “Depósitos à Vista
” (Contas-Corrente de clientes).- Bancos Comerciais (BC)- Bancos Múltiplos com “Carteira Comercial”- Caixas Econômicas (CE) e Caixa Econômica Federal (CEF)- Cooperativas de Crédito (CC) e Bancos Comerciais Cooperativos (BCo)
Importante
: estas instituições criam, através de operações crédito, novos depósitosdenominados de
“Moeda Escritural 
”. Para evitar um crescimento brutal dessa moeda,o que prejudicaria o controle da inflação, o Conselho Monetário Nacional (CMN)instituiu um recolhimento compulsório de parte ou total dos recursos captados.BACEN
Inst.Fin. Não-Mon. (4)
(“Operadoras”)
Não podem receber Depósitos à Vista-
Bancos de Investimentos (BI)- Bancos Múltiplos com as seguintes Carteiras: (exceto Comercial)- Investimentos- Desenvolvimento (só setor Público)- Financeiras- Crédito Imobiliário- Arrendamento Mercantil (Leasing)- Sociedades de Crédito ao Microempreendedor (SCM)- Bancos de Desenvolvimento (BD) (ex.: BNDES)- Sociedades do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE): Sociedadesde Crédito Imobiliário (SCI) Associações de Poupança e Empréstimo (APE) eCompanhias Hipotecárias (CH)BACEN e CVMBACEN e CVMBACENBACENBACENBACENBACENBACENBACEN e CEF
Instit. Auxiliares (5)
(“Operadoras”)
Auxiliam ou participam no processo de intermediação de “Valores Mobiliários”
- Sociedades Corretoras de Títulos e Valores Mobiliários (SCTVM)- Sociedades Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários (SDTVM) (inclusive deMercadorias e Câmbio)- Agentes Autônomos de Investimentos (“Pessoas Físicas ou Uniprofissionais”)- Bolsas de Valores, Mercadorias e Futuros (Bovespa, BVRJ, BM&F,..)
Outras Sociedades ou Representações Estrangeiras
- Agências de Fomento ou Desenvolvimento (uma por Unidade Federativa)- Escritórios de Representação Estrangeira
Observações
:1.
SCTVM
- Operam com exclusividade nos pregões das Bolsas (eletrônicos e viva-voz).Recentemente a Bovespa acabou com “Pregão Viva-Voz”. Necessitam de autorizaçãopara o seu funcionamento do Bacen e também da CVM.2.
Leasing (Arrendamento Mercantil)
– são consideradas Instituições Auxiliares,mesmo quando integrantes da carteira de um “Banco Múltiplo”.BACEN e CVMBACEN e CVMCVMCVMBACENBACEN
Adm. Rec. de Ter. (6)
(“Operadoras”)(- Fundos Mútuos de Investimentos- Clubes de Investimentos- Carteiras de Investidores Estrangeiros- Administradoras de Consórcios.CVMCVMCVM E BACENBACEN
Entidades CompensaçãoLiquidação e Custódia(7)
(“Operadoras”)(“Participam SPB”)
 “Clearing Houses ou Câmaras de Compensação”
(exemplos)
-
SELIC – Sistema Especial de Liquidação e Custódia- CETIP – Central de Custódia e de Liquidação de Títulos- Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia – CBLC- Clearing House da BM&F (Departamento da BM&F)- Compe (Compensação de Cheques e Outros Papéis) (Executor: Bco do Brasil) et.c.BACENBACENCVMCVMBACEN E BB
Prev. Complementar (8)
(“Operadoras”)
 Autorizadas e Fiscalizadas pela PREVIC
(ex - SPC da Presidência da República)- Entidades de Previdência Complementar Fechadas
Autorizadas e Fiscalizadas pela SUSEP
- Entidades de Previdência Complementar AbertasMPSCNSP
Seguros, Capitalização eResseguros (9)
(“Operadoras”)
 Autorizadas e Fiscalizadas pela SUSEP
- Companhias Seguradoras- Sociedades de Capitalização- Sociedades Administradoras de Seguro-Saúde
Instituto de Resseguros do Brasil (IRB)
- Resseguros, Cosseguro e RetrocessãoCNSP ANSCNSP
BNDES, CEF, BB, BASABNB (10)
- Bco de Desenvolvimento (Ex-Autarquia Federal) (Empresa Pública): BNDES- Autoridades de Apoio: Bco do Brasil (BB), CEF, Bco do Nordeste (BNB) e BASAMin.Des Ind CBACEN
 
2 - Conhecimentos Bancários Central de Concursos / Degrau Cultural
exclusividade, é a Casa da Moeda – CMB (empresapública, criada pela Lei 5895/73).
3.
 
Autarquias
O
BACEN, CVM, SUSEP e PREVIC 
são “Autarquias emRegime Especial”.A definição de Autarquias (baseada no DL 200/67) é a seguinte:“Autarquias Comuns” – é um serviço autônomo, criado porlei, com personalidade jurídica, patrimônio e receitas própriaspara executar as atividades típicas da Administração Pública(“Administração Indireta”), que requeiram, para seu melhorfuncionamento, gestão administrativa e financeiradescentralizada (“
mera vinculação
”).“Autarquias de Regime Especial” - é aquela assimqualificada por sua lei de criação, em virtude decaracterísticas especificas a ela atribuídas, que lheconferem uma
autonomia excepcional
, incomum, o que,então, nessa medida, a diferencia das autarquiascomuns. Este tipo de Autarquia de Regime Especial temsido utilizada, particularmente, com vistas àpossibilidade de estabelecimento, para ela, de
quadropróprio de pessoal, diferenciado
, melhor adaptado àscaracterísticas das atividades que lhes são atribuídas.
4.
 
Sociedades Anônimas
Os bancos são, por definição legal, constituídos juridicamente como “Sociedades Anônimas”, ou seja,pessoas jurídicas cujo capital divide-se em ações delivre negociabilidade, limitando-se a responsabilidadede seus acionistas ao preço pago ou subscrito.A lei que rege as Sociedades Anônimas é a Lei 6.404, de15 de dezembro de 1976.É a lei de direito societário mais importante do país.Toda empresa S.A. tem fins lucrativo e, não importandoseu “objeto social”, é considerada como empresa mercantil.Seus atos constitutivos são registrados na Junta Comercialdo Estado, aonde pertence à sede do banco.As empresas S.A. podem ter seu “
Capital Aberto ou Fechado
”.Se, a empresa for de “Capital Aberto”, ou seja,Companhia Aberta pela Lei das S.A., pode negociar suasações (preferenciais e ordinárias) na Bolsa de Valores(Bovespa), passando, a partir daí, ser credenciadas efiscalizadas pela CVM quanto às informações divulgadasem Balanços e fatos relevantes de sua vida empresarial.
A idéia primordial da S.A. (e de criação da “CVM”)
é ade tentar proteger, de todas as formas jurídicas, osacionistas minoritários, detentores em sua maioria degrande parte das ações preferenciais emitidas pelasdas empresas, seja para aumento de capital ou vendade parte de seu capital social.Toda S.A. tem que ter seu Estatuto Social aprovado oualterado pelas Assembléias Gerais, que são consideradaso poder maior da Cia. (existem os seguintes tipos deAssembléias: Geral, Ordinárias, Extraordinárias e Especiais).É obrigatório para a S.A. de Capital Aberto constituir umConselho de Administração.
5.
 
Sociedades de Economia Mista
São entidades que têm capital público e privado, mas ocontrole acionário está na mão do governo. (ex.: Bancodo Brasil, IRB – Instituto de Resseguros, Banco doNordeste do Brasil – BNB e Banco da Amazônia – BASA)
6. Factoring (“Fomento Comercial”)
As Sociedades de Fomento Mercantil (“Factoring”) nãosão consideradas instituições financeiras ou auxiliares.A Factoring não pode captar dinheiro e emprestá-lo a juros. Esta atividade é típica de Banco, sujeitando-se aFactoring a processo administrativo pelo Bacen eprocesso criminal (Resolução 2.144/95 e art. 44 da Lei4.595/64).As Factorings prestam serviços e compram créditos(direitos) da empresas mercantis (não podem comprarde pessoas físicas) decorrentes de suas vendas a prazo.É uma
compra definitiva (“pro soluto”)
em que elaassume os riscos de insolvência dos créditos adquiridos.Constatada, porém, a fraude na compra do crédito, aFactoring tem todo o direito de agir contra a sua empresacliente. Portanto, são entidades de crédito
fora do âmbitode fiscalização direta
do Bacen.
7.
 
Sigilo Bancário x Crimes de Lavagem de Dinheiro xSonegação Fiscal
A Lei 9613/98 e a Lei Complementar de 105/01 disciplinarama lavagem de dinheiro e em que casos pode haver a“quebra de sigilo bancário” de pessoas físicas ou jurídicas.Para efeito destas leis,
serão consideradas
instituiçõesfinanceiras”
as seguintes entidades, quando houverindícios ou constatação de crimes de lavagem dedinheiro e sonegação fiscal:a) Entidades de Liquidação, Compensação e Custódiasde Valores (exemplos: Cetip, Selic, Compe, CBLC,Clearing Houses da BM&F,..);b) Administradoras de Cartões de Crédito;c) Bolsas de Valores, de Mercadorias e Futuros; ed) Companhias de Factoring (Fomento Comercial).
8.
 
Seguradoras, Capitalização e Bolsas de Valores
O
 
§ 1º, art. 18, da Lei 4.595/64 estabeleceu: “Além dosestabelecimentos bancários oficiais ou privados, dassociedades de crédito, financiamento e investimentos,das caixas econômicas e das cooperativas de crédito oua seção de crédito das cooperativas que a tenham,também subordinam-se às disposições e disciplinadesta lei no que for aplicável, as
bolsas de valores,companhias de seguros e de capitalização
, associedades que efetuam distribuição de prêmios emimóveis, mercadorias ou dinheiro, mediante sorteio detítulos de sua emissão ou por qualquer forma, e aspessoas físicas ou jurídicas que exerçam, por contaprópria ou de terceiros, atividade relacionada com acompra e venda de ações e outros quaisquer títulos,realizando nos mercados financeiros e de capitaisoperações ou serviços de natureza dos executados pelasinstituições financeiras.
9.
 
Investidores Institucionais
Não compõem uma instituição em si, mas constituem um
Grupo de Investidores
” que têm seus limites de aplicaçõesfinanceiras oriundos de captação de recursos ou paragarantir reservas técnicas regulados pelo CMN e Bacen.São entidades consideradas como “InvestidoresInstitucionais” por lei: Seguradoras, Fundos Mútuos deInvestimentos e de Previdência Complementar.
10.
 
Agentes Autônomos de Investimentos
São pessoas naturais (físicas) ou jurídicasuniprofissionais, que têm como
atividade principal
adistribuição e mediação de títulos, valores mobiliários,quotas de fundos de investimento e derivativos, sempresob a responsabilidade e como
prepostos
dasinstituições integrantes do sistema de distribuição devalores mobiliários, isto é: Sociedades Distribuidoras ouCorretoras de Títulos, Valores Mobiliários ou Mercadoriase Bancos de Investimentos ou de Administração deRecursos de Terceiros, os denominados Fundos Mútuosde Investimento. São supervisionados pela Comissão deValores Mobiliários (Resolução do CMN 2.838, de 2001).
 
Central de Concursos / Degrau Cultural Conhecimentos Bancários - 3
Para o exercício da sua atividade, o agente autônomo deve
:- ser julgado apto em exame de certificação organizadopor entidade autorizada pela CVM;- distribuição e mediação nos mercados de
derivativosdependem
, ainda, de aprovação em
outro exame maisespecífico,
que avalie o respectivo conhecimento sobreo funcionamento e os riscos inerentes a esses mercados;-
abster-se
de receber ou entregar aos investidores, porqualquer razão, numerário, títulos, valores mobiliáriosou quaisquer outros valores, que somente devem sermovimentados por meio de instituições financeiras e dosistema de distribuição de valores mobiliários.
11
.
Banco do Brasil (BB) e Banco Nacional deDesenvolvimento Econômico e Social (BNDES)
Conforme o art. 1º, Lei 4.595/64, o “Sistema FinanceiroNacional”, estruturado e regulado por esta Lei, será constituídotambém do Banco do Brasil S. A (
Autoridade de Apoio
, ex-Autoridade Monetária até 1986, pois emitia moeda atravésde uma conta denominada “Conta-Movimento”) e do BancoNacional do Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES(
Autoridade de Apoio
, ex-Autarquia Federal criada em 1952e, atualmente, empresa pública federal).Atualmente o BB é órgão executor do Serviço deCompensação de Cheques e Outros Papéis (reguladopelo Bacen) e incentivador do governo para operaçõesde câmbio e crédito rural.
12.
 
Caixa Econômica Federal (CEF)
Fundada em 1861, pelo Imperador Dom Pedro II, a CEFpassou a ser empresa pública, dotada de personalidade jurídica de direito privado, com patrimônio próprio eautonomia administrativa, vinculada ao Ministério da Fazendae subordinada ao CMN e Bacen pelo Decreto-Lei 759/69.O referido Decreto-Lei centralizou as 23 CaixasEconômicas Federais existentes à época na CEF.Em 1986, com extinção do BNH – Banco Nacional daHabitação e assunção de suas atribuições pela CEF, a CEFpassou a ser a gestora do Sistema de Crédito Imobiliário.A CEF é uma
Autoridade de Apoio
e maior Banco Socialdo país (Gestora do FGTS, Pis, Seguro Desemprego eoutros programas sociais).Por ser gestora do Sistema de Crédito Imobiliário éconsiderada também uma espécie de “Autarquia Financeira”.
13.
 
Banco da Amazônia (BASA) e Banco do Nordeste doBrasil (BNB)
São dois importantes bancos da região norte e nordestedo país, respectivamente, atuando como bancos dedesenvolvimento regionais. Eles operam programa deincentivos fiscais, como por exemplo: Finam e Finor(órgãos Sudam e Sudene). Por este tipo de atuação, sãoconsiderados Autoridades de Apoio.
14. Instituições Financeiras Monetárias e Não Monetárias
A diferença principal está em que as primeiras recebemdepósitos à vista (contas-correntes) e as outras não.Instituições Financeiras Monetárias: bancos comerciais,bancos múltiplos com carteira comercial, caixas econômicas,cooperativas de crédito e bancos comerciais cooperativos.
15. Mercado Monetário
:Guardada a importância econômica e relevante de cadatipo de mercado, o mercado monetário, com suaspolíticas implementadas pelas Autoridades Monetárias(CMN e Bacen), é sem dúvida o que mais afeta asdecisões, no
dia a dia
, de qualquer pessoa ou empresa.Muito embora não consigam interferir
diretamente
nocotidiano das pessoas, para aumentar ou diminuir o nívelde consumo das mercadorias, produtos e serviços, oGoverno Federal, nestes últimos anos, especializou-seem alguns instrumentos de controle e política monetária:
Open Market
Compra e venda compromissada para recompras erevendas de títulos públicos (ou títulos de emissãoprópria em estoque na Instituição participante).
Recolhimento Compulsório
Recolhimento percentual sobre VSR – Valores Sujeitosa Arrecadação Compulsória (Contas de Depósitos,Arrecadação de Tributos,..)Visa diminuir o volume de operações de créditoconcedidas aos clientes e atenuar o efeito multiplicadorda “Moeda Escritural”.“Moeda Escritural” - criada pelas simples multiplicaçãodas operações de crédito, produzindo em termoseconômicos uma moeda artificial, sem lastro.
Redescontos e Empréstimos de Assistência à Liquidez
Empréstimos concedidos pelo Bacen paranecessidades urgentes de curto prazo ou situação deliquidez não muito favorável.
Meios de Pagamentos, Base Monetária e ConceitoAutorizado para Controle da Inflação dos Preçosa) Meios de Pagamentos e Base Monetária: (graus deliquidez)
- M1: Moeda em Circulação + Depósitos à Vista (moedaescritural) (“Base Monetária”)- M2: M1 + Depósitos a Prazo remunerados- M3: M2 + Cotas de Fundos de Renda Fixa e Open Market(Operações Compromissadas)-M4: M3 + Títulos Públicos (Federais, Estaduais eMunicipais)
Notas
:- o conceito M1 a M4 envolve ativos monetários (M1) eativos não monetários (M2 a M4).- durante o Plano Collor existiu o M5 (M4 + Cruzadosretidos no Bacen).- todos os conceitos aqui apresentados são considerados soba ótica do aplicador de recursos, para evitar dupla contagem
b) Metas Inflacionárias (
Inflation Targeting 
) (a partir dosegundo semestre/99)
Sua sistemática foi determinada por DecretoPresidencial e serve como uma “
diretriz mestre
dapolítica monetária a ser perseguida pelo País.O Banco Central, juntamente com o
COPOM,
tem a obrigaçãode usar todos os instrumentos necessários para obtençãodo percentual destas metas de inflação, procurandoassegurar um “crescimento econômico sustentado”.As metas para cada ano são definidas pelo CMN, porproposta do Ministro da Fazenda, e autorizada pelo PoderExecutivo e Legislativo (Senado).
O índice escolhido para referência da inflação a sermedida é o IPCA do IBGE
A meta de inflação definida pelo CMN tem intervalo detolerância de 2% para cima ou para baixo para cada ano.O estabelecimento da sistemática de “metasinflacionárias” provocou mudanças no funcionamentodas reuniões do “COPOM”: passaram de 10 para 12mensais ao ano (a partir de 2006 serão a cada 45 dias), já que a Autoridade Monetária tem que produzir e divulgarao público, a cada três meses (trimestre civil), um

Activity (13)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads
poetahot69 liked this
rogerioic liked this
maiaodonto liked this
manoserlly liked this
julianamfc liked this

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->