Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
76Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Física - Trabalho

Física - Trabalho

Ratings:

5.0

(2)
|Views: 50,534|Likes:

More info:

Published by: Física Concurso Vestibular on Jun 30, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, DOC, TXT or read online from Scribd
See More
See less

05/31/2013

pdf

text

original

 
UNIDADE VI: Trabalho e Energia Mecânica
 
6.1- Introdução
Embora não se tenha uma definição de energia, podemos dizer que a presença de energia implica apossibilidade de produzir movimento. A energia que uma pessoa armazena ao alimentar-se, por exemplo,possibilita o funcionamento de seus órgãos, permite que ela se movimente e mova outros corpos. A energia doscombustíveis usados nos automóveis também possibilita seus movimentos. Da mesma forma, a energia elétricaproduzida por uma bateria possibilita o movimentos de elétrons em fios condutores.É de fundamental importância o Princípio da Conservação da Energia: não se cria nem se destrói energia;o que ocorre frequentemente é a
conversão
de uma modalidade de energia em outra.Para exemplificar conversões de energia, consideremos uma mola elástica relaxada, ou seja, nãodeformada
(figura 1).
Uma mola gasta uma parcela de sua energia para comprimir essa mola. Para isso, exerce na mola uma
força
e provoca um
deslocamento
de sua extremidade: dizemos que essa força realiza um
trabalho
. Essetrabalho corresponde à energia transferida da pessoa para a mola. A
(figura 2)
representa um carrinho
C
,colocado junto à mola comprimida. Ele só não se move porque a trava
T
não permite.A mola comprimida armazena de fato energia, já que é capaz de produzir movimento. Essa energia,porém, não se manifesta, a menos que se retire a trava
T
. Por isso, a energia armazenada na mola é denominada
energia potencial
, isto é, que pode manifestar-se. O nome completo dessa energia é
energia potencial elástica
Ep
el
, porque está armazenada num corpo elástico deformado.Retirando a trava, a energia potencial da mola se manifesta: a mola se distende, exercendo uma
força
nocarrinho e produzindo um
deslocamento
. Novamente temos uma força realizando
trabalho
, e esse trabalhocorresponde à energia transferida da mola para o carrinho
(figura 3).
A energia que o carrinho adquiriu é denominada
energia cinética
(E
c
): é a energia que um corpo possuipor estar em movimento.Em um ponto qualquer entre a mínima deformação da mola e a máxima deformação da mola, teremos noproblema as duas energia juntas, a cinética referente ao movimento do carrinho e a potencial referente acompressão da mola. A soma destas duas energias chamamos de energia mecânica. [M1]É importante salientar que tanto o trabalho como as diversas formas de energia são grandezas escalares.
6.2- Trabalho de uma ForçaConstante:
Consideremos Uma força constante
F
atuando numa partícula enquanto ela sofre um deslocamento
d
, do ponto
A
ao ponto
B
. O trabalho realizado por essa força nesse deslocamento, sendo
 
θ
o ângulo entre
F
e
d
,é a grandeza escalar 
 
τ
F
, definida por: (Unidade no
SI:
joule = J)(J = N . m)
Casos particulares:
 
Se
θ
= 0 :
τ
= F . d . cos 0 = +F . d
 
Se
θ
= 180º :
τ
= F . d . cos 180º = - F . d
 
Se
θ
= 90º :
τ
= F . d . cos 90º = 0 O trabalho é
positivo
(ou motor) quando
F
atua a favor de
d
(0
 
θ
< 90º) e
negativo
(ou resistente) quando
F
atua contra
d
(90º <
θ
 
180º). Com exceção de algumas forças denominadasforças conservativas[M2],que serão estudadas mais adiante[M3][M4]
1[1]
, podemos dizer que o trabalho é positivoquando a força atua de modo a aumentar a quantidade de energia mecânica e é negativo quando ela atua demodo a fazer essa quantidade de energia diminuir.
 
EXERCÍCIOS DE APRENDIZAGEM:
1[1]
 
As forças conservativas, quando realizam trabalho, não alteram a quantidade de energia mecânica, porqueapenas convertem energia potencial em energia cinética ou cinética em potencial. Assim, a soma dessas energiasnão se modifica.
C
T(
Figura 2) Plano liso
 
Mola relaxada
 (
Figura 3) Plano lisoMola relaxada
 (
Figura 1) Plano liso
 
F
 
θ
 
d 
AB
E
m
= E
c
+ E
p
 
τ
F
= F . d . cos
θ
 
Esta conclusão é válida também para quando a força não for constante. Para se conhecer o trabalho, basta calcular a área da figura que será formada no gráfico no intervalo do deslocamento em que se queira calcular.
EXERCÍCIO DE APRENDIZAGEM:
03) O gráfico abaixo nos dá a intensidade da força que atua sobre um ponto material. Sabendo que a mesma atua namesma direção e no mesmo sentido do movimento, determine o trabalho realizado por ela no deslocamento de 0 a 10 m.
 
F(N)
 
40d(m)0 5 10
 01) Uma força
F
, constante, de intensidade 50 N, atua sobre um ponto material como se vê na figura abaixo.Calcule o trabalho realizado por essa força quando a partícula se desloca de
A
a
B
, percorrendo 10 m.
F60º
AB
 02) Um corpo de massa m = 2,0 kg é lançado sobre a superfície horizontal de uma mesa, parando após percorrer 10 m. Sendo o coeficiente de atrito entre o corpo e a mesa
µ
= 0,4 , determine o trabalho realizado pela força deatrito sobre o corpo. Adote g = 10 m/s
2
. R: - 80 J
6.3 - Cálculo do trabalho de uma força não constante:
Suponha que uma força constante esteja atuando em um corpo, paralelamente a direção do deslocamentoe no mesmo sentido do mesmo. Se construirmos um gráfico F x d , teremos:
6.4 - Trabalho realizado pela força elástica:
Quando aplicamos a uma mola uma força
F
, provocandona mesma uma determinada deformação x , verificamos que aintensidade da força é diretamente proporcional à deformaçãoprovocada.
 x 
F(Figura 4)
 
F
el
kx 
 
Axx 
(Figura 5)
EXERCÍCIO DE APRENDIZAGEM
:
04)
F
FAd
d
F(N)120 2
 
4 6 8 x(m)
R: 250 J
Na figura 4 ao lado vemos uma mola não deformada e depois ela deformadade x, que é a deformação da mola medida a partir da situação sem deformação.Como já vimos na Lei de Hooke, a intensidade da força é diretamenteproporcional à deformação da mola.F = k . x onde k é a constante elástica da mola.Para obtermos o trabalho realizado pela força elástica da mola, recorreremos aográfico força x deslocamento (Figura 5). Como a área é numericamente igual aotrabalho teremos:A =
τ
, mas A =
b h x kx k x
...222
2
= =
Conclusão: O trabalho realizado pela força elástica é dado por 
τ
=
kx
2
2
Se calcularmos a área compreendida entre o eixo
d
e a força F , que éconstante, no deslocamento entre 0 e d , teremos:A = b . hA = d . FSe fossemos calcular o trabalho diretamente utilizando a fórmula detrabalho teríamos:
 
τ
= F . d . cos
θ
- como a força é paralela ao deslocamento teremos
θ
=cos 0º = 1então
τ
= F . d
Conclusão: O trabalho é numericamente igual a área hachurada dográfico.
O gráfico ao lado representa, em função de x, os valores de
F
relativos ao deslocamento deum móvel de massa 2 kg. Nesse gráfico, valores positivos de
F
significa que a força atua nomesmo sentido do eixo, enquanto valores negativos de
F
significa que ela atua em sentidooposto ao de
x
. Calcule:a) O trabalho
τ
F
realizado pela força
F
de x = 0 a x = 8 m;b) a aceleração máxima do objeto.
R: 300 J
 
R: 300 J
 
 R: 30 J e 6 m/s
2
6.5 - Uma máquina mecânica: Conservação do Trabalho
 
τ
P
= P . d = P . h = m g h
τ
P
= P . d . cos
θ
= P . h = m.g.h
 
h
Observe que
τ
P
depende de
P
 
**
e do desnível
h
entre as posições inicial e final, mas
não depende datrajetória.
2[2]
 
EXERCÍCIO DE APRENDIZAGEM
:05) Você lança um corpo de massa 2 kg verticalmente para cima e ele atinge uma altura máxima de 5 m.Considerando g = 10 m/s
2
, determine:a) qual foi o trabalho da força peso na subida;b) qual foi o trabalho da força peso na descida;c) qual foi o trabalho total. R: a) -100 J b) 100 J c) 0
6.7 - Energia Potencial:6.7.1- Energia potencial gravitacional:
Como vimos na seção anterior, o corpo quando se encontra na altura
h
, dizemos que a força peso tem acapacidade de realizar um trabalho igual a
mgh
. Podemos então falar que o corpo quando se encontra na altura
h
ele terá uma capacidade de realizar trabalho portanto ele terá uma energia denominada de
energia potencialgravitacional
que será igual ao trabalho que o corpo poderá realizar ao cair. Portanto a energia potencialgravitacional de um corpo que se encontra a uma altura
h
do solo é dada por: Se você fizer uma força contra o peso para que o corpo suba, ele então terá uma energia potencial maior.O acréscimo desta energia será igual ao trabalho que você realizou sobre o corpo. Portanto podemos escrever que o trabalho realizado sobre o corpo é igual a variação da energia potencial sofrida pelo corpo. 
obs.
As forças conservativas quando realizam um trabalho negativo significa que a energia potencial estáaumentando. Note que no exemplo que eu dei, quando o corpo está subindo a força peso realiza um trabalhonegativo. Sendo assim o corpo ganha altura e logicamente ganhará também energia potencial. Já quando o corpoestá descendo, o peso realiza um trabalho positivo. A altura diminui e por consequência a energia potencialgravitacional também diminui.
 
*
*
O peso foi suposto uma força constante porque consideramos
uniforme
o campo gravitacional na região dodeslocamento, isto é, consideramos
g
igual em todos os pontos por onde o corpo passa. 
2
[2]
Quando o trabalho de uma força não depende da trajetória, dizemos que esta é uma força conservativa. Namecânica teremos como forças conservativas a força peso e a força elástica de uma mola.
Polia fixa
 
A
 
Fd
 
2d F FBPolia móvel2FPeso = 2F
 
6.6 - Trabalho do Peso:
Consideremos um corpo que se desloca do nível horizontal
A
ao nível horizontal
B
nas duas situações aseguir. Sendo
h
o desnível entre
A
e
B
, determinemos o trabalho
τ
P
realizado pelo peso
P
desse corpo nessedeslocamento:
θ
 
Na montagem da figura vamos considerar ideais os fios e as polias (polia ideal significapolia de massa desprezível que gira sem atrito).O ponto
A
do fio é puxado com a força de intensidade
F
e a pedra é puxada, em
B
, com força de intensidade 2
F
. Essa é a vantagem de usar a máquina descrita. Emcompensação, o ponto
A
precisa ser deslocado
2d
para que o ponto
B
se desloqueapenas
d
. Esse é o preço da vantagem citada.Os trabalhos realizados em
A
e
B
, entretanto, são iguais: Esse é o
princípio daconservação do trabalho,
que rege o funcionamento de muitas outras máquinas.
E
P
= m . g . h
τ
=
E
P
= E
 pf 
- E
Pi

Activity (76)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
David Pimentel liked this
David Pimentel liked this
arantheo liked this
Sheila Santos liked this
Nivia Costa liked this
Nivia Costa liked this
fa1978 liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->