Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
8Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Compreendendo a História da Saúde Pública

Compreendendo a História da Saúde Pública

Ratings: (0)|Views: 1,142 |Likes:
Published by dnieber
Saúde Pública, História, Enfermagem, SUS, Sistema Único de Saúde, Brasil
Saúde Pública, História, Enfermagem, SUS, Sistema Único de Saúde, Brasil

More info:

Published by: dnieber on Sep 16, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/18/2012

pdf

text

original

 
 
 
Redalyc
Sistema de Información Científica
Red de Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal
Silveira Miranzi, Mário Alfredo; Chagas de Assis, Dnieber; Resende, Deisy Vivian de;Hemiko Iwamoto, HelenaCompreendendo a história da saúde pública de 1870-1990Saúde Coletiva, vol. 41, núm. 7, 2010, pp. 157-162Editorial BolinaBrasil
 
Saúde Coletiva 
ISSN (Versión impresa): 1806-3365editorial@saudecoletiva.com.brEditorial BolinaBrasil
www.redalyc.org
Proyecto académico sin fines de lucro, desarrollado bajo la iniciativa de acceso abierto
 
Miranzi MAS, Assis DC, Resende DV, Iwamoto HH. Compreendendo a história da saúde pública de 1870-1990
 
Saúde Coletiva
2010;07 (41):157-162
157
história, política, trabalho e saúde
Compreendendo a história da saúdepública de 1870-1990
Mário Alfredo Silveira Miranzi
Dentista. Doutor em Saúde Coletiva pela UNICAMP.Docente da UFTM.
Dnieber Chagas de Assis
Enfermeiro. Especialista em Enfermagem do Trabalho.Mestrando em Atenção à Saúde da UFTM.
Deisy Vivian de Resende
Biomédica. Mestre em Medicina Tropical e Infectologia.Doutoranda em Medicina Tropical e Infectologia daUFTM.
Helena Hemiko Iwamoto
Enfermeira. Especialista em Enfermagem Médico-Cirúrgica. Mestre em Enfermagem. Doutora emEnfermagem. Docente do Mestrado em Atenção à Saúdeda UFTM.
do tempo. De suas inter-relações, originou-se a Saúde Pública
1
.Com as doenças introduzidas no país pelo colonizador noséculo XVII, a imagem do Brasil na Europa se tornou dierentedos tempos de Pedro Álvares Cabral, e os europeus passarama temer os ares e o clima da Colônia
2,3
.A guerra, o isolamento e a doença colocavam em perigoo projeto de colonização e exploração econômica das terrasbrasileiras. Eram raros os médicos que aceitavam transerir-se para o Brasil, desestimulados pelos baixos salários e ame-drontados com os perigos que enrentariam
4
.Moraes
5
relata a ausência da questão saúde na bibliografahistórica brasileira no que diz respeito às condições de vida etrabalho e aspectos institucionais, o que se pode pensar numanegligência em considerar e analisar este tema. Carvalho &Lima
6
salientam que uma orma de se aproximar dos dilemaspresentes na produção do conhecimento em ciências sociais,e da história quando a reerência é à saúde coletiva, é verif-car qual o signifcado que os trabalhos produzidos atribuemà reconstrução histórica.A proposta deste trabalho é contribuir para a reflexão sobrea história da saúde pública no Brasil, resgatando os atos re-levantes para o desenvolvimento da saúde.
RETROSPECTIVA HISTÓRICA
 A fase do Império
Em 1808, a vinda da corte portuguesa para o Brasil determinoumudanças na administração pública colonial, inclusive na áreada saúde. Como sede provisória do império lusitano e princi-pal porto do país, a cidade do Rio de Janeiro se tornou o centrodas ações sanitárias. Com elas, Dom João VI procurou oerecernova imagem de uma região que os europeus defniram comoterritório da barbárie e escravidão
3
. Para um atendimento maisconstante e organizado das questões sanitárias era necessáriocriar rapidamente centros de ormação de médicos. Assim, porordem real, oram undadas as academias médico-cirúrgicasdo Rio de Janeiro (1813) e da Bahia (1815), logo transormadasnas primeiras escolas de medicina do país.
Recebido: 12/10/2009 Aprovado: 30/04/2010Este trabalho apresenta a história paradigmática e a instalação da saúde pública no Brasil desde o período colonial atéo ano de 1990.Descritores:
Medicina social, Saúde pública, História da saúde.
 This work presents of the paradigmatic history and the deployment of public health in Brazil from the colonial perioduntil the year 1990.Descriptors:
Social medicine, Public health, History of health.
Este trabajo presenta la historia paradigmática y la instalación de la salud publica en Brasil desde el período colonialhasta el año de 1990.Descriptores:
Medicina social, Salud pública, Historia de la salud.
INTRODUÇÃO
O
s problemas que aetaram a saúde estiveram relacionadoscom a necessidade das pessoas viverem em comunidades. Aaglomeração desordenada, o ambiente de moradia, educação,trabalho e lazer afloraram como consequências ambientais deconvivência, acilmente percebidas, na orma de poluição am-biental, atmosérica, hídrica, desmatamentos e estratifcação dasociedade. O controle de doenças inecciosas transmissíveis, osaneamento, a assistência médica e o alívio da incapacidade e dodesamparo, são problemas cuja intensidade só variou ao longo
história_política_trabalho_e_saúde.indd 15726/05/10 14:24
 
158
 
Saúde Coletiva
2010;07 (41):157-162
Miranzi MAS, Assis DC, Resende DV, Iwamoto HH. Compreendendo a história da saúde pública de 1870-1990
história, política, trabalho e saúde
Na era do Iluminismo e das Revoluções(1750 a 1830), as cidades do século XVIIIeram sujas, étidas e insalubres
7
. O sanea-mento urbano era precário, as ruas estavamsujas, as águas de esgoto e reúgios domésti-cos eram arremessadas pelas portas e janelas.Animais eram abatidos em locais públicos, li-xos e entulhos acumulavam-se sobre as ruas
8
.Na segunda metade do século XVIII, omodelo de saúde predominante oi o depolítica médica aos problemas de saúde.A aplicação deste modelo aos problemasde saúde oram amplamente utilizados pe-los estados germânicos. A sujeira oi vistacomo principal onte de inecção, destaorma, acreditava-se que ambientes limposseria a maior onte de prevenção
9
.A ragilidade das medidas sanitárias le-vava a população a lutar por conta própriacontra as doenças. Em casos mais graves,os doentes ricos buscavam assistência mé-dica na Europa ou nas clínicas particula-res. As amílias evitavam internar seus parentes em hospitaispúblicos, em virtude da alta de higiene e da divisão de leitospor vários pacientes
10
. Desta orma, a aseimperial da história brasileira se encerrousem que o Estado solucionasse os proble-mas de saúde da coletividade.No fnal do século XVIII, como conse-quência do impacto do industrialismo naInglaterra, começaram a emergir as epi-demias entre os trabalhadores das novasábricas. As consequências da revoluçãoindustrial aetaram diretamente a saúdee o bem-estar dos trabalhadores, que seencontravam cada vez mais em situaçãocaótica. Havia uma relação inversa entreexpansão industrial e melhoria das condi-ções de vida e saúde, ou seja, enquantoocorria o crescimento industrial, decres-cia a qualidade de vida e as condições desaúde da população
1
.No início do século XIX, o movimentode reorma sanitária começou a se de-senvolver principalmente na Inglaterra,devido à ocorrência da Revolução Indus-trial. O Estado começa a intervir na saúde, mas o intuito erao de preservar a orça de trabalho responsável pelo desen-volvimento e crescimento do país
1
.
“A AGLOMERAÇÃODESORDENADA, OAMBIENTE DE MORADIA,A EDUCAÇÃO, O TRABALHOE O LAZER AFLORARAMCOMO CONSEQUÊNCIASAMBIENTAIS DE CONVIVÊNCIAFACILMENTE PERCEBIDASNA FORMA DE POLUIÇÃOAMBIENTAL, ATMOSFÉRICA,HÍDRICA, DESMATAMENTOSE ESTRATIFICAÇÃO DASOCIEDADE”
história_política_trabalho_e_saúde.indd 15826/05/10 14:24

Activity (8)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Anderson4626 liked this
Flávia Faria liked this
Rafael Gotardo liked this
Anderson Martins liked this
miqueiasvitorino liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->