Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
7Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Ácido acético

Ácido acético

Ratings: (0)|Views: 1,085 |Likes:
Published by fabiana-nutricao

More info:

Published by: fabiana-nutricao on Oct 01, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/14/2013

pdf

text

original

 
 
Anais do I ENDICTAnais do I ENDICTAnais do I ENDICTAnais do I ENDICT –– Encontro de Divulgação Científica e TecnológicaEncontro de Divulgação Científica e TecnológicaEncontro de Divulgação Científica e TecnológicaEncontro de Divulgação Científica e TecnológicaISSN 2176ISSN 2176ISSN 2176ISSN 2176----3046304630463046
II Jornada Acadêmica do Curso de Tecnologia em Processos QuímicosI Jornada Acadêmica do Curso de Engenharia Industrial Elétrica
Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR
campus Toledo
 
 
20 a 23 de Outubro de 2009
 
www.td.utfpr.edu.br 
31
Ministério da Educação
Universidade TecnológicaFederal do Paraná
Campus 
Toledo
 D DD D D DD D E EE E E EE ETT E EE E E EE E R RR R R RR R M MM M M MM M I  I I  I  I I  N  N N  N  N N  A AA A A AA AÇÇÇÇÇÇÇǠàÃàààÃàÃOOOOOOOO
 
 D DD D D DD DOOOOOOOO
 
TT E EE E E EE EOOOOOOOO R RR R R RR R
 
 D DD D D DD D E EE E E EE E
 
 Á ÁÁ Á Á ÁÁ ÁCCCCCCCC I  I I  I  I I  D DD D D DD DOOOOOOOO
 
 E EE E E EE E M MM M M MM M
 
VV I  I I  I  I I  N  N N  N  N N  A AA A A AA AGGGGGGGG R RR R R RR R E EE E E EE E
 
 P PP P P PP P E EE E E EE E L LL L L LL LOOOOOOOOSSSSSSSS
 
 M MM M M MM M É ÉÉ É É ÉÉ ÉTTOOOOOOOO D DD D D DD DOOOOOOOOSSSSSSSS
 
 D DD D D DD D A AA A A AA A
 
 F  F F  F  F F UU N  N N  N  N N ÇÇÇÇÇÇÇǠàÃàààÃàÃOOOOOOOO
 
 M MM M M MM MOOOOOOOO D DD D D DD D I  I I  I  I I  F  F F  F  F F  I  I I  I  I I CCCCCCCC A AA A A AA A D DD D D DD D A AA A A AA A
 
 D DD D D DD D E EE E E EE E
 
GGGGGGGG R RR R R RR R A AA A A AA A N  N N  N  N N 
 
 E EE E E EE E
 
 D DD D D DD D A AA A A AA A
 
 1 11 1 1 11 1
ªªªªªªªª 
 E EE E E EE E
 
 2 22 2 2 22 2
ªªªªªªªª 
 D DD D D DD D E EE E E EE E R RR R R RR R I  I I  I  I I VV A AA A A AA A D DD D D DD D A AA A A AA A 
Thompson Ricardo Weiser Meier; Clayton Antunes Martin
Universidade Tecnológica Federal do Paraná, rua XV de Novembro, 2191, La Salle, Toledo, Paraná, 85902-040.E-mail:thomweiser@yahoo.com 
Resumo 
O ácido acético glaci
 
al é um ácido fraco amplamente utilizado na indústria química ealimentícia, e consumido sob a forma de vinagre, que é uma solução diluída deste ácido. Paraas marcas de vinagre estudadas, a acidez total, expressa em termos de ácido acético, varioude 45,43 a 60,74 g L
-1
. A aplicação do método da função modificada de Gran para adeterminação do ponto de equivalência da titulação de amostras de vinagres, gerouresultados semelhantes aos obtidos pelo método da segunda derivada para todas as amostrasanalisadas. Em relação ao método da primeira derivada houve diferença somente para umaamostra.
Introdução 
O ácido acético é um ácido fraco, que possui uma constante de ionização (Ka) cujovalor é 1,7539 x 10-5, à 25 oC. Este ácido é amplamente utilizado pela indústria química,tanto na forma de ácido acético glacial, cujo grau de pureza é 99,8% (m/m), como emsoluções diluídas (BACCAN et al, 2001). Sua obtenção ocorre a partir da oxidação do álcooletílico ou por meio da fermentação, sob a ação de microorganismos como a Micodema aceti.A fermentação é o método empregado há séculos, para a produção do vinagre, que contémentre 4 a 7% de ácido acético. O uso de vinagre tem sido associado a diminuição dos radicaislivres ao controle da pressão arterial, controle do pH estomacal, além de seu efeitobactericida (NETO, 2008). Portanto, sendo o vinagre um produto amplamente utilizado, e de
 
 
Anais do I ENDICTAnais do I ENDICTAnais do I ENDICTAnais do I ENDICT –– Encontro de Divulgação Científica e TecnológicaEncontro de Divulgação Científica e TecnológicaEncontro de Divulgação Científica e TecnológicaEncontro de Divulgação Científica e TecnológicaISSN 2176ISSN 2176ISSN 2176ISSN 2176----3046304630463046
II Jornada Acadêmica do Curso de Tecnologia em Processos QuímicosI Jornada Acadêmica do Curso de Engenharia Industrial Elétrica
Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR
campus Toledo
 
 
20 a 23 de Outubro de 2009
 
www.td.utfpr.edu.br 
32
Ministério da Educação
Universidade TecnológicaFederal do Paraná
Campus 
Toledo
fácil comercialização, é de extrema importância que este produto esteja dentro dos padrõesexigidos pela legislação, cuja concentração mínima de ácido acético deve ser superior a 4%(BRASIL, 1990). Assim, foram utilizadas funções modificadas de Gran e os métodos daprimeira e segunda derivada para determinação do ponto de equivalência, bem como adeterminação da percentagem de ácido acético no vinagre, e, em seguida, foi comparada aeficiência destes métodos.
Desenvolvimento 
Foram adquiridos em supermercados do município de Toledo, quatro marcas devinagre de vinho tinto, sendo uma embalagem por marca. Em um béquer foram adicionados25 mL de amostra de
 
vinagre e 25 mL de água destilada. Cloreto de potássio P.A foiutilizado para ajustar a força iônica de todas as soluções em 1 mol L-1.As medidas de pH foram realizadas com um pH-metro digital Nova Orgânicam-pA 210, com precisão de 0,001 pH. O eletrodo combinado utilizado, Eltex G65-1R, écomposto de um eletrodo de vidro e um eletrodo de referência com o sistema prata/cloretode prata. As adições de titulante (hidróxido de sódio 1 mol L-1 ) foram realizadas com umabureta digital Jencar Digitrate, com capacidade de 50 mL e precisão de 10 L. Os eletrodosforam calibrados com tampões de pH 4,00, 7,00, 10,00, com força iônica ajustada em 1,0 molL-1, por meio da adição de cloreto de potássio. As titulações potenciométricas foramrealizadas em triplicata, com a temperatura sendo mantida em 25 oC ± 0,2. Os pHs foramregistrados após cada adição de 0,4 mL de titulante, até atingir pH 6,0 e a cada 0,1 mL acimadeste pH.A determinação do ponto de equivalência das titulações potenciométricas foirealizada por meio da função modificada de Gran (01), proposta por Seymor et al (1977) epelos métodos da 1a e 2a derivada. Para os cálculos da 1a e 2a derivada foi utilizado oprograma Curtipot, versão 3.4.1. Os cálculos da função modificada de Gran (FMG) e asanálises de regressão linear foram realizadas com o software Excel XP. Os resultadosobtidos foram submetidos à análise de variância e ao teste de Tukey, ao nível de 0,05 deprobabilidade, através do software SISVAR, versão 5.1.
 
 
Anais do I ENDICTAnais do I ENDICTAnais do I ENDICTAnais do I ENDICT –– Encontro de Divulgação Científica e TecnológicaEncontro de Divulgação Científica e TecnológicaEncontro de Divulgação Científica e TecnológicaEncontro de Divulgação Científica e TecnológicaISSN 2176ISSN 2176ISSN 2176ISSN 2176----3046304630463046
II Jornada Acadêmica do Curso de Tecnologia em Processos QuímicosI Jornada Acadêmica do Curso de Engenharia Industrial Elétrica
Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR
campus Toledo
 
 
20 a 23 de Outubro de 2009
 
www.td.utfpr.edu.br 
33
Ministério da Educação
Universidade TecnológicaFederal do Paraná
Campus 
Toledo
V].H[ C)K]H([)VV(])OH[]H([ VK-VK
B1o1'1
+++
+++ =
(01)onde:C
B
= concentração da solução de NaOH;K
1
= constante de ionização do ácido acético;V = volume da solução de NaOH adicionado;V
= volume do ponto de equivalência.V
o
= volume inicial da solução;
Resultados e discussão 
A concentração
 
total de ácido (expressa como ácido acético), nos vinagres estudadosvariou de 45,43 a 60,74 g L
-1
(
Tabela 1
), sendo significativamente maior (p < 0,05) para amarca D em relação às demais marcas. Estes resultados indicam que todas as marcasavaliadas, atendem à legislação brasileira, que regulamenta o teor de ácido acético emvinagres, como sendo superior a 40 g L
-1
(BRASIL, 1990).
Tabela 1.
Concentração de ácido acético e valor K
a
para as marcas de vinagre estudadasMarcas Concentração de ácido acético (g L
-1
)
 
K
a
(10
-5
)A45,43
 
± 0,40a2,83 ± 0,16B46,34 ± 0,91a2,22 ± 0,12C49,14 ± 0,11a2,44 ± 0,03D60,74 ± 2,67b1,96 ± 0,03Os valores são médias seguidas de seus respectivos desvios padrão. Letras diferentes na mesma coluna,correspondem a diferenças significativas pelo teste de Tukey ao nível de 0,05 de probabilidade.
Ao estudar diferentes marcas de vinagre português LAPA et al (1995) encontraramteores de acidez entre 48,4 e 66,5 g L
-1
. A comparação destes resultados com os obtidos nesteestudo, indica uma boa proximidade dos teores de ácidos nos vinagres brasileiros eportugueses.Os valores da constante de ionização (K
a
) obtidos a partir da equação da FMG,variaram de 1,96.10
-5
a 2,83.10
-5
(
Tabela 1
). A comparação destes valores com o valordescrito por DEAN (1999) para a K
a
do ácido acético, 1,7539.10
-5
, à 25
o
C, evidencia a

Activity (7)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
FCiências liked this
Douglas Hideki liked this
Marcos Vinícius liked this
silviaalcanfor liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->