Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
29Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Textos interrompidos para completar

Textos interrompidos para completar

Ratings:

4.71

(7)
|Views: 18,748|Likes:
Published by Helena

More info:

Published by: Helena on Jul 10, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

06/19/2013

pdf

text

original

 
 PROPOSTA DE ESCRITA EM INTERACÇÃO COM A LEITURA
 Especificação: -Textos interrompidos para completar
Os
textos que vêm a seguir, contos integrais, foram interrompidos conforme se assinala, nofim, pelo tracejado.
 
Os alunos, individualmente ou em pequenos grupos, devem construir o final de cada contonum determinado período de tempo.
 
Previamente seleccionados ou não, leiam-se à turma alguns dos textos produzidos.
 
Se for oportuno, seleccione-se um desses textos para aperfeiçoamento colectivo. Depois,proceda-se à comparação dos textos dos alunos com o final do Conto que o professor facultará à turma.
 
 
O doutor GriloO doutor GriloO doutor GriloO doutor Grilo
Passava um dia pela ponde de Coimbra um carvoeiro, com um burro carregado de carvão;e viu muitos estudantes que estavam sentados na ponte comendobolos, rebuçados e amêndoas; o carvoeiro disse para si:- Para comer coisas tão boas é preciso ser estudante; pois vou-metambém fazer estudante.Dito e feito. Vendeu o carvão e o burro na cidade, vestiu-se com assacas de carvão e foi-se sentar na ponte, a comer côdeas de pãode milho porque o dinheiro não dava para comprar bolos.Os estudantes estranharam o novo colega e perguntaram-lhe:- Ó caloiro, para que estudas tu? Ao que ele respondeu:- Estudo para adivinhão.Tinham-se passado alguns dias depois disto, quando constou que tinham roubado um tesou-ro ao rei de Portugal, e que ele premiava quem descobrisse o ladrão. Os estudantes foramentão dizer ao rei que havia um estudante que estudava para adivinhão. O rei mandou-ologo chamar ao palácio, e disse-lhe que queria ver se eleja estava muito adiantado naciência que estudava. Ora o carvoeiro chamava-se Fulano de Tal e Grilo. O rei chegou-seao pé dele com a mão direita fechada e perguntou-lhe:- Que tenho eu nesta mão?O estudante, aflito por não saber o que havia de responder, deu um ai e disse:- Ai! Grilo. Grilo, em que mão estás metido!Então o rei, que ignorava que ele se chamasse Grilo, abriu a mão e disse:-Adivinhaste; é um grilo que eu aqui tenho.O rei ficou satisfeito e o estudante ainda mais. Depois o rei, para ver se o estudante aindaadivinhava mais, mandou matar uma porca, encheu um frasco de sangue dela, e chegou-se ao estudante e perguntou-lhe:- De que é este sangue?Ao que ele, por não saber de que era, respondeu:- Aqui agora é que torce a porca o rabo. O rei respondeu:- Adivinhaste,
é
sangue
de
porca que eu tenho no frasco. E disse-lhe mais o rei:- Agora dou-te três dias para descobrires os ladrões do meu tesouro. Espalhou-se pela corteque estava no palácio um adivinhão, que ia descobrir os ladrões tesouro; e dois dos criadosdo rei foram-se ler com o estudante e disseram-lhe:- Dar-vos-emos muito dinheiro se não disserdes ao rei que fomos nós que lhe roubámostesouro.Foi o que o estudante quis ouvir; mandou logo chamar o rei e disse-lhe:
 
- Saiba Vossa Majestade que dois dos seus criados c que roubaram o tesouro.O rei, conhecedor da verdade, mandou prender os criados, e eles restituíram-lhe o lesou Dis-se então o rei ao estudante que o queria premiar muito bem, c que se deixasse estar nopala mais alguns dias. Durante esses dias sucedeu que a princesa, filha do rei, estando a jan-tar, lhe atravessou um osso nas goelas. Os médicos do palácio não se atreviam a tirar-lho e orei, foi-se ter com o estudante, e disse-lhe que o premiava muito bem se desse remédio àprincesa. O estudante mandou então deitar a princesa de bruços no chão, e começou aatirar-lhe bolas manteiga para cima dela; a princesa ria-se
e
tornava a rir até que lhe saiu oosso das goelas. Então o rei deu grandes somas de dinheiro ao estudante e disse-lhe:- Já que tanto sabes, ficas nomeado médico do hospital, e da minha real casa. Nesse tem-po andava na cidade uma grande epidemia, …Contos Tradicionais Portugueses

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->