Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
15Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Peticao Reflexao Embriaguez ao Volante

Peticao Reflexao Embriaguez ao Volante

Ratings:

4.57

(7)
|Views: 5,343 |Likes:
Estamos tentando agregar reflexões ao contexto da "Tolerância ZERO" em relação ao uso de bebida alcóolica por motorista, onde a preocupação é não perder o que se conquistou, que foi a, concreta, redução de mortes e mutilações provenientes de acidentes de trânsito.
Estamos tentando agregar reflexões ao contexto da "Tolerância ZERO" em relação ao uso de bebida alcóolica por motorista, onde a preocupação é não perder o que se conquistou, que foi a, concreta, redução de mortes e mutilações provenientes de acidentes de trânsito.

More info:

Published by: Plinio Marcos Moreira da Rocha on Jul 16, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/02/2013

pdf

text

original

 
Excelentíssimo Presidente do Supremo Tribunal Federal.Com Base na CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988, TÍTULO II - DosDireitos e Garantias Fundamentais, CAPÍTULO I - DOS DIREITOS E DEVERES INDIVIDUAIS ECOLETIVOS, Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-seaos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, àigualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes: XXXIV - são a todos assegurados,independentemente do pagamento de taxas: a) o direito de
petição aos Poderes Públicos
em
defesade direitos
ou contra
ilegalidade
ou
abuso de poder 
.Venho, mui respeitosamente,
SUGERIR
, que os seguintes aspectos sejam avaliados, quando da futura,e inevitável apreciação de INCONSTITUCIONALIDADE, das alterações da Lei 9.503, principalmentequanto ao Art. 276, Art. 277 e Art. 306, de tal forma, permitir que o Estado possa, concretamente, ser Responsável pela integridade Física, Mental e Moral de TODOS os Cidadãos.
1
o
Ponto de Reflexão:
Perigo abstrato, presumido deve ser,
no nimo
, enquadrado como
contravenção penal
, neste caso,
compatível
ao que consta no
Decreto Lei 3688
- Leis dasContravenções Penais, de outubro de 1941, CAPITULO III - DAS CONTRAVENÇÕES REFERENTES ÀINCOLUMIDADE PÚBLICA,
Art. 34
. Dirigir veículos na via pública, ou embarcações em águas públicas,pondo em perigo a segurança alheia:, quando então, chamo a atenção para o
Art. 62
. Apresentar-sepublicamente em estado de embriaguez, de modo que cause escândalo ou ponha em perigo asegurança própria ou alheia:Pena – prisão simples, de quinze dias a três meses, ou multa, de duzentosmil réis a dois contos de réis. Parágrafo único. Se habitual a embriaguez, o contraventor é
internado emcasa de custódia e tratamento
.
2
o
Ponto de Reflexão:
As estatísticas de trânsito
não me permitem
, isoladamente,
reconhecer 
que umveículo automotor guiado por um motorista alcoolizado seja, apenas e tão somente, um
perigo abstrato,presumido
, uma vez que, tais estatísticas tem valores
quantitativamente significativos
de mortes emutilações, bem como,
só não são maiores
, simplesmente pela perícia e atenção do(s) possível(eis)outros vitimados. Este entendimento, parte da premissa, de que o maior problema
não esta só
em"conduzir anormal, manobras perigosas que exponham a dano efetivo a incolumidade de outrem.", umavez que, o
perigo
tambem esta no
transparente
"reflexo retardado", algo
percebível
, apenas e tãosomente,
quando
o mesmo é
necessário
, uma vez que, estudos científicos, nos apresentam a realidadedo reflexo lento, as vezes desorientado,
causados
pela
ingestão
de bebida
alcoólica
.
3
o
Ponto de Reflexão:
O
Art. 34 associado ao Art. 62
, acima descritos,
me dão a certeza de quepossuímos Lei
, apenas e tão somente, o
Poder Constituído
, efetivamente,
NÃO Zela, NÃO Respeitae NÃO as faz cumprir 
, caso contrário, ja estaríamos
"tratamendo"
de milhares de
alcoólicos
queteimam em
não reconhecer 
sua
doença
, através da
internação COMPULSÓRIA
, quando muito, por 
interpretações menores e tendenciosas estaimpedido de agir 
.
4
o
Ponto de Reflexão:
O entendimento de que a Constituição Brasileira agregou o "
 princípio segundoo qual ninguém está obrigado a produzir prova contra si mesmo
", não só é
GRAVE,
comotambém, é
TENDENCIOSO,
pois, a
verificação
, por uma Autoridade Constituída, das
condições físicas
 
e mentais
de um Cidadão, em
Respeito à Lei
, no caso, o que conduz um veículo automotor,
não pode,e nem deve
, ser tratado desta maneira, uma vez que, o Direito Constituído
Individualde não seincriminar 
(
agregado
à Nossa Constituição - Convenção Americana de Direitos Humanos -
Artigo 8.
-Garantias Judiciais -
2.
Toda pessoa acusada de delito tem direito a que se presuma a sua inocênciaenquanto não se comprove legalmente a sua culpa. Durante o processo, toda pessoa tem o direito, em plena igualdade, às seguintes garantias mínimas:
g.
direito de não ser obrigado a depor contra si mesma, nem a declarar-se culpada;
), não lhes pode
garantir a IMPUNIDADE ao DESRESPEITO à Lei
,que tem como premissa dar 
condições ao Estado
de Zelar, Respeitar e FAZER CUMPRIR o DireitoConstituído
Coletivoà preservação da Integridade física e mental de TODOS os Cidadãos
(
NossaConstituição
TÍTULO I 
- Dos Princípios Fundamentais -
Art. 3º 
Constituem objetivos fundamentais daRepública Federativa do Brasil;
I
construir uma sociedade livre, justa e solidária
 
;
II
garantir odesenvolvimento nacional;
IV
promover o bem de todos, sem preconceitos deorigem,raça,sexo.cor,idade e quaisquer outras formas de discriminação e
agregado
à NossaConstituição - Convenção Americana de Direitos Humanos -
Artigo 5.
- Direito à integridade pessoal -
1.
Toda pessoa tem o direito de que se respeite sua integridade física, psíquica e moral 
).
5
o
Ponto de Reflexão:
A questão básica é: O Direito
Individual
pode se
sobrepor 
ao Direito
Coletivo
,quando então, devemos ressaltar o fato, concreto, de
vivermos
uma
Democracia
onde TODOS osElementos integrantes possuem
instrumentos jurídicos, consistentes
, para caracterizar abuso depoder, uma vez que, a Convenção Americana de Direitos Humanos,
voltada em especial
, aosproblemas históricos de
sistemas
de governo
autoritário
, como
ditaduras
, não pode,
em essência
, ser 
interpretada
de maneira tão
tacanha e menor 
, de tal forma, ser 
plausível, e possível
, a um criminosoa própria
IMPUNIDADE
.
6
o
Ponto de Reflexão:
Numa analogia boba, mas de relevância, e importância, compatível com aquestão situação, me pergunto
Qual
deve ser a
atitude
de uma Autoridade Constituída, frente a umapessoa, que
interpelada
sobre o seu de
porte de arma
, se
recuse
a
apresentá-lo
e se
mantemcalada
, em sintonia ao direito Constituído de "não depor contra si mesma" ?Muito embora, me pareça que a simples
NÃO
apresentação do porte de arma a coloca como, no mínimo,uma contraventora, portanto, neste caso,
sua omissão
, concretamente, a faz "
depor contra si mesma
".
7
o
Ponto de Reflexão:
Em outra analogia boba, mas de relevância, e importância, compatível a questãosituação, me pergunto
qual
deve ser a
atitude
de uma Autoridade Constituída, frente a uma pessoa, queinterpelada sobre sua
graduação como Médico
, por exemplo, uma vez que vem atuando como tal, se
recuse
a
apresentá-lo
e se
mantem calada
, em conformidade ao Direito Constituído de "não depor contra si mesma" ?Muito embora, me pareça que a simples
NÃO
apresentação da graduação a coloca como, no mínimo,uma contraventora, portanto, neste caso,
sua omissão
, concretamente, a faz "
depor contra si mesma
".
8
o
Ponto de Reflexão:
Exemplos análogos como os acima, me dão certeza de que, a
recusa
em sesubmeter a testes de alcoolemia, exames clínicos, perícia ou outro exame que, por meios técnicos oucientíficos, em aparelhos homologados pelo CONTRAN, permitam certificar seu estado, que poderãocomprovar suas condições exigíveis para condução de veículo automotor, concretamente, "
depõecontra si mesma
", quando então, podemos afirmar que, utilizando de referencial oposto, a utilização do
 
bafômetro, apenas e tão somente,
permite
ao acusado,
estabelecer 
, de imediato, a
VERDADE DOSFATOS
, logo,
elimina
toda e qualquer possibilidade de
abuso de poder 
.
9
o
Ponto de Reflexão:
Segundo Lenio Luiz Streck em seu artigo Criminal - Dever de proteção: Qual asemelhança entre o furto privilegiado e o tráfico de drogas? (Anexo I), constante da página WEBhttp://www.netlegis.com.br/index.jsp?arquivo=/detalhesNoticia.jsp&cod=42169 .A doutrina e jurisprudência entendem que o dever de proteção pode ser classificado do seguinte modo:a) o Verbotspflicht, que significa "
o dever de se proibir uma determinada conduta
";b) o Sicherheitspflicht, que significa, em linhas gerais, que o
Estado tem o dever de proteger o cidadãocontra ataques provenientes de terceiros
, sendo que, para isso, tem o dever de tomar as
medidas dedefesa
;c) o Risikopflicht, pelo qual o
Estado, além do dever de proteção, deve atuar com o objetivo deevitar riscos para o indivíduo
.Trata-se da nova concepção do direito esculpido no Estado Democrático de Direito. As lições dopassado e os fracassos do direito diante da política fizeram com que o direito assumisse um acentuadograu de autonomia. E o Direito Penal não ficou imune a essa nova perspectiva, o que pode ser percebidopela obrigação de
proteger o cidadão a partir de atitudes "negativas" e "positivas", chegando — por vezes ao limite da obrigação de criminalizar 
. E, é claro, tais circunstâncias trazemconseqüências à relação entre legislação e jurisdição.
1
o
Conclusão:
Reconheço que o
Art. 277 e Art. 306
, como estão,
agridem
a
essência
do próprioDireito, uma vez que,
o crime não é de perigo abstrato; presumido
, porem, tambem deve ser reconhecido, o fato concreto, de que a
exigência
, feita por uma Autoridade Constituída (por delegação,ou não), a que o motorista se submeta aos testes de verificações de suas condições físicas e mentais éuma
necessidade calcada no Direito Constituído (coletivo)
.
2
o
Conclusão:
Os paragrafos
§ 2
o
e
§ 3
o
do
Art. 277
da
Lei 9.503
deveriam ser 
agregados
ao
Art. 62
do
Decreto Lei 3.688
, bem como, todo
motorista alcoolizado
, que não tenha se
envolvido
em algum
acidente
, deve necessariamente, ser "
enquadrado
" nos artigos 34 e 62, ja mencionados, com todo o
Rigor da Lei
, onde, deverá ser considerado, nestes casos, em "
estado de embriaguez
" todo aqueleque
ultrapassar 
os
limites de tolerância
estipulado em Lei, para se dirigir um veicúlo automotor.
3
o
Conclusão:
Tendo em vista que muitos acidentes Evitados, ou infelizmente não, estão relacionadosdiretamente ao
perigo transparente
do "reflexo retardado", algo
percebível
, apenas e tão somente,
quando
o mesmo é
necessário
, bem como, que o
dever de proteção constitucional
, exige quese faça alguma coisa, minha intuição diz, que a
criminalização
, neste caso, esta respaldada nas
milhares de mortes e mutilações
, que ocorrem anualmente no Brasil. Quando então ressalto
Estado, para cumprir com o seu dever de proteção, deve empregar medidas suficientes de caráter normativo e material, que permitam alcançar — atendendo à contraposição de bens jurídicos —uma proteção adequada, e como tal, efetiva (Untermassverbot). (...)
", acrescentando que "
Já nãoé novidade, no Brasil, a incidência do princípio da proibição de proteção insuficiente
"
.

Activity (15)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Joao Morais liked this
edanfi liked this
edanfi liked this
Pablo Plínio liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->