Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
48Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Peça - Pequena História do Brasil

Peça - Pequena História do Brasil

Ratings:

4.5

(2)
|Views: 31,145|Likes:
Published by miltonfucci
TEATRO
TEATRO

More info:

Published by: miltonfucci on Jul 22, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, DOC, TXT or read online from Scribd
See More
See less

01/29/2014

pdf

text

original

 
Pequena História do Brasil 502 anos em 52 minutosde Tuna Serzedello
Comédia em 3 partes
A Colônia(ou Assim é se lhe parece)
ATRIZ 1 - BrasileirosATRIZ 2- E Brasileiras…ATRIZ 1 - Minha Gente !ATRIZ 2 - Meus amigos!ATRIZ 1e 2 - Povo Brasileiro.ATRIZ 2- Estamos aqui para com alegria, representar para vocês, os 500 anos daHistória do Brasil.ATRIZ 1 - Para isso poderíamos contar com os recursos deste instrumento teatral.(enumerando recursos) Cenário.ATRIZ 2 – Não tem.ATRIZ 1 – Figurinos.ATRIZ 2 – Não tem.ATRIZ 1 – Atores globais.ATRIZ 2 – Não tem.ATRIZ 1- Patrocínio.ATRIZ 2 - Também não tem.ATRIZ 1- Portanto, convidamos o seleto público a imaginar, abstrair e acreditar queestas 2 parcas atrizes (atores), possam realmente, e em apenas 52 minutostransformarem-se ora em nobres portugueses.ATRIZ 2 - (transformando-se a pedido da outra) Olá como vai?ATRIZ 1 - Ora em heróis da nossa História, assim como Tiradentes .ATRIZ 2- Tiradentes ...(pensa) Ah, já sei ! Adoro cafezinho e pãozinhodequeijo!Inconfidência mineira ou morte!ATRIZ 1 - Não é nada disso. Para desfazer esta e outras confusões históricas,começaremos a saga deste Brasilzão pelo Descobrimento, e a fase de nossa Históriachamada Colônia. Passo a palavra a Pero Vaz de Caminha, escrivão mor da esquadrade Pedro Alvares Cabral. (sai de cena)ATRIZ 2/PERO VAZ - “A feição deles de é de seres pardos, maneira d’ avermelhados’de bons rostos e bons narizes, bem feitos, andam nus, sem nenhuma cobertura, nemestimam nenhuma cousa cobrir nem mostrar suas vergonhas. E estão a cerca dissocom tanta inocência como tem em mostrar o rosto.”ATRIZ 1 – (como índio) Mim ser tupi guarani.ATRIZ 1 e ATRIZ 2 trocam presentesATRIZ 2- Índio um espelhinho para ti.ATRIZ 1 – Espelhinho. Hum.ATRIZ 2- Índio, dá-me pau-brasil.ATRIZ 1- Espelhinho. Toma pau-brasil. Hum.ATRIZ 2- Índio, dá-me mais pau-brasil.
Pequena História do Brasilde Tuna Serzedello
1
 
ATRIZ 1- Espelhinho. Toma mais pau-brasil. Hum.ATRIZ 2- Índio, dá-me todo pau-brasil.ATRIZ 1- Espelhinho. Vai toma no.. Hum.ATRIZ 2 – Ai meu Deus do céu. Índio, preciso ensinar a você sobre a palavra deDeus.ATRIZ 1 - Deus ? (senta-se)ATRIZ 2 - Não sentes em minha terra índio selvagem. Veja seu índio a carta querecebi do rei de Portugal.(lendo uma carta) “ E eu rei de Portugal concedo a você umquinhão de terras ao litoral deste imenso continente , que após a sua morte pertenceráao seu filho.ATRIZ 1- Espelhinho. Filho dele? Hum.ATRIZ 2- “E a este quinhão de terra chamarei de Capitania Hereditária”ATRIZ 1 - (não mais como índio, fala com o público) E assim a coroa portuguesadividiu a nossa costa em 15 capitanias hereditárias, transferindo para seus donos odever de proteger a costa, e criando uma alternativa de comércio para o Oriente.ATRIZ 2 - Cala a boca e vamos trabalhar índio vagabundo.ATRIZ 1- Espelhinho vagabundo ! Hum.(índio sai)ATRIZ 2 - Com a recusa dos índios a se tornarem escravos e os constantes ataques, foimontada a Administração Colonial, criando o Governo Geral.Esta parte da História, assim como seu desenrolar é protagonizada por grupos sociais.Para facilitar o entendimento da seleta platéia, e o nosso desempenho, já que osoutros trezentos atores que representariam os índios, e as tropas portuguesas, não puderam vir hoje por uma pequena indisposição. Contaremos a nossa Colônia usandoum recurso teatral muito em voga nos tempos do Real, que é o monólogo.Monólogo, é quando o ator fala diretamente ao público, assim, como eu estou fazendoagora, só que ele finge que este, quer dizer vocês, não existem, e vocês ficam achandoque ele é um imbecil por ficar falando sozinho que nem um idiota. (anunciando)Com vocês: “Assim é , se lhe parece”, pequena trama inspirada nos romances policiais de 2
 ª
categoria.Entra da coxia muito louca D.MARIA I, a louca.D.MARIA I - Eu sou D. Maria I , a louca. Sou mãe daquele banana do D. JoãoVI. Meu filho assumiu o trono português porquê dizem que estou louca. Eu, uma pessoa tão séria, tão equilibrada, tão normalzinha, tão quadradinha, tão ... Eu nãoestou louca. Eu não estou louca.Meu filho é que vai ficar louco, com as pressões da Inglaterra de um lado, e de Napoleão do outro. Ele está frito, fritinho.Ah , me lembrei que deixei a frigideira na geladeira, assando uma vitela de baunilha.Com licença. Vai queimar o meu pudim. (sai)Entra BAM BAMBAM BAM- Eu sou Bam Bam, vencedor do Big Brother Brasil.Atriz grita da coxia- Cai fora. Não tem Bam Bam na História do Brasil
Pequena História do Brasilde Tuna Serzedello
2
 
BAM BAM- Como não? Faiz parte.- da coxia: Cai foraBAM BAM- (saindo desapontado) Faiz parte!(sai)Entra o FRANCÊSFRANCÊS- Uh lá lá. Eu vim da França para o Brasil atrás do Pau Brasil.Como tem Pau brasil nesta Terra ! Eu vou extrair tudo, e levar para a Europa. Uh lá lá.(sai)Entra MAURÍCIO DE NASSAUMAURÍCIO DE NASSAU - Eu sou Maurício de Nassau, colonizador holandês. Vimao Brasil, para colonizá-lo e fundar a Nova Holanda aqui em Pernambuco. As tropasdaquela louca vão tentar me deter, mas eu vou resistir e manter Pernambuco como posse Holandesa Há, Há, Há. (sai)Entra NAPOLEÃO NAPOLEÃO- Eu ser Napoleon Bonaparte, chefe do Estado Francês e de todaEuropa. Estou neste peça para realizar o Bloqueio Continental. Vou mandar fechar todos os Portos europeus para o comércio com a Inglaterra. Quero ver aquelesinglesinhos conseguirem me derrotar. Já vou avisar o filho daquela portuguesinhalouca. Que, se Portugal, se aliar a Inglaterra, como sempre, não escapará de umainvasão francesa. Que beleza ! (canta) Ah louz enfant de la patric... (sai)Entra D. JOÃO VID. JOÃO VI- Eu sou D. João VI, rei de Portugal. Estou preocupado com este cara queacabou de sair de cena. Ele vai invadir Portugal e aí zapt! cortar as cabeças da Corte.(pensando) Acho que vou transferir a Corte portuguesa para o Brasil. É isso ! Achoque eu vi isso num filme, como é que chamava mesmo.... Ah, me lembrei “CarlotaJoaquina” ! Mas Carlota joaquina é o nome de minha mulher ! (chamando) CarlotaJoaquina, arrume suas malas e vamos para o Brasil, vamos para terra do zirigdum,senão nós vamos a loz enfant de la patrique. (sai)Entra TIRADENTESTIRADENTES- Eu sou Tiradentes , herói da Inconfidência Mineira.Sou dentista famoso por arrancar dentes dos outros, mas devido aos meus pensamentos revolucionários, e por querer a independência do Brasil, fui traído por Joaquim Silvério dos Reis, fui enforcado, degolado e esquartejado. Agora, sem aminha cabeça, nunca mais poderei dizer 
Libertas quae sera tamen
, ou seja,Liberdade ainda que tarde. Oh não o meu carrasco, preciso correr.... (sai)Entra TIRACABEÇAS
Pequena História do Brasilde Tuna Serzedello
3

Activity (48)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Aline Satti liked this
Danny Carvalho liked this
lucicleide liked this
Bruna Smiljanic liked this
Erica Borges liked this
Gaby Cardoso liked this
Sidy Pereira liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->