Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
31Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Educação, Identidade e Profissão Docente_Pimenta e Anastasiou

Educação, Identidade e Profissão Docente_Pimenta e Anastasiou

Ratings: (0)|Views: 3,393 |Likes:
Published by renatajaguaribe

More info:

Published by: renatajaguaribe on Oct 27, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/13/2013

pdf

text

original

 
EDUCAÇÃO, IDENTIDADE E PROFISSÃO DOCENTE
Selma Garrido PimentaLéa da Graças Camargos Anastasiou
1
A
educação é uma unanimidade na sociedade contemporânea. Nos momentosque antecedem as eleições para governantes, nos debates e nas propostas doscandidatos de todos os partidos, a educação aparece como prioridade. Tambémna imprensa e na mídia em geral, os mais diferentes sujeitos sociais semanifestam em sua defesa.
Os pais de qualquer segmento social almejam fazer seus filhos estudar e seesforçam para isso. A sociedade do não-emprego impõe aos trabalhadores aexigência de requalificação, e, então, os cursos de formação continuada ganhamrelevo. Essa aspiração generalizada por educação revela que, historicamente, elatem sido encarada como um bem de consumo, um meio para a sobrevivênciafinanceira e social para conseguir emprego –, mas também para odesenvolvimento humano, uma vez que somente na sociedade humana existe umprocesso intencional para tornar humanos os animais humanos. Todos valorizama educação, não só os políticos. A sociedade em geral considera a educaçãocomo necessária e importante.Essas diferentes representações ou funções da educação, de um modo ou deoutro, expressam o reconhecimento de que ela é condão coadjuvante efundamental para maior igualdade social, para o desenvolvimento econômico,cienfico, humano, cultural, potico e tecnológico. E é exatamente oreconhecimento desse poder relativo, mas, sem dúvida, real da educação queinstaura as bases para perceber as diferenças entre os discursos e programas deão que efetivamente traduzam a educão como possibilidade dedesenvolvimento e de maior igualdade social e aqueles que apenas a valorizamna retórica. Especialmente em se tratando dos programas dos políticos eleitos,que não se traduzem em políticas de educação efetivas na direção de maior igualdade social – algo que pode ser ilustrado com a falta de sustentação daescolaridade blica de qualidade para todos. Na nese dos paísesdesenvolvidos e na construção da democracia contemporânea está a educaçãoblica, gratuita e de qualidade como um de seus pilares. Por isso, suavalorização retórica tem se traduzido em políticas de ampliação do sistemaparticular de ensino e de sustentação de um sistema público que atende apenasburocraticamente os anseios populares por educação, sem que se instaurem asbases de sustentação de uma educação de qualidade – situação que envolve osprofissionais da área, entre eles os professores. É nesse campo ambíguo daspalavras e dos conceitos, usados por atores diferentes para finalidades, às vezes,
1
IN:
Docência no Ensino Superior 
. São Paulo: Cortez, 2002, Vol 1.
1
 
opostas, que podemos compreender os problemas relacionados à profissãodocente.Examinar as questões que envolvem a profissão dos professores exige que sefaça breve reflexão sobre o significado da educação na sociedade contemporâneae sobre as demandas que se lhe vinculam e se refletem na atividade docente. Por outro lado, é preciso investigar algumas características e modos de ser daprofiso docente, examinando os contextos nos quais emergiram, asnecessidades a que vieram responder e os desafios que se lhe apresentam,tentando explicitar a identidade dos professores.
1. Da educação e seus desafios
A educação é um processo de humanização. Ou seja, é processo pelo qual sepossibilita que os seres humanos se insiram na sociedade humana, historicamenteconstruída e em construção. Sociedade que é rica em avanços civilizatórios e, emdecorrência, apresenta imensos problemas de desigualdade social, econômica ecultural. De valores. De finalidades. A tarefa da educação é inserir as crianças eos jovens tanto no avanço civilizario, para que dele usufruam, como naproblemática do mundo de hoje, por intermédio da reflexão, do conhecimento, daanálise, da compreensão, da contextualização, do desenvolvimento de habilidadese de atitudes. Portanto, sua tarefa é garantir que se apropriem do instrumentalcientífico, técnico, tecnológico, de pensamento, político, social e econômico, dedesenvolvimento cultural, para que sejam capazes de pensar e gestar soluções.Apropriar-se dessa riqueza da civilização e dos problemas que essa mesmacivilização produziu. E nessa contradão que se inserem as demandas poeducação, fenômeno e prática complexos, porque historicamente situados. Delase solicita que forme seres humanos capazes de criar e oferecer respostas aosdesafios que diferentes contextos políticos e sociais produzem. A educação,enquanto reflexo, retrata e reproduz a sociedade; mas também projeta asociedade que se quer. Por isso, vincula-se profundamente ao processocivilizatório e humano.Nas formas pelas quais se concretiza, define e vai construindo a sociedade que sequer. Por isso, os modos pelos quais é praticada dizem de suas finalidades.Enquanto prática histórica, tem o desafio de responder às demandas que ocontexto lhe apresenta.Quais seriam esses desafios hoje?Em síntese, podemos identificar três grandes desafios contemporâneos: a)sociedade da informão e sociedade do conhecimento; b) sociedade daesgarçadura das condições humanas, traduzida na violência, na concentração derenda na mão de minorias, na destruição da vida pelas drogas, pela destruição domeio ambiente, pela destruição da relação interpessoal, etc.; c) sociedade do não-emprego e das novas configurações do trabalho. Breve exame desses desafios2
 
permite que se apontem as demandas para as instituições educativas,especialmente a universidade, e para seus professores, examinando aspectosrelacionados a sua profissão e identidade.No que se refere à sociedade da informação e do conhecimento, é necessáriodistinguir os dois termos. Hoje a informação chega, em grande quantidade erapidamente, a qualquer ponto do planeta. Assim, um fato que ocorre, poexemplo, em um país distante geograficamente afeta a economia de outros emesmo o cotidiano das pessoas que lá vivem. Identificada como uma instituiçãoque transmite informações, a escola tende a desaparecer, porque não tem aeficácia dos meios de comunicação nesse processo. Nessa perspectiva, aeducação se realizaria submetendo os jovens e as crianças às informações datelevisão e da
Internet.
Portanto, o professor poderia também ser dispensado.Há exemplos dessa lógica em políticas públicas que vêm sendo implantadas nossistemas de ensino mediante a instalação de telensino, no qual as escolas sãoequipadas com redes de televisão que transmitem os programas das disciplinasgerados por uma central.O trabalho docente aí é o de monitorar o programa, ajudando e assessorando osalunos na execução das tarefas. Esse sistema, utilizado em substituição aodesenvolvimento da disciplina pelos professores, opera um ensino entendidocomo transmissão de conhecimentos e é valorizado por sistemas públicos umavez que representa grande economia, pois em cada sala de aula há apenas um
monitor 
no lugar de cinco
 professores
em uma 5
a
. série, por exemplo. Sua tarefa éa de proceder à mediação entre os programas de todas as áreas do currículo e osalunos.Essa política altera a identidade do professor para a de monitor.Conseqüentemente, também nesse conceito está embutida grande economia, poisformar monitor é bem mais simples do que formar professor.Algumas pesquisas sobre essa sistemática m revelado que tal práticaempobrece significativamente os resultados da aprendizagem, operando umanova forma de exclusão social pela inclusão quantitativa no processo deescolaridade. Essa escolaridade certifica o aluno com um diploma, mas não oalfabetiza, por exemplo. Faz de conta que ensina, dando ao aluno a impressão deque está aprendendo. No mercado competitivo, esses alunos terão reduzidasoportunidades de inserção.Reconhecendo, no entanto, a quantidade e a velocidade das informações nasociedade hodierna, cabe estabelecer a diferença entre informão econhecimento. Conhecer é mais do que obter as informações. Conhecer significatrabalhar as informações. Ou seja, analisar, organizar, identificar suas fontes,estabelecer as diferenças destas na produção da informação, contextualizar,relacionar as informações e a organização da sociedade, como são utilizadas paraperpetuar a desigualdade social. Trabalhar as informações, na perspectiva de3

Activity (31)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
allan_rosa_7 liked this
Cristnna Torres liked this
Wagner Val liked this
Denis Bandeira liked this
Edmundo Tork liked this
Edmundo Tork liked this
Edmundo Tork liked this
matheuscbrum liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->