Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
0Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Física - B2 01 Introdução ao Estudo das Ondas

Física - B2 01 Introdução ao Estudo das Ondas

Ratings:

5.0

(1)
|Views: 9,515|Likes:

More info:

Published by: Física Caderno de Resoluções on Jul 22, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

03/24/2013

pdf

text

original

 
1
1ª aula
Sumário:Apresentação do programa das disciplinas de Física Geral II e de Complementos deFísica.Introdução ao estudo das ondas. Descrição matemática de um pulso unidimensional
Introdução ao estudo das ondas
A Fig. 1.1 mostra ondas numa corda quando se agita a sua extremidade paracima e para baixo. Cada ponto da corda move-se para cima e depois para baixo,novamente para cima, para baixo, e assim sucessivamente…
Figura 1.1
É o efeito da
agitação
que se desloca, sem que a corda se desloque como um todo deum sítio para o outro! Algo semelhante acontece com as ondas de mar.
Figura 1.2
A Fig. 1.2 representa uma onda de mar que se desloca da esquerda para a direita(mostram-se duas imagens tomadas em instantes diferentes). A bóia apenas oscilaverticalmente.Uma onda é, portanto, a propagação de uma "perturbação". No caso da Fig. 1.1 a"perturbação" é o deslocamento vertical dos pontos da corda e no caso da Fig. 1.2 é odeslocamento (também vertical) dos pontos da superfície do líquido.As ondas, sejam elas quais foram − na corda, no mar, no ar (ondas sonoras) naTerra (ondas sísmicas) − precisam de um meio para se propagar. Mas as ondaselectromagnéticas, não! Propagam-se mesmo no
vazio
. Apesar de o espaço entre o Sol ea Terra ser vazio, a radiação solar
constituída por ondas electromagnéticas
chega àTerra. A sua velocidade de propagação é a velocidade da luz, que se representa por
c
, etem o valor 300 000 km/s. Estudaremos mais pormenorizadamente as ondaselectromagnéticas adiante neste curso. Para já, vamos abordar aspectos genéricosrelativos a todos os tipos de ondas, independentemente da sua natureza mas tomaremospreferencialmente, a título de exemplo e para tornar as ideias mais concretas, ondas emmeios materiais.
 
2
Quando as ondas se propagam em meios materiais falamos muitas vezes deondas mecânicas. A velocidade de propagação destas ondas depende da natureza domeio. No ar, por exemplo, as ondas sonoras propagam-se com velocidade de cerca de340 m/s. Na água as ondas propagam-se a cerca de 1500 m/s e no aço a mais de6000 m/s.Se tivermos uma corda sob tensão, a velocidade de propagação das ondas nessacorda depende de dois factores: da tensão na corda,
e da massa por unidade decomprimento, que designamos por
 µ 
. Demonstra-se (não o fazemos aqui) que avelocidade de propagação é dada por
 µ 
v
=
(1.1)Quanto mais tensa estiver a corda, mais rápida é a propagação. Por outro lado, paracordas do mesmo material, a que tiver menor massa por unidade de comprimento, é aque propaga a onda com maior velocidade. As maiores velocidades de propagaçãoconseguem-se, pois, em cordas finas e muito tensas.
Descrição matemática de um pulso unidimensional
Numa onda de matéria há partículas que se deslocam da sua posição deequilíbrio. Vamos começar por considerar uma perturbação gerada, por exemplo naextremidade de uma corda, onde se produz uma oscilação brusca. A perturbação é umafunção do espaço e do tempo. Designemos essa perturbação por
),(
 x y
, onde
 x
designaa coordenada ao longo da direcção de propagação da onda e
designa o tempo. Afunção
 y
representa, por exemplo, o deslocamento vertical em relação à posição deequilíbrio (0
=
 y
). A figura mostra um pulso gerado no instante inicial (0
=
), ou sejaa função)()0,(
x f  x y
=
. (1.2)A variável
 x
reporta-se ao referencial S que se mostra na figura.
 x y
S Figura 1.3Um pulso assim pode ser gerado num corda com uma só agitação vertical de vaivém (enão com repetidas agitações como na Fig. 1.1).
 
3
Para obtermos a descrição matemática do pulso consideremos agora um novoreferencial móvel, S’, que acompanha o pulso: se a velocidade do pulso for
v
também oreferencial S’ se desloca com velocidade
v
na direcção positiva do eixo dos
 x
. Noreferencial S’ (de eixos coordenados'
 x
e'
 y
) a perturbação é simplesmente descrita poruma função não depende do tempo)'('
x f  y
=
pois o referencial acompanha aperturbação e esta não muda do ponto de vista do referencial S’.
 x x y
S
 y' 
S'
vt  f 
(
 x
)
(
 x' 
)
v
 
Figura 1.4
Como relacionar
 y
com
 y
e
 x
com
 x
’? A Fig. 1.4 figura permite concluir queessa relação é'
 y y
=
e
vt  x x
+=
'(1.3)(esta transformação linear de coordenadas chama-se transformação de Galileu
1
.). Ora,temos então
( ) ( )
vt  x f  x f  y x y
===
''),(ou, resumidamente,
( )
vt  x f  x y
=
),(. (1.3)Esta equação descreve um pulso de uma forma qualquer descrita pela função
 f 
que sepropaga na direcção positiva do eixo dos
 xx
. Se nos deslocarmos de tal forma que
constante
=
vt  x
, (1.4)também a função será constante:
( )
C
=
vt  x f 
. De facto, deslocando-nos com avelocidade da onda, estaremos sempre a acompanhar o mesmo ponto (ou fase) do pulso.Tomando a derivada deconstante
=
vt  x
em ordem ao tempo, encontramos
1
A transformação acima deve ser complementada com a equação
'
=
, ou seja, o tempo flui da mesmamaneira nos dois referenciais. Tal já não acontece na Teoria da Relatividade em que os tempos, não sãoiguais.

Activity (0)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
doliveira_337721 liked this
Valéria S Reis liked this
Karen Mello liked this
Leonardo Angelo liked this
Lucas Alves liked this
Letycia Pedroso liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->