Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
197Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Tratamento de esgoto (saneamento)

Tratamento de esgoto (saneamento)

Ratings:

4.82

(11)
|Views: 22,024 |Likes:
CURSO DE TRATAMENTO DE ESGOTO
CURSO DE TRATAMENTO DE ESGOTO

More info:

Published by: Gustavo Henrique Wanderley on Jul 28, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/24/2013

pdf

text

original

 
EEA Empresa de Engenharia Ambiental Ltda. eea@eea.eng.brCurso de Tratamento de Esgoto – texto oferecido gratuitamente pela Empresa de Engenharia Ambiental - EEA
Divulgação neste site (www.comitepcj.sp.gov.br) por iniciativa da Câmara Técnica de Saneamento (CT-SA) dos Comitês PCJ
51
 
“ apenas 10 % dosnossos esgotos sãotratados e 30 % sãocoletadosadequadamente”
Capítulo 1: Introdução ao Tratamento de esgoto:1.1
 
Introdução:
A vazão que deve entrar numa estação de tratamento de esgoto é um dosprincipais parâmetros para se projetar estações de tratamento de esgoto. A vazão tantoserve para o dimensionamento das unidades do sistema de tratamento, quanto para oestudo de autodepuração e enquadramento na legislação vigente.Anteriormente a vazão de esgoto afluente a ETE é importante conhecer tambémos principais tipos de sistemas de esgotamento sanitário existentes:a.
 
Sistema de esgotamento Unitário ou Combinado: águas residuárias (domésticas eindustriais), águas de infiltração (água do solo que penetra nas tubulações) e águaspluviais são coletadas pela mesma tubulação.b.
 
Sistema separador absoluto: as águas residuárias e águas de infiltração veiculam portubulação independente da água de chuva.No Brasil, devido a quantidade de chuvas, é adotado osistema separador absoluto. Os problemas encontradossão os das ligações clandestinas de água de chuva nasredes de esgoto, causando um aumento na vazão deprojeto.No Brasil, dos cerca de 160 milhões de habitantes, apenas 48 milhões recebemrede coletora de esgoto sanitário e apenas 16 milhões de pessoas tem seus esgotostratados.Existem os sistemas locais de tratamento de esgoto que não necessitam de redecoletora, pois os mesmos são tratados no local da sua geração. Este tipo de sistema temsido ótima solução para várias localidades.Para o projetar as Estações de Tratamento de Esgoto deve-se quantificar equalificar o melhor possível tanto o esgoto doméstico quanto o industrial. Veremos nocapítulo 1 metodologias para a caracterização e quantificação.
 
EEA Empresa de Engenharia Ambiental Ltda. eea@eea.eng.brCurso de Tratamento de Esgoto – texto oferecido gratuitamente pela Empresa de Engenharia Ambiental - EEA
Divulgação neste site (www.comitepcj.sp.gov.br) por iniciativa da Câmara Técnica de Saneamento (CT-SA) dos Comitês PCJ
52
1.2
 
Vazões de Projeto (esgoto):a)
 
Verificação no Local:
Para elaboração de projetos de pequenas comunidades ou indústrias que já tenhamprontas suas instalações, principalmente o sistema de coleta construído. A medição devazão pode ser de forma manual, com apenas um balde de volume aferido e umcronômetro pode-se determinar a vazão de uma pequena comunidade.Para melhor precisão deve ser feito o maior número de amostras durante um dia.O ideal é medir a vazão 24 vezes por dia durante 1 mês.
b)
 
Medição através de micro medição da água:
Caso exista um controle e confiabilidade no sistema de micro medição econhecimento do coeficiente de retorno, pode-se calcular a vazão de esgoto. A micromedição é a somatória dos volumes que passam pelos hidrômetros das edificações.O coeficiente de retorno representa a fração da água que retorna ao sistemacoletor de esgoto, sendo a outra parte infiltrada nos jardins ou destinada as galerias deágua pluvial. Esta metodologia deve considerar a vazão devido a infiltração na redecoletora de esgoto.
Q
Vazão de esgoto;V
Volume do recipiente;T
Tempo de enchimento;Q = V / T;“A vazão é igual ao volume dorecipiente dividido pelo tempo emque o mesmo foi preenchido pelolíquido”.
 
EEA Empresa de Engenharia Ambiental Ltda. eea@eea.eng.brCurso de Tratamento de Esgoto – texto oferecido gratuitamente pela Empresa de Engenharia Ambiental - EEA
Divulgação neste site (www.comitepcj.sp.gov.br) por iniciativa da Câmara Técnica de Saneamento (CT-SA) dos Comitês PCJ
53
Tabela 1: Valores usuais do coeficiente de retorno ( CR ).
CondiçãoGrandes CidadesCidades médiasCidades Pequenas
cr0,850,80,7
c)
 
Vazão através da estimativa populacional:
Este método é usado principalmente quando o projeto da ETE prever umcrescimento populacional durante o tempo de operação. Para isso deve-se estudar váriosparâmetros como tendência do crescimento populacional, código de obras, plano diretor,planejamento municipal e etc. O valor encontrado nos dá a estimativa de uma populaçãofutura que nos dará o consuma de água e de esgoto.
c.1) Método aritmético:
P = P
2
+ K
a
( t – t
2
) ondeMétodo bom para ser utilizado para uma estimativa do crescimento populacionalem no máximo 5 anos de projeção.
 
Ka = ( p
2
– p
1
) / ( t
2
– t
1
);P
1
= População do penúltimo senso;P
2
= População do último senso;T
1
= ano do penúltimo senso;T
2
= ano do último senso;T = ano da projeção;P = População estimada para o ano de projeção.

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->