Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
2Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
A MORTE E RESSURREIÇÃO DE CRISTO

A MORTE E RESSURREIÇÃO DE CRISTO

Ratings: (0)|Views: 43 |Likes:
Published by Thiago Vitor

More info:

Published by: Thiago Vitor on Nov 17, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/17/2010

pdf

text

original

 
A MORTE E RESSURREIÇÃO DE CRISTO
Um aluno da Universidade do Uruguay indagou: “Professor McDowell, por que osenhor não pode refutar o cristianismo?” Respondi-lhe: “Por uma razão muito simples.Existe um evento histórico para o qual não tenho explicação: a ressurreição de Cristo.”Após mais de setecentas horas de estudo do assunto e de investigação detalhada deseus fundamentos, cheguei à conclusão de que a ressurreição de Jesus ou é uma dasmais terríveis, desapiedadas e horríveis fraudes impingidas à humanidade, ou então é omais importante evento da História.A ressurreição tira do plano da filosofia a pergunta: “O cristianismo é válido?” e torna-auma questão histórica. Será que o cristianismo tem bases historicamente aceitáveis? Seráque existem provas suficientes para garantir a crença na religião?Alguns dos fatos relativos à ressurreição são os seguintes: Jesus de Nazaré, o profeta judeu que se declarou ser o Cristo anunciado pelas Escrituras judaicas, foi preso,considerado criminoso político, e crucificado. Três dias após sua morte e sepultamento,algumas mulheres foram ao seu túmulo e descobriram que seu corpo havia desaparecido.Os discípulos declararam que Deus o ressuscitara de entre os mortos, e que ele lhesaparecera várias vezes, antes de ascender aos céus.Partindo dessa base, o cristianismo espalhou-se por todo o Império Romano, econtinuou a exercer grande influência na humanidade no decorrer dos séculos.Essa ressurreição ocorreu mesmo?
O SEPULTAMENTO DE JESUS
O corpo de Jesus, de acordo com o costume dos judeus, foi envolto em uma espéciede lençol de linho. Cerca de cinqüenta quilos de especiarias aromáticas, misturas paraformar uma substância pastosa, foram aplicados no pano que envolvia seu corpo. Depoisque ele foi depositado num túmulo escavado na rocha sólida, uma pedra bem grande(pesando aproximadamente duas toneladas) foi rolada, por meio de alavancas, para aentrada da cavidade.
 
 Um destacamento romano, composto de homens treinados numa rígida disciplina,ficou de guarda à porta do sepulcro. O temor de uma possível punição “resultava numaobservação impecável das suas responsabilidades, principalmente em casos de vigilâncianoturna.” Esta guarda fixou no túmulo o sinete romano, um selo que atestava o poder e aautoridade dos romanos. A finalidade daquele lacre era evitar o vandalismo. Qualquerpessoa que tentasse remover a pedra do túmulo teria que quebrar o selo, e incorreria naira da lei romana.Mas o túmulo estava vazio.
O TÚMULO VAZIO
Os seguidores de Jesus afirmaram que ele ressuscitara de entre os mortos.Relataram que ele lhes aparecera durante um período de quarenta dias, revelando-se aeles através de “muitas provas incontestáveis”. (Algumas versões falam de “provasinfalíveis”.) O apóstolo Paulo disse que Jesus aparecera a mais de quinhentos de seusseguidores em certa ocasião, a maioria dos quais ainda estava viva e poderia confirmaraquilo que ele dizia.A. M. Ramsay escreve: “Creio na ressurreição, em parte porque sem ela uma série defatos não teria explicação”. O túmulo vazio era “evidente demais, para poder ser negado”.Paul Althaus afirma que a ressurreição “não poderia, em Jerusalém, substituir nem por umdia, nem por uma hora, se o fato de que o túmulo estava vazio não tivesse sidoconstatado e firmado, por todos os envolvidos na questão”.Paul L. Maier concluiu: “Se todas as evidências forem ponderadas com justiça ecuidadosamente, será muito justificável concluir, de acordo com os cânones da pesquisahistórica, que o túmulo em que Jesus foi sepultado realmente estava vazio na manhã dePáscoa. E ainda não se descobriu o menor vestígio de evidência em fontes literárias,epígrafes, ou na arqueologia que venha contrariar esta declaração”.Como então se explica o túmulo vazio? Será que poderíamos atribuir ao fato umacausa natural?Baseando-se em fortíssimas evidências históricas, os cristãos acreditam que Jesusressuscitou corporalmente, no tempo e no espaço, pelo poder sobrenatural de Deus. É
 
possível que existam algumas barreiras a esta crença, mas os problemas inerentes àcrença em contrário apresentam dificuldades ainda maiores.Os fatos relativos ao túmulo, após a ressurreição, são muito significativos. O lacreromano fora rompido, e isto implicava automaticamente na crucificação, de cabeça parabaixo, daqueles que houvessem praticado tal ato. A grande pedra fora removida até certadistância, e não apenas afastada da boca do sepulcro, mas de todo bloco tumular,parecendo ter sido apanhada e carregada para aquele ponto. O destacamento da guardafugira. Em seu
Digest 
49.16, Justino relaciona dezoito infrações pelas quais umdestacamento de guarda poderia ser executado. Entre elas, citava-se dormir no posto, ouabandoná-lo.As mulheres que foram ao túmulo encontraram-no vazio; entraram em pânico, evoltaram para relatar o fato aos discípulos. Pedro e João correram ao local. João chegouprimeiro, mas não entrou. Espiou para dentro do sepulcro e viu as roupas tumulares,usadas, mas sem o usuário. O corpo de Cristo atravessara-as entrando numa novadimensão de existência. Encaremos a realidade, isto faz qualquer um de nós crer, mesmoque seja por um breve momento.As teorias formuladas para explicar a ressurreição por causas naturais são fracas; naverdade, elas favorecem ainda mais a crença na veracidade da ressurreição.
SERIA OUTRO O TÚMULO
Uma hipótese levantada por Kirsopp Lake sugere que as mulheres que relataram odesaparecimento do corpo teriam ido a outro túmulo. Se assim foi, os discípulos queforam averiguar a afirmação das mulheres, também devem ter ido ao túmulo errado.Contudo, podemos estar certos de um fato: as autoridades judaicas, que haviamsolicitado uma guarda romana para vigiar o túmulo, a fim de evitar que o corpo fosseroubado, não se enganariam quanto à localização dele. Nem o teria a guarda romana,pois havia estado lá.Se tivesse se tratado realmente de um erro de identificação do túmulo, as autoridades judaicas não teriam perdido tempo; logo iriam mostrar o corpo, no túmulo certo, e destemodo conseguiriam abafar totalmente e para sempre quaisquer rumores de uma possívelressurreição.Outra tentativa de explicação contrária alega que as aparições de Jesus, após aressurreição, foram ilusões ou alucinações. Sem o apoio dos princípios psicológicos que

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->