Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
1Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
edição_89

edição_89

Ratings: (0)|Views: 171 |Likes:
Published by mediaxxi
visit our website http://mediaxxi.com/
visit our website http://mediaxxi.com/

More info:

Published by: mediaxxi on Nov 21, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/21/2010

pdf

text

original

 
media
 XXI
| 3
[Sumário]
ADMINISTRADOR EXECUTIVOPAULO FERREIRADIRECTORPAULO FAUSTINOEDITORMÁRIO GUERREIRO | editor@mediaxxi.comREDACÇÃOVERA LANÇA | redaccao@mediaxxi.comGUILHERME PIRESMARGARIDA PONTECOLABORADORESCÁTIA CANDEIASDULCE MOURATOHERLANDER ELIAS JOANA SIMÕES PIEDADEPAULA DOS SANTOS CORDEIRORUI MARTINHOOPINIÃOCARLA MARTINSFRANCISCO RUI CÁDIMAFRANCISCO A. VAN ZELLERREGINALDO RODRIGUES DE ALMEIDADESIGN TÂNIA BORGES | design@mediaxxi.comCONSULTORA DE IMAGEM E COMUNICAÇÃO JOANA GUITA PINTOMARKETING E PUBLICIDADEMARIANA GREGÓRIO | PUBLICIDADE@MEDIAXXI.COMASSINATURASpublicidade@mediaxxi.comIMPRESSÃOHESKA PORTUGUESA – INDÚSTRIAS TIPOGRÁFICAS, S.A. – CAMPO RASO2720-139 SINTRA – TEL.: 21 923 89 00DISTRIBUIÇÃOVASP/ CTT – CORREIOS DE PORTUGALSOCIEDADE GESTORA DA REVISTAFORMALPRESS – PUBLICAÇÕES E MARKETING, LDA.ESCRITÓRIOSRUA PROFESSOR VÍTOR FONTES, Nº 8D, 1600-671 LISBOA21 757 34 59 | 21 757 63 16 | geral@mediaxxi.comPRAÇA MARQUÊS DE POMBAL, Nº 70, 4000-390 PORTO| 22 502 91 37REVISTA FUNDADA POR NUNO ROCHA, EM 1996DEPÓSITO LEGAL Nº 995 16/96; REGISTO Nº 120427 TIRAGEM: 7000 EXEMPLARES
media
 XXI
5
5
0
0
2
2
8
8
3
3
8
8
PORTUGAL MEDIA
Portalegre emanálise
 TELEMÓVEIS
O mercado daterceira geração
MUSEU DA LÍNGUA
A interactividade emSão Paulo
EDITORIALCANAL DA MANCHA
O audiovisual europeu chegou ao Paraíso
SOCIEDADE BIT
TIC,prego a fundo!
DOSSIER
Tecnologias de Informação e Comunicação
ENTREVISTA
 Juvenália Carvalho
ACTUALIDADE SIACTUALIDADE IMPRENSAACTUALIDADE PUBLICIDADE E MARKETINGACTUALIDADE RÁDIOACTUALIDADE TVACTUALIDADE TECNOLOGIADINÃMICAS DA COMUNICAÇÃOREPORTAGEM COMUNICAÇÃO
Pistas para o futuro do jornalismo
O PAPEL DE CADA UM
Francisco A.Van Zeller
ENTREVISTA CENTRAL
Alberto João Jardim
INTEL DEVELOPER FORUM 20067º ECAAULA ABERTA
A crise da imprensa
CENTROS DE CONHECIMENTO
ISCSP
INSTITUIÇÕES DO CONHECIMENTO
ICAM
LEITURASA INDÚSTRIA DE HOLLYWOODENTREVISTA SECTORIAL
Pedro Pina,McCann Worldgroup Portugal
A TV NO FUTUROEMPRESAS XXI
Overtouch
CIBERCULTURA
O imaginário pós-fotográfico
EDUCOMUNICAÇÃO
Literatura digital à europeia
IBERMEDIAUNIT 4 AGRESSO
Empresa internacional chega a Portugal
ALDEIA GLOBALA IPTV DA ALCATELEURO LEX
O direito ao bom nome e à imprensa
RESPONSABILIDADE SOCAL NOS MEDIAAGENDAÚLTIMO OLHAR
468
1
0
1
8
2
1
2
2
2
4
2
5
2
6
2
7
3
2
3
4
4
2
4
7
5
8
5
9
6
0
6
3
6
1
6
6
6
9
7
1
7
2
7
4
7
7
3
7
4
8
7
8
7
9
8
4
8
2
8
0
8
5
8
6
*
*
@@@@@@
2
2
 
ed.89 06/10/02 9:44 Page 3
 
4| media
 XXI
[Editorial]
4| media
 XXI
N
os últimos meses têm sido publicados váriosartigos perspectivando,com alguma levian-dade,um futuro “negro”para a imprensa.Éclaro que os jornais diários já tiveram melhoresdias,contudo,vaticinar o fim da imprensa é umexercício completamente especulativo.A recentedinâmica observada nos semanários,induzida pelolançamento do Sol,parece demonstrar que existevida para além do audiovisual.Será um sucesso seo Expresso situar a sua circulação média na ordemdos 100 mil a 120 mil exemplares por edição e oSol conseguir uma circulação média na ordem dos70 mil a 90 mil exemplares.Até agora os indicado-res superam largamente esses números.Mas é ex-pectável que esta performance venha a baixar.No entanto,falta saber se o crescimento observadonos semanários está a ser alicerçado com base na du-plicação ou conquista de novos leitores.Se for atravésda duplicação existe o perigo de,a prazo,estes teremde fazer uma opção,assim como os anunciantes.Casohaja conquista de novos leitores – fantástico! Pensoque terá acontecido um misto das duas situações,da-da a relativa inelasticidade do nosso mercado.Portugal tem uma grande tradição na leitura de sema-nários.Os nosso índices de leitura só se podem consi-derar baixos ao nível dos diários de informação geral.Estamos melhor posicionados nos semanários e revis-tas.Esta tradição pode ser inclusivamente observadanos jornais regionais,onde não existem diários,ex-cepto na Madeira,com uma circulação média supe-rior a cinco mil exemplares por edição.E nos semaná-rios existem vários jornais com uma circulação médiapor edição superior a 12 mil exemplares (Região deLeiria,Jornal de Leiria,Reconquista,Jornal doFundão,O Mirante,entre outros).O impacto da internet será mais acentuado nosdiários pela sua facilidade de actualização,o quepoderá deixar espaço para as publicações semanaisfazerem outra abordagem que a pressão diária nãofacilita.A imprensa tem um futuro risonho,sobre-tudo os semanários.Recentemente,um estudo daNewspaper Association of America concluiu que aseditoras americanas de semanários estãoa crescer e em boas condições económi-cas e financeiras.O futuro da imprensa não será marcadopela “morte”do suporte de papel massim pela periocidade da informação.Estamos a assistir a um reposicionamentodo produto como tem ocorrido noutrosmomentos.A história é composta por“crises”sucessivas e que acabam por in-troduzir novas dinâmicas na sociedade.As decepções podem dar lugar à desco-berta de novas possibilidades.Hoje emdia fala-se em “crise”por tudo e por na-da.O que está a acontecer agora nos jor-nais foi o que aconteceu ao longo da his-tória com outros produtos - houve necessidade dereinvenção das actividades.Muitos produtos estãoa tentar reencontrar um novo posicionamento.Um exemplo clássico é a indústria automóvel.Porexemplo,a Ford,nas suas origens,descobriu que aforma mais rentável – através da produção emmassa permitia gerar economias de escala – seriacriar um só modelo com uma só cor para toda agente.Com o evoluir dos tempos a Ford teve quese adaptar e gerar economias de gama.Teve quediversificar os seus modelos para satisfazer neces-sidades diferenciadas dos clientes.É isso que está aacontecer com os media,em particular com a im-prensa;observa-se,em simultâneo com a comuni-cação de massas,uma comunicação para segmen-tos da sociedade que não querem perder tempoem consumir informação que não lhes interressa.A propósito de sociedade,na entrevista central,Alberto João Jardim,sem “papas na língua”,traçauma análise crítica sobre alguns sectores da socie-dade e defende a Madeira com exemplo de plura-lismo da informação.Realçe para um artigo queanalisa,por dentro,a organização e funcionamentode Hollywood.Destaque ainda para o dossier so-bre as TIC,cada vez mais importantes e transver-sais nas empresas e sociedade em geral.
A IMPRENSA TEM FUTURO
PAULO FAUSTINO
DIRECTOR
“Vaticinar o fimda imprensa éum exercíciocompletamenteespeculativo”
ed.89 06/10/02 11:18 Page 4
 
MEDIA XXI N.º 79 1/17/70 11:37 PM Page 39

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->