Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
14Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
DIAGNÓSTICO RURAL PARTICIPATIVO - GUIA PRÁTICO

DIAGNÓSTICO RURAL PARTICIPATIVO - GUIA PRÁTICO

Ratings: (0)|Views: 1,972|Likes:
A nova Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural - Pnater preconiza que a Missão da Ater brasileira de ser: "Participar na promoção e animação deprocessos capazes deve contribuir para a construção e execução de estratégias dedesenvolvimento rural sustentável, centrado na expansão e fortalecimento da agriculturafamiliar e das suas organizações, por meio de metodologias educativas e participativas,integradas às dinâmicas locais, buscando viabilizar as condições para o exercício da cidadania ea melhoria de qualidade de vida da sociedade”.Na mesma linha, tanto os objetivos como as diretrizes da Pnater enfatizam anecessidade de que a práxis extensionista seja baseada em metodologias que assegurem aparticipação dos beneficiários em todas as fases do processo de desenvolvimento: diagnóstico,monitoramento, avaliação e reprogramação de ações.Estes pressupostos da Pnater, têm determinado as ações do DATER. Estapublicação é mais uma dessas iniciativas e pretende se constituir numa ferramenta didática,acessível e de fácil entendimento, para ser usada como referência tantos aos processos decapacitação, como na auto-capacitação dos Agentes de Ater em seus diferentes níveis deatuação.O Guia é uma tradução adaptada e aperfeiçoada pelos colegas Ladjane Ramos eDécio Cotrim a partir de documento original publicado pelo Centro Cultural Poveda, de autoria doSr. Miguel Expósito Verdejo, que autorizou ao DATER a sua publicação nas condições oraapresentada.Esperamos que este material possa ser útil para as entidades e para os Agentes deAter, de modo que possamos fazer da Extensão Rural uma prática cada vez mais participativa edemocrática, como requerem os agricultores familiares e como recomenda a Pnater.Por fim, registramos nossos agradecimentos à Emater/RS e à Emater/MG pelainestimável contribuições que deram para que fosse possível publicarmos este texto. Do mesmomodo agradecemos à GTZ-Brasil pelo apoio e colaboração oferecida à realização deste trabalho
A nova Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural - Pnater preconiza que a Missão da Ater brasileira de ser: "Participar na promoção e animação deprocessos capazes deve contribuir para a construção e execução de estratégias dedesenvolvimento rural sustentável, centrado na expansão e fortalecimento da agriculturafamiliar e das suas organizações, por meio de metodologias educativas e participativas,integradas às dinâmicas locais, buscando viabilizar as condições para o exercício da cidadania ea melhoria de qualidade de vida da sociedade”.Na mesma linha, tanto os objetivos como as diretrizes da Pnater enfatizam anecessidade de que a práxis extensionista seja baseada em metodologias que assegurem aparticipação dos beneficiários em todas as fases do processo de desenvolvimento: diagnóstico,monitoramento, avaliação e reprogramação de ações.Estes pressupostos da Pnater, têm determinado as ações do DATER. Estapublicação é mais uma dessas iniciativas e pretende se constituir numa ferramenta didática,acessível e de fácil entendimento, para ser usada como referência tantos aos processos decapacitação, como na auto-capacitação dos Agentes de Ater em seus diferentes níveis deatuação.O Guia é uma tradução adaptada e aperfeiçoada pelos colegas Ladjane Ramos eDécio Cotrim a partir de documento original publicado pelo Centro Cultural Poveda, de autoria doSr. Miguel Expósito Verdejo, que autorizou ao DATER a sua publicação nas condições oraapresentada.Esperamos que este material possa ser útil para as entidades e para os Agentes deAter, de modo que possamos fazer da Extensão Rural uma prática cada vez mais participativa edemocrática, como requerem os agricultores familiares e como recomenda a Pnater.Por fim, registramos nossos agradecimentos à Emater/RS e à Emater/MG pelainestimável contribuições que deram para que fosse possível publicarmos este texto. Do mesmomodo agradecemos à GTZ-Brasil pelo apoio e colaboração oferecida à realização deste trabalho

More info:

Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

06/22/2013

pdf

text

original

 
DIAGNÓSTICORURALPARTICIPATIVO
DRP
GUIA PRÁTICO
Miguel Expósito Verdejo
iguel Expósito Verdejo
 
Ministério doDesenvolvimento AgrárioSecretaria daAgricultura Familiar 
Revisão e Adaptação:
Décio Cotrim e Ladjane Ramos
 
Diagnóstico Rural Participativo - Um Guia Prático
DRP
UM GUIA PRÁTICO
Diagnóstico Rural Participativo
Um guia práticoMiguel Expósito Verdejo
Secretaria da Agricultura Familiar - MDASetor Bancário Norte Qd.01 Bl.D 6.º Andar Ed. Palácio do Desenvolvimento - Brasília DFTelefones: (61) 2191-9909/9910Site: www.mda.gov.br/saf “Documento original elaborado pelo
Centro Cultural Poveda
"Rua Pina, 210 - Cidade Nova,Santo Domingo, República Dominicana.Telefones: 689-5689 / 686-0210 / Fax: 688-4635Site: ww.centropoveda.orgCorreio eletrônico: centropoveda@codetel.net.doDiagramação: Álice Alinne MatosImpresso no BrasilGráfica da Ascar - Emater-RS
Este documento pode ser reproduzido total ou parcialmente sempre que seja feito de modo literale sejam mencionados os autores.
Revisão e Adaptação:
Décio Cotrim, engenheiro agrônomo - Ascar - Emater - RSLadjane Ramos, perita da Agência de Cooperação Técnica Alemã (GTZ)
Ilustrações:
Sérgio BatsowBrasília, março de 2006
Ministério doDesenvolvimento AgrárioSecretaria daAgricultura Familiar 
 
Sumário
Sumário
APRESENTAÇÃOCOMO UTILIZAR ESTE GUIA1 . O QUE É UM DRP?
 1.1. Um pouco da história1.2. Propósito e execução do DRP1.3. As vantagens do DRP
2 . OS DIFERENTES NÍVEIS DE PARTICIPAÇÃO3 . OS PRINCÍPIOS E CONCEITOS-CHAVE DO DRP
3.1. Características do DRP3.2. Princípios básicos do DRP
4 . OS 7 PASSOS NA PREPARAÇÃO
4.1. Preparando-se para o DRP4.2. Equipe de moderação4.3. Programação e convocatória4.4. Localização4.5. Materiais4.6. Cronograma do DRP
5 . NO TRABALHO DE CAMPO
5.1. A apresentação à comunidade
6 . A CAIXA DE FERRAMENTAS
6.1 Observação participante6.2 Entrevistas Semi-estruturadas6.3 Mapas e Maquetes6.4 Travessia6.5 Calendários e uso do tempo6.6 Diagramas6.7 Matrizes6.8 Análises de Gênero6.9 Outras ferramentas
7. ANÁLISE, DOCUMENTAÇÃO E APRESENTAÇÃO
7.1. Análise final7.2. Qualitativo versus quantitativo7.3. Documentação7.4. Apresentação
8. FINALIZAR O DRP É COMEÇAR9. ALGUNS CONSELHOS FINAIS10. LITERATURA RECOMENDADA E BIBLIOGRAFIAAnexo - lista de figurasAnexo - lista de figuras
778121215181818181920222224
30
313539455254
54
5455456101215
 
20215456575860
Ministério doDesenvolvimento AgrárioSecretaria daAgricultura Familiar 
61

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->