Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
39Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
RELATÓRIO DE FISICO-QUÍMICA EXPERIMENTAL I - DENSIDADE DE SÓLIDOS E LÍQUIDOS E VARIAÇÃO DA DENSIDADE DE LÍQUIDOS EM FUNÇÃO DA TEMPERATURA

RELATÓRIO DE FISICO-QUÍMICA EXPERIMENTAL I - DENSIDADE DE SÓLIDOS E LÍQUIDOS E VARIAÇÃO DA DENSIDADE DE LÍQUIDOS EM FUNÇÃO DA TEMPERATURA

Ratings: (0)|Views: 12,107|Likes:
Published by Thiago Lopes
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS GRADUAÇÃO EM QUÍMICA INDUSTRIAL

AULA Nº. 04 DENSIDADE DE SÓLIDOS E LÍQUIDOS E VARIAÇÃO DA DENSIDADE DE LÍQUIDOS EM FUNÇÃO DA TEMPERATURA

Aluno: Thiago Oliveira Lopes Eduardo Andrade Professora: Msc. Lílian Físico-Química Experimental I Experimento realizado dia 23/03/2009.

Anápolis, Março de 2009.

3. INTRODUÇÃO: Os estados da matéria podem, de forma simplificada, ser agrupados em sólido, líquido e gasoso. Uma das propr
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS GRADUAÇÃO EM QUÍMICA INDUSTRIAL

AULA Nº. 04 DENSIDADE DE SÓLIDOS E LÍQUIDOS E VARIAÇÃO DA DENSIDADE DE LÍQUIDOS EM FUNÇÃO DA TEMPERATURA

Aluno: Thiago Oliveira Lopes Eduardo Andrade Professora: Msc. Lílian Físico-Química Experimental I Experimento realizado dia 23/03/2009.

Anápolis, Março de 2009.

3. INTRODUÇÃO: Os estados da matéria podem, de forma simplificada, ser agrupados em sólido, líquido e gasoso. Uma das propr

More info:

Published by: Thiago Lopes on Dec 04, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, DOC, TXT or read online from Scribd
See More
See less

06/07/2013

pdf

text

original

 
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁSUNIDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICASGRADUAÇÃO EM QUÍMICA INDUSTRIAL
AULA Nº. 04DENSIDADE DE SÓLIDOS E LÍQUIDOS E VARIAÇÃO DADENSIDADE DE LÍQUIDOS EM FUNÇÃO DA TEMPERATURA
Aluno: Thiago Oliveira LopesEduardo AndradeProfessora: Msc. LílianFísico-Química Experimental IExperimento realizado dia 23/03/2009.Anápolis,Março de 2009.
 
3.
INTRODUÇÃO :
Os estados da matéria podem, de forma simplificada, ser agrupados em sólido,líquido e gasoso. Uma das propriedades macroscópicas que geralmente distingue essestrês estados da matéria é a densidade específica (massa/volume), pois em geral (masnem sempre) a densidade de gases é menor do que a de líquidos, e essa menor ainda doque a de sólidos. A densidade é uma grandeza intensiva, isto é, o depende daquantidade de matéria. Assim, a densidade da água pura contida em um litro ou numacolher de 5ml é a mesma. De forma geral, se a substância é homogênea, então a suadensidade é a mesma em todos os pontos do volume que ocupa. A densidade dependedo tipo de substância, mas é em geral influenciada pela temperatura e pela pressão. No presente contexto, o termo densidade tem o significado de “massaespecífica”. Contudo, o termo é também comumente empregado em outros contextos, para designar, em geral, o grau de concentração de grandezas físicas num determinadovolume, como energia, partículas, etc
[1]
. Há também o termo “densidade aparente”, queé usado para expressar a densidade absoluta de uma substância que não se tem certezade sua pureza.A densidade absoluta ou massa específica é definida como a massa por unidade de volume de uma substância ou simplesmente massa por unidade de volume
[2]
:
aaa
m
=
 µ 
Onde:
a
 µ 
é a densidade absoluta ou massa específica do corpo,
a
m
é amassa do corpo e
a
V  
é o volume do corpo.A densidade expressa a quantidade de matéria presente em uma dada unidade devolume. Quando dizemos que o chumbo tem maior densidade do que alumínio istosignifica que num dado volume de chumbo há mais matéria que no mesmo volume dealumínio
[2]
.As densidades de sólidos e líquidos são comumente expressas em gramas por centímetro cúbico, g/cm
3
. Os gases são muito menos densos do que os outros estados damatéria, por isso a unidade S.I. é grama por decímetro cúbico g/dm
3 [2]
.Para um sólido que tenha uma forma regular (exemplo, um cubo), o volume pode ser calculado pela medida direta dos comprimentos das arestas, e a massa pode ser obtida pesando-se o sólido. Se o sólido for irregular, mas relativamente grande, o seuvolume poderá ser determinado mergulhando-o num liquido de densidade menor emedindo o volume do liquido deslocado, ou por cálculos diferenciais. Estas técnicas nãosão apropriadas para objetos pequenos tais como cristais minúsculos. O método deflutuação permite que se façam com exatidão razoável, estimativas das densidades deobjetos sólidos pequenos, em particular cristais pequenos. Preparando-se uma série desoluções de concentrações diferentes, é possível encontrar uma, cuja densidade sejaigual à do cristal. Quando o cristal é colocado em solução inerte de densidade menor,ele afundará. Flutuará em uma solão de densidade maior, mas em outra, cujadensidade for igual a do cristal, ele permanecerá em suspensão. Uma vez que a soluçãoapropriada tenha sido encontrada, um volume medido pode ser removido e pesado
[3]
.
 
Por outro lado defini-se densidade relativa é definida pela razão entre asdensidades absolutas de duas substâncias, onde a densidade absoluta no denominador éa da substância escolhida como padrão:
 B A B A
 µ  µ  ρ 
=
É comum considerar a água como tal padrão, pois além da conveniência de suaabundância, sua densidade absoluta é de
3
cmg/1,00
1
O H 
 ρ 
para a temperaturaambiente (25 °C).
água subst água subst 
 µ  µ  ρ 
..
=
Para líquidos, é comum usar o mesmo volume de água e da substânciaanalisada, portanto
[4]
:
mm
água subst água subst 
..
=
 ρ 
água subst  subst 
mm
..
=
 ρ 

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->