Welcome to Scribd. Sign in or start your free trial to enjoy unlimited e-books, audiobooks & documents.Find out more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
5Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Codigo Melhores Praticas de GC

Codigo Melhores Praticas de GC

Ratings:

5.0

(1)
|Views: 530|Likes:
Published by heloisamotoki
Lançado em 1999, o código está em sua terceira versão. A primeira concentrou-se principalmente no Conselho de Administração, em seu funcionamento, composição e atribuições, refletindo claramente a tendência dominante na época. O documento foi elaborado a partir de reflexões sobre a Lei das Sociedades Anônimas, então vigente, e das discussões e conclusões de um grupo de empresários reunido em abril de 1997, no Top Management Summit, em Itu.

A segunda versão foi publicada em abril de 2001, na qual se consolidou os argumentos técnicos ao princípio da eqüidade entre os diferentes acionistas. O seu espectro foi alargado, passando a abordar todos os agentes da governança corporativa: Conselho de Administração, Conselho Fiscal, Gestores, Auditoria Independente, além de abordar o princípio da prestação de contas (accontability) e discutir conflitos de interesse e ética.

Na terceira versão, de março de 2004, destacou-se a inclusão do princípio de responsabilidade corporativa. A intenção era atentar para a perenidade das organizações, contribuindo com valores e orientações de estratégia empresarial. O princípio evidenciou a importância de as ações serem integradas, considerando também o aspecto social e ambiental, e não só econômico. Como o foco consiste na atuação responsável, isso se reproduz na "contratação preferencial de recursos oferecidos pela própria comunidade", por exemplo. O Código subdivide-se nos capítulos: Propriedade (sócios), Conselho de Administração, Gestão, Auditoria Independente, Conselho Fiscal, Conduta e Conflito de Interesses.

As modificações do Código refletem as constantes discussões e o aprofundamento dos temas ligados à governança corporativa, motivo que fez desse documento referência nacional em conduta de gestão empresarial, e referência nas escolas de negócios. Atualmente, o conteúdo do Código está sendo revisto por um comitê composto por associados do IBGC e será submetido à audiência pública antes de sua publicação.
Lançado em 1999, o código está em sua terceira versão. A primeira concentrou-se principalmente no Conselho de Administração, em seu funcionamento, composição e atribuições, refletindo claramente a tendência dominante na época. O documento foi elaborado a partir de reflexões sobre a Lei das Sociedades Anônimas, então vigente, e das discussões e conclusões de um grupo de empresários reunido em abril de 1997, no Top Management Summit, em Itu.

A segunda versão foi publicada em abril de 2001, na qual se consolidou os argumentos técnicos ao princípio da eqüidade entre os diferentes acionistas. O seu espectro foi alargado, passando a abordar todos os agentes da governança corporativa: Conselho de Administração, Conselho Fiscal, Gestores, Auditoria Independente, além de abordar o princípio da prestação de contas (accontability) e discutir conflitos de interesse e ética.

Na terceira versão, de março de 2004, destacou-se a inclusão do princípio de responsabilidade corporativa. A intenção era atentar para a perenidade das organizações, contribuindo com valores e orientações de estratégia empresarial. O princípio evidenciou a importância de as ações serem integradas, considerando também o aspecto social e ambiental, e não só econômico. Como o foco consiste na atuação responsável, isso se reproduz na "contratação preferencial de recursos oferecidos pela própria comunidade", por exemplo. O Código subdivide-se nos capítulos: Propriedade (sócios), Conselho de Administração, Gestão, Auditoria Independente, Conselho Fiscal, Conduta e Conflito de Interesses.

As modificações do Código refletem as constantes discussões e o aprofundamento dos temas ligados à governança corporativa, motivo que fez desse documento referência nacional em conduta de gestão empresarial, e referência nas escolas de negócios. Atualmente, o conteúdo do Código está sendo revisto por um comitê composto por associados do IBGC e será submetido à audiência pública antes de sua publicação.

More info:

Published by: heloisamotoki on Aug 04, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/11/2012

pdf

text

original

 
IBGC
Instituto Brasileiro deGovernança Corporativa
Código das Melhores Práticasde Governança Corporativa
 
IBGC
Instituto Brasileiro deGovernança Corporativa
Código das Melhores Práticasde Governança Corporativa
 
ÍNDICE
APRESENTAÇÃOOBJETIVOS E PRINCÍPIOS BÁSICOSTransparênciaEquidadePrestação de ContasResponsabilidade Corporativa
1
Propriedade
1.1Propriedade – sócios1.2Conceito "uma ação = um voto"1.3Acordos entre os sócios1.4Registro de sócios1.5Assembléia geral/reunião de sócios1.5.1Principais competências1.5.2Convocação – antecedência1.5.3Local,data e hora1.5.4Pauta e documentação1.5.5Propostas dos sócios1.5.6Perguntas prévias dos sócios1.5.7Regras de votação1.5.8Conflito de interesses nas assembléias gerais1.6Aquisição de controle1.7Condições de saída de sócios1.8Uso de informação privilegiada
(insider information) 
1.9Arbitragem
Código das Melhores Práticasde Governança Corporativa
091010101111111212121213131314141414151515160609
 © 1999 IBGC – Instituto Brasileiro de Governança Corporativa2
a
ed.20013
a
ed.2004 – 4
a
reimpressão em 2007

Activity (5)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Klesley Kennedy liked this
Klesley Kennedy liked this
marcelobohn liked this

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->