Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
7Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
A Filosofia do Karatê-Do no pensamento de Gichin Funakoshi e a influência psicoemocional sobre o praticante contemporâneo

A Filosofia do Karatê-Do no pensamento de Gichin Funakoshi e a influência psicoemocional sobre o praticante contemporâneo

Ratings: (0)|Views: 368 |Likes:
Published by Yuri Dittrich
Karate is a practice originated in India and China that was structured on the island of Okinawa, Japan, and whose basic foundation lies in the development of specific methods of self defense and self-development. (Evolution of the character and personality). Its philosophical, cultural, historical and psychological characteristics are key to understanding the spirituality present in this practice, which was codified by Gichin Funakoshi (1868-1957) at the beginning of the twentieth century and that ended up being spread worldwide. These principles are considered essential in order to meet the goals that guide this practical philosophy. Given the current presence of oriental martial arts in the Western context, where they are widely promoted as self-defense and sport, one wonders to what extent the ideal and principles of Funakoshi remain present. It also raise questions about the contributions of Karate-Do for quality and way of life of individuals who practice this martial art. To do so we conducted semi-structured interviews with practitioners of Karate-Do from three different generations, investigating the quality and manner that this influence happened on each one. Data analysis was made upon the spiritual philosophy of Karate-do and Bioenergetics Analysis Theory, by Alexander Lowen, understanding how the changes in awareness, physical, spiritual, mental and emotional happens on the practicer. According to the results, there are aspects of karate practice that are very present, such as perseverance and respect, and is usually considered a method of life. As for philosophy, the results suggest that the principles proposed by Gichin Funakoshi are still present, Providing the foundation for contemporary practice.
Karate is a practice originated in India and China that was structured on the island of Okinawa, Japan, and whose basic foundation lies in the development of specific methods of self defense and self-development. (Evolution of the character and personality). Its philosophical, cultural, historical and psychological characteristics are key to understanding the spirituality present in this practice, which was codified by Gichin Funakoshi (1868-1957) at the beginning of the twentieth century and that ended up being spread worldwide. These principles are considered essential in order to meet the goals that guide this practical philosophy. Given the current presence of oriental martial arts in the Western context, where they are widely promoted as self-defense and sport, one wonders to what extent the ideal and principles of Funakoshi remain present. It also raise questions about the contributions of Karate-Do for quality and way of life of individuals who practice this martial art. To do so we conducted semi-structured interviews with practitioners of Karate-Do from three different generations, investigating the quality and manner that this influence happened on each one. Data analysis was made upon the spiritual philosophy of Karate-do and Bioenergetics Analysis Theory, by Alexander Lowen, understanding how the changes in awareness, physical, spiritual, mental and emotional happens on the practicer. According to the results, there are aspects of karate practice that are very present, such as perseverance and respect, and is usually considered a method of life. As for philosophy, the results suggest that the principles proposed by Gichin Funakoshi are still present, Providing the foundation for contemporary practice.

More info:

Published by: Yuri Dittrich on Dec 13, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/27/2013

pdf

text

original

 
 
 A Filosofia do
Karate-Do
no Pensamento de Gichin Funakoshie a Influência Psicoemocional sobre o Praticante Contemporâneo
Yuri Dittrich Pereira da Silva
Universidade Positivo
Resumo
O
Karatê
 
é
uma prática originária da Índia e da China que se estruturou na ilha de
O
kinawa, Japão e cujofundamento basilar 
é
o desenvolvimento de m
é
todos específicos de defesa pessoal e autodesenvolvimento.(evolução do caráter e personalidade). Suas características filosóficas, culturais, históricas e psicológicas sãopeças-chave para a compreensão da espiritualidade presente nesta prática, que foi codificada por GichinFunakoshi (1868-1957) no início do s
é
culo XX e que acabou sendo difundida no mundo inteiro. Taisprincípios são considerados fundamentais para que o praticante do
Karate-do
atinja os objetivos quenorteiam esta filosofia prática. Perante a atual presença das artes marciais orientais no contexto ocidental,onde estão largamente difundidas como defesa pessoal e como esporte, questiona-se at
é
que ponto o ideal eos princípios de Funakoshi permanecem presentes. Al
é
m disso, tamb
é
m se questiona sobre quais ascontribuições do Karatê-Dô para a qualidade e modo de vida dos indivíduos que praticam esta arte marcial.Para tanto foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com praticantes de Karatê-Dô de três geraçõesdiferentes, investigando a qualidade e a forma pela qual se deu tal influência sobre os indivíduos
.
A análisedos dados foi feita à luz da filosofia espiritual do
Karate-do
e da Análise Bioenerg
é
tica de Alexander Lowen,compreendendo como se dão as modificações de consciência de caráter físico, espiritual, mental eemocional do sujeito. De acordo com os resultados há aspectos que a prática do Karatê trabalha, como aperseverança e o respeito, al
é
m de ser considerado um m
é
todo de vida. Quanto à Filosofia, os resultadoslevam a crer que os fundamentos propostos por Gichin Funakoshi estão ainda presentes, embasando aprática contemporânea.
Palavras-chave
: Karatê-Dô; espiritualidade; filosofia; psicologia; corpo; saúde.
Abstract
Karate is a practice originated in India and China that was structured on the island of 
O
kinawa, Japan, andwhose basic foundation lies in the development of specific methods of self defense and self-development.(Evolution of the character and personality). Its philosophical, cultural, historical and psychologicalcharacteristics are key to understanding the spirituality present in this practice, which was codified by GichinFunakoshi (1868-1957) at the beginning of the twentieth century and that ended up being spread worldwide.These principles are considered essential in order to meet the goals that guide this practical philosophy.Given the current presence of oriental martial arts in the Western context, where they are widely promoted asself-defense and sport, one wonders to what extent the ideal and principles of Funakoshi remain present. Italso raise questions about the contributions of Karate-Do for quality and way of life of individuals who practicethis martial art. To do so we conducted semi-structured interviews with practitioners of Karate-Do from threedifferent generations, investigating the quality and manner that this influence happened on each one. Dataanalysis was made upon the spiritual philosophy of Karate-do and Bioenergetics Analysis Theory, by Alexander Lowen, understanding how the changes in awareness, physical, spiritual, mental and emotionalhappens on the practicer. According to the results, there are aspects of karate practice that are very present,such as perseverance and respect, and is usually considered a method of life. As for philosophy, the resultssuggest that the principles proposed by Gichin Funakoshi are still present, Providing the foundation for contemporary practice.
Keywords:
Karate-Do; spirituality, philosophy; psychology; body; health.
 
 
2 |Página 
In
trodução - O Karatê
Introduzido no Brasil na d
é
cada de 50 por imigrantes japoneses, o Karatê (

)
 
tem galgado seu caminhoatrav
é
s da cultura brasileira, influenciando desde entãoseus praticantes em diversos aspectos. Segundo aFederação Brasileira de Karatê (FBK, 2009) atualmentehá centenas de milhares de praticantes no Brasil e maisde três mil
Dojos
1
 
espalhados pelo território nacional. SuaFilosofia e Prática, organizadas e difundidas inicialmentepor Gichin Funakoshi, baseiam-se não somente na práticafísica e aperfeiçoamento da t
é
cnica, mas principalmentena evolução do caráter e a percepção formativa eeducativa do indivíduo que vereda pelo caminho (
-
Do
)das mãos (
-Te
) vazias (
-Kara
). Tal característica sedá pelos princípios da arte, influenciada por diversasdoutrinas de cunho oriental como o zen-budismo(Hironishi in Funakoshi, 1984, p. vii- xi) e o confucionismo(Funakoshi, 1984, p. 3, 13,-15), que Funakoshipreocupou-se em manter intacta ao difundi-la. Essa erauma ± se não a sua maior ± preocupação com asgerações posteriores de praticantes; que a filosofia do
Karate-do
continuasse a ser um caminho para aampliação de virtudes e melhora da qualidade de vida,uma vez que o verdadeiro Karatê instruiria tanto mentequanto corpo (Funakoshi & Nakasone, 2003, p. 16).Professor de escola primária desde a adolescência,Funakoshi era descendente de alta nobreza e viveu noconturbado último ano da era
Meiji 
 japonesa. A
é
pocapolêmica de quebra de regras tradicionais, como a docorte de cabelo que simbolizava a maturidade e o portede espadas, acabou sendo tamb
é
m a
é
poca queFunakoshi utilizou como alavanca para apresentar oKaratê ao Japão (Funakoshi, 1984, p. 13-17, 37). Passoua lecionar a arte-marcial em suas aulas e para osinteressados, acabando por ir morar em Shuri e Nahadurante mais de 30 anos, treinando todos os dias (Ibid, p.5). Sem negar sua educação confucionista, Funakoshiainda dedicou-se a reproduzir a filosofia do Karatêempregada pelo seu mestre Itosu Anko, tornando-a
³Karate-do´,
ou o
caminho das mãos vazias
(Ibid.). Talfilosofia foi condensada em Vinte PrincípiosFundamentais, são eles:1: "Não se esqueça que o Karatê-do começa etermina com
Rei" 
.
Rei 
 
é
uma palavra japonesa quetraduzida exprime "respeito", mas pode ser interpretadatamb
é
m como "cortesia" ou "auto-estima" ou seja:respeito próprio, podendo a partir dele respeitar os outros(Funakoshi & Nakasone, 2003, p. 19-20). Todas as artesmarciais japonesas começam e terminam com
Rei,
poisse não forem praticadas com um sentimento dereverência e respeito, serão simplesmente outras formasde violência (Ibid. p. 20).
1
 
³Dojo´ 
é
uma palavra de origem japonesa cujo significado
é
 ³lugar do caminho´. É o ambiente de treinamento formal dospraticantes de artes-marciais.
2: "Não existe primeiro golpe no Karatê". Atrav
é
s dainfluência Zen e dos princípios Confucionistas no
Budo
eno
Bushido
, o Karatê assume uma postura não-agressivademonstrada pela temperança, prudência e sabedoriafrente a uma situação perigosa (Funakoshi & Nakasone,2003, p. 24-25). De acordo com Anko Itosu, o verdadeirosentido do Karatê
é
sempre evitar um desfecho violento eevitar a todo custo um golpe mortal, a não ser que nãohaja outra saída a não ser que não haja outra saída, ondeaí será uma situação de vida-ou-morte e deverá portantolutar com todo o espírito, t
é
cnica e corpo (Funakoshi &Nakasone, 2003, p. 25-26).3: "
O
Karatê permanece do lado da Justiça". Asmãos, braços e pernas do karateka são como espadas,portanto não devem ser utilizadas para propósitoserrados, egoístas ou injustos (Funakoshi, 1984, p. 15).Leva-se em conta tamb
é
m a vertente confucionista quecomenta que ser Justo
é
: ser gentil sem ser corruptível,ter ambições sem ser avarento, ter dignidade sem orgulhoindevido e inspirar respeito sem ser cruel (Strathern,1998, p. 45-52)4: "Primeiro conheça a si mesmo, depois conheça osoutros". Funakoshi dizia que entrar em uma batalha semconhecimento próprio e sem conhecimento do adversário,
é
como lutar com os olhos vendados (Funakoshi &Nakasone, 2003, p. 34). Sun Tzu, c
é
lebre filósofo da arteda guerra, dizia "Quando se conhece o inimigo e a simesmo, não se corre perigo nem em uma centena debatalhas" (Bushido, 2005, p. 45). Dizia tamb
é
m que saber das habilidades do seu inimigo
é
metade do caminho paraa vitória (Funakoshi, 1984, p.15) Por esses ensinamentosdeduz-se que a função do auto-conhecimento em seusdiversos níveis
é
fundamental para que possa obter sucesso em qualquer objetivo que se tenha em mente.5: "
O
pensamento acima da t
é
cnica". Anterior ao usoda t
é
cnica e seu aprimoramento, há a capacidade doespírito e reflexão interior. Antes da capacidade de ser t
é
cnicamente hábil, deve haver a capacidade de previsãoe contemplação, pois uma atitude descuidade não hát
é
cnica que corrija (Bokuden in Funakoshi & Nakasone,2003, p.40)6: "A mente deve ficar livre". A partir do momento quea mente fica livre para ir e vir, há uma natureza para queela siga o caminho que lhe foi necessário ao momento,sem que haja a necessidade de controlá-la com firmeza eacabe por afugentando sua liberdade (Funakoshi eNakasone, 2003, p. 45)7: "
O
Infortúnio resulta de um descuido". Essefundamente demonstra a responsabilidade da atitude do
karateka
, das causas e efeitos das suas vidas não comoinfortúnios casuais - mas sim resultados diretos de nossosdescuidos. Para tanto não há fortuna ou infortúnio, massim resultados de sua atitude ou falta dela.8: "
O
Karatê vai al
é
m do Dojo". A prática do Karatê
é
 mais do que mero exercício físico,
é
uma filosofia e umaforma de viver (Funakoshi, 1984, p. 45-68, 106) pos crêque para devidamente se conhecer a prática, deve-sevivê-la com corpo e alma (Ibid.).
 
3
|Página 
9. "
O
Karatê
é
uma atividade vitalícia". Com a mesmalinha de raciocínio do fundamento anterior, entende-seque a prática
é
constante e aplicável a toda uma vida, jáque não existe momento em que a prática chega a umápice e nada mais se aprenderá daquele assunto(Funakoshi & Nakasone, 2003, p. 57-59).10. "Aplique o sentindo do Karatê a todas as coisas.Isso
é
o que ele tem de belo". Um golpe ou chute, dadoou recebido, podem significar vida ou morte (Funakoshi &Nakasone, 2003, p. 63), enfrenta-se portanto todosaspectos da vida como se eles tivessem tal seriedadecomo a vida ou a morte.11. "
O
Karatê
é
como água fervente: sem calor,retorna ao estado t
é
pido". Somente com um treinamentocontínuo se pode realmente entrar em contato com oCaminho do Karatê, caso não seja levado com seriedadenão haverá real benefício (Funakoshi & Nakasone, 2003,p. 68)12. "Não pense em vencer, em vez disso pense emnão perder".
O
otimismo excessivo causa impaciência emau-humor, não preparando o indivíduo para as situaçõesadversas da derrota (Funakoshi & Nakasone, 2003, p. 72)portanto deve-se estar sempre preparado para qualquer situação, e aprender a despertar as possibilidades (Ibid. p.73)13: "Mude de posição de acordo com o adversário".Sun Tzu dizia que os soldados e tropas devem ser comoágua corrente: adaptarem-se ao terreno e ao inimigo,dominando o espaço plano e sem resistência ao passo dehabilmente achar o caminho entre as grandes pedras deum rio, evitando seus pontos fortes (Bushido, 2005, p. 72).Deve-se portanto manter uma postura adaptável deacordo com a necessidade.14: "
O
resultado de uma batalha depende de comoencaramos o vazio e o cheio". Muito semelhante aofundamento anterior, versa-se aqui sobre a atitude mentalem batalha e adaptabilidade t
é
cnica e mental a diversassituações da vida.15: "Considere as mãos e os p
é
s do adversário comoespadas". Ensinamento passado para Funakoshi pelomestre Azato, onde deve em todos os sentidos considerar durante o combate todos os golpes desferidos comomortais (Funakoshi, 1984, p. 15) e acompanhando osentido de seriedade que se encara os aspectos docaminho, sendo sempre uma arte defensiva e não deveser usada com propósitos ofensivos (Ibid. p. 93).16: "Ao sair pelo seu portão você se depara com ummilhão de inimigos".
O
descuido
é
grande inimigo ao sair da segurança de casa pois se não se está da melhor forma, atraímos encrenqueiros e problemas (Funakoshi &Nakasone, 2003, p. 87-88). Portanto deve-se manter prontidão e alerta ao sair de qualquer situação segura e jáconhecida (Ibid.).17: "A
Kamae
 
é
para os iniciantes; com o tempoadota-se a
Shizentai". Kamae
 
é
a postura de atenção,prontidão e at
é
certo ponto, intenção de ação (Funakoshi,1998, p. 59) já a
Shizentai 
assume uma postura mental ecorporal sem necessidade de assumir postura de combateespecífica (Funakoshi & Nakasone, 2003, p. 94) sendoassim portanto após certo nível, se assume uma posturanatural de atenção em todos os momentos, por 
é
m nemsempre com intenção combativa.18: "Execute o
Kata
corretamente: o combate real
é
 outra questão"
Kata
são sequências de golpes pr 
é
-estabelecidos que simulam um combate, que segundoFunakoshi devem sempre ser polidas corretamente embusca da perfeição (Funakoshi, 1984, p. 6, 41, 106). Emcombate não deve-se limitar ao
Kata
, mas atrav
é
s daprática fluente pode-se utilizá-lo corretamente (Ibid.)19: "Não se esqueça de imprimir ou subtrair a força,de distender ou contrair o corpo, de aplicar a t
é
cnica comrapidez ou lentamente". Unindo esse fundamento aos deaplicabilidade do vazio/cheio e adaptabilidade de acordocom o adversário chega-se a uma postura de combateplena, onde sabe-se como aplicar cada movimento emprol de evitar a derrota (Funakoshi & Nakasone, 2003, p.106)20: "Mantenha-se sempre atento, diligente e capaz nasua busca pelo Caminho".
O
vig
é
simo fundamentocompreende o sentido dos outros dezenove. Do ponto devista tanto psicológico quando físico o praticante deveestar sempre atento (Funakoshi & Nakasone, 2003, p.109) em prol de atingir sabedoria e entendimento doverdadeiro Caminho (Musashi, 2010, p. 45-46). A prática do Karatê conta com, al
é
m dosfundamentos brevemente explicados acima, diversasestruturas de treinamento e focos específicos deimportância. Existem diversos pontos característicos paratal, como repetição de golpes tanto de membrossuperiores quanto inferiores, preocupação específica coma respiração e extensivo treinamento de s
é
ries pr 
é
-estabelecidas de golpes. Resumidamente pode-se definir a prática do Karatê com três grandes núcleos: o
Kihon,
o
Kata
e o
Kumite
.
Kihon
pode ser traduzido como ³básico´ ou³fundamental´ e
é
nas artes marciais o ato constante detreinar golpes e posturas básicas que são fundamentaispara o resto da prática. Tais treinamentos são tãoimportantes quanto qualquer t
é
cnica avançada, suaprática intensiva
é
obrigatória a qualquer 
karateka
2
 
quebusque atingir elevados níveis de proficiência (Funakoshi,1984, p.41).
O
objetivo de tal importância
é
fazer osmúsculos trabalharem especificamente para os golpes doKaratê, e adquirir uma esp
é
cie de ³memória muscular´para usar o corpo com eficácia e precisão.
Kata
significa ³postura´ ou ³forma´, caracteriza-sepela seqüência estabelecida de golpes e posturasbaseadas em simulações de combate, visandotreinamento específico dos aprendizados do
Kihon.
Posturas abertas e baixas são muitas vezes utilizadaspara fortalecer a musculatura das pernas, assim como osconstantes golpes servem para aprimorar a capacidadecardiovascular e respiratória do praticante.
2
 
³Karateka´ 
é
uma palavra de origem japonesa cujo significado
é
 ³praticante de karatê´, sendo usada mundialmente para definir oadepto de tal arte-marcial.
 

Activity (7)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads
hal1971 liked this
Eduardo Wagner liked this
Adilson Marmane liked this
zeraki_kenpachi liked this
lipdan liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->