Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
2Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
FERRAMENTAS GERENCIAIS

FERRAMENTAS GERENCIAIS

Ratings: (0)|Views: 831|Likes:
Published by Neil Ferreira
CONCEITOS ESSENCIAIS SOBRE AS 07 FERRAMENTAS GERENCIAIS DA QUALIDADE
CONCEITOS ESSENCIAIS SOBRE AS 07 FERRAMENTAS GERENCIAIS DA QUALIDADE

More info:

Published by: Neil Ferreira on Dec 23, 2010
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, DOCX, TXT or read online from Scribd
See More
See less

07/19/2013

pdf

text

original

 
CURSO FACILITADOR DA QUALIDADE TOTALCONCEITOS ESSENCIAIS SOBRE AS 07 FERRAMENTAS GERENCIAIS DA QUALIDADE
Introdução
 O objetivo deste tutorial é mostrar um breve resumo sobre as Sete Ferramentas do Controleda Qualidade que foram organizadas por Kaoru Ishikawa. Estas ferramentas são de muitautilidade para a solução de problemas e podem ser utilizadas em conjunto ou mesmoseparadamente. É comum por exemplo, a utilização do gráfico de pareto e do diagrama decausa e efeito em conjunto. Outras associações de ferramentas estão sempre presentes nocontrole da qualidade.Ao término do tutorial, será incluída uma oitava ferramenta  Estratificação - que emboranão fizesse parte das sete ferramentas originais de Ishikawa, tem sido muito utilizada noControle da Qualidade e portanto, vale a pena a sua descrição.As Sete Ferramentas da Qualidade são:
y
 
Gráfico de Pareto 
y
 
Diagrama de Causa e Efeito(Ishikawa)
y
 
H
istograma 
y
 
Folha de Verificação
y
 
Gráfico de Dispersão 
y
 
Fluxograma 
y
 
Carta de Controle
G
ráfico de Pareto
 O gráfico de pareto é um gráfico de barras que dispõe a informação de forma a tornarevidente e visual a priorização de temas. A informação assim disposta também permite oestabelecimento de metas numéricas viáveis de serem alcançadas.A figura abaixo é um exemplo de aplicação do Gráfico de Pareto, relacionado a problemasem cobrança. O gráfico demonstra quantos casos são referentes a cada um dos problemaslistados no eixo horizontal  notas fiscais atrasadas, cobrança indevida, problemas no setor,nota fiscal errada, recebimento errado no caixa e outros.
 
CURSO FACILITADOR DA QUALIDADE TOTALCONCEITOS ESSENCIAIS SOBRE AS 07 FERRAMENTAS GERENCIAIS DA QUALIDADE
Conforme podemos observar, para diminuirmos os problemas em cobrança, será adequadoiniciar tratando o atraso das notas fiscais, uma vez que se tem muitos mais casos de notasfiscais atrasadas que recebimento errado no caixa, por exemplo. Percebe-se então, que oGráfico de Pareto é particularmente útil na priorização de temas. Não significa que não sedeva tratar os demais problemas, mas se iniciarmos pelo que apresenta o maior número decasos, provavelmente economizaremos mais recursos e mais tempo.
Resumindo, o Gráfico de Pareto dispõe a informação de forma a permitir a concentração dosesforços para melhoria nas áreas onde os maiores ganhos podem ser obtidos.
D
iagrama Causa e Efeito
O Diagrama de Causa e Efeito é também conhecido como Diagrama de Ishikawa, ou Espinhade Peixe.O método do Diagrama de Causa e Efeito atua como um guia para a identificação da causafundamental de um efeito que ocorre em um determinado processo.A figura a seguir mostra uma aplicação do Diagrama de Ishikawa.
 
CURSO FACILITADOR DA QUALIDADE TOTALCONCEITOS ESSENCIAIS SOBRE AS 07 FERRAMENTAS GERENCIAIS DA QUALIDADE
Dado um efeito no produto ou em um processo, devemos procurar dentro dos quadradosquais poderiam ser as causas relacionadas a este tema (os seis Ms) que poderiam serresponsáveis pelo problema ou efeito detectado.Em geral, este tipo de ferramenta é aplicado em grupos interdisciplinares de forma que ogrupo tenha condições de detectar diversas possíveis causas para o efeito, sendo que cadaparticipante contribui com seu conhecimento específico. É importante que se consideretodas as causas possíveis, mesmo que o grupo ache que uma causa específica não seja aresponsável.É muito comum a utilização de outras técnicas, tais como "brainstorming", na determinaçãodas possíveis causas para que o grupo possa considerar todas as possibilidades.Dependendo do tipo de problema a ser resolvido, pode ser necessário a construção de umsub-diagrama para a causa que o grupo ache que seja a mais provável, quando este fator écomposto de outros sub-fatores. A figura abaixo mostra um exemplo de sub-diagramas.

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->