Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
3Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Uma Lição de Amor

Uma Lição de Amor

Ratings: (0)|Views: 803 |Likes:

More info:

Published by: Elson Buzaglo Cordovil on Jan 01, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/28/2012

pdf

text

original

 
FUNDAÇÃO JOÃO NEÓRICO ATIVIDADE INTERDISCIPLINAR: PORTUGUÊS / PSICOLOGIAPROFESSORES: NEUSA ROCHA E MIGUEL ANGELTURMA: DIREITO D-112 / FARO ALUNO: ELSON SYDNEY BUZAGLO CORDOVIL ATIVIDADE INTERDISCIPLINARPORTUGUÊSPSICOLOGIAEste trabalho é resultado de uma criativa atividade interdisciplinar realizada pelos professores das disciplinas de Língua Portuguesa e PsicologiaGeral, da Fundação João Neórico - FARO, do curso de graduação em Direito,turma D-112/2010, e tem como proposta avaliar os argumentos que envolvemo processo psicológico do drama vivido pela pequena Lucy e seu pai Sam, nofilme ³Uma Lição de Amor´, bem como estimular a aplicação prática da línguaportuguesa, dentro de um discurso consistente, claro, organizado e coerente,acerca da questão do poder familiar de pessoas deficientes e do preconceitoque envolve esta relação.Consiste em analisar o filme, que servirá de base para argumentação eposicionamento do acadêmico de Direito, em relação à concessão de guardade filhos de pais portadores de deficiências mentais, levando em consideraçãoos critérios guias - Standard - promulgados pelas cortes de Minnesota e deMichigan, nos Estados Unidos.O filme retrata uma história de ficção em que as personagens vivem umdrama, no qual Sam, pai de Lucy, é um deficiente com idade mentalequivalente a de uma criança de sete anos, mas que demonstrou ter todo amor e o desejo de querer cuidar de sua filha. Apesar de todas suas limitações, após ter sido abandonado na porta dohospital pela mãe da criança, ele vai para casa com Lucy. Com a ajuda davizinha e de seus amigos, também portadores de deficiência mental, cuidou dacriança até completar sete anos. A partir dessa idade, Lucy já começa a fazer inúmeras indagações aopai, e com o tempo, em razão do seu comportamento estranho, ela percebeque ele é diferente.Neste contexto, o poder público discute a incapacidade dele para cuidar de sua própria filha e são levantadas questões jurídicas relacionadas à guarda
 
e adoção. Daí para frente desenrola todo o drama em que o poder público tentadecidir se Lucy continua com o pai ou não.Sam por sua vez é orientado a procurar um advogado. Inicialmente aadvogada não queria atendê-lo, já que ele não teria condição de pagar pelosserviços. A seguir, pressionada pelos amigos resolve fazer a defesa de Samsem cobrar nada.O final do filme não mostra a sentença do caso, não deixando claro comquem ficou oficialmente a guarda da menina.Neste contexto, inicia-se a argumentação em relação à guarda de Lucyno ³Filme uma Lição de Amor´, considerando os critérios guias
Standard,
 estabelecidas pela corte de Minnesota e de Michigan em consonância com oCódigo Civil Brasileiro.Traçando um paralelo entre o que ocorre no filme e o ordenamento jurídico Brasileiro, acredita-se que seria quase impossível a outorga da guardade Lucy aos cuidados de Sam, considerando ser uma pessoa relativamenteincapaz, conforme estabelece o disposto no Código Civil Brasileiro de 2002, emseu art. 4, inciso III.Por força deste dispositivo Sam é considerado uma pessoa que não podepraticar qualquer ato da vida civil, a não ser que estivesse juridicamenteassistido por um representante legal.O Art. 1.633 do Código Civil brasileiro também preconiza que: ³o filho,não reconhecido pelo pai, fica sob poder familiar exclusivo da mãe; se a mãenão for conhecida ou capaz de exercê-lo, dar-se-á tutor ao menor.´No que tange aos critérios guias
Standard 
, entendemos que Sam tambémnão lograria êxito em sua demanda judicial junto à Corte de Minnesota e deMichigan.Em que pese o primeiro critério tratar da ³existência de amor, afeto eoutros vínculos entre as partes´, sentimentos fortes e presentes, norelacionamento entre pai e filha, este critério não pode ser avaliadodesvinculado dos demais.San possuía capacidade e disponibilidade para dar assistência materialpara sua filha, colocá-la em uma escola, dar cuidados médicos e psicológicos,pois, trabalhava e era remunerado. Até mesmo na hora do aperto buscava
 
auxílio e orientação de amigos. Nestes itens San atenderia aos critérios 1, 2, 7(Critérios guias, Ackermann, citado por Arce e Farina, 2000).Porém, a capacidade e disponibilidade de qualquer das partes para dar afeto, amor, assistência material, devem estar associadas à capacidade decontinuidade na educação dos filhos, inclusive preparando-o para o convíviosocial e comunitário.Neste ponto, o aspecto da relação paterna no convívio social ecomunitário é negativo. San não demonstra capacidade de acompanhar orápido desenvolvimento de Lucy. Isso afeta o seu aprendizado, uma vez que amenina já estava com seu psicológico abalado e não queria desenvolver ahabilidade de leitura para não ser diferente do pai.Em outro momento, a menina nega até a paternidade (diz que era adota)para não sofrer ainda mais com as observações de seus amigos.O ambiente familiar de Lucy não era adequado, quanto à possibilidade demaior tempo possível num ambiente de confiança que pudesse dar continuidade das relações estáveis, pois o comportamento estranho de Samnão permitia considerá-lo de confiança. Portanto, neste critério ele pode ser considerado incapaz de exercer o papel de responsável pela manutenção deuma ordem familiar estável.Em que pese o pai gostar de atividades culturais, de filmes, de visitar oparque, podemos afirmar que o ambiente cultural de Lucy era limitado, o queesbarra no cumprimento do critério de background cultural dos filhos.Lucy não tinha parâmetros para escolha de preferência, uma vez queseu núcleo familiar era formado por ela e seu pai. Como ela ainda era umacriança de sete anos não tinha maturidade para expressar os seus desejos depreferência de forma livre e autêntica. Portanto, este critério
Standard 
não deveser considerado neste momento.Quanto à formação de um novo ambiente de confiança, que possa dar continuidade de representação de um núcleo familiar, sabemos que nos diasatuais os núcleos familiares não seguem mais os padrões tradicionais: pai, mãee filhos. Muitos núcleos são formados por mães e filhos ou pais e filhos, outrosaparecem à figura dos avôs, dos padrastos e das madrastas. Neste caso,poderia se pensar em um núcleo familiar diferente e adequado ao caso de Same Lucy.

Activity (3)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Danielle Duarte liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->