Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
21Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Enem2004 - Prova 01 - Amarela - Resoluções Objetivo

Enem2004 - Prova 01 - Amarela - Resoluções Objetivo

Ratings:

4.0

(1)
|Views: 9,917|Likes:
Published by INEP

More info:

Published by: INEP on Aug 09, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

12/03/2012

pdf

text

original

 
O
 
OB
 
BJ
 
JE
 
ET
 
TI
 
IV
 
VO
 
O
 
E
 
EN
 
NE
 
EM
 
M 
A
 
Ag
 
go
 
os
 
st
 
to
 
o
 / 
 
 / 
2
 
20
 
00
 
04
 
4
REDAÇÃOLeia com atenção os seguintes textos:
Caco Galhardo. 2001.
Os programas sensacionalistas do rádio e os pro-gramas policiais de final da tarde em televisão saciamcuriosidades perversas e até mórbidas tirando suamatéria-prima do drama de cidadãos humildes que apa-recem nas delegacias como suspeitos de pequenoscrimes. Ali, são entrevistados por intimidação. Ascâmeras invadem barracos e cortiços, e gravam sempedir licença a estupefação de famílias de baixíssimarenda que não sabem direito o que se passa: um paren-te é suspeito de estupro, ou o vizinho acaba de serpreso por tráfico, ou o primo morreu no massacre defim de semana no bar da esquina. A polícia chega ati-rando; a mídia chega filmando.
Eugênio Bucci.
Sobre ética e imprensa.
São Paulo:Companhia das Letras, 2000.
Quem fiscaliza [a imprensa]? Trata-se de temacomplexo porque remete para a questão da responsa-bilidade não só das empresas de comunicação comotambém dos jornalistas. Alguns países, como a Suéciae a Grã-Bretanha, vêm há anos tentando resolver o pro-blema da responsabilidade do jornalismo por meio demecanismos que incentivam a auto-regulação damídia.
http://www.eticanatv.org.brAcesso em 30/05/2004.
No Brasil, entre outras organizações, existe o 
Observatório da Imprens
– entidade civil, não-gover- namental e não-partidária –, que pretende acompanhar o desempenho da mídia brasileira. Em sua página ele- trônica , lê-se: 
Os meios de comunicação de massa são majorita-riamente produzidos por empresas privadas cujas deci-sões atendem legitimamente aos desígnios de seusacionistas ou representantes. Mas o produto jornalísti-co é, inquestionavelmente, um serviço público, comgarantias e privilégios específicos previstos naConstituição Federal, o que pressupõe contrapartidasem deveres e responsabilidades sociais.
http://www.observatorio.ultimosegundo.ig.com.br(adaptado)Acesso em 30/05/04.
Incisos do Artigo 5º da Constituição Federal de 1988:IX – é livre a expressão da atividade intelectual, artísti-ca, científica e de comunicação, independen-
E
 
EN
 
NE
 
EM
 
M2
 
20
 
00
 
04
 
4
V
 
Ve
 
er
 
rs
 
sã
 
ão
 
oA
 
Am
 
ma
 
ar
 
re
 
ella
 
a
 
O
 
OB
 
BJ
 
JE
 
ET
 
TI
 
IV
 
VO
 
O
temente de censura ou licença;X – são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra
 
e a imagem das pessoas, assegurado o direito aindenização pelo dano material ou moral decorren-te de sua violação.Com base nas idéias presentes nos textos acima, redi- ja uma dissertação em prosa sobre o seguinte tema:
Como garantir a liberdade de informação e evitarabusos nos meios de comunicação?
Ao desenvolver o tema proposto, procure utilizar osconhecimentos adquiridos e as reflexões feitas aolongo de sua formação. Selecione, organize e relacioneargumentos, fatos e opiniões para defender seu pontode vista e suas propostas.Observações:Seu texto deve ser escrito na modalidade culta da lín-gua portuguesa.• O texto
não
deve ser escrito em forma de poema(versos) ou narração.O texto deverá ter no mínimo 15 (quinze) linhas escri-tas.• A redação deverá ser apresentada a tinta e desen-volvida na folha própria.• O rascunho poderá ser feito na última folha desteCaderno.
E
 
EN
 
NE
 
EM
 
M 
A
 
Ag
 
go
 
os
 
st
 
to
 
o
 / 
 
 / 
2
 
20
 
00
 
04
 
4
 
O
 
OB
 
BJ
 
JE
 
ET
 
TI
 
IV
 
VO
 
O
 
Comentário à Redação
Fiel ao compromisso de propor temas de cunho social, o Enem desta feita convidou o estudante a refletir sobre uma das questões mais comentadas na atualidade: 
Como garantir a liberdade de informação eevitar abusos nos meios de comunicação?
Em outras palavras, como contar, numa democracia, com jornalis- tas independentes, desobrigados de qualquer "acordo" com patrões, políticos ou quaisquer outras figuras influentes? Como garantir que a isenção prevaleça no exercício de função tão relevante? Com vistas a facilitar o desempenho do estudante e, ao mesmo tempo, nortear sua discussão, a Banca Examinadora forneceu-lhe alguns subsídios, constituí- dos de uma tira e de quatro fragmentos, dentre os quais dois incisos de artigo constitucional que assegu- ram a liberdade de expressão de intelectuais e profis- sionais de comunicação – entre outros –, sem deixar,contudo, de buscar proteger, de qualquer violação, a imagem e a privacidade dos cidadãos.Para proceder à própria análise da questão propos- ta, o estudante deveria, antes de mais nada, reconhe- cer a existência de abusos praticados, por exemplo,por profissionais especializados em reportagens, exi- bidas à exaustão na tevê, que transformam, de manei- ra totalmente inescrupulosa, tragédias pessoais em espetáculo. Caberia, ainda, mencionar o papel da imprensa escrita, cuja atuação, ainda que por vias dis- cutíveis, tem contribuído para trazer a público diversos escândalos de corrupção, como desvio de dinheiro público, sonegação de impostos etc., envolvendo até mesmo integrantes do alto escalão governamental.Caso estivesse acompanhando o noticiário recen- te, o estudante poderia lembrar a polêmica em torno do projeto de criação do Conselho Federal de Jornalismo, defendido com veemência pelo governo como forma de "disciplinar e fiscalizar" o trabalho dos  jornalistas brasileiros, evitando dessa forma o "denun- cismo" ou o emprego de métodos ilícitos – como gram- po telefônico – que colocariam sob suspeita a reputa- ção de homens públicos de integridade teoricamente inquestionável. Resultaria, dessas considerações, um provável impasse, que deveria ser resolvido pelo estu- dante: a quem atribuir a responsabilidade de conter os excessos dos meios de comunicação? Ao Estado,ainda que isso representasse uma forma de censura ou de intimidação do profissional de imprensa? Outra opção seria apostar na criação de entidades indepen- dentes, representativas da sociedade, que, por meio de mecanismos de auto-regulação, promovessem uma constante fiscalização que garantisse liberdade acom- panhada de ética e responsabilidade.
E
 
EN
 
NE
 
EM
 
M 
A
 
Ag
 
go
 
os
 
st
 
to
 
o
 / 
 
 / 
2
 
20
 
00
 
04
 
4

Activity (21)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Terezinha Pabis liked this
Gabriela Onofre liked this
Leo Santana liked this
Simone Baltazar liked this
Thales Abreu liked this
Thiago Resende liked this
Dayse Karoline liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->