Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
52Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
CONTABILIDADE GERAL

CONTABILIDADE GERAL

Ratings:

5.0

(3)
|Views: 12,319 |Likes:
Published by anon-132239

More info:

Published by: anon-132239 on Aug 12, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/26/2013

pdf

text

original

 
Por que se debita? Por que se credita?
 Por qual razão ascontas ativas têm saldos devedores, e as passivas têm saldos credores? Como se chega ao balanço? São perguntas dessetipo que esta apostila tentará responder.O fim destas lições é mostrar a lógica da Contabilidade. Não se desce, para isso, a aspectosformais ou legais da questão.Diálogosinseridos em cada capítulo tentam reforçar o transmitido.Usou-se neles a figura fictícia do bancário Silva, a ensinar a colegas seus de banco. Os principaistópicos e um diálogo são vistos aqui. Lógica dos registros
Função
 Pode-se dizer que a expressão
X = 3Y - 10
é uma função explícita de "
X
" e implícitade "Y", porque o valor de
X
” está claro, e o de “Y” precisa ser deduzido. Por analogia, os registroscontábeis são uma função clara
 
de terceiros do tipo
terceiros
-entidade.Terceiros são as contasque guardam coisas da entidade ou com ela se relacionam. A função implícita é entidade-
terceiros.
Os terceiros são, pois, representados por contas.
Dualista
 Saldos devedores são
débitos claros
de terceiros e créditos ocultos da entidade.Saldos credores são
créditos claros
de terceiros e débitos ocultos da entidade. A Contabilidadetem sempre essas duas faces. Uma está virada. A outra, encoberta. Ver isso é básico para bementendê-la.
Opção
Poderia o registro explícito ser o inverso, ou seja, entidade-terceiros. Mas o plural é que serelaciona com o singular, de modo claro. É assim na vida prática. Por exemplo, os fregueses, emgeral, vão ao açougueiro. Não é o contrário. Análoga é a base dos registros contábeis. Invertida arelação, tudo poderia funcionar, porém com dificuldades.
Analogias
Na vida há débitos e créditos. Quem recebe algo é devedor. Quem entrega algo é credor."Fulano é devedor da amizade de sicrano" porque este ofereceu (entregou) amizade àquele. Osegundo é credor do primeiro. Quando este retribui a estima (entrega), torna-se credor do primeiro.Se os fluxos mútuos são iguais, há equilíbrio. Débitos e créditos iguais se anulam. Isso reforça aamizade porque ninguém fica a dever nada ao outro. As discórdias começam a surgir se a diferençaentre essas correntes se acentua ou quando elas somem. Aí pode começar a inimizade.
 
Marido e mulher recebem e dão amor um ao outro. Debitam-se e creditam-se. Caso comecea haver muito desnível nesses sentimentos recíprocos, a união fica em risco. Se eles somem,acaba-se o casamento. O equilíbrio nas contas do amor mantém os casais unidos. 
Teoria
 As contas são tidas como pessoas. Umas guardam coisas da empresa. Exemplos
:
Caixa(guarda dinheiro), Mercadorias, Imóveis, Móveis etc. Outras se relacionam com a empresa
:
Clientes,Duplicatas a Receber, Fornecedores etc. Outras representam o(s) dono (s) da empresa
:
Capital,Reservas, Despesas, Receitas etc. 
Débito e crédito
 Se uma conta recebe algo ou assume o compromisso de entregar algo, é
debitada
. Se umaconta entrega algo ou adquire o direito de receber algo, é
creditada.
Observe-se aí que essesconceitos são opostos. Esse algo pode ser dinheiro ou algo mais. Para anular ou reduzir um débito,
credita-se.
Para anular ou reduzir um crédito,
debita-se
.Em Contabilidade não se usa borracha. Para corrigir um erro, faz-se o registro contrário. Umdébito anula um crédito e vice-versa. É o
estorno
. 
Usos e fontes 
O ativo (bens e direitos) pode ser visto como usos ou aplicações. O passivo (obrigações)pode ser visto como fontes ou origens dos usos. O passivo é uma fonte com duas torneiras, a jorrar água (recursos próprios e de terceiros). O ativo é o depósito para onde a água vai (seu uso). Se acoisa desanda no depósito, citadas torneiras podem querer sugar a água de volta.
Igualdade
 Como todo uso (ativo) tem de ter uma fonte igual (passivo), própria ou de terceiros, o
ativoserá sempre igual ao passivo
, em qualquer hipótese, embora a empresa possa está quebrada.Nesse caso, o ativo pode ter aplicação perdida, muito uso podre como prejuízos, direitos incobráveisetc. Aí o passivo real (recursos de terceiros) engole o ativo real (ativo bom). É a falência. Mas,nominalmente, o ativo será sempre igual ao passivo pelo que foi dito e em face deste princípiobásico
:
não há débito sem crédito e vice-versa. Capital fica no passivo como fonte e obrigação daempresa para com seu (s) dono (s). É o "passivo não exigível", opondo-se ao passivo real(exigível).O conjunto ativo/passivo é o
patrimônio
. Essa noção pode ser aplicada também a qualquer entidade e até as pessoas físicas, razão por que cada um pode, nesse sentido, dar um balanço emsua vida e saber como andam seu ativo e passivo e como vai sua saúde financeira. 
 
Saldos
 As contas de saldos devedores, como aplicações e débitos explícitos de terceiros (créditosimplícitos da empresa), ficam no ATIVO. As contas de saldos credores, como origens e créditosexplícitos de terceiros (débitos implícitos da empresa), ficam no PASSIVO. Os registros contábeissão sempre explícitos em relação a terceiros, como já foi dito.
Simples
 Para identificar débitos e créditos em registros no
Diário
(livro obrigatório em ordemcronológica), no uso de
partidas dobradas
(emprego de débito e crédito), é básico antes fazer estas duas simples perguntas
:
Quem (qual conta) recebeu?
 
Quem (qual conta) entregou?
 Em geral, dada uma resposta, a outra fica evidente. Aí, é só fazer o registro no Diário. Depois,parte-se para o registro no Razão. 
Princípio das equações
 
 Ao somar ou subtrair o mesmo número a
 
ambos os membros de uma equação, aigualdade se mantém
;
somando-se e subtraindo-se um mesmo número a um dos membros daequação, esta não se altera.
É o princípio de eq
uivalência das equações. É 
fácil verificar.
Registros 
A partir do citado princípio, surgiram as
 partidas dobradas.
Dobradas porque têm sempre osdois lados
:
a conta devedora, em primeiro lugar 
;
abaixo, a credora, com a letra “a” antes. É aconvenção, cumpridas asnormas contábeis. Exemplos
:
Fato 1: Capital de R$100.000,00, realizado em dinheiro
:
CAIXA 100.000a CAPITAL 100.000Explicação: Caixa recebeu e foi
debitada
. Capital entregou e fo
i creditado
. O primeiro membro daequação é o ativo. O segundo, o passivo. Somou-se o mesmo valor a ambos os membros. É oregistro introdutório ou
adicional,
do tipo
mais ativo, mais passivo.
Fato 2: o capital foi depositado no Banco X.BANCO X 100.000a CAIXA 100.000Explicação: a conta Banco X foi
debitada
porque
recebeu.
Caixa foi
creditada
porque
entregou.
Oregistro é
 permutativo no ativo
:
soma e subtrai o mesmo valor 
;
sai de uma conta do ativo para outratambém do ativo.
 
A igualdade se manteve. É o
mais ativo, menos ativo,
de
 
transferência no ativo.Fato 3: uma duplicata a pagar de R$ 50.000,00 foi aceita no lugar de um crédito de fornecedores. Oregistro inicial, do tipo mais ativo, mais passivo, foi:

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->