Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
30Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
liberdade e determinismo

liberdade e determinismo

Ratings: (0)|Views: 5,225 |Likes:
Published by ramiromarques

More info:

Categories:Types, Brochures
Published by: ramiromarques on Jan 25, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as ODT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/06/2013

pdf

text

original

 
Introdução
A responsabilidade de escolha é, sem vida, um dos aspectos que melhor caracteriza ocomportamento específico do homem. Isto significa que, ao agir, o homem não dispõe das formas dereagir próprias do animal. Enquanto o animal, desde o seu nascimento, possui instintos que lheconferem um esquema de respostas comuns a todos os elementos da sua espécie, o homem não é maisdo que um feixe de virtualidades a actualizar no decurso da vida. No dizer de Lucien Malson, noanimal existe uma “natureza dada” que lhe garante uma estabilidade comportamental para sobreviver ese adaptar ao meio, enquanto no homem a natureza dada é substituída por uma “natureza adquirida”.Com esta natureza, o homem eleva-se acima da regularidade e fixidez inerentes aos seres de condição
 
física e biológica, acedendo a formas de comportamento que escapam àquelas determinações. Por isso,enquanto os animais e os outros seres que integram o mundo físico estão sujeitos a acontecimentosregidos pelo
determinismo
, o homem rege a sua acção pelo princípio da
liberdade
.
Determinismo
O determinismo é uma corrente filosófica segundo a qual a liberdade não tem qualquersentido, dado a acção humana ser determinada por antecedentes próximos ou remotos,podendo ser explicada pelo mecanismo do esquema causa – efeito.O homem, autêntica marioneta, não disporia de qualquer margem de escolha, sendo aliberdade algo de ilusório. Nunca optaria verdadeiramente, antes teria que seguir umalinha condutora exteriormente orientada e que lhe fora prévia e inexoravelmentedeterminada. O destino, quer encarado como força abstracta quer como desígnio divino,seria o agente condutor dos fios que tecem a trama da vida, pelo que as escolhas que ohomem faz seriam apenas aparentes.Podemos então definir o determinismo como uma teoria filosófica que nega a liberdadedo ser humano, o qual se sujeita, tal como os demais seres da natureza, ao carácter fixoe inalterável das leis. Há várias formas assumidas pelo determinismo. Em todas elas, o
 
homem aparece sem vontade própria, pelo que não é o verdadeiro autor dos seus actos.Vejamos o quadro seguinte que mostra os tipos de determinismo existentes:DeterminismoFísicoDefende que todas as coisas seregem pela regularidade de leis, oque possibilita a previsão e ocontrolo de todos os fenómenos,inclusive os que dizem respeito aohomem.O determinismo é, neste sentido, oprincípio que sustenta apossibilidade de elaborar leiscientíficas.DeterminismoBiológicoSustenta que o homem estásubmetido, como as demaisespécies vivas, a códigos biológicosque lhe determinam a conduta.Prisioneiro da herança genética e dasua constituição biofisiológica, ohomem não teria qualquerresponsabilidade nas acções quepratica.DeterminismoPsicológicoProclama a existência de umarelação intrínseca entre aconstituição psicológica de cadahomem e os motivos que o impelemà acção.Quando o homem se decide a agirde determinada maneira, não podedeixar de querer aquilo que quer,em virtude da sua personalidade,

Activity (30)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Gláucia Brito liked this
isabelctx liked this
apspas7131 liked this
André Veit liked this
Diogo Pereira liked this
Inês Lopes liked this
Maiara Rodrigues liked this
Maiara Rodrigues liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->