Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
5Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
A escrita da dança

A escrita da dança

Ratings: (0)|Views: 459 |Likes:
Published by Clara(Madha)

More info:

Published by: Clara(Madha) on Jan 29, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/27/2013

pdf

text

original

 
A escrita da dança: um históricoda notação do movimento
 Ana Lígia Trindade
*
Flavia Pilla do Valle
**
Resumo:
Este artigo é uma revisão teórica do histórico daescrita da dança ou notação coreográfica. Trata-se de umaintrodução geral sobre a notação do movimento,incluindo sua história e algumas considerações sobre osurgimento do termo, sua conceituação e aplicação. Asnotações são registros escritos que se propõem a regis-trar os movimentos em seus detalhes, assim como a pautae os sinais musicais registram a música. São métodos paraanotar movimento humano meticulosamente, da impressãogeral à sutileza da mudança de momento a momento. Asnotações foram e vêm se especializando em descrever omovimento qualitativamente e quantitativamente, dissecando-o em elementos que formam o alfabeto corporal. O estudodeste material vem ganhando grande confiabilidade nasproduções de dança no mundo. Conhecê-las e eventual-mente especializar-se como um notador são mais opçõesno campo profissional da área, que tem sido adotado nasgrandes e renomadas companhias de dança.
Palavras-chave
: Dança. Notação do movimento. Coreografia.História.
1 INTRODUÇÃO
A notação da dança está para a dança, assim como a notaçãomusical está para a música, e a palavra escrita está para o drama. Nadança, a notação é a tradução do movimento em quatro dimensões
*
Bibliotecária formada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, atuando na BibliotecaMartinho Lutero da Universidade Luterana do Brasil (Canoas, RS). Pós-graduanda do Cursode Dança da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Bailarina, coreógrafa eprofessora de Dança Clássica na cidade de Canoas e Gravataí (RS). Brasil. E-mails:ligia@ulbra.br / altrin@bol.com.br
**
Professora e coordenadora adjunta do Curso de Dança da Universidade Luterana do Brasil.Canoas, (RS). Brasil. E-mail: favalle@terra.com.br
 
202
 Ana Lígia Trindade e Flavia Pilla do Valle
E
 nsaios 
, Porto Alegre, v. 13, n. 03, p. 201-223, setembro/dezembro de 2007.
(sendo o tempo a quarta dimensão) em sinais escritos no papel bidi-mensional. Uma quinta “dimensão” seria a dinâmica (ou a qualidade,a textura e o frasear do movimento) – que deve também serconsiderada uma parte integral da notação, embora a maioria dossistemas não a apresente.As poses da dança gravadas através de retratos datam às pinturasdas dinastias egípcias pintadas em parede, passando pelos vasos daGrécia Antiga que descrevem figuras dançando, e aos exemplosiconográficos de muitas outras culturas antigas. As descrições verbaisdas danças foram encontradas na Índia, notavelmente em um livroque data aproximadamente ao século 0 d.C. Na Europa durante osséculos 16 e 17, muitos estudos da dança foram escritos em formuláriode descrições freqüentemente acompanhados por ilustrações. Entre-tanto, nenhum destes estudos podem claramente ser definidos porqueum sistema elaborado a partir de movimentos reais da dança (aocontrário das posições) dificilmente poderiam ser capturados efielmente reconstruídos.O movimento, assim que é feito, perde-se, evapora-se no ar,enquanto uma pauta musical de 200 anos atrás pode ser relida einterpretada com precisão e fidelidade à obra original. A arte domovimento, sem nenhum registro eficiente, se perde no prazo dealguns decênios.Desde que a dança é executada como uma arte, a sobrevivênciade todo o trabalho da dança depende do que está sendo preservadocom a tradição ou do que está sendo escrito em algum formulário,no qual a tradição é contínua e ininterrupta, onde se muda no estiloe a interpretação (inevitável quando bailarinos diferentes executamo mesmo material) pode ser corrigida e a dança será preservada emseu formulário original. Mas quando uma tradição é quebrada (se,por exemplo, as tradições culturais de um grupo étnico misturam-senas de outro), as danças que seguem podem, não somente mudarradicalmente, mas podem mesmo desaparecer. Por esta razão, osmétodos de registro da dança são importantes na preservação desua história.
 
203
A escrita da dança..., Porto Alegre, v. 13, n. 03, p. 201-223, setembro/dezembro de 2007.
2 A ESCRITA DA DANÇA
Quando verificamos o registro especificamente com o objetivode ter um trabalho armazenado para perpetuação da informação,observamos a existência de vários tipos: gravação em vídeo, DVD,impressão de programas, reportagens em jornais e revistas, fotos eaté mesmo o figurino do espetáculo é uma forma de registro da obra.Junto a estes exemplos, encontra-se a notação coreográfica.Contudo, a notação coreográfica pode ser utilizada com outrosobjetivos, como o auxílio ao coreógrafo profissional na criaçãocoreográfica, na transmissão da obra ao corpo de baile e na reposiçãode coreografias de outros profissionais. Embora as gravações devídeos e DVDs também auxiliem nos dois últimos objetivos, a notaçãocoreográfica deveria apresentar a pura intenção do coreógrafo criador,sem as intervenções interpretativas dos bailarino executantes.Uma notação coreográfica parece ser a forma mais completade representar uma seqüência de movimentos: a maneira mais originalde representação, sem intervenções ou influências externas; a obraexata, como o autor originalmente a criou.Registrar os fatos, as descobertas, as conquistas, as invenções, osacordos coletivos, as transações comerciais, os sentimentos, as crenças,as histórias, os cantos e orações só foi possível com a invenção dalinguagem escrita e das outras representações gráficas que a acom-panharam. Mais que um instrumento de ampliação da memória,esta tecnologia permitiu uma nova ordem na nossa civilização, alargouo tempo e o espaço e ampliou as ações do homem, tanto instru-mentais, quanto comunicativas. Os registros escritos, quando lidos,são “re”-visitados, trazendo cheiros e sabores de tempos e lugaresreais e imaginários, despertando os sentidos, instigando o pensamentocom as imagens que passam a povoá-lo, movimentando nossashistórias e nos aproximando dos homens de qualquer época e lugar.A linguagem escrita exerce inúmeras funções e serve paramuitos usos, constituindo-se de uma infinidade de textos e possibi-litando ações de pensamento diferentes das que fazemos com a

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->