Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword or section
Like this
55Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Durante 7 dias

Durante 7 dias

Ratings: (0)|Views: 1,239,237 |Likes:
Published by laura botelho
O texto reporta o futuro, mas um futuro não tão distante assim – 2012 DC, onde a falta de energia elétrica durante 7 dias num centro urbano de uma grande metrópole desenrola momentos de calamidades, conflitos, privações, desumanidade, vandalismo e ostracismo, e tudo mais que uma situação de caos pode causar quando o sistema de abastecimento de energia elétrica é cortado sem que a população tenha idéia do que causou esse corte.
O texto reporta o futuro, mas um futuro não tão distante assim – 2012 DC, onde a falta de energia elétrica durante 7 dias num centro urbano de uma grande metrópole desenrola momentos de calamidades, conflitos, privações, desumanidade, vandalismo e ostracismo, e tudo mais que uma situação de caos pode causar quando o sistema de abastecimento de energia elétrica é cortado sem que a população tenha idéia do que causou esse corte.

More info:

Published by: laura botelho on Jan 30, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
See more
See less

02/10/2014

 
Durante 7 dias
por Laura Botelho Página 1
18
 – 
dezembro
 – 
2012Quarta-feiraFim de tarde de temperatura elevada, muito calor
 – 
início danoite na Zona sul de umbairro agitado de classe média alta. A família de Paulo e Suelimoram no 23º andar deum Edifício de 25 andares.- O interfone está tocando! Alguém por favor, pode atenderesse interfone!!! Merda!! Alô. É, Chico. Pode falar. Quem?Não, Chico, agradeça o velho, mas não queremos batata,cenoura, tomate ou qualquer porra que venha da terra! Eusei, Chico, eu agradeço, mas diz pro velho que nós nãoqueremos nada do sítio, mas se ele me trouxer pé de dólar,yens ou real, eu vou querer! Tudo bem, Chico. Valeu, nãoesquenta Chico... _O que o Chico queria, Paulo? _Agora você quer saber? Porra, acabo de entrar em casa malconsigo chegar no vaso pra fazer um xixi e o interfone toca enenhum puto pra atender! Quase saí pingando tudo pela casa.Cadê Flavinho? Cadê Miúcha? _Flavinho deve estar trancado no quarto pendurado nocomputador fixado naqueles joguinhos barulhentos e Miúchadeve estar pendurada no celular com alguém, por issoninguém te ouviu. E eu também to chegando agora da Academia. Estou exausta! Não tenho força nem de levantarum copo de água, quanto mais correr pra atender interfone.Por falar em copo
d’água
, cadê Fatinha? Ela já se mandou denovo, cedo? Ainda não são nem sete horas!
 
Durante 7 dias
por Laura Botelho Página 2
 _Sueli, são dezoito horas e trinta e cinco minutos! Ela nãoé escrava. Ela entra às 8h e por lei, tem que sair do serviço às17h. Pra você deve ser difícil entender isso, né? Trabalho nãoé uma coisa que você entende bem. É um pouco difícil deassimilar certas regras trabalhistas... _Paulinho, meu querido, de patrão, horário fixo, eu querodistancia. _Eu também pensaria assim se tivesse uma mula como eu demarido pra sustentar todo esse povo que não faz porranenhuma, nem se dão ao trabalho de atender a uma merda detelefone! _Mas afinal, o que o Chico queria? _Ah... aquele velho do segundo andar que mora num sítio equando vem fazer exames de saúde de rotina com a mulhertrás a quitanda toda naquele carrinho dele caindo aos pedaçosDe onde esse velho tirou da cabeça que alguém com milhõesdesupermercados a menos de 20 metros de casa, vai querercomprar logo as batatas dosítio dele? Ele não desiste. Toda vez eu falo pro Chico quenão quero, mas ele insistee pede pra perguntar. O Chico fica sem graça, né, mas fazer oque? O velho manda,ele obedece. _Ah, seu Paulo, seu Felix do 203 é uma gracinha e ele quer onosso bem, pois esses legumes e verduras que têm por aí tãotudo com
agrostrochicos 
. As mangas e as laranjas do sítio sãouma delícia!
 
Durante 7 dias
por Laura Botelho Página 3
 _Ué Fatinha, você ainda taí? _Tava tomando banho pra ir embora, Dona Sueli. Defedendo já chega aquele povo dentro dos ônibus lotados. Eusou limpinha. Gosto de sair toda cheirosa de roupa limpa.Num sou igual a Carminha do 308 que sai com a mesmaroupa que entrou no serviço. Que nojo. Tem água pra que,nesse mundo? Custa tomá um baninho? Passaruns perfumes. Na minha casinha o que não falta é água, meupoço tá sempre cheio. Nem imagino passar um dia inteirosem tomar um banho! E tem gente que não gosta! Água é vida! Não é, não Seu Paulo? _ certa Fatinha. Por falar em água você lavou e passou asminhas camisas pra semana? Ve-lá, ein? _Seu Paulo, nunca deixei o Sr. Na mão nesses 17 anos quetrabalho pro Sr. suas camisas tão penduradas no armário dojeito que o Sr gosta. E fiz também aquela empada de palmitoque o Sr, adora. Vou indo. Inté amanhã se Deus quiser. Enão esquece de comprar as coisas pro jantar da Alessandraque vem com o noivo amanhã. Eles não comem carne quenem nós. Gente esquisita... _Ah, Fatinha... não sei o que seria da minha vida sem você!Fatinha sai e bate a porta do apartamento deixando o casalem pé de guerra.
 _”
 Não sei o que seria da minha vida sem você 
...” – 
remenda Suelicom a voz debochada. Você devia ter casado com ela depoisdo seu divorcio com a Marta, afinal, ela já te serve a tantotempo... Olha a economia que você iria fazer! Mas não, foi

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->