Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
4Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Jornal O Debate, edição virtual

Jornal O Debate, edição virtual

Ratings: (0)|Views: 1,061 |Likes:
Published by Thiago Melego
Jornal O Debate, edição de 04 de fevereiro de 2011 (317)
Jornal O Debate, edição de 04 de fevereiro de 2011 (317)

More info:

Published by: Thiago Melego on Feb 04, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/28/2013

pdf

text

original

 
....
Bloco de NotasDireito em DebateContextoCornetandoFalecimentosBadalaçãoMotivaçãoAniversariantesOs PioneirosClassificadosFlashEsportes
ÍNDICE
Pg 2APg 2APg 3APg 5APg 7APg 2BPg 3BPg 4BPg 5BPg 6BPg 7BPg 8B
Carlos Alberto Céspedeé de Barra Bonita, nascidoem 18 de junho de 1966,filho de Iraci Célia Vala-dão de Freitas Céspede eGeraldo Céspede. Ele écasado com Maria Con-ceição Pereira Céspede, eo casal tem a filha BrunaFernanda. Carlão, como éconhecido, é o homem res- ponsável pela parte técnicado parque transmissor daRádio Clube de São Ma-nuel AM. Nesta entrevistaele nos conta a históriade sua vida profissional ediscorre sobre seu relacio-namento com a emissorados 1510 kHz.
 Página 1B
Ponto de Vista
Série “Histórias daRádio Clube AM 1510 kHz”
 A Rádio Clube de São Manuel AM e o jornal 
O Debate
 , representados pela jornalistaTânia Casquel, estiveram em Brasília no último dia 1º de fevereiro, cobrindo a cerimôniade posse do deputado federal Milton Monti, em seu quarto mandato.
 Página 3A
Concurso nº 1.254 de 02/02
07-09-14-18-29-39
Lotérica Central
Rua XV de Novembro, 267Fone: (14) 3841-2005
Lotérica Avenida
Av. José Horácio Mellão, 469Fone: (14) 3841-2406
MEGA-SENA
3 de fevereiro, às 15h35Comercial R$ 1,670Turismo R$ 1,730Paralelo R$ 1,730
DÓLAREuro
R$ 2,2736
Libra
R$ 2,6923
Ouro
US$ 1.354,41Sexta-feiraMin.19º- Máx.28º Probab. de chuva80%SábadoMin.19º- Máx.31º Probab. de chuva80%DomingoMin.19º- Máx.31º Probab. de chuva80%
METEOROLOGIA
OrdenaçãoSacerdotal
 No sábado, 19, aconte-ce a Ordenação Sacerdo-tal do diácono José LuizSauer Teixeira, no Santu-ário de Santa Terezinha.
 Página 4B
O D
EBATE
A INFORMAÇÃO COM CREDIBILIDADECIRCULAÇÃO REGIONAL -
(14) 3841-4459
SÃO MANUEL, PRATÂNIA E AREIÓPOLIS
SEXTA-FEIRA - 4 DE FEVEREIRO DE 2011
ANO 8 - Nº 317
E-MAIL: redacao
@
odebateregional.com.br
R$ 1,50
Tráfego naFazendaLageado
Desde o dia 1º de feve-reiro começaram a vigorar as novas medidas tomadas pelas diretorias da Faculdadede Ciências Agronômicas eda Faculdade de MedicinaVeterinária e Zootecnia, comrelação ao tráfego de veícu-los na Fazenda Lageado, emBotucatu.
Regional
 Página 6A
Milton Monti
toma posse deseu 4º mandato
Futebol femininoSão ManuelTênis Clube
A equipe de futebolfeminino que disputa oCampeonato Paulista ea Copa do Brasil, vai ter novo nome, ligado à nossacidade.Clube, que está sendomantido pela prefeitura, éuma opção de lazer gratuita para os são-manuelenses.
Esporte
 Página 8B
 São Manuel, nosúltimos tempos, vemenfrentando uma ondade crimes que supe-ram as expectativas, justamente por ser ummunicípio pequeno,com pouco mais de38 mil habitantes. Onoticiário veiculado por este jornal e pela RádioClube de São Manuel testemunha o que esta-mos dizendo. A omissãodos governantes na segurança pública dosestados e municípios, faz com que a maioriada população brasileiraviva assombrada pelaviolência. E aqui em São Manuel não é dife-rente. A população vivetemerosa. Em nossacidade a Guarda Civil  Municipal vem sendotratada como “coisa secundária”.
 Página 2A
...
O
PINIÃO
Encontro deradioamadores
Vestibularescontinuam abertos
Festa do Milho
 No domingo, eventoreuniu, no salão de festasdo Lions Clube, mais de500 aficionados pelo radio-amadorismo.
 Página 3B
A Faculdade MarechalRondon (FMR), filiadaà Uninove, e o Institu-to Municipal de EnsinoSuperior de São Manuel(IMES) continuam comas inscrições abertas paravestibulares.
 Página 5A
Radaresinteligentes
Autuados mais de 14mil veículos com licencia-mento em atraso. SistemaInteligente de Fiscalizaçãoestá distribuído em 42 pon-tos das principais rodoviasdo Estado.
 Página 4A
A 2ª Festa do Milho, promovida pela ParóquiaSão Manuel, acontece nosdias 5, 6, 12 e 13, a partir das 19h30, no pátio doColégio Hollus.
 Página 3B
Centenário doSantuário deAparecida
O Santuário de NossaSenhora Aparecida com- pletou seu primeiro cen-tenário de dedicação a Nossa Senhora no dia 2 defevereiro.
 Página 8A
 
 A INFORMAÇÃO COM CREDIBILIDADE
Jornalista Responsável e Editora:
 Tânia Cecília Tavares CasquelMTB 23.291Rua Epitácio Pessoa, 440-c - CentroSão Manuel - CEP 18.650-000
DEPARTAMENTO COMERCIALCLASSIFICADOS - ASSINATURASATENDIMENTO AO LEITOR
(14) 3841-4459
e-mail: redacao@odebateregional.com.br
Diretora:
 Tânia Cecília Tavares Casquel
Diretora Administrativa:
Antônia Miths Gerzely
Diretor Jurídico:
Dr. Sílvio Roberto MazettoOAB/SP 89.053
Periodicidade:
Semanal
Impressão:
JS Produções GráficaAs matérias assinadas nãorepresentam a opinião deste jornal. Na forma da legislação emvigor, a Direção de O Debate nãose responsabiliza por conceitosemitidos em artigos assinados.
S
ão Manuel, nos últimostempos, vem enfrentandouma onda de crimes quesuperam as expectativas, justamente por ser um mu-nicípio pequeno, com poucomais de 38 mil habitantes. Onoticiário veiculado por este jornal e pela Rádio Clube deSão Manuel testemunha o queestamos dizendo.A cidade conta com trêsórgãos dedicados a conter os crimes, a investigá-los edesvendá-los, bem como a pre-venir suas ocorrências: PolíciasMilitar e Civil e a Guarda CivilMunicipal.Todos esses órgãos lidamcom diculdades as mais di-versas para cumprir as suasfunções. Isso vai desde a faltade um efetivo compatível até, por vezes, a falta de veículosque possam dar conta das bus-cas que sempre são necessárias.De toda maneira, o esforço dos policiais, civis e militares, bemcomo dos guardas civis muni-cipais é visível e respeitado, eeles conseguem bons êxitos emsuas ações, muitas vezes quaseque milagrosamente.A omissão dos governantesna segurança pública dos esta-dos e municípios faz com que amaioria da população brasileiraviva assombrada pela violên-cia. E aqui em São Manuel nãoé diferente. A população vivetemerosa.Dados recentes divulgados pelo Instituto de Pesquisa Eco-nômica Aplicada (Ipea), dãoconta de que nove em cadadez brasileiros têm medo deser vítima de crimes como ho-micídio, assalto a mão armadae arrombamento de residência.O temor é intenso para cerca de70% das pessoas e um poucomenor para cerca de 20%. Oreceio de agressão física é co-mum a 70% dos entrevistados.A falta de investimentos nosetor é o que causa essa sensa-ção de insegurança dos cida-dãos, e o coloca nessa situaçãocrítica. Por isso é importanteque o próprio governo munici- pal local assuma a coordenaçãode uma política de segurança pública para o município, atémesmo definindo uma linhade investimentos, no caso paraa Guarda Civil Municipal,desde muito abandonada. Isso poderia minorar a insegurançada população.Os dados do Ipea, compila-dos no Sistema de Indicadoresde Percepção Social sobreSegurança Pública (Sips), mos-tram também que o sentimentoda população em relação àcriminalidade varia conformea região. Mas é evidente queexiste em todo lugar, inclusiveaqui em São Manuel.A pesquisa ainda revela queas mulheres têm mais medode serem mortas do que oshomens. O temor também émaior entre os que não foramvítimas de algum tipo de crimenos últimos 12 meses. O arrom- bamento de moradias preocupamenos a classe média e mais os pobres e os ricos: têm muitomedo desse crime 71,8% dosque ganham até dois saláriosmínimos e 76,3% dos querecebem acima de 20 salários.Tudo isso nos leva a ana-lisar mais especificamente aGuarda Civil Municipal de São
São Manuel,
 sexta-feira
- 4 de fevereiro de 2011
 2
 A
A Guarda Civil Municipal e asegurança dos são-manuelenses
O que a população espera é que a administração Baroni dê, efetivamente, toda assistência necessáriaà nossa Guarda Municipal, coisa que seu antecessor, Flavinho Silva, não fez. Nossa cidade carece de mais segurança. E a GCM, ao lado das Polícias Civil eMilitar da cidade, pode ajudar bastante na soluçãodesses problemas.Sabe-se que a GCM do município vem sendotratada como “coisa desnecessária”, mantendo, por exemplo, um dos veículos do órgão, quebrado,durante meses. Outro veículo que precisa de ma-nutenção, leva os guardas a recorrerem aos seus próprios recursos, fazendo “vaquinhas” para custear os reparos.
O
PINIÃO
Janeiro de 2011 será ummês lembrado por todos os brasileiros e por todo mundo.Parafraseando o ex-presidenteLula, nunca antes na históriadeste país se viu uma tragédiacomo essa. O mês de janeiro,marcado pelo calor e altaumidade, trouxe um volumeinesperado de água para aregião serrana do Rio. Mo-radores do local há mais deoitenta anos viram, da noite para o dia, suas histórias devida destruídas.O local da tragédia, paraquem o conheceu, é de belezaímpar, procurado por muitosturistas do Brasil e do mundo para um verdadeiro retiro nomeio da oresta. Casas resi-denciais e de veraneio, comér-cio, hotéis de luxo, pousadas,restaurantes, tudo destruídoem fração de segundos. Masserá que isso era esperado?Quem são os responsáveis? Anatureza agiu sozinha?Moradia é um direitoconstitucional. O artigo 5º daC.F. garante aos brasileirose estrangeiros residentes no país o direito à propriedade. OGoverno Federal, através dosconvênios que faz com as ins-tituições nanceiras, garanteo acesso à casa própria.Para dar efetividade aodireito à moradia alguns con-vênios são firmados comas prestadoras de serviços públicos e com os Estados eMunicípios, consistentes nofornecimento de água, luz, pavimentação, saneamento básico e infra-estrutura: esco-las, hospitais, postos de saúde.Assim também ocorreu noslocais das tragédias.Desta forma desde a pri-meira casa construída o Mu-nicípio falhou no seu dever de scalização e com o passar dos anos, mesmo que semautorização expressa do Poder Público para a construção, omesmo foi omisso e coniven-te com o desenvolvimentolocal. Omisso, pois “fechouos olhos” para o desenvol-vimento urbano e conivente, pois forneceu tudo: água, luz,asfalto, telefone, crechês,hospitais, posto de saúde, etaxou a todos com os carnesde IPTU e demais serviços públicos, sem, contudo, pla-nejar a ocupação do solo.O artigo 5º arma que nin-guém poderá ser privado desua propriedade, a não ser noscasos especicados por lei eóbvio no caso de inadimplên-cia, porém no inciso XXVassegura a autoridade compe-tente o poder de usar de pro- priedade particular, assegura-da ao proprietário indenizaçãoulterior, se houver dano. Os projetos encomendados aosgeólogos e ambientalistasdurante anos armavam queuma parcela signicativa dasmoradias construídas nasáreas de várzea e nas encostasestavam em local crítico eque era necessário o deslo-camento dessas famílias paraáreas seguras. Com fulcro no preceito constitucional supra,as famílias deveriam ter sidoretiradas de suas moradias, elevadas para outro lugar. Suascasas deveriam ter sido derru- badas e as áreas danicadasrecuperadas, recuperando-seo ecossistema do local. Masnada foi feito.Culpar única e exclusi-vamente o Poder Público,também não adianta. O po- bre constrói do jeito que dáe como pode, sem nenhumaassistência técnica. E os ricoscujas mansões foram por águaabaixo? Tiveram orientaçõesde engenheiros e arquitetos,os quais tem a obrigação desaber onde constroem paraadequar a construção ao tipode solo. Essas pessoas sabiamque estavam construindoonde não poderiam, e aí maisuma vez falhou o poder dafiscalização e o bom sensodaqueles que podem escolher onde edicar.O direito à moradia não pode sobrepor-se ao direito àvida, pela qual o Estado tam- bém é responsável. A tragédia poderia ser evitada, se desdeo início o Estado não fosseomisso. Afinal, meia dúziade casas no meio da orestanão danica o ambiente, masmilhares delas com certezatrazem um impacto ambientalque merece toda a atenção doPoder Público e das pessoasque se dizem ambientalistas,cujas casas também foramdestruídas.O artigo 37, § 6º da Cons-tituição Federal traz explícitaa responsabilidade civil obje-tiva do Estado armando queas pessoas de direito públicoresponderão pelos danos cau-sados a terceiros, agindo ora pela omissão e ora pela açãoo Poder Público deixou ascidades à mercê da própriasorte e não adianta culpar anatureza, pois esta apenas sedefendeu da invasão.Quando os homens respei-tarem a natureza e deixaremsuas ambições de lado para praticar o bem em prol dasociedade, tragédias comoessas carão no passado e os preceitos constitucionais nãoserão apenas letras decora-tivas num livrinho chamadoConstituição.
 – Rio de Janeiro
Direito em Debate
Por Drª. Edilaine Rodrigues de Góis Tedeschi
direitoemdebate@odebateregional.com.br 
   C  o   l  a   b  o  r  a   d  o  r  e  s  p  o  n   t   â  n  e  o
Manuel, em relação aos acon-tecimentos que têm envolvidoo órgão nos últimos meses.Começa pela saída da GCM dolocal onde estava instalada hámuitos anos, ao lado do prédioonde existiam diversas repar-tições municipais, inclusive aDiretoria de Saúde.Consta que para alojar aDiretoria de Pessoas com De-ciência,a administração municipalresolveu transferir a sede daGCM para dependências da an-tiga Cafenoel. Nesse local, háalgum tempo, houve a ocorrên-cia de goteiras e inltrações ea Guarda precisou ir para outrolugar. Desta feita, os guardasforam deslocados para a sededo antigo Tiro-de-Guerra deSão Manuel, fechado à épocado ex-prefeito Flavinho Silva.Local para onde, inicialmente,deveria ser transferido o Pro- jeto Luz, o que não foi feitoaté hoje.Sabe-se que a GCM domunicípio vem sendo tratadacomo “coisa desnecessária”,mantendo, por exemplo, umdos veículos do órgão, que- brado, durante meses. Outroveículo que precisa de ma-nutenção, leva os guardas arecorrerem aos seus própriosrecursos, fazendo “vaquinhas” para custear os reparos. Issotudo, além da falta de umefetivo consistente, o que éreclamado há tempos.Enquanto os problemas pre-ocupam, os responsáveis pelaGCM prosseguem sua luta paraaprimorar a atuação dos seusintegrantes. Tanto que no últi-mo nal de semana houve emnossa cidade um treinamentodos nossos guardas, por inte-grantes do GAPE – Grupo deAções Preventivas Especiais.Para concluir, o que a popu-lação espera é que a adminis-tração Baroni dê, efetivamente,toda assistência necessária ànossa Guarda Municipal, coisaque seu antecessor, FlavinhoSilva, não fez. Nossa cidadecarece de mais segurança. Ea GCM, ao lado das PolíciasCivil e Militar da cidade, podeajudar bastante na soluçãodesses problemas.
Bloco de Notas
Por Gildo Sanches
blocodenotas@odebateregional.com.br blogdogildo.blogspot.com
   C  o   l  a   b  o  r  a   d  o  r  e  s  p  o  n   t   â  n  e  o
Milton Monti
O deputado federal MiltonMonti tomou posse no dia1º, em Brasília, de seu quartomandato, reeleito que foi emoutubro passado, com umaexpressiva votação. Logo apósa posse, ele falou aos ouvintesda Rádio Clube de São Manuel,entrevistado pela jornalistaTânia Casquel. À noite, a TVTem, através do jornal Tem Notícias, também entrevistouo deputado são-manuelense,que disse ser contra a volta daCPMF e que um de seus prin-cipais objetivos é trazer para anossa região o Gasoduto, queoferecerá combustível limpoe mais barato para as nossasindústrias. Miltinho foi pres-tigiado por grande número deadmiradores que estiveram emBrasília, assistindo à sua posse.
Comandos
O PT e o PMDB, base desustentação do governo Dil-ma, fizeram os presidentesdo Senado e da Câmara paraos próximos dois anos. JoséSarney (PMDB-AP) foi eleito para presidir o Senado pelaquarta vez. Recebeu 70 votos.Com 375 votos, Marco Maia(PT-RS), venceu na Câmara.
Mundo anormal
O Banco Central do Brasil au-mentou sua caixa de ferramen-tas para lidar com um mundoque escapou da normalidade. No cenário internacional, àexcessiva liquidez associa-se arisco real de estagnação em al-gumas economias européias. Ehá países com regime de câm- bio inexível, como a China.
Banco PanAmericano
Sócia do PanAmericano, bancovendido por Silvio Santos aoBTG Pactual, a Caixa Econô-mica Federal pôs a disposiçãoda instituição um “chequeespecial” de R$ 8 bilhões. Esselimite de crédito faz parte deum acordo com o novo contro-lador. O Fundo Garantidor deCrédito, que reúne os bancosdo país, assumirá a rombo deR$ 3,8 bilhões.
Educação
O número de formandos noscursos que preparam docentes para os primeiros anos da edu-cação básica, como Pedagogiae Normal Superior, caiu 50%,de 103 mil para 52 mil, entre2005 e 2009, segundo censodo MEC. Também houve que-da – de 77 mil para 64 mil - nonúmero de graduandos emlicenciaturas, que atuarão noensino médio e nos últimosanos do fundamental. Notíciaruim.
Revolta no Egito
Após os maiores protestos já realizados no Egito e umamensagem do presidente Ba-rack Obama, pressionando pelatransição pacífica, o ditador Hosni Mubarak anunciou quenão vai concorrer a seu sextomandato, em setembro. Masgarantiu que não renuncia,como exige a oposição:
“Esteé meu país, onde vivi, lutei edefendi sua terra. Vou morrer neste território”
, disse ele.
Desagrado
O Nobel da Paz MohamedElBaradei deu um ultimato atéhoje para que Hosni Mubarak saia. O pronunciamento deMubarak desagradou e foi mui-to vaiado por manifestantes,que sacudiam sapatos no ar, prometendo nova marcha atéo palácio presidencial, no queestá sendo chamado de “sexta-feira da despedida”. A famíliado ditador já deixou o país eestá instalada em Londres.
Eliminado
O Corinthians foi vergonho-samente eliminado da CopaLibertadores da América peloTolima, da Colômbia. Torce-dores caram revoltados. Alémdos muros pichados no ParqueSão Jorge, o Corinthians teve prejuízos também no CT doParque Ecológico, na zona les-te de São Paulo, eles invadiramo local e quebraram carros de jogadores e de funcionários doclube. Janelas, para-choques efaróis viraram alvos dos vânda-los. Para muitos este ano está perdido para o Corinthians.
Concurso
 Na última semana, o MinistérioPúblico de São Paulo (MP/SP) publicou, no Diário Oficial paulista, o regulamento do con-curso para ingresso na carreirade promotor. O documento,com data de 10 de janeiro, émais um indício de que o órgãodeverá abrir o processo seletivoem breve. O setor de concursosda instituição explicou que a proposta de abertura de pro-cesso seletivo deverá ainda ser aprovada pelo órgão especialdo Colégio de Procuradoresda Justiça, para que, só emseguida, o procurador-geral deSão Paulo, Fernando GrellaVieira, autorize a realizaçãodo processo. Mais informaçõesno Jornal dos Concursos, nas bancas.
Recado Final:
 
“Não possuir algumas das coisas que dese- jamos é parte indispensável da felicidade”
 – (BertrandRussell)
 
Milton Monti assumemais um mandato
São Manuel,
 sexta-feira
- 4 de fevereiro de 2011
 3
 A
C
ONTEXTO
Posse
A Rádio Clube de SãoManuel, 1510kHz-AM eo jornal
O Debate
, repre-sentados pela jornalistaTânia Casquel, estiveramem Brasília na terça-feira,1º de fevereiro, cobrindo acerimônia de posse do de- putado federal Milton Mon-ti, em seu quarto mandato.Tânia falou diretamenteda Sala da Comissão deTransportes da Câmara, presidida pelo deputadosão-manuelense. Ele semostrou bastante satisfeitocom mais essa conquista, ecumprimentou inicialmenteos ouvintes da Rádio ClubeAM e seus colaboradores.
“Hoje é um dia de festa,um dia de muita alegria para nós, para toda a nos- sa família, para os amigose pra toda a populaçãoque nos elegeu. Teremosdiversas atividades hoje,até o encerramento com aeleição da Mesa Diretorada Câmara”
, disse ele emseguida.Milton Monti fez ques-tão também de agradecer atodos os seus amigos queestavam em Brasília naque-le dia, prestigiando a sua posse.
“Temos aqui vários prefeitos, vice-prefeitos,vereadores, ex-ocupantesdesses cargos, lideranças políticas de toda a nossaregião, inclusive represen-tantes da Unesp de Botu-catu, e a presença de todosnos traz muita alegria.Também quero agradecer a todos aqueles que nãotiveram a oportunidade deaqui estar, por uma razãoou outra, porque sei quetodos esses amigos estão,certamente, festejando co-nosco essa conquista”
,afirmou.O deputado MiltonMonti disse que emboranão seja praxe o Presidenteda República estar presenteno Congresso para entregar a tradicional mensagem aos parlamentares pelo iníciodos trabalhos, a presidentaDilma Roussef viria pes-soalmente entregar aqueledocumento no dia seguinte,na quarta-feira, 2, o querealmente ocorreu.Milton Monti disse que,embora em período de re-cesso parlamentar, esteveem Brasília quase todasas semanas, para dar se-quência ao seu trabalho:
“Na verdade as atividadesnão param. Estivemos aqui sempre buscando ajudar as cidades, inclusive SãoManuel, a melhorar cadavez mais”.
Sandro Dálio, dos es-túdios da Rádio Clube,quis saber do deputado seesse seu quarto mandato já o credencia para alçar voos maiores a partir das próximas eleições.
“Eu sempre disse, com muitatransparência, muita fran-queza que, claro, desejavaalcançar cargos majoritá-rios, e isso continua em pé.Temos acumulado muitaexperiência, desde prefeitode São Manuel, deputadoestadual e deputado fede-ral nesses anos todos e,evidentemente, isso ajuda anos posicionar com relaçãoao futuro. Nossa intençãoé essa mesmo, disputar talvez o Senado, ou mes-mo o Governo Estadual. Agora temos quatro anos para nos preparar paraisso. E teríamos assim onosso nome na discussãoestadual. Mas, acima detudo, temos que cumprir com nossas responsabi-lidades, fazer emendas,continuar lutando por cau- sas importantes, ajudar osmunicípios, os hospitais,como ajudamos a Unesponde conseguimos instalar um novo Pronto-Socorro,ajudar as cidades paulis-tas, o Estado de São Paulocomo um todo. Só os quatroanos de mandato não são obastante. Só dessa forma éque vamos nos credenciar  para pleitear novas etapasem nossa caminhada polí-tica”
, salientou o deputado.
POSSE
Dezenas de pessoas denossa cidade e região sedeslocaram até Brasília paraacompanhar a posse dodeputado federal MiltonMonti. Em seu quarto man-dato, o evento foi muitoconcorrido e parou a capitalfederal.
PRATÂNIA
Atento leitor pratianonos informa que a épocado troca-troca de diretoresda prefeitura local está sócomeçando. A largada foidada, há algum tempo, pelasaúde. Esta semana outrasduas diretorias tambémtiveram seu comando troca-do. Os motivos é que aindanão sabemos.
CÂMARA I
Os vereadores de SãoManuel retomam os traba-lhos legislativos em sessãoordinária na segunda-feira,14, já com a nova mesa dire-tora, que tem à frente o pre-sidente, vereador Cicarelli.
CÂMARA II
Os dias das sessões or-dinárias na Câmara de SãoManuel podem mudar. In-formações dão conta quepode ser votada uma mu-dança no regimento internoda Casa, onde as sessõesocorreriam na primeira e naterceira segundas-feiras decada mês.
APARECIDA
Depois de pelo menos20 dias, ontem, 03, um tra-tor começou a fazer a lim-peza do barro e pedra quese acumulam na ponte JoséBergamini em Aparecida.Os moradores do ParqueSanto Antonio estão tendoque aguardar todo essetempo para que uma ma-nutenção simples seja feita.Mas o local ainda precisater a manutenção finaliza-da, visto que o trator nãoconsegue fazer a limpezatotal, somente limpa o queé mais grosso.
ESTAÇÃO I
O são-manuelense Ar-naldo Catalan, presidenteda Associação dos Artistas,que tinha encabeçado oprojeto de reforma da esta-ção ferroviária, foi colocadode lado. Em entrevista on-tem, 03, ao locutor SandroDálio, na Rádio Clube deSão Manuel, ele se mostroubastante chateado com asituação, chegando até ase emocionar ao comentardo caso.
ESTAÇÃO II
Vale destacar que foi ele,Arnaldo Catalan, usandode seu prestígio, que con-seguiu já arrecadar 25 miltelhas e madeiramento paraa reforma da estação.
REFAZER
Depois de refazer o as-falto da subida da Conquis-ta, depois de refazer a tubu-lação de águas pluviais doentroncamento da avenidaJosé Horácio Mellão comavenida Aldo Marini, agoraestá na hora de refazer oasfaltamento da nova pon-te do Silva, que a cada diaafunda ainda mais. Todassão obras recentes.
BAIRRO A BAIRRO
Devido a um grandenúmero de solicitações emnossa redação, nossa equi-pe está organizando e, embreve, vamos voltar com asérie de reportagens sobreos bairros de São Manuel. ODebate vai visitar novamen-te todos os bairros, colherinformações da comunida-de, comparar os problemasapontados e as soluçõesque foram dadas. Aguarde!
O programa “Aqui TemFarmácia Popular” vai ofe-recer medicamentos contrahipertensão e diabetes degraça. Atualmente, o gover-no paga 90% do valor dessesmedicamentos e o cidadãotinha de arcar com o restante.Com a medida anunciada naquarta-feira, 2, pelo governo,os remédios passam a ser distribuídos gratuitamente.As 15 mil farmácias edrogarias privadas conve-niadas ao programa têm atésegunda-feira, 14, para seadaptar à medida. Qualquer  brasileiro pode ter acessoaos medicamentos desdeque apresente um documentocom foto, o CPF e a receitamédica.Segundo o Ministérioda Saúde, cerca de 900 milhipertensos e diabéticos de-vem ser beneficiados coma medida. O ministro daSaúde, Alexandre Padilha,disse que a oferta gratuitadesses remédios só foi pos-sível graças a um acordonegociado entre o governoe o setor farmacêutico.O programa oferece aindaremédios subsidiados paramais cinco doenças: asma,rinite, Mal de Parkinson,osteoporose e glaucoma,além de fraldas geriátricas. No total, são 24 tipos demedicamentos.
Medicamentos
Farmácia Popular passa a oferecer remédiosde hipertensão e diabetes gratuitamente
Carolina Pimentel
Repórter da Agência Brasil

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->