Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
3Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Edson - Processo do Trabalho

Edson - Processo do Trabalho

Ratings: (0)|Views: 333 |Likes:

More info:

Published by: sergioferreirajordao on Mar 10, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/09/2012

pdf

text

original

 
Direito Processual do Trabalho – Profª. Tânia Dias dos SantosAluno: Edson Luiz Dalla Vecchia – 8.º Período / 2º semestre de 2010Aula do dia 19.07.2010.
Programa Semestral
- Introdução ao Direito Processual do Trabalho;- Organização e Competência;- Ações Individuais:- partes e procuradores,- atos, formas, prazos,...- prescrição e decadência,- processo e procedimento,- provas,- sentença.- Dissídios Coletivos;- Teoria Geral dos Recursos;- Recursos em Espécies;- Cumprimentos Provisórios;- Execução Forçada:- liquidação,- penhora,- avaliação, embargos,...- Ferramentas Eletrônicas;- Ação Rescisória.- Bibliografia: CLT atualizada. * Obras clássicas: I. Amauri Mascaro Nascimento – Curso de DireitoProcessual do Trabalho, ed. Saraiva. II. Wagner Giglio – Direito Processual doTrabalho, ed. Saraiva. III. Isis de Almeida – Manual de Direito Processual doTrabalho, ed. LTR.* Obras modernas: I. Sérgio Pinto Martins – Direito Processual do Trabalho, ed.Atlas. II. Carlos Henrique Bezerra Leite – Curso de Direito Processual doTrabalho, ed. LTR. III. Valentim Carriom – Comentários a CLT, ed. Saraiva. IV.Revista da Editora LTR. IV. Manoel Antonio Ferreira Filho.Obs.: O direito do trabalho protege o esforço humano no desempenho dealgum serviço. Esse é o bem jurídico protegido.
 
Direito Processual do Trabalho – Profª. Tânia Dias dos SantosAluno: Edson Luiz Dalla Vecchia – 8.º Período / 2º semestre de 2010
CONCEITOS IMPORTANTES
* Ação; O direito se presta a manutenção da paz social. Quando a paz social équebrada, o sujeito que se sente agredido têm a faculdade de levar até oestado que detém o poder de jurisdição para que se puna o infrator e serestabeleça a situação anterior ao cometimento do ato ilícito. “Ação é o direitoatribuído ao jurisdicionado de pedir (demandar) ao Estado que intervenha nocaso concreto e assim distribua a justiça, dando a cada um o que é seu.” OEstado possui monopólio da atividade jurisdicional.* Jurisdição -
Juris dicere
= dizer o direito no caso concreto.* Processo - Instrumento, meio pelo qual o Estado desenvolve a jurisdição.* Procedimento - Sequência dos atos processuais ou a exteriorização(materialização) do processo. Caminho a ser seguido, desde a petição inicialaté a efetividade (cumprimento) da decisão judicial. Para a efetividade dadecisão não basta que o juiz declare o direito e sim que este seja realizado nocaso concreto.
Conceito:“Conjunto de regras e princípios e instituições destinadas aregular a atividade dos órgãos jurisdicionais nos dissídios dosempregadores e empregados”... Ver conceito dos doutrinadores. Princípiopode ser entendido como começo, base onde se sustenta alguma coisa,ponto de partida, antes do qual não se sabe o que existia. O direito tem umabase eminentemente principiológica.
Fontes: I. Formais: Formas naturais de exteriorização do direito – lei, costume ejurisprudência;II. Materiais ou heterônomas: Complexo de fatores que determinam osurgimento de uma norma acordo coletivo de trabalho (difereapenas da convenção coletiva na medida em que apenas o sindicatodos trabalhadores discute com determinada empresa), convençãocoletiva de trabalho (instrumento contendo regras que se agregarãoa um contrato de trabalho individual, formulado pelos sindicatos querepresentam empregado e empregador), sentença normativa,regulamento de empresas (surge do poder que o judiciário possui deeditar normas as quais se agregam a contrato individual de trabalho– ocorre por meio da instauração de dissídio coletivo comcompetência originária do tribunal).
Autonomia
Teoria Monista – leis próprias e Direito de Processo civilUnicidade – processo do trabalho integra o processo civil.
 
Direito Processual do Trabalho – Profª. Tânia Dias dos SantosAluno: Edson Luiz Dalla Vecchia – 8.º Período / 2º semestre de 2010Teoria Dualista:- direito processual do trabalho é autônomo do direitoprocessual civil.- Radical – totalmente distinto do processo de trabalho.- Relativamente/subsidiariedade Processo Civil – especificidades,inquérito judicial – processo trabalho subsidiário do CPC. Há uma dependênciado processo civil e não uma relação.Teoria Inominada – juiz, matéria, específica, doutrina e método próprio.Subsidiariedade mas não dependente do processo civil. Essa é a teoria maisaplicada já que tem sua autonomia própria, porém não dependente. 
Autonomia: - A teoria monista aduz que o direito do trabalho é absolutamente dependentedo direito processual civil comum, pois se vale de seus princípios, etc.- A teoria dualista diz que o direito processual do trabalho é autônomo, poispossui princípios e regramentos específicos para sua matéria, os quais nãoexistem em nenhuma outra área do direito.* Alfredo Rocco diz: “Para que se possa considerar autônomo umdepartamento do direito é preciso que ele tenha:a) Campo vasto a ponto de exigir do estudioso atenção particular;b) Conceitos gerais próprios;c) Método próprio;d) Institutos próprios;e) Objeto definido;Obs.: O bem juridicamente tutelado pelo direito do trabalho (ou processual) é aenergia humana. O direito do trabalho, assim, se funda na protão dadignidade da pessoa humana (art. 1.º, III da CF).
Princípios:Formam e informam o arcabouço de conteúdos de um conceito.
I.
Princípio da instrumentalidade:
Processo é o instrumento (meio) atravésdo qual se efetiva o direito material, este é o bem juridicamente tutelado(energia humana). “O Processo é um instrumento pelo qual o Estado dá atutela jurisdicional. Não é o processo uma propriedade das partes, mas sim,um instrumento através do qual o “Estado-Juiz” dá a cada um o que é seu.”(Cândido Rangel Dinamarco)
II.
Princípio do devido processo legal:
O processo para atingir seu objetivo,deve respeitar o princípio da legalidade. Previsto no artigo 5º, LV da CF.
III.
Princípio da indisponibilidade:
Vide artigo 126 do CPC. O juiz, noexercício do seu ministério, não pode negar jurisdição. Na ausência deprevisão legal deverá sentenciar com base em analogia, costumes eprincípios gerais do direito. O juiz não pode negar a prestação jurisdicionalquando provocado. Há situações onde o juiz poderá declinar suacompetência jurisdicional (impedimento e suspeição), fato que não viola aopresente princípio e sim, serve para manutenção da imparcialidade dojulgamento.

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->