Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
3Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Cartas ao Ambiente

Cartas ao Ambiente

Ratings: (0)|Views: 128 |Likes:
Carta dos alunos sobre as suas preocupações ambientais
Carta dos alunos sobre as suas preocupações ambientais

More info:

Categories:Types, School Work
Published by: Agrupamento de Escolas da Lajeosa do Dão on Mar 25, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/26/2011

pdf

text

original

 
Lageosa, 21 de Março 2011Ex . Sr. Primeiro Ministro
José Sócrates 
Venho por este meio comunicar que eu, Azevinho, um arbustoMediterrânico das montanhas, pelo uso excessivo da minha
“pessoa”
nosarranjos natalícios V/Ex.ª tem-me retirado do meu habitat natural.Por esta razão e muitas outras mais, na Europa onde neste momento euvido e daqui escrevo, estou em perigo de extinção.
Caso não saiba, posso viver até 100 anos, medir 10 metros ser importante
na botânica, cultura e paisagem proporciono refugio e alimento paravárias aves por isso tem de tomar medidas em relação a isso.Por todos os motivos acima descritos, peço a sua atenção quanto àpreservação da minha espécie.Com os melhores cumprimentos, o
azevinho 
.PS: Tome medidas o mais rapidamente possível.
 
Venho informar-lhe que sou uma árvore (pau-rosa) em vias de extinçãograças ao ser humano.Sou muito importante para o meio ambiente tal como as outras árvorespor várias razões, das quais cito algumas:
Refrescamos o mundo
Damos oxigénio através da fotossíntese
Proporcionamos muita sombra nos dias quentes de verão.
Para além de sermos úteis para o ser humano, também embelezamos aterra com as nossas folhas verdes (ou de outra cor) e com as nossasflores de multicores e maravilhosas que alegram o vosso dia-a-dia.Também é, com enorme pena, que vejo os animais a serem mortos porcaçadores ou a serem feridos gravemente, eles também são úteis.Também servimos de alimento aos animais herbívoros.Os homens só pensam no presente mas deveriam pensar no dia deamanhã e nos seus netos e filhos, pois eles irão precisar de nós.Tentem retirar tudo o que temos de bom (pois, de nós não conseguemretirar nada de mau) e de importante para a vossa saúde esobrevivência.Espero que considerem esta carta o como uma critica, masprincipalmente como um conselho e que tenham em consciência o
futuro das pessoas.
P.S- Se tem amor ao próximo, por favor, não nos destrua.Com os meus cumprimentos:Todas as árvores
Pau-Rosa 
Lajeosa do Dão, 21 de Março de 2011Excelentíssimo Senhor Muamar kadafi
 
Sou o Mundo de todos vósAquele que não tem futuro certo Toda a gente me quer matar Sou eu o pequeno 
Abeto 
Começo esta breve carta com um pequeno poema acima escrito
Este poema traduz e tem o rosto do meu sentimento actual. Espero conseguircaptar a sua atenção por breves momentos que sejam
Venho com grande tristeza fazer um comentário e, também, uma crítica ao que seestá a passar com o nosso Mundo florestal actual.Quando nos plantam, na floresta, sentimo-nos bem (tão bem!), só de pensar quevamos contribuir para o bem do Meio Ambiente, para dar oxigénio a vós, humanos,e uma vida saudável
Apanhamos chuva, sol, temperaturas baixas, temperaturas altas, bom tempo, mautempo
tudo depende do clima e daquilo por vós chamada de MÃE NATUREZA.Apesar de todos os contratempos que esta
“Mãe”
nos prega, não ficamos tristes,porque sem esses ambientes amenos ou não, morremos.É com uma enorme pena que vejo os
destruidores de florestas 
como algunshumanos inconscientes, que não se lembram que precisam de nós para viver e nemtentam sequer imaginar o que seriam se fossem uma árvore como nós. Comoreagiriam ou gostariam que lhes fizessem o que nos fazem a nós
por uma simplespalavra: MATAR!O vosso acto indigno de nos MATAR, destruir o bem de todos, o bem dos animaisque tanto precisam de nós, o bem da planta quer seja baixa ou alta, o bem do marpela sua beleza e fauna, o bem do vosso filho que será um dia avô, leva-me apensar que este acto de matar e destruir não só uma, não duas, nem sequer trêsvidas, mas sim milhares de vidas existentes nas florestas é um acto completamentenão reflectido e sobretudo irresponsável!Com tristeza dizemos isto, mas sem nós, quem viverá?Não seremos nós, por estarmos destruídas
mas também vocês próprios.Só peço para quando vocês, inconscientes, pensarem em matar um de nós,pensem na vida de um de vocês.
Somos o Bem de todos…merecemos viver.
Atentamente me despeço,
O Vosso Amigo Abeto 

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->