Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
15Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
AEE - Curso para Orientação de Dirigentes de Escola de Aprendizes do Evangelho

AEE - Curso para Orientação de Dirigentes de Escola de Aprendizes do Evangelho

Ratings: (0)|Views: 1,984 |Likes:
Published by clayton_2009

More info:

Published by: clayton_2009 on Mar 27, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/05/2014

pdf

text

original

 
1
ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA - ABC
Curso para Orientação de Dirigentes de Escola de Aprendizes do Evangelho1. HISTÓRICO
A partir de 1940 na Federação Espírita do Estado de São Paulo, grande espaço foi atribuído às escolas ecursos os mais variados, ao mesmo tempo em que os trabalhos práticos foram revistos, atualizados,desdobrados e popularizados o mais possível, para se recuperar o largo tempo perdido em inoperânciasadministrativas e estagnações doutrinárias, ao mesmo tempo em que se procurava e se efetivava aunidade de práticas.Nesse período, algumas Fraternidades espirituais prestaram valiosa cooperação e seu número, com opassar do tempo, foi aumentando de forma que em 1967, quando essa fase de organização, unificação eatualização se encerrou, eram elas mais de duas dezenas, todas devidamente apresentadas, identificadase registradas para efeito de ordem e autenticidade funcional.O início das aproximações se deu nos primeiros meses de 1940, quando o Plano Espiritual superioratribuiu a um peq
ueno grupo de entidades a tarefa de auxiliar a “Casa” na implantação de um programa
doutrinário mais avançado, entidades essas que vieram formar a Fraternidade do Santo Sepulcro, emmemória aos esforços de libertação da Palestina do jugo mulçumano, movimen to esse que na história
do mundo recebeu o nome de “Cruzadas”.
Em 1942 formou-
se um grupo de médiuns sob a designação de “Grupo Razin”, em homenagem a seu
patrono espiritual que dirigia a Fraternidade espiritual sob o mesmo nome e cujo símbolo era um trevode três folhas; e em 1950, logo após a criação da Escola de Aprendizes do Evangelho, criou -se aFraternidade dos discípulos de Jesus, que adotou o mesmo símbolo e , à medida que a Casa crescia e seexpandia, foram se agremiando em torno todas as fraternid ades que se apresentavam oferecendocolaboração.A orientação evangélica da Casa, a criação dessa Escola de Aprendizes do Evangelho e da Escola deMédiuns, e a ampla abertura dos atendimentos a necessitados, foram alicerces seguros da consolidaçãoda Casa, seu engrandecimentos e sua projeção considerável no conceito público do Estado e do País ejustamente os motivos da aproximação e da colaboração ampla e espontânea dessas Fraternidades doEspaço. Vivência do Espiritismo Religioso, páginas 131/132, 5ª ediç ão
2000.Edgard Armond, segue seu caminho, no ideal de difundir a vivência do espiritismo religioso, fundandojunto a irmãos de ideal,a Aliança Espírita Evangélica.A Aliança Espírita Evangélica foi fundada no dia 4 de dezembro de 1973, por iniciativa doComandante Edgard Armond.Nesta época, registravam-
se mais de 10 Centros oriundos (“filhotes”) da Federação Espírita do Estado
de São Paulo, que prosseguiam trabalhando, pautando suas atividades pelo Espiritismo Evangélico,fazendo evoluir a semente receb
ida na “Casa Grande”.
No início do ano de 1973, manifestava o Comandante Armond preocupações no sentido de uniformizaro trabalho de novas casas, esclarecendo que, para isso, os programas deveriam ser revisados,objetivando uma simplificação.Ao se referir à simplificação dos programas, voltava-se para dois Aspectos:
Torná-los mais acessíveis aos novos Grupos;
Imprimir aos mesmos uma dinâmica mais condizente com os tempos modernos.Assim, no segundo semestre de 1973, Armond trabalhou na simplificação dos mé todos padronizadospara a Assistência Espiritual, fazendo uma revisão no livro -
base “Passes e Radiações”.
 
2Em seguida, o Curso Básico de Espiritismo, cujo programa de origem se alongava por um ano, foireduzido para 12 aulas, contando, então, com a colabora ção do nosso companheiro ValentimLorenzetti. Hoje, o Curso Básico do Espiritismo está estruturado em 17 aulas.Muitos que militam hoje nos Grupos Integrados da Aliança, chegaram a fazer a Curso de Médiuns em 4anos, seu programa também sofreu alteração, tendo sido reduzido para um ano, entre a parte teórica e aprática. Atualmente o Curso de Médiuns é composto por 72 aulas divididas em : primeiro período(teoria) 29 aulas e segundo período (prática) 42 aulas.No que se refere à Escola de Aprendizes do Evangelho, cujo programa original também se estendia por4 anos, foi ele resumido para 2 anos e 3 meses. Desde 2003, o programa da Escola de Aprendizes doEvangelho consta de 118 aulas, programa publicado no O TREVO MAIO/2003.Com as revisões e simplificações propostas pelo nosso Armond, o amigo leitor já pode avaliar ovolume de trabalho que era proposto no sentido de reescrever todas as aulas e editá -las na forma delivros e fascículos, um trabalho que exigia esforço conjugado, com a participação de muitoscolaboradores.
Foi por esse motivo que, no dia 4 de dezembro de 1973, anunciou o Comandante Armond o “toque dereunir” e, na sua residência, à rua Artur Prado, reuniram
-se às 20:00 horas representantes dos diversos
“filhotes” da Federação, que unidos num cli
ma de muita fraternidade e desejo de trabalhar, resolveramfundar a ALIANÇA ESPÍRITA EVANGÉLICA.Edgard Armond, cuja biografia encontra-
se em “O TREVO” de dezembro de 1982, teve o grande
mérito de promover, no final da década de 40, alterações radicais na vivência do espiritismo, até entãovoltado para os fenômenos, dirigindo-se para o grande público, abrindo as portas do caminho daespiritualização e oferecendo socorro aos necessitados, na prática da caridade pura, ensinada por JesusCristo.Em sua administração, como secretário-geral da Federação Espírita do Estado de São Paulo, foramimplantadas as Escolas de Aprendizes do evangelho, os Cursos de Médiuns e a Assistência EspiritualPadronizada.Indicamos como indispensável a leitura do capítulo intitulado
“O que é a Aliança Espírita Evangélica”,do livro “Vivência do Espiritismo Religioso”.
2. A EDITORA ALIANÇA
O trabalho dos primeiros meses foi intenso e participativo. Dezenas de companheiros dedicavam horasinumeráveis na elaboração dos novos compêndios e na edição de um periódico
O TREVO.Com os originais dos livros-textos prontos, o passo seguinte seria editá-los, e assim nasceu a EditoraAliança, que, dentre os seus títulos, apresenta os livros fundamentais da Aliança Espírita Evangélica asaber: sé
rie “Iniciação Espírita”, em 9 fascículos (hoje reunidos em um único volume), “Curso Básicode Espiritismo”, “Mediunidade”, “Passes e Radiações”, “Cromoterapia e Psiquismo”, e o livro“Vivência do Espiritismo religioso” que transformou
-se num verdadeiro manual de procedimentos.
3. OS PROGRAMAS
Os programas da Aliança Espírita Evangélica
AEE, adotados por seus Grupos Integrados sãoconstituídos por Escola de Aprendizes do Evangelho, Curso de Médiuns, Assistência Espiritual,Mocidades Espíritas e Evangelização Infantil.As atividades da AEE desenvolvidas por seus Grupos Integrados são Caravanas de Evangelização eAuxílio, Curso Básico do Espiritismo (Kardec e as obras básicas) Obras Assistenciais, Formação eAperfeiçoamento de Expositores, Curso para Evangelizadores da Infância, Reciclagens, Multiplicaçãode Centros Espíritas e outros. Vivência do Espiritismo Religioso, página 24, 5ª edição
2000
 
3
4. ESCOLA DE APRENDIZES DO EVANGELHO
Um Caminho de Auto Conhecimento
A Escola de Aprendizes do Evangelho, sem dúvida alguma é um programa de auto conhecimento, ohomem encarnado tem em sua essência o registro de suas múltiplas vivências, ele não está separado desua essência, e muitas vezes não atua acessando sua força divina. De sua origem até os dias atuais desua existência ou atual reencarnação, o ser encarnado criou ao redor de si uma barreira que julga deproteção, essa barreira mental foi sendo fortalecida pela mente do próprio ser encarnado, essaconstrução fluídica nem sempre se dá de forma consciente , o homem a usa para defender-se dossentimentos que geram dor emocional ou material, assim, se isola num campo energético deixando -oanestesiado de sensações, dessa forma, ele sobrevive mas não vive, vai passando pelas vidassucessivamente, como um ator desenvolvendo personagem sem ser personagem de enredo algum, detanto atuar o homem perde sua identidade, se perdendo no todo existindo sem existir. O contato com areencarnação é a oportunidade que o leva a sensibilizar se com as emoções que estão em sua e ssência,mas o homem tem o livre arbítrio, o seu querer, pode optar em sentir ou em manter a barreira fluídicaque o separa da vivência libertadora. Toda vez que o homem encarnado se depara com situações que olevaria a libertação é porque adquiriu condições para se auto conhecer.Na Escola de Aprendizes do Evangelho, o homem vai rever sua história através de um programaelaborado para sensibilizá-lo, para tocar e fazer vibrar em freqüência amorosa, libertadora, de autodescoberta, ele vai entender o quanto esteve adormecido, congelado dentro de si mesmo, e nessedespertar encontrará um homem novo querendo devastar seu mundo interior, descobre a grandeza desua natureza, reconhece sua potencialidade, sente Deus como seu verdadeiro Pai e prepara -se para atuarno mundo em busca do sentir, passará a ver a humanidade como seu semelhante esforçando -se emauxiliar aqueles que ainda estão envoltos em barreiras fluídicas densas, mesmo, sem tercompletamente se auto descoberto. A Escola de Aprendizes do Evangelho, em cada aula leva o homema entender seu sistema, e lhe permite tocar em determinadas camadas de sua formação, sem que omesmo, perceba o processo de redenção que está se realizando em si. Num programa tão bemestruturado e que se acredita ser um plano divino, para levar o homem de retorno a sua essência,recebendo apoio de inúmeros grupos de trabalhadores do espaço que sabem da necessidade do homemlibertar-se de si mesmo e das construções mentais criadas por ele, pois é chegada a hora datransformação e para isso o homem necessita tirar as suas armaduras mentais e fluídicas, caso não ofaça, se tornaram empecilhos para que ele se reconheça como um ser eterno, desconhecendo assim, a simesmo.
5. ESCOLA DE APRENDIZES DO EVANGELHO
UM PLANO REDENTOR
A Escola de Aprendizes do Evangelho, um plano para redenção de almas, recebe o apoio dasFraternidades do Espaço, empenhadas na tarefa de levar o ser encarnado ou desencarnado a sentir eentender sua essência divina, libertando-se dos conceitos e pré conceitos que atuam em sua substâncialevando-o a estar prisioneiro de si mesmo.A Escola de Aprendizes do Evangelho, (compreenda-se é uma escola iniciática), é ofertada como tarefaao dirigente discípulo, que percorreu toda o caminho da iniciação espiritual e agor a, se coloca paraestar refazendo a sua caminhada de iniciação, porém testemunhando o aprendizado já adquirido. Aodirigente compete entender que está recebendo por confiança, a oportunidade de novamente sentir eentender o programa redentor, e que para is
so tem “os alunos” e que sem eles dificilmente se
encaminharia para refazer a Escola de Aprendizes do Evangelho.O dirigente que entende o programa em seus dois sistemas, pois, através de mensagens mediúnicas, seconcebe que para cada EAE no plano físico, há uma EAE no plano espiritual e que o dirigente da EAEdo plano físico tem ao seu lado uma equipe de tarefeiros e fraternidades dando o apoio e sustentaçãoem todos os momentos, sendo assim, entende-se que o dirigente em tarefa na EAE, em nenhum

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->