Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
32Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
A - BARROCO

A - BARROCO

Ratings: (0)|Views: 12,769|Likes:
Published by Adeilson

More info:

Published by: Adeilson on Mar 29, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, DOC, TXT or read online from Scribd
See More
See less

06/02/2013

pdf

text

original

 
BARROCO
1. (Ufscar-SP)"Ora, suposto que já somos pó, e não pode deixar de ser, pois Deus o disse, perguntar-me-eis,e com muita razão, em que nos distinguimos logo os vivos dos mortos? Os mortos são pó, nóstambém somos pó: em que nos distinguimos uns dos outros? Distinguimo-nos os vivos dosmortos, assim como se distingue o pó do pó. Os vivos são pó levantado, os mortos são pócaído, os vivos são pó que anda, os mortos são pó que jaz: Hic jacet. Estão essas praças noverão cobertas de pó: dá um pé-de-vento, levanta-se o pó no ar e que faz? O que fazem osvivos, e muito vivos. não aquieta o pó, nem pode estar quedo: anda, corre, voa; entra por estarua, sai por aquela; já vai adiante, já torna atrás; tudo enche, tudo cobre, tudo envolve, tudo perturba, tudo toma, tudo cega, tudo penetra, em tudo e por tudo se mete, sem aquietar nemsossegar um momento, enquanto o vento dura. Acalmou o vento: cai o pó, e onde o vento parou, ali fica; ou dentro de casa, ou na rua, ou em cima de um telhado, ou no mar, ou no rio,ou no monte, ou na campanha. Não é assim? Assim é."Antônio Vieira. Trecho do Cap. V do Sermão da Quarta-Feira de Cinza.Apud: Sermões de Padre Antônio Vieira. São Paulo: Núcleo, 1994, p.123-124.Em Padre Vieira fundem-se a formação jesuítica e a estética barroca, que se materializam emsermões considerados a expressão máxima do Barroco em prosa religiosa em língua portuguesa, e uma das mais importantes expressões ideológicas e literárias da Contra-Reforma.a) Comente os recursos de linguagem que conferem ao texto características do Barroco. b) Antes de iniciar sua pregação, Vieira fundamenta-se num argumento que, do ponto de vistareligioso, mostra-se incontestável. Transcreva esse argumento.Resposta2. (ITA-SP) Leia o texto abaixo e as afirmações que se seguem."Que falta nesta cidade? Verdade.Que mais por sua desonra? Honra.Falta mais que se lhe ponha? Vergonha.O demo a viver se exponha,Por mais que a fama a exalta, Numa cidade onde faltaVerdade, honra, vergonha."Gregório de Matos Guerra. Os melhores poemas de Gregório de Matos Guerra.
 
Rio de Janeiro: Record, 1990.I - Mantém uma estrutura formal e rítmica regular.II - Enfatiza as idéias opostas.III - Emprega a ordem direta.IV - Refere-se à cidade de São Paulo.V - Emprega a gradação.Então, pode-se dizer que são verdadeiras:a) Apenas I, II, IV. b) Apenas I, II, V.c) Apenas I, III, V.d) Apenas I, IV, V.e) Todas.Resposta3. (UEL-PR) Ao lado dos versos críticos e contundentes, em geral dirigidos contra os poderosos e os oportunistas, há os versos líricos, tocados pelo sentimento amoroso ou peladevoção cristã. Num e noutro casos, apuravam-se o engenho verbal, as construções paralelísticas, o emprego de antíteses e hipérboles, por vezes inspirando-se diretamente emversos ou fórmulas dos espanhóis Gôngora e Quevedo — mestres desse estilo.O trecho anterior está-se referindo à obra poética de:a) Cláudio Manuel da Costa. b) Gregório de Matos.c) Tomás Antônio Gonzaga.d) José de Anchieta.e) Antonio Vieira.Resposta4. (UEL-PR) O Barroco manifesta-se entre os séculos XVI e XVII, momento em que os ideaisda Reforma entram em confronto com a Contra-Reforma católica, ocasionando no plano dasartes uma difícil conciliação entre o teocentrismo e o antropocentrismo. A alternativa quecontém os versos que melhor expressam esse conflito é:
 
a) "Um paiá de Monal, bonzo bramá,Primaz da Cafraria do Pegu,Que sem ser do Pequim, por ser do Açu,Quer ser filho do sol, nascendo cá."Gregório de Matos Guerra b) "Temerária, soberba, confiada,Por altiva, por densa, por lustrosa,A exaltação, a névoa, a mariposa,Sobe ao sol, cobre o dia, a luz lhe enfada."Botelho de Oliveirac) "Fábio, que pouco entendes de finezas!Quem faz só o que pode a pouco obriga:Quem contra os impossíveis se afadiga,A esse cede amor em mil ternezas."Gregório de Matos Guerrad) "Luzes qual sol entre astros brilhadores,Se bem rei mais propício, e mais amado;Que ele estrelas desterra em régio estado,Em régio estado não desterras flores."Botelho de Oliveirae) "Pequei Senhor; mas não porque hei pecado,Da vossa alta clemência me despido;Porque quanto mais tenho delinqüido,Vos tenho a perdoar mais empenhado. "Gregório de Matos GuerraResposta
5. (UFRGS-RS) Assinale com V (verdadeiro) ou F (falso) as afirmações abaixo sobre osdois grandes nomes do Barroco brasileiro.( ) A obra poética de Gregório de Matos oscila entre os valores transcendentais e osvalores mundanos, exemplificando as tensões do seu tempo.( ) Os sermões do Padre Vieira caracterizam-se por uma construção de imagensdesdobradas em numerosos exemplos que visam enfatizar o conteúdo da pregação.

Activity (32)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
anamirceya liked this
Kamila Junqueira liked this
Emanoel Martins liked this
Luciana Braga liked this
Agnes Aline liked this
Aline Ramos liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->