Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
4Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Regulamento Geral Do Estatuto Da Advocacia e Da OAB

Regulamento Geral Do Estatuto Da Advocacia e Da OAB

Ratings: (0)|Views: 202 |Likes:
Published by Jackeline Brandão
REGULAMENTO GERAL DO ESTATUTO DA ADVOCACIA E DA OAB
REGULAMENTO GERAL DO ESTATUTO DA ADVOCACIA E DA OAB

More info:

Categories:Business/Law
Published by: Jackeline Brandão on Mar 30, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/16/2013

pdf

text

original

 
REGULAMENTO GERALDO ESTATUTO DA ADVOCACIA E DA OAB
 
Dispõe sobre o Regulamento Geral previsto na Lei nº 8.906, de04 de julho de 1994.
O CONSELHO FEDERAL DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, no usodas atribuições conferidas pelos artigos 54, V, e 78 da Lei nº 8.906, de 04 de julho de 1994,RESOLVE:
TÍTULO IDA ADVOCACIACAPÍTULO IDA ATIVIDADE DE ADVOCACIASEÇÃO IDA ATIVIDADE DE ADVOCACIA EM GERAL
 
Art. 1º
A atividade de advocacia é exercida com observância da Lei nº 8.906/94(Estatuto), deste Regulamento Geral, do Código de Ética e Disciplina e dos Provimentos.
Art. 2º
O visto do advogado em atos constitutivos de pessoas jurídicas, indispensávelao registro e arquivamento nos órgãos competentes, deve resultar da efetiva constatação,pelo profissional que os examinar, de que os respectivos instrumentos preenchem asexigências legais pertinentes. (NR)
1
Parágrafo único. Estão impedidos de exercer o ato de advocacia referido neste artigoos advogados que prestem serviços a órgãos ou entidades da Administração Pública diretaou indireta, da unidade federativa a que se vincule a Junta Comercial, ou a quaisquerrepartições administrativas competentes para o mencionado registro.
Art. 3º
É defeso ao advogado funcionar no mesmo processo, simultaneamente, comopatrono e preposto do empregador ou cliente.
Art. 4º
A prática de atos privativos de advocacia, por profissionais e sociedades nãoinscritos na OAB, constitui exercício ilegal da profissão.Parágrafo único. É defeso ao advogado prestar serviços de assessoria e consultoriajurídicas para terceiros, em sociedades que não possam ser registradas na OAB.
Art. 5º
Considera-se efetivo exercício da atividade de advocacia a participação anualmínima em cinco atos privativos previstos no artigo 1º do Estatuto, em causas ou questõesdistintas.Parágrafo único. A comprovação do efetivo exercício faz-se mediante:
Publicado no Diário de Justiça, Seção I, do dia 16.11.94, págs. 31210/31220.
1
Ver Sessões plenárias dos dias 16 de outubro, 06 e 07 de novembro de 2000 (DJ, 12.12.00, p. 574, S.1)
 
a) certidão expedida por cartórios ou secretarias judiciais;b) cópia autenticada de atos privativos;c) certidão expedida pelo órgão público no qual o advogado exerça função privativa doseu ofício, indicando os atos praticados.
Art. 6º
O advogado deve notificar o cliente da renúncia ao mandato (art. 5º, § 3º, doEstatuto), preferencialmente mediante carta com aviso de recepção, comunicando, após, oJuízo.
Art. 7º
A função de diretoria e gerência jurídicas em qualquer empresa pública,privada ou paraestatal, inclusive em instituições financeiras, é privativa de advogado, nãopodendo ser exercida por quem não se encontre inscrito regularmente na OAB.
Art. 8º
A incompatibilidade prevista no art. 28, II do Estatuto, não se aplica aosadvogados que participam dos órgãos nele referidos, na qualidade de titulares ou suplentes,como representantes dos advogados. (NR)
2
§ Ficam, entretanto, impedidos de exercer a advocacia perante os órgãos em queatuam, enquanto durar a investidura.§ A indicação dos representantes dos advogados nos juizados especiais deverá serpromovida pela Subseção ou, na sua ausência, pelo Conselho Seccional.
SEÇÃO IIDA ADVOCACIA PÚBLICAArt. 9º
Exercem a advocacia pública os integrantes da Advocacia-Geral da União, daDefensoria Pública e das Procuradorias e Consultorias Jurídicas dos Estados, do DistritoFederal, dos Municípios, das autarquias e das fundações públicas, estando obrigados àinscrição na OAB, para o exercício de suas atividades.Parágrafo único. Os integrantes da advocacia pública são elegíveis e podem integrarqualquer órgão da OAB.
Art. 10.
Os integrantes da advocacia pública, no exercício de atividade privativaprevista no Art. 1º do Estatuto, sujeitam-se ao regime do Estatuto, deste Regulamento Gerale do Código de Ética e Disciplina, inclusive quanto às infrações e sanções disciplinares.
3
 
SEÇÃO IIIDO ADVOGADO EMPREGADO
4
 
Art. 11.
Compete a sindicato de advogados e, na sua falta, a federação ouconfederação de advogados, a representação destes nas convenções coletivas celebradascom as entidades sindicais representativas dos empregadores, nos acordos coletivoscelebrados com a empresa empregadora e nos dissídios coletivos perante a Justiça doTrabalho, aplicáveis às relações de trabalho.
2
Ver Sessões plenárias dos dias 16 de outubro, 06 e 07 de novembro de 2000 (DJ, 12.12.00, p. 574, S.1)
3
Ver notas no Capítulo V, Título I, do Estatuto.
4
Ver notas no Capítulo V, Título I, do Estatuto.
 
 
Art. 12.
Para os fins do art. 20 da Lei nº 8.906/94, considera-se de dedicaçãoexclusiva o regime de trabalho que for expressamente previsto em contrato individual detrabalho. (NR)
5
Parágrafo único. Em caso de dedicação exclusiva, serão remuneradas comoextraordinárias as horas trabalhadas que excederem a jornada normal de oito horas diárias.
Art. 13.
(REVOGADO)
6
 
Art. 14.
Os honorários de sucumbência, por decorrerem precipuamente do exercícioda advocacia e só acidentalmente da relação de emprego, não integram o salário ou aremuneração, não podendo, assim, ser considerados para efeitos trabalhistas ouprevidenciários.Parágrafo único. Os honorários de sucumbência dos advogados empregadosconstituem fundo comum, cuja destinação é decidida pelos profissionais integrantes doserviço jurídico da empresa ou por seus representantes.
7
 
CAPÍTULO IIDOS DIREITOS E DAS PRERROGATIVASSEÇÃO IDA DEFESA JUDICIAL DOS DIREITOS E DAS PRERROGATIVASArt. 15.
Compete ao Presidente do Conselho Federal, do Conselho Seccional ou daSubseção, ao tomar conhecimento de fato que possa causar, ou que já causou, violação dedireitos ou prerrogativas da profissão, adotar as providências judiciais e extrajudiciaiscabíveis para prevenir ou restaurar o império do Estatuto, em sua plenitude, inclusivemediante representação administrativa.Parágrafo único. O Presidente pode designar advogado, investido de poderes bastantes,para as finalidades deste artigo.
Art. 16.
Sem prejuízo da atuação de seu defensor, contará o advogado com aassistência de representante da OAB nos inquéritos policiais ou nas ações penais em quefigurar como indiciado, acusado ou ofendido, sempre que o fato a ele imputado decorrer doexercício da profissão ou a este vincular-se.(NR)
8
 
Art. 17.
Compete ao Presidente do Conselho ou da Subseção representar contra oresponsável por abuso de autoridade, quando configurada hipótese de atentado à garantialegal de exercício profissional, prevista na Lei nº 4.898, de 09 de dezembro de 1965.
SEÇÃO IIDO DESAGRAVO PÚBLICO
 
5
Ver Sessões plenárias dos dias 16 de outubro, 06 e 07 de novembro de 2000 (DJ, 12.12.00, p. 574, S.1)
6
Ver Sessões plenárias dos dias 16.de outubro, 06 e 07 de novembro de 2000 (DJ, 12.12.00, p. 574, S.1)
7
Ver anexo, STF - ADI nº 1194.
8
Ver Sessões plenárias dos dias 17 de junho, 17 de agosto e 17 de novembro de 1997 (DJ, 24.11.97, p. 61.378 – 61.379, S.1).

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->