Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
3Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Viola Caipira Aprende

Viola Caipira Aprende

Ratings: (0)|Views: 145|Likes:

More info:

Published by: Contos InfantoJuvenis on Apr 02, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/02/2014

pdf

text

original

 
Disciplina “Educação e tecnologia”
AprendizagemViola Caipira
Gustavo H. Almeida
 
Introdução
Nasci em Campinas, no interior de São Paulo. Minha mãe é da Capital paulista emorou até a faculdade em Mogi das Cruzes. Meu pai é mineiro de Delfinópolis. Morou lána infância e depois em Franca-SP. Morei e estudei sempre em Campinas.Durante a minha infância – até uns 13 anos - gostava de ouvir música que tocava emrádios como “Joven Pan”, “Educadora”. Músicas para adolescente, pop-rock nacional- por exemplo, o “Skank”, “Jota Quest”. Enquanto isso, na família do meu pai – com que eutinha mais contato- só se ouvia música sertaneja, desde das chamadas “raízes”(TiãoCarreiro, “Zilo e Zalo”) até o sertanejo de “João Paulo e Daniel” e “Leandro e Leonardo”.Eu não gostava. Mas de tanto ouvir nas viagens, nas festas em família, no dia-a-dia, meacostumei à sonoridade da música sertaneja e ao seu ritmo. E comecei a escutar este estiloaos poucos, sem que meus amigos soubessem. Isto porque, existe um grande preconceitoem torno desse estilo musical, que geralmente é denominado de caipira. Eu por ser muitotímido na época, preferi esconder essa preferência. Mas aos poucos, dos 13 aos 17, substituío pop-rock – e até um heavy metal- que ouvia antes pelo sertanejo e também pelo samba.Com 17, já quase não escutava outra coisa a não ser estes dois estilos.Quando entrei na Unicamp, minha visão de mundo mudou. Perdi boa parte daminha timidez e despreocupei com que as pessoas pensam sobre mim. Não via maisproblema em falar que gostava de sertanejo ou de pagode. Eu tinha que ouvir o que euachava interessante e sertanejo não me faria inferior ou algo parecido. Hoje ouço este tipode música diariamente sem problema algum. E isto não me impediu de conhecer e apreciar outros estilos, como jazz (apesar de eu gostar de músicas em português) e MPB.Sempre gostei de ouvir música, no entanto nunca havia despertado interesse emtocar instrumento algum ou aprender sobre música. Minha mãe tocava piano -assim como aminhas tias e tio- meu pai violão e viola, que ele aprendeu com seus irmãos e meu avô.Minha irmã aprendeu a tocar piano.Mesmo com este histórico familiar, apenas eu nãotocava nada. Não possuía nenhuma noção do que é a música. Entretanto, gostava de cantar.Não profissionalmente, mas junto com a música, no chuveiro, no carro.Na disciplina de “Educação e tecnologia”, do curso de Midialogia na Unicamp,surgiu a oportunidade de aprender sobre alguma coisa. Poderia aprender qualquer coisadesde que se usasse as “TIC” – tecnologias da informação e da comunicação. Portanto oque eu escolhi como objetivo de aprendizagem foi: tocar 
viola
 
caipira
.O que pretendo aprender é o seguinte: tocar ao menos uma música na viola. Acanção escolhida foi “Os Três Boiadeiros”.No inicio da disciplina “Educação e Tecnologia” foram leituras, reflexões e testespara identificar as preferências de aprendizagem de cada aluno. Estudei sobre as minhaspreferências de aprendizagem. Descobri por estes testes realizados e das reflexão sobre oque já havia aprendido na vida-que sou uma pessoa balanceada, ou seja, consigo aprender através de imagens (visual) tanto quanto de textos (verbal). E que aprendo independente dadimensão que prevalecer ou da utilização de todas ao mesmo tempo- tanto com linguagemvisual, verbal ou baseado na experiência. As respostas dos testes em muito se pareceramentre elas. Apesar disto, apresentei uma leve tendência ao lado verbal. Através da reflexãosobre coisas que havia aprendido anteriormente, concluí que tenho uma aprendizagem maiseficiente quando faço concomitantemente duas dimensões, por exemplo, ler um livro e
 
depois assistir um filme. Das dimensões, a que menos utilizo é a sonora. A dimensãoexperiência seria junto a verbal a mais eficiente para eu aprender.Acredito que para aprender a tocar viola, o lado verbal não deva prevalecer, sendo aparte visual e sonora mais importante.
Objetivo do estudo e metodologia utilizada.
O objetivo que pretendo alcançar neste projeto de aprendizagem é o de tocar aomenos
uma música na viola caipira
. Uma música simples, de fácil aprendizagem, que sechama “Os três boiadeiros”. Digo ao menos uma, pois, caso a aprendizagem seja eficienteserei capaz de tocar mais de uma canção.Além de tocar, há como objetivos específico: conhecer os nomes das cordas daviola;
aprender 3 acordes
básicos;
testar os métodos de ensino
existentes que sãomediados pelas “TIC”, documentar as estruturas utilizadas para se concretizar o processo eidentificar as estratégias usadas para aprendizagem, isto é, as preferências de aprendizagemusadas no desenvolvimento do projeto. .Para aprender a tocar a música descrita eu precisei utilizar um método parainiciantes de como aprender a tocar viola. Este método eu encontrei na Internet no site dovioleiro “Junior da Violla”. Ele é um mini-curso que estava disponibilizado gratuitamenteem seu site. Além disso, precisei da intervenção de agentes de aprendizagem. Essaintervenção se deu através do uso de uma TIC, a Internet. Foram feitas conversas através doMSN com o meu tio para que eu conseguisse completar o objetivo. Utilizei também deintervenção direta, sem mediação de nenhuma TIC, de um outro agente, em casos que asoutras maneiras não o funcionavam agente era o meu pai.Utilizei também a intervenção do meu pai. Ele fez a indicação de qual música eudeveria tentar aprender. Isto porque, ele já tocava viola e sabia qual seria a mais fácil para omeu início. E quando o meu tio não estava disponível para me ajudar, eu pedia ajuda a ele,que fazia o mesmo só que não pela Internet. Além disso, foi ele quem afinou a viola paramim.Para os objetivos específicos: aprendi os três acordes no próprio material que estavano site do violeiro. Aprendi também através da apostila que estava no conjunto queacompanhava um cd-audio, o “Manual do violeiro”. Os nomes das cordas havia nos doismateriais. Estudei por eles.E durante o processo, enquanto completava os objetivos específicos e mesmo oprincipal, pude testar os métodos de ensino que estavam disponíveis para mim.A identificação das estratégias de aprendizagem se deu através de uma reflexão,durante a escrita do relatório, após a conclusão do projeto.Na documentação, aprendi sozinho - sem auxilio de agente de aprendizagem ou dealgum material - como fazer. Para documentar utilizei uma câmera fotográfica digital - quetambém faz vídeos, emprestada de uma amiga. Ele serviu para fotografar algumas partes doprocesso, como a parte teórica. A documentação em vídeo foi da parte prática do processo.
Resultado
 
Iniciei o projeto, como foi descrito na proposta, com o material didático encontradona Internet. Utilizei o site do violeiro “Junior da Violla”, no qual havia um método para se

Activity (3)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads
Fabiana Lima liked this

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->